XP Expert

XP Morning Call 22/02/2019: Mercados globais no campo positivo com otimismo nas negociações entre EUA e China

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Pressões sobre Reforma da Previdência no radar

Internacional

  1.  Trump se reunirá com vice-premier Chinês para negociações comerciais

Empresas

  1. Petrobras (PETR4): Valor do ressarcimento da Cessão Onerosa à Petrobras será definido em março
  2. Via Varejo (VVAR3): Rebaixamos de Compra para Neutro
  3. Suzano (SUZB3): Resultado desaponta com volumes fracos

COE News

  1. Apple lançará cartão de crédito em parceria com o Goldman Sachs
  2. Anglo American impulsiona lucro e corta dívida em meio à recuperação

Resumo

Mercados globais no campo positivo com otimismo nas negociações entre EUA e China

Mercados operam no campo positivo nesta manhã de sexta-feira a espera de resultados das negociações comerciais entre os EUA e a China. O presidente Donald Trump se reunirá com o principal negociador comercial da China, vice-premier Liu He, hoje à tarde, na tentativa de chegarem a um acordo preliminar antes do prazo de 1 de março para aumento de tarifas americanas sobre importações chinesas.
 
No Brasil, crescem as conversas sobre a judicialização da reforma da Previdência, com servidores públicos fazendo pressão no Congresso e ameaçando contestar no STF o aumento da contribuição previdenciária. O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra, admite que a PEC da reforma da previdência sofrerá mudanças no Congresso, mas trabalha com o prognóstico “realista” de aprovação em meados de setembro.
 
A semana termina com o governo brasileiro buscando formas de lidar com um possível enfrentamento iminente com a Venezuela, que fechou ontem a fronteira com o Brasil e se recusa a receber ajuda humanitária. O assunto está sendo tocado pela ala militar do governo, que é contra uso da força. O vice-presidente, General Mourão, foi escalado para ir à reunião do Grupo de Lima na próxima semana.
 
Do lado das empresas, sobre Petrobras, o Ministro de Minas e Energia afirmou que o formato da revisão do contrato da Cessão Onerosa pode ser definido na próxima quinta-feira (28/02), e os valores finais do ressarcimento à empresa devem ser definidos no final de março. A Localiza reportou resultados acima do esperado no 4T18, enquanto Suzano desapontou com volumes fracos mas foco deve ser no que está por vir, e não no 4T. Por fim, rebaixamos nossa recomendação de Via Varejo de Compra para Neutro.


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Pressões sobre Reforma da Previdência no radar

  • Crescem as conversas sobre a judicialização da reforma da Previdência. Servidores públicos já fazem pressão sobre o Congresso e ameaçam contestar no STF o aumento da contribuição previdenciária. O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra, admite que a PEC sofrerá mudanças no Congresso, mas trabalha com o prognóstico “realista”, de aprovação em meados de setembro;
  • O presidente Bolsonaro pretende editar um decreto que dê aos ministros poder de vetar nomes indicados por parlamentares. Deputados buscam retomar postos antes loteados entre os partidos, mas que hoje são ocupados por militares, como no DNIT;
  • A Câmara dos Deputados aprovou o projeto do cadastro positivo com adesão automática e não voluntária, como é atualmente. O texto segue para votação no Senado e, depois, irá para sanção do presidente Bolsonaro;
  • A semana termina com o governo buscando formas de lidar com um possível enfrentamento iminente com a Venezuela, que fechou ontem a fronteira com o Brasil e se recursa a receber ajuda humanitária. O assunto está sendo tocado pela ala militar do governo, que é contra uso da força. O vice-presidente, General Mourão foi escalado para ir à reunião do Grupo de Lima na próxima semana.

Internacional

Trump se reunirá com vice-premier Chinês para negociações comerciais

  • De acordo com notícias, o presidente Donald Trump se reunirá com o principal negociador da China na tarde de hoje em Washington, Liu He, enquanto os EUA tentam elaborar um acordo preliminar com a China antes do prazo de 1 de março para aumento de tarifas americanas sobre importações chinesas;
  • Pessoas informadas sobre as negociações disseram que um acordo comercial de longo prazo ajudaria Trump a conseguir um acordo melhor e com isso amenizar as imposições das reformas estruturais da economia chinesa e nos mecanismos de controle da economia, ambos resistidos pela equipe do Sr. Liu;
  • Em um tweet na quinta-feira, Trump também indicou que pode estar disposto a reduzir a pressão que seu governo está colocando na Huawei, o grupo chinês de telecomunicações, o que poderia dar oportunidade para um acordo comercial.

Empresas

Petrobras (PETR4): Valor do ressarcimento da Cessão Onerosa à Petrobras será definido em março

  • Em seminário promovido pela ANP, o Ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque afirmou que o formato da revisão do contrato da Cessão Onerosa pode ser definido na próxima reunião do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) na próxima quinta-feira (28/02). Além disso, se tudo ocorrer como previsto, o governo já poderia anunciar a realização do leilão dos barris excedentes destas áreas ainda esse ano;
  • No encontro da próxima semana, também devem ser apresentados os valores do ressarcimento à Petrobras, mas a definição dos valores deve ocorrer apenas no final de março. O Ministro também negou especulações sobre valores de R$15 bilhões devidos à Petrobras na imprensa;
  • Segundo o Ministro, o leilão dos excedentes da Cessão Onerosa seguirá o mesmo modelo de partilha adotado no pré-sal, e a Petrobras poderá liderar todos os projetos com pelo menos 30% de participação;
  • ​Destacamos que não incorporamos nenhum valor referente à Cessão Onerosa em nosso preço-alvo de R$31/ação para a PETR4. Vemos qualquer ressarcimento como um fator extra em nossa tese de investimentos, que só contribuí para a melhora do risco-retorno do ativo. Mantemos recomendação de compra.

Via Varejo (VVAR3): Rebaixamos de Compra para Neutro

  • ​Rebaixamos nossa recomendação de Via Varejo para Neutro de Compra, ajustando nossas estimativas e baixando o preço-alvo para R$ 6/ação de R$ 7/ação. Esperamos recuperação de resultados em 2019, mas o aumento das incertezas em relação à venda da Via Varejo para um investidor estratégico, logo após um resultado fraco no 4T18, deve manter as ações pressionadas;
  • O Grupo Pão de Açúcar (que detém 36% de participação) afirmou que está buscando a venda da Via Varejo para um investidor estratégico até o final do ano. Alternativamente, a participação poderia ser alienada diretamente a mercado, o que poderia levar mais de um ano para se materializar;
  • Reconhecemos que o desinvestimento para um investidor estratégico pode, de fato, ser um gatilho relevante, potencialmente desencadeando uma Oferta Pública de Aquisição (OPA), mas o tempo e a probabilidade de se materializar são muito incertos, enquanto operacionalmente, após trimestres subsequentes de decepção, gostaríamos de entrega e visibilidade antes de recuperar a convicção. Para acessar o relatório completo clique aqui.
     

Suzano (SUZB3): Resultado desaponta com volumes fracos

  • A Suzano divulgou ontem seu primeiro resultado consolidando a Fibria pro-forma. O preço de celulose spot na China caiu quase US$130/t no 4Q (-17%), o que fez com que tanto a Suzano quanto a Fibria retivessem suas vendas para a região, o que afetou significativamente o resultado;
  • O volume consolidado de celulose no trimestre caiu 28% T/T, para 2,09mt (21% abaixo do nosso), o que levou o custo operacional por tonelada a subir 8% (4% acima das nossas estimativas). O EBITDA total consolidado de R$3,9 bilhões foi 29% menor quando comparado ao trimestre anterior e 15% abaixo do nosso;
  • Esperamos reação negativa das ações aos resultados, mas os volumes devem normalizar ao longo do semestre, enquanto que uma contínua retomada potencial dos preços de celulose deve ajudar a dar sustentação ao papel. O foco permanece nas atualizações sobre a integração com a Fibria e no anúncio de sinergias em março. Mantemos recomendação de Compra, com preço alvo de R$62,5/ação.

Localiza (RENT3): Resultados acima do esperado no 4T18

  • A Localiza reportou números fortes no 4T18, atingindo um EBITDA de R$ 449 milhões (+16% A/A), ligeiramente acima da nossa estimativa e do consenso. O lucro líquido atingiu R$ 181 milhões no trimestre, +4% em relação ao mesmo período do ano anterior e 3% acima da nossa expectativa;
  • O desempenho mais forte que o esperado no segmento de aluguel de carros foi parcialmente compensado por margens mais fracas no segmento de Seminovos. A margem mais fraca foi um reflexo principalmente de aumentos menores nos preços de carros em geral, tendência que vem acontecendo nos últimos trimestres e que será monitorada de perto ao longo de 2019; 
  • ​Seguimos construtivos com o potencial de crescimento da Localiza. Enxergamos espaço para geração de valor com crescimento superior, alavancagem operacional, menor endividamento e custo de dívida mais baixo, resultando em um spread saudável entre o retorno sobre o capital (ROIC) e custo de capital. Para acessar o comentário de resultados completo, clique nesse link.

B3 (B3SA3): Que ano! Margem EBITDA de 71% em 2018

  • A B3 reportou ontem receita líquida R$1,31 bilhão e EBITDA ajustado de R$913,7 milhões (margem 69,6%) referentes ao 4T18, ambos em linha com nossos números e consenso. Com isso, a empresa fechou um ótimo 2018, com crescimento de receita e EBITDA de 20,6% e 28,8%, respectivamente, e volumes expressivos conforme detalhamento abaixo;
  • Os principais destaques foram: (1) o segmento BM&F, 24,8% da receita, apresentou crescimento de 27,4% A/A, refletindo forte aumento de volume e preços ; (2) O segmento Bovespa, 31,4% da receita, cresceu +49,7% no ano, impulsionado principalmente pelo aumento de 55,3% no volume diário de ações; (3) O segmento de TVM da Cetip, 21,5%, cresceu 15,6% impulsionado pelos derivativos de balcão e captação bancária; (4) A empresa revisou sua projeção de alavancagem para o ano de 2019 de 1,0x dívida bruta/EBITDA para 1,5x e também o pagamento de dividendos de 70-80% do lucro líquido para 120%-150%;
  • Como temos destacado desde o início de nossa cobertura, vemos a B3 como um dos principais players financeiros para capturar o crescimento da economia brasileira e o desenvolvimento do mercado de capitais do país. Mantemos recuperação de compra e Preço-Alvo de R$35,00.

Magazine Luiza (MGLU3): Resultados sólidos no 4T18

  • A Magazine Luiza reportou resultados sólidos do 4T18, com Receita e EBITDA de R$4,6bi e R$354mi, respectivamente, em linha com o esperado. O lucro líquido de R$190mi foi 10% acima das nossas estimativas (+14,5% A/A); 
  • Destaque positivo para vendas mesmas lojas que apresentaram crescimento de 16,1%, o que se compara a nossa estimativa de 14,1% e ao consenso de 12-13%. O crescimento das vendas online de 57,4% compara-se a nossa estimativa de 55%. A margem bruta em 28,1% ficou 78 pontos-base abaixo da nossa, -104bps A/A, pressionada pela maior representatividade das vendas online. Mantemos recomendação neutra para a Magazine Luiza;
  • A empresa anunciou novo programa de recompra de ações. Poderão ser adquiridas até 4,5 milhões de ações ordinárias, equivalentes a 2,36% das ações totais emitidas pela empresa e a 6,65% das ações em circulação. O prazo máximo para aquisição das ações é de 18 meses dias contados desta data, encerrando-se em 21 de agosto de 2020.

Gol (GOLL4): Esclarecimento sobre notícia publicada no Valor

  • A Gol esclareceu que a notícia divulgada pelo Valor ontem não procede. A notícia dizia que a empresa estaria preparando uma nova operação para incorporar a Smiles, em que a família Constantino perderia a posição majoritária;
  • A Gol havia anunciado em Outubro a intenção de realizar uma reestruturação societária ampla, que visava simplificar a estrutura que compreendia, entre outros passos, (a) a incorporação da Smiles e (b) posterior migração da Gol para o Novo Mercado. No âmbito da reestruturação, o acionista de Smiles receberia uma combinação de i) ações PN Gol (GOLL4) e ii) “ações PN resgatáveis” Gol, com termos a serem negociados. A migração para o Novo Mercado. Um tempo depois, a B3 recusou a migração da forma inicialmente proposta;
  • A empresa confirmou que manterá os acionistas e o mercado informados sobre os tópicos a medida em os assuntos evoluam.

Eletrobras (ELET3): Capitalização pode ocorrer ainda em 2019, mas não necessariamente ocorrerá privatização

  • Ainda no mesmo evento sediado pela ANP, o Ministro Bento Albuquerque afirmou que será possível realizar a capitalização da Eletrobras ainda em 2019. No entanto, tudo dependerá da definição do modelo da capitalização e das prioridades do governo, que nesse momento se referem à Reforma da Previdência;
  • Além disso, o Ministro afirmou que não necessariamente ocorrerá a privatização da companhia, e se trabalha pela capitalização. O modelo está em discussão no âmbito do Ministério de Minas e Energia, Ministério da Economia, TCU e AGU;
  • Os esforços do ministério estão concentrados em recuperar a Eletrobras, e as medidas necessárias serão implantadas após definição do modelo da operação. Frustração em relação a perspectivas de privatização da estatal do setor elétrico podem levar a uma reação negativa das ações.

COE News

Apple lançará cartão de crédito em parceria com o Goldman Sachs

  • Com o intuito de acelerar a diversificação de receitas e compensar a desaceleração do crescimento de venda de iPhones, a Apple irá lançar seu primeiro cartão de crédito em conjunto com o banco de investimentos Goldman Sachs, que em 2016 iniciou suas atividades no varejo ao lançar seu banco digital “Marcus”;
  • O grande diferencial será a disponibilização da funcionalidade “Wallet” (carteira digital), que funciona como uma espécie de conta corrente, na qual o aplicativo permitirá o cliente fixar limites de despesa, seguir os pagamentos e gerir as contas. O cartão Apple Pay vai usar a rede de pagamentos da Mastercard, e os usuários do novo cartão poderão receber “cashback” de cerca de 2% para a maioria das compras e, potencialmente, gerar crédito para serviços e compras de aparelhos da Apple;
  • A expectativa da Apple é que a divisão de serviços passe a representar ~20% das receitas até 2020 (~US$ 50bi), sendo que hoje responde por 15%, além de atingir a marca de 500 milhões de assinantes pagos, contra os atuais 360 milhões.

Anglo American impulsiona lucro e corta dívida em meio à recuperação

  • A gigante da mineração reportou receitas de US$ 30,2bi, número 5% superior no ano contra ano, e lucro de US$ 3,6bi, número 12% superior neste mesmo período. Destaque positivo para a expressiva redução do endividamento da empresa após 3 anos de corte de custos e venda de ativos, como executado no processo de recuperação da operação de minério de ferro Minas-Rio no Brasil. No geral, os resultados foram impulsionados pelos preços mais altos das commodities, sobretudo em platina, carvão e níquel, além do aumento da produtividade da empresa;
  • Mark Cutifani, atual presidente, anunciou que o plano de desinvestimento ainda não está encerrado, mas que os resultados já são positivos. Adicionalmente, o executivo informou que ainda há desafios em relação à operação de metais preciosos, como diamantes, para 2019; 
  • As perspectivas para a empresa são positivas, com destaque para (i) a retomada do preço de commodities como minério de ferro e carvão (ii) melhora do sentimento em relação a África do Sul (operação de metais preciosos) e (iii) foco nas principais linhas de negócios conforme o plano de venda de ativos com margens menores iniciada em 2015.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.