XP Expert

XP Morning Call 18/06/2019: Todos os olhos voltados para reuniões dos Bancos Centrais

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Gustavo Montezano assume a presidência do BNDES

Internacional

  1. BCE sinaliza possível corte de juros e uso de flexibilização monetária se perspectiva da Zona do Euro não melhorar
  2. Petróleo: OPEC + propõe reunião em meados de julho para decidir sobre cortes de produção
  3. Macri anuncia início das investigações sobre apagão

Empresas

  1. Papel & Celulose: Conforme esperado, os preços de fibra curta na China tiveram nova queda, recuando US$ 30,7/t, para US$ 567,8/t 
  2. Odebrecht pede recuperação judicial; Negativo para bancos
  3. B3 (B3SA3): Empresa pode ser poupada do aumento da CSLL

COE News

  1. Facebook aproveita de sua escala para criar sua moeda digital

Resumo

Todos os olhos voltados para reuniões dos Bancos Centrais

Futuros dos EUA em alta nesta terça-feira, em meio a sessões positivas na Europa e Ásia durante à noite. Foco continua na política monetária dos bancos centrais, com reuniões esta semana. Mario Draghi, presidente do Banco Central europeu, disse que são necessários estímulos adicionais se as perspectivas econômicas não melhorarem.

Esses sinais chegam um dia à frente da tão esperada decisão política do Banco Central americano, cuja reunião começa hoje, em que as expectativas são altas para que Jerome Powell estabeleça as bases para um corte de taxa de juros ainda este ano.

Em Hong Kong, a governante Carrie Lam pediu desculpas pela lei de extradição após protestos, mas sob crescente pressão para renunciar. Os EUA disseram que vão enviar mais tropas para o Oriente Médio, citando a ameaça do Irã.

No Brasil, Gustavo Montezano, ex número 2 de Salim Mattar na secretaria de desestatização, assume a presidência do BNDES após a saída de Joaquim Levy.

Hoje a comissão especial da previdência começa a discutir o relatório de Samuel Moreira (PSDB-SP). O governo ainda não desistiu da capitalização, que ficou de fora. Haverá tentativa para reinseri-la no texto no plenário da Casa. No entanto, como é provável que faltem votos para a empreitada, o plano B é apresentar um projeto exclusivo no segundo semestre.

Do lado das empresas, o preço de celulose fibra curta na China teve novo recuo hoje, caindo US$ 30,7/t para US$ 567,8/t. Como temos mencionado, uma forte queda nos preços de celulose já é esperada pelo mercado e mantemos nossa recomendação de Compra na Suzano.

Além disso, o conglomerado brasileiro Odebrecht SA entrou com pedido de recuperação judicial, com o objetivo de reestruturar R$51 bilhões em dívidas.

Por fim, hoje teremos CFO Talks com Harley Scardoelli, da Gerdau, às 10h30 no YouTube da XP Investimentos – clique aqui para participar.


Conteúdo na íntegra

Brasil
 

Política Brasil: Gustavo Montezano assume a presidência do BNDES

  • Gustavo Montezano, ex número 2 de Salim Mattar na secretaria de desestatização, assume a presidência do BNDES após a saída de Joaquim Levy;
  • Hoje a comissão especial da previdência começa a discutir o relatório de Samuel Moreira (PSDB-SP). O governo ainda não desistiu da capitalização, que ficou de fora. Haverá tentativa para reinseri-la no texto no plenário da Casa. No entanto, como é provável que faltem votos para a empreitada, o plano B é apresentar um projeto exclusivo no segundo semestre. 


Internacional
 

BCE sinaliza possível corte de juros e uso de flexibilização monetária se perspectiva da Zona do Euro não melhorar

  • O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, sinalizou hoje de manhã que mais cortes de juros podem ser feitos e que o BCE pode vir a comprar mais ativos por meio de seu programa de flexibilização monetária caso a perspectiva da zona do euro não melhore;
  • Reiterou o compromisso com a estabilidade dos preços na zona do euro e afirmou que o BCE monitorará como os instrumentos de políticas considerados podem ser adaptados para os riscos à inflação;
  • Por fim, ressaltou que taxas de juros negativas provaram ser uma ferramenta muito importante na estratégia monetária do BCE.


​Petróleo: OPEC + propõe reunião em meados de julho para decidir sobre cortes de produção

  • Segundo a Bloomberg, a OPEP propôs que o grupo e seus aliados se reúnam em meados de julho para discutir a extensão do acordo  de cortes na produção, após progresso nas discussões com o Irã e a Rússia na data mais apropriada;
  • A Organização ainda está aguardando que os membros aceitem as datas. Os desacordos sobre a agenda pressionaram os preços do petróleo em vista das incertezas sobre a extensão dos acordos realizados em dezembro de 2018. No entanto, as notícias apontam que a OPEP e seus aliados estão caminhando a um consenso para reduzir a oferta em meio a menores riscos de crescimento global e demanda de petróleo;
  • De acordo com o Wall Street Journal, a Arábia Saudita está liderando o esforço para pressionar por uma extensão dos cortes de oferta ao longo do segundo semestre de 2019, e reduziu ainda mais sua produção este mês.

Macri anuncia início das investigações sobre apagão

  • Em pronunciamento na tarde desta segunda-feira, Mauricio Macri informou que as autoridades já estão investigando a causa do apagão no último domingo que deixou mais de 22 milhões de pessoas sem energia em boa parte da Argentina, sobretudo Buenos Aires, e parte do Uruguai;
  • A falta de energia foi capaz de gerar a parada dos trens do metrô, serviços de distribuição de água, além de forçar empresas a paralisar atividades;
  • Candidato do partido conservador Cambiemos, Macri segue enfrentando dura campanha para tentar a reeleição em outubro, com seu índice de aprovação caindo desde o início da intensificação da atual crise econômica no país (2T18), no qual a moeda perdeu cerca da metade do valor em relação ao dólar.

Empresas
 

Papel & Celulose: Conforme esperado, os preços de fibra curta na China tiveram nova queda, recuando US$30,7/t, para US$567,8/t 

  • Os preços de celulose recuaram novamente essa semana, com queda de US$ 30,7/t, para US$ 567,8/t. Como falamos em nosso relatório, embora pareça que estamos perto de um piso, a visibilidade permanece baixa e o risco de um declínio adicional não é insignificante, o que deve manter as ações pressionadas no curto prazo;
  • Em nossa visão, as ações já refletem um ambiente negativo e uma forte queda de celulose já é esperada pelo mercado, portanto mantemos nossa recomendação de Compra na Suzano (preço-alvo de R$ 40/ação), e Neutra na Klabin (preço-alvo de R$ 19/ação). Clique aqui para acessar nosso relatório completo. 


Odebrecht pede recuperação judicial; Negativo para bancos

  • O conglomerado brasileiro Odebrecht SA entrou com pedido de recuperação judicial, com o objetivo de reestruturar R$51 bilhões em dívidas, naquela que seria uma das maiores reestruturações da história da América Latina. A empresa, o maior dos grupos de engenharia brasileiros, esteve envolvida em investigações de corrupção e lutou para se reerguer nos últimos anos;
  • De acordo com a Reuters, no pedido a empresa solicita ao juiz que impeça que os sete maiores credores do grupo – seis bancos e um fundo de investimento – tomem posse ou vendam ações da principal investida do grupo, a petroquímica Braskem;
  • Os bancos serão impactados negativamente em diferentes magnitudes pela recuperação judicial, uma vez que, embora fosse esperada e eles atualmente mantenham índices de cobertura sólidos (provisões sobre créditos vencidos), parte da dívida provavelmente será renegociada. Os valores de exposição exata não são divulgados, mas os maiores credores são o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, o BNDES, o Bradesco, o Itaú e o Banco Santander, além de um fundo de investimento, totalizando R$33 bilhões em dívidas.


B3 (B3SA3): Empresa pode ser poupada do aumento da CSLL

  • Segundo a Folha, o relator da Reforma da Previdência, Samuel Moreira, e sua equipe estão atualmente analisando a situação da B3 no contexto do aumento da alíquota da CSLL para 20% e poderiam poupar a empresa dele. As ações caíram mais de 5% desde sexta-feira, quando o mercado interpretou que a empresa seria afetada;
  • Para B3, a alíquota da CSLL aumentaria de 9% para 20%, enquanto os bancos pagariam 20% em vez de 15%. A medida seria uma tentativa de compensar algumas das perdas fiscais decorrentes da desidratação esperada da reforma até a aprovação. Segundo o deputado, a arrecadação adicional seria de R$50 bilhões em 10 anos.

Companhias Aéreas: Justiça de SP retoma leilão de ativos da Avianca; Data ainda indefinida

  • O colegiado de desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo decidiu ontem permitir a retomada do leilão de ativos da Avianca, que havia sido suspenso a pedido da credora Swissport;
  • Para que novas empresas possam participar do leilão, a companhia deve elaborar outro edital. O edital atualmente em vigor prevê que o leilão ocorra no dia 10 de julho, sendo que Gol, Latam e Azul estão habilitadas para participar. Tanto a elaboração de um novo edital como a data do leilão ainda não estão definidos;
  • Além disso, o presidente Bolsonaro vetou ontem a proibição da cobrança de franquia de bagagem que havia sido inserida por emenda parlamentar na tramitação da Medida Provisória (MP) 863, em linha com as práticas internacionais;
  • O Departamento de Estudos Econômicos do Cade emitiu uma nota técnica alertando que, um cenário em que a Avianca entre em falência e a regra atual de distribuição de slots seja seguida, os efeitos para a concorrência seriam adversos especialmente no aeroporto de Congonhas. Assim, o departamento entende que é necessária uma modificação da resolução atual da ANAC (responsável pela distribuição dos slots), flexibilizando os parâmetros que definem uma nova entrante, e dessa forma permitindo uma distribuição diferente dos slots. Nesse cenário, a depender dos parâmetros definidos, Azul poderia se enquadrar como nova entrante e dessa forma receber um percentual maior nos slots. Em um cenário em que a regra atual é seguida, Gol e Latam se beneficiariam mais. Reforçamos que esse estudo consiste em uma recomendação para a ANAC, e não necessariamente seria implementado em um cenário de falência.


Vale (VALE3): Suspensão do processamento de níquel em Onça Puma

  • A Vale informou que suspendeu as atividades de processamento de níquel da usina de Onça Puma, no Estado do Pará. A extração mineral das minas de Onça Puma está suspensa desde setembro de 2017, por decisão judicial anterior;
  • Segundo a Vale, a empresa continuará a contestar e recorrer das decisões de paralisação, ação reforçada por sete laudos de peritos nomeados pelo Juiz Federal competente;
  • O impacto da paralização deve ser pequeno, e não esperamos reação relevante na ação. No 1T19, Onça Puma representou cerca de 8% do total de níquel produzido pela Vale.


IRB Brasil (IRBR3): Follow-on pode demorar mais do que o esperado

  • Segundo o Valor Econômico, a venda de ações do IBR (ação não coberta) pelo Banco do Brasil e pela União Federal, parte do plano de desinvestimento do governo, poderia levar mais tempo do que o planejado inicialmente. A oferta tornou-se um assunto complexo devido a divergências entre os acionistas controladores – bancos e o governo – e a necessidade de mudar as leis para concluir a transação;
  • No cronograma inicial, o acordo estava previsto para ser concluído no início de julho, entretanto, enquanto algumas das partes envolvidas no assunto tentam acelerar o processo, fontes acreditam que deve levar meses até a sua conclusão.


COE News

Facebook aproveita de sua escala para criar sua moeda digital

  • Dirigentes da gigante de mídias sociais anunciaram formalmente planos para lançar uma criptomoeda chamada Libra, prometendo um sistema seguro de pagamento baseado em blockchain apoiado pela solidez de sua rede social;
  • Alguns dos potenciais parceiros como Mastercard, Paypal, Uber e Spotify ajudarão a gigante de mídias sociais a validar a segurança, escalabilidade e credibilidade da moeda;
  • Em paralelo será criada uma nova empresa chamada Calibra, para garantir a segregação entre dados sociais e financeiros dos usuários. Em formato de e-wallet, espécie de conta-corrente digital, a Calibra permitirá aos usuários executar pagamentos online e transferir recursos, via formato “peer to peer”;
  • O Facebook possui mais de 1,5 bilhão de usuários ativos por dia e é acessado por quase um terço da população mundial, sendo que grande parte está presente em países emergentes. Os serviços de mensagens WhatsApp e plataforma do Instagram impulsionam o potencial do projeto, despertando o maior interesse de grandes anunciantes que atualmente representam uma relevante parcela das receitas do grupo.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.