XP Expert

XP Morning Call 10/04/2019: Mercados aguardam bancos centrais dos EUA e UE

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Governo vence obstrução na CCJ; Previdência dos Militares não deverá mudar
  2. Estabilidade do varejo reforça mensagem de recuperação lenta da economia

Internacional

  1. EUA: Foco na ata do FED
  2. Minério de ferro: Incêndio na Austrália coloca ainda mais pressão nos preços de minério de ferro

Empresas

  1. AES Tietê (TIET11): Assina acordo para adquirir Alto Sertão III da Renova Energia; Reiteramos COMPRA
  2. B2W e Magazine Luiza (BTOW3 e MGLU3): Disputa por Netshoes
  3. Vale (VALE3): Tribunal condena BSG a pagar US$1,24 bi à empresa em caso sobre Simandou

COE News

  1. Cisco anuncia novo diretor de Tecnologia
  2. Facebook segue investindo no desenvolvimento do mercado africano

Resumo

Mercados aguardam bancos centrais dos EUA e UE

Bolsas globais divididas nesta manhã, com Ásia em queda, Europa subindo e futuros americanos no campo positivo. No Brasil, ontem o Ibovespa fechou em queda de 1,11% impactado pelo cenário político.
 
No Brasil, durante sessão conturbada, o relator da PEC da Previdência deu o aval para o avanço da proposta na CCJ, um passo importante no processo. O texto agora deverá ser votado pelos 66 deputados da comissão na próxima quarta-feira.
 
No cenário internacional, o FMI reduziu sua projeção de crescimento global para 2019 de 3,5% para 3,3%. Na avaliação do FMI, a perda de força decorre das tensões comerciais entre EUA e China, das crises na Argentina e na Turquia, de problemas no setor automotivo da Alemanha e da alta de juros nas grandes economias desenvolvidas.
 
Neste contexto de desaceleração, os mercados aguardam hoje a reunião do Banco Central Europeu e a minuta do Fed  relativa à reunião de março para obter maior clareza sobre a política monetária. Com poucas novidades esperadas para o curto prazo, as dúvidas se referem aos detalhes que as autoridades podem fornecer sobre as perspectivas de médio e longo prazo. Em paralelo, nas guerras comerciais segue a expectativa com a conclusão do acordo dos EUA com a China e eventuais próximos passos com relação à Europa após o recente anúncio de tarifas por parte dos EUA.
 
No campo das empresas, ontem após o fechamento do mercado, a AES Tietê anunciou a assinatura de um acordo para a aquisição do Complexo Eólico Alto Sertão III da Renova Energia por R$ 516 milhões, além da incorporação de R$ 988 milhões em dívidas. Vemos a transação como um marco para a AES Tietê, e estimamos taxas de retorno reais entre 8,9% -10,4% para a aquisição, mais altas do que qualquer oportunidade em leilões de energia, e reiteramos nossa recomendação de Compra.


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Governo vence obstrução na CCJ; Previdência dos Militares não deverá mudar

  • Sobre a reforma da Previdência, o Governo vence obstrução da oposição na CCJ por larga vantagem de votos, mas acordo apoiado pelos partidos de centro pode gerar atraso na votação do parecer, que era prevista para dia 17;
  • Rodrigo Maia afirmou ontem que a previdência dos Militares deverá ser aprovada da forma que veio: “é ruim, mas passa do jeito que veio”;
  • Após a Previdência, a reforma tributária deverá ser o próximo compromisso da agenda da Câmara dos Deputados de acordo com o Valor. Rodrigo Maia destacou já ter iniciado as discussões sobre o tema por meio de uma proposta do economista Bernardo Appy. Guedes, que deverá conduzir os debates, defende uma grande simplificação no modelo de cobrança de impostos, para depois iniciar uma fase de redução de alíquotas.
     

Estabilidade do varejo reforça mensagem de recuperação lenta da economia

  • ​De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio divulgada pelo IBGE, o comércio varejista apresentou variação de 3,9% A/A em fevereiro, mantendo-se estável em relação a janeiro na série dessazonalizada. Ainda assim, o resultado veio acima das expectativas (2,9% A/A);
  • Os maiores responsáveis pelo resultado foram os setores de Tecidos, Vestuários e Calçados, Outros Artigos de Uso Pessoal e Domésticos;
  • Apesar da lenta recuperação do mercado de trabalho e das dificuldades relacionadas à tramitação da reforma da previdência terem impulsionado um fraco desemprenho da atividade no primeiro trimestre de 2019, as expectativas são de continuidade do processo de alta do varejo, ainda que de forma lenta.

Internacional

EUA: Foco na ata do FED

  • O Banco Central Americano (FED) publicará as atas da reunião de 19 e 20 de março hoje às 15h (horário de Brasília), com mais detalhes sobre as discussões entre os diretores sobre as expectativas para as taxas de juros;
  • É importante monitorar menções sobre a atividade econômica dos EUA em relação à previsão de crescimento de 2% do PIB este ano. Além disso, as perspectivas de inflação para o próximo ano são igualmente importantes, e a ata pode conter avaliações dos diretores do FED sobre a menor correlação da inflação com o ritmo de atividade econômica;
  • Por fim, será importante monitorar a postura da autoridade monetária em relação à redução do seu balanço.

Minério de ferro: Incêndio na Austrália coloca ainda mais pressão nos preços de minério de ferro

  • A Rio Tinto confirmou ontem que uma planta de suas operações portuárias na Austrália (East Intercourse Island) permaneceu fechada após um incêndio no sábado; 
  • O impacto na produção ainda é desconhecido. Depois do ciclone Veronica, a Rio Tinto já anunciou um impacto de 14mt na produção de minério de ferro da empresa em 2019;
  • A incerteza em relação à oferta vinda do Brasil após Brumadinho, em conjunto com o impacto dos ciclones na BHP (6-8mt) e Rio Tinto (14mt) e o possível impacto após o incêndio, devem manter o preço de minério de ferro sustentado no longo prazo, o que deve dar sustentação às ações da Vale. Reiteramos recomendação de Compra, preço alvo de R$68/ação (US$18/ADR).

Empresas

AES Tietê (TIET11): Assina acordo para adquirir Alto Sertão III da Renova Energia; Reiteramos COMPRA

  • Ontém após o mercado, a AES Tietê anunciou a assinatura de um acordo para a aquisição do Complexo Eólico Alto Sertão III da Renova Energia, além de um portfólio de projetos eólicos ainda a serem desenvolvidos. O complexo Alto Sertão III engloba 438MW de capacidade pré-operacional (Fase A), 305MW em capacidade pronta para iniciar a construção (Fase B) e um portfólio de projetos de 1.100MW;
  • O preço de aquisição é de até R$ 350 milhões para a Fase A (incluindo obrigações com fornecedores), R$ 90 milhões para a fase B e R$ 76 milhões para o pipeline do projeto, totalizando R$ 516 milhões. Além disso, a AES Tietê assumirá R$ 988 milhões em dívidas financeiras relacionadas ao complexo Alto Sertão III;
  • Vemos a transação como um marco para a AES Tietê, em linha com o compromisso declarado da empresa de diversificação para fontes renováveis. Com base nos termos propostos, estimamos taxas de retorno reais entre 8,9% -10,4% para a aquisição, mais altas do que qualquer oportunidade em leilões de energia. Finalmente, vemos preocupações relacionadas a um possível aumento de capital para financiar a transação (dado que a empresa atingirá 4,19x Dívida Líquida sobre EBITDA após a conclusão da transação) como exageradas, dado que acreditamos que a empresa tentará refinanciar as cláusulas restritivas de financiamento em primeiro lugar. Assim sendo, reiteramos a nossa recomendação de COMPRA nas ações da AES Tietê, com preço-alvo de R$15/ação (sem incluir o Alto Sertão III).
     

B2W e Magazine Luiza (BTOW3 e MGLU3): Disputa por  Netshoes

  • Segundo notícias, a B2W e a Magazine Luiza estão em disputa para aquisição da Netshoes e já estariam fazendo auditorias na empresa. A companhia tem um valor de mercado de US$ 70 milhões e uma dívida líquida de US$ 37 milhões;
  • A transação marcaria a entrada do Magazine Luiza no segmento de vestuário enquanto para a B2W seria a primeira aquisição de outra empresa de ecommerce. Desde a fusão entre Submarino e Americanas.com, a B2W só adquiriu companhias de software e logística;
  • Assumindo que o comprador não pague prêmio sobre o preço de mercado, a aquisição sairia por US$ 107 milhões, por uma empresa com um valor transacionado (GMV) de R$ 2,5 bilhões.

Vale (VALE3): Tribunal condena BSG a pagar US$1,24 bi à empresa em caso sobre Simandou 

  • ​A Vale informou ontem que foi notificada da decisão proferida por um tribunal arbitral em Londres condenando a BSG Resources Limited a pagar à Vale US$1,24bi, em um caso envolvendo uma joint venture para exploração de minério de ferro na região de Simandou, na República da Guiné; 
  • De acordo com a nota, houve fraude e violações de garantia pela BSGR, que teria induzido a Vale a constituir a joint venture; 
  • A Vale afirmou que pretende tomar todas as medidas legalmente cabíveis para execução dessa decisão arbitral, porém afirmou que não há quaisquer garantias quanto ao prazo e ao valor do recebimento.
     

Marfrig (MRFG3): Acirra disputa por hambúrguer do McDonald’s

  • Segundo o Valor Econômico, a Marfrig está em tratativas avançadas para se tornar, no médio prazo, o maior fornecedor do McDonald’s no Brasil;
  • Desde 2017, a JBS é fornecedora exclusiva de hambúrguer ao McDonald’s no Brasil. Naquele ano, a companhia desbancou a BRF, que até então fornecia parte do hambúrguer da rede de fast food;
  • Com cerca de 970 restaurantes no país, a rede consome, mensalmente, 3 mil toneladas de hambúrguer, de acordo com duas fontes. Segundo estimativas de mercado, o produto fornecido para o McDonald’s é vendido por aproximadamente R$ 13 por quilo. O contrato anual, portanto, é de mais de R$ 450 milhões.

Minerva (BEEF3): Obtém aprovação para IPO da Athena Foods na bolsa do Chile

  • Segundo o Valor Econômico, a Minerva Foods, obteve a aprovação do órgão regulador do mercado de capitais do Chile para fazer o IPO da Athena Foods na bolsa de valores de Santiago;
  • A Athena reúne as operações da Minerva na Argentina, Uruguai, Paraguai e Colômbia. Em 2018, a Athena faturou R$ 6,9 bilhões, o que representa 40% das vendas da companhia brasileira;
  • A intenção da Minerva, conforme já indicado, é levantar entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão com a venda de até 33% do capital da Athena. Com o aval do órgão que regula o mercado de capitais do Chile, a Minerva não tem mais qualquer empecilho burocrático para realizar a operação.

Proteínas: Bolsonaro deve se reunir com 51 diplomatas árabes para evitar retaliação comercial

  • Segundo o Estadão, o presidente Jair Bolsonaro deve se reunir hoje com 51 embaixadores de países árabes e mulçumanos;
  • O objetivo da reunião é conter uma potencial retaliação comercial dos países árabes ao Brasil, após decisão do governo de criar um escritório de negócios em Jerusalém;
  • O Brasil é um importante exportador de proteínas para o mercado árabe. Além disso, para o presidente da Federação das Associações Muçulmanas no Brasil, Ali Zoghbi, a presença de Bolsonaro pode ser um aceno importante para aos diplomatas árabes e muçulmanos sobre a importância da região para o Brasil.

COE News

Cisco anuncia novo diretor de Tecnologia

  • Recentemente, a gigante do setor Tech anunciou sua nova diretora de TI, alinhado com o foco da empresa em serviços de conexão de sistemas;
  • Jacqueline Guichelaar foi diretora de Tecnologia na Thomson Reuters, e será responsável por supervisionar a infraestrutura dos sistemas e aparelhos de conexão produzidos pela Cisco, além de fazer parte do desenvolvimento de novas soluções de conexão em rede;
  • Seu antecessor, Guillermo Diaz, que está no cargo desde 2000, passará a liderar uma equipe focada em melhorar o relacionamento com os atuais clientes da Cisco, além de prover consultoria estratégia para outras diretorias do grupo.

Facebook segue investindo no desenvolvimento do mercado africano

  • A gigante das recedes sociais planeja desenvolver um cabo de dados subaquático que envolveria o continente africano, com o intuito de reduzir os custos de transmissão de dados, aumentar o número de novos usuários e melhorar o engajamento dos atuais;
  • Apelidado de Simba, o projeto está dividido em conectar três principais regiões, como os países da costa leste, oeste e costa do mar Mediterrâneo; 
  • Destaque para o fato de que este não é o primeiro projeto da empresa relacionado a instalação de cabos subaquáticos e linhas de fibra ótica de alta capacidade que transmitem dados online. Em parceria com empresas de telecomunicações tradicionais, o Facebook já liderou projetos que ligaram os mercados na América do Norte, Europa e Ásia Oriental;
  • Recentemente, outras gigantes de tecnologia anunciaram projetos ambiciosos no continente africano. Apelidado como Equiano, a Google segue com um projeto de instalação de cabos de fibra ótica de alta capacidade para transmissão de dados na costa ocidental da África.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.