XP Expert

XP Morning Call 10/06/2019: Balança comercial da China, Moro, relatório de alocação e visão para celulose

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Macro Brasil

  1. Política Brasil: Regra de transição pode afetar tamanho da reforma da previdência

Macro internacional

  1.  EUA-México chegam a um acordo para suspender aumento de tarifas
  2. As exportações da China avançam apesar de tarifas dos EUA, no entanto importações mais fracas que o esperado
  3. Comunicado oficial do G20 alerta para excessivo endividamento global e novo modelo de tributação na área de tecnologia

Empresas

  1. Papel & Celulose: Ações já refletem celulose mais baixa: Compra em Suzano (SUZB3); Neutro em Klabin (KLBN4)
  2. Vale (VALE3): Detalhes da provisão de US$1,9 bi para fechar nove barragens
  3.  Setor Aéreo: Justiça de SP deverá julgar hoje ação que suspendeu leilão de ativos da Avianca

Resumo

Balança comercial da China, Moro, relatório de alocação e visão para celulose

Futuros nos EUA iniciam a semana em alta em meio a sessões positivas na Europa e Ásia durante a noite. O sentimento foi impulsionado pelo acordo comercial entre EUA e México, enquanto expectativas para corte da taxa de juros do Banco Central americano continuam dando sustentação aos mercados.
 
Durante o final de semana, o México concordou em aumentar as restrições à imigração aos EUA e com isso, as tarifas anunciadas pelo Presidente Trump que seriam implementadas hoje foram suspensas indefinidamente.
 
Com relação à China, apesar do secretário do Tesouro Americano, Steven Mnuchin, dizer que o “principal progresso” deve ocorrer quando os presidentes Trump e Xi Jinping se reunirem na cúpula do G-20 no final deste mês, autoridades alertaram sobre a escalada dos riscos para o crescimento econômico devido às tensões comerciais e geopolíticas nas reuniões do G20 do final de semana.
 
Na China, futuros em queda seguindo dados de balança comercial com a maior queda em quase três anos nas importações (-8,5%), sinal de uma demanda doméstica enfraquecida, e receio de impacto menor que o esperado das medidas de estímulo.
 
No Brasil, hacker obteve acesso ilegal a mensagens trocadas entre procuradores da Lava Jato e o ministro da Justiça, Sergio Moro. Trechos da conversa foram publicados na noite deste domingo (9) e tem agitado as redes sociais por seu conteúdo polêmico. O caso deve ter repercussões adicionais e coloca em xeque o ministro mais popular do governo de Jair Bolsonaro.
 
Sobre a reforma da previdência, a proposta de mudança no abono salarial pode reduzir a economia de R$ 150 bilhões em 10 anos para R$ 80 bilhões. A notícia, entretanto, não é tão ruim quanto parece, a medida que a expectativa era de que o abono ficasse completamente fora da reforma. 
 
É esperado para o início dessa semana a apresentação do novo texto da reforma da previdência na Comissão Especial. Onyx Lorenzoni disse que o texto poderia se tornar público hoje ou amanhã, mas o relator, Samuel Moreira (PSDB-SP), deve esperar o encontro que terá com os governadores nesta terça-feira (11).
 
Publicamos nosso relatório de alocação par ao mês de junho, no qual esperamos novamente volatilidade, tanto no doméstico, quanto no externo. Entretanto, não tivemos nenhuma alteração em nossos percentuais de alocação, uma vez que nossa visão para o longo prazo, pouco se alterou em comparação ao último mês. Link para o relatório incluindo nosso podcast mensal
 
Do lado das empresas, atualizamos nossas estimativas para o setor de papel e celulose. Após a forte queda dos últimos meses, vemos as ações já refletindo preços da celulose em US$525/t (comparado com preço atual de US$618/t), enquanto a nossa pesquisa com investidores institucionais, XP Pulp Tracker, mostra que 84% dos investidores já esperam uma queda para US$550/t ou menos.
 
Em suma, acreditamos que as ações já refletem um ambiente negativo e que uma forte queda de celulose já é esperada pelo mercado, portanto mantemos nossa recomendação de Compra na Suzano, mas cortamos nosso preço-alvo para R$40/ação, e Neutro na Klabin, R$19/ação. Link relatório


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Regra de transição pode afetar tamanho da reforma da previdência

  • Tamanho da reforma da previdência deve sofrer com regra de transição mais suave para os servidores que entraram na carreira até 2003. O impacto maior viria se houver espelhamento para a regra de transição do regime geral. A proposta de mudança no abono salarial pode reduzir a economia de R$ 150 bilhões em 10 anos para R$ 80 bilhões. A notícia pode não ser tão ruim quanto parece. A expectativa é que o abono ficasse completamente fora da reforma;
  • É esperado para o início dessa semana a apresentação do novo texto da reforma da previdência na Comissão Especial. Onyx Lorenzoni disse que o texto poderia se tornar público hoje ou amanhã, mas o relator, Samuel Moreira (PSDB-SP), deve esperar o encontro que terá com os governadores nesta terça-feira (11);
  • Hacker obteve acesso ilegal a mensagens trocadas entre procuradores da Lava Jato e o ministro da Justiça, Sergio Moro. Trechos da conversa foram publicados na noite deste domingo (9) e tem agitado as redes sociais por seu conteúdo polêmico. As partes citadas criticaram a divulgação das mensagens. O responsável pelo The Intercept Brasil, que afirma ter recebido o material de fonte anônima e tem publicado os textos, disse que o material é explosivo e que tem ainda “áudios, vídeos, fotos e documentos” (não divulgados). O caso deve ter repercussões adicionais e coloca em xeque o ministro mais popular do governo de Jair Bolsonaro.

Internacional

EUA-México chegam a um acordo para suspender aumento de tarifas

  • Na sexta-feira passada, o presidente Donald Trump suspendeu o plano de impor tarifas de 5% aos produtos mexicanos após acordo entre os países para adoção de medidas relacionadas à imigração ilegal;
  • Com relação à China, apesar do secretário do Tesouro Americano, Steven Mnuchin, dizer que o “principal progresso” deve ocorrer quando os presidentes Trump e Xi Jinping se reunirem na cúpula do G-20 no final deste mês, autoridades alertaram sobre a escalada dos riscos para o crescimento econômico devido às tensões comerciais e geopolíticas nas reuniões do G20 do final de semana.

As exportações da China avançam apesar de tarifas dos EUA, no entanto importações mais fracas que o esperado

  • De acordo com a Reuters, as exportações da China registraram alta em maio, apesar de maiores tarifas dos EUA. No entanto, as importações caíram à menores níveis em quase três anos em sinais de demanda doméstica fraca, o que poderia levar Pequim a acelerar as medidas de estímulo;
  • As exportações de maio da China cresceram 1,1% A/A, em comparação com as expectativas do mercado de queda de 3,8% A/A. No entanto, as importações de maio da China registraram uma queda maior do que o esperado, caindo 8,5% A/A, a queda mais acentuada desde julho de 2016;
  • A medida que as pressões comerciais continuam, a China poderá afrouxar a política monetária nos próximos meses para sustentar o crescimento econômico. Os investidores também estão observando o potencial enfraquecimento do Yuan pelo governo para compensar as tarifas mais altas dos EUA.

​Comunicado oficial do G20 alerta para excessivo endividamento global e novo modelo de tributação na área de tecnologia

  • Os Ministros das Finanças do G20 alertaram que tensões comerciais e geopolíticas se intensificaram e que estão prontos para tomar novas medidas para assegurar o crescimento econômico global, apesar de não detalhar nenhum plano;
  • O comunicado alerta também que a dívida global continua aumentando com o nível baixo de juros nos países desenvolvidos, se aproximando de US$ 250 trilhões, e de suas potenciais consequências sobre as condições financeiras de países emergentes;
  • Por fim, o ponto 11 do comunicado mostra que as economias estão perto de um acordo sobre novas regras globais de impostos sobre grandes empresas do ramo de tecnologia até 2020.

Produção industrial do Reino Unido abaixo do esperado em abril

  • A produção industrial do Reino Unido apresentou queda de 2,7% m/m em abril e queda de 1% a/a, abaixo da mediana das projeções (-1% m/m e +0.7% a/a) de analistas consultados pelo The Wall Street Journal;
  • O déficit na balança comercial de bens foi de 12,1 bilhões de libras em abril (também abaixo da mediana);
  • Os números de hoje reforçam o quadro de desaceleração da atividade econômica europeia.

Empresas

Papel & Celulose: Ações já refletem celulose mais baixa: Compra em Suzano (SUZB3); Neutro em Klabin (KLBN4)

  • Atualizamos nossas estimativas para o setor de papel e celulose, com uma visão de longo prazo ainda construtiva, mas reconhecemos que é preciso ter cautela no curto prazo;
  • De acordo com nossos contatos da indústria, os contratos à vista já estão sendo negociados próximos de US$600/tonelada ou menos, o que significa que os preços devem continuar a tendência de queda. Embora pareça que estamos perto de um piso, a visibilidade permanece baixa e o risco de um declínio adicional não é insignificante, o que deve manter as ações pressionadas no curto prazo; 
  • Apesar disso, vemos as ações já refletindo os preços da celulose em US$525/tonelada (câmbio de R$3,75/dólar), enquanto a nossa pesquisa, XP Pulp Tracker (link), mostra que 84% dos investidores já esperam uma queda para US$550/tonelada ou menos. Portanto, mantemos nossa recomendação de Compra na Suzano, mas cortamos nosso preço-alvo para R$40/ação, e Neutro na Klabin, R$19/ação. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Vale (VALE3): Detalhes da provisão de US$1,9 bi para fechar nove barragens

  • Na noite de sexta-feira, a Vale publicou apresentação com detalhes quanto à provisão previamente anunciada de US$1,9bi para fechar nove barragens a montante em Minas Gerais;
  • Conforme mencionado na teleconferência de resultados da empresa no 1T19, a Vale investirá US$150-US$200mi em 2019, por volta de US$500mi em 2020 e entre US$150-US$200mi nos anos seguintes. Vale ressaltar que esse montante não inclui: (1) o descomissionamento de barragens usadas pelas controladas e coligadas da Vale, incluindo a barragem Germano da Samarco (custo a ser compartilhado com a BHP) e a MRN (estruturas significativamente menores), para quais os investimento devem ser menores e (2) outras barragens / diques de propriedade da Vale; 
  • Na declaração, a Vale afirmou que das nove barragens, duas serão completamente descomissionadas em três anos, outras cinco serão transformadas em barragens a jusante, antes do descomissionamento, e duas terão fatores de segurança reforçados dentro de 3 anos antes de serem descomissionadas. Mantemos recomendação de Compra, preço-alvo de R$68/ação.

Setor Aéreo: Justiça de SP deverá julgar hoje ação que suspendeu leilão de ativos da Avianca

  • Está agendada para hoje a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo sobre a ação movida pela Swissport de suspender o leilão dos ativos da Avianca Brasil, conforme havia sido aprovado pela Assembleia de Credores;
  • De acordo com o Valor, os desembargadores podem liberar o leilão de ativos, manter a suspensão e pedir que os credores definam com um novo formato de pagamento das dívidas, ou decretar a falência da companhia;
  • Para acessar nosso último relatório sobre o setor, bem como as sensibilidades envolvendo diferentes cenários de variáveis macroeconômicas e de oferta para as empresas listadas, basta acessar esse link.

Frigoríficos: Aumento das exportações de carne de frango em maio; Peste suína na China já surtindo efeito

  • Segundo dados da Secex e da ABPA, as exportações brasileiras de carne de frango (in natura e processados) totalizaram 381,1 mil toneladas em maio, alta de +14,4% A/A (+3,6% de janeiro-maio), com a receita de vendas totalizando US$658,9mi, valor 27,3% maior A/A (+6,3% de janeiro-maio);
  • ​A China, frente à peste suína africana, foi o principal destino das exportações brasileiras, correspondendo por 14,7% do total exportado, valor 49% maior que o mesmo mês do ano passado. Segundo Francisco Turra, presidente da ABPA, “o efeito gerado no mercado pela crise sanitária no país asiático impulsionou as importações, o que gerou efeitos também na rentabilidade do mercado, com elevação de preços médios”;
  • Além da China, também vale destaque para a participação dos Emirados Árabes, correspondendo por 8,2% do total exportado pelo Brasil (aumento de 49% A/A), e para a União Europeia, 7% do total (alta de 26% A/A). Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA, disse ainda que há boas notícias vindas do México, para onde os embarques deverão ganhar novo impulso com a publicação de cotas adicionais de importação;
  • Vemos a proliferação da peste suína africana na China já surtindo efeitos, com os frigoríficos brasileiros sendo claros beneficiários. Preocupações com o desequilíbrio da oferta/demanda global de proteínas já impulsionaram as ações, mas, na nossa visão, há mais por vir. Reiteramos recomendação de Compra na JBS, que segue como nosso nome preferido dentre os frigoríficos, seguido pela Marfrig. Mantemos neutro em BRF.

Braskem (BRKM5): Procuradoria de Alagoas entra com ação para evitar venda separada da unidade de Alagoas

  • Segundo o Valor Econômico, a Procuradoria Geral do Estado de Alagoas entrou com ação de tutela cautelar contra a Braskem para evitar uma venda da companhia separada da unidade de Alagoas;
  • De acordo com a Procuradoria, a ação visa a garantir o ressarcimento integral dos danos causados pelas atividades de extração de sal-gema pela Braskem em bairros de Maceió, como fissuras em casas e tremores terrestres;
  • A incerteza sobre os impactos das ações movidas pelo Ministério Público e Procuradoria-Geral foi um dos motivos que levaram a petroquímica holandesa LyondellBasell a desistir de adquirir a Braskem. Segundo o Globo, a Odebrecht chegou a considerar a separação da unidade alagoana para viabilizar as negociações.

Eletrobras (ELET3): Venda de 44 participações deve ser retomada em julho

  • Segundo o Valor Econômico, a Eletrobras deve retomar em julho a venda de 44 participações em ativos de geração eólica e transmissão de energia;
  • ​Os ativos já haviam sido incluídos em um leilão sediado em 2018, mas não atraíram compradores. Segundo o CEO da estatal, Wilson Ferreira Junior, a dificuldade se deve ao modelo do leilão que prevê um preço mínimo pelo ativo, o qual pode afastar o interesse de investidores;
  • ​Nessa nova tentativa, serão enviadas cartas-convite para investidores potencialmente interessados nas participações. Os sócios da Eletrobras nos empreendimentos, que têm direito de preferência, serão convocados juntamente a outros compradores. 

Hapvida (HAPV3): Aquisição do Grupo América

  • A Hapvida (não coberta) anunciou neste domingo (09/06) sua segunda aquisição no espaço de um mês, o Grupo América por R$426 milhões, empresa com concentração de beneficiários no estado de Goiás. No dia 07 de maio a companhia anunciou a aquisição do grupo São Francisco por R$5 bilhões;
  • De acordo com o Valor Econômico, o Grupo América opera no modelo verticalizado, como a Hapvida, unindo três operadoras com sócios e estruturas diferentes. A Hapvida vê como uma das grandes oportunidades de criação de valor a redução da sinistralidade da América, hoje em 72% versus 59,7% da compradora;
  • O movimento é mais um da companhia no sentido de consolidar o setor de saúde no Brasil. A Hapvida já mapeou operadoras de todo o país, listou quais fazem sentido e vem conversando com algumas delas para seguir expandindo suas operações.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.