XP Expert

XP Morning Call 09/04/2019: Cenário político volta ao centro das atenções no Brasil

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Novo Ministro da Educação; Maia “desiste” da articulação da reforma

Internacional

  1. EUA impõem tarifas sobre US$ 11 bilhões em mercadorias da UE

Empresas

  1. Frigoríficos: O ciclo positivo continua
  2. Banrisul (BRSR6): Governo vende lote de ações
  3. Cemig (CMIG4): Privatização poderia ser aprovada este ano, afirma Governador Zema

Relatório de Alocação

  1. Relatório de Alocação para o mês de abril; Estreia do Podcast

COE News

  1. Samsung: Expectativa de resultados do 1T19 abaixo do consenso, foco na forte demanda pelo Galaxy 10

Resumo

Cenário político volta ao centro das atenções no Brasil

Bolsas globais operam em leve alta na manhã desta terça-feira, com Ásia e Europa subindo perto de 0,25% e futuros no EUA estáveis. No Brasil, ontem o Ibovespa subiu 0,27% impulsionado por commodities.

No Brasil, a política volta ao centro das atenções com Rodrigo Maia dizendo em evento que desistiu da articulação política para aprovação da reforma da previdência. Paulo Guedes, por sua vez, alegou que não tem temperamento para fazer esse papel. Com isso, aumenta a pressão para que a articulação política do governo entregue resultados. Hoje Bolsonaro encontra líderes de partidos para tentar construir apoio no Congresso à reforma e outras propostas de seu governo.

Também hoje ocorrerá a apresentação do relatório na CCJ pelo relator da proposta da reforma, Marcelo Freitas, que está prevista para começar às 14h30. O evento será um termômetro importante do apoio à pauta, sobretudo depois das discussões entre governo e Congresso na semana passada. Por fim, Bolsonaro anunciou ontem a troca do ministro da Educação Ricardo Vélez por Abraham Weintraub.

No cenário internacional, o governo do EUA impôs nesta segunda-feira tarifas sobre US$11 bi em importações da União Europeia, dizendo que a medida foi justificada pelos subsídios do bloco à fabricante de aviões Airbus. Segundo Robert Lighthizer, representante comercial dos EUA, o objetivo final é chegar a um acordo com a UE para acabar com todos os subsídios incompatíveis com a OMC para grandes aeronaves civis.

Sobre o Brexit, Theresa May encontrará hoje os líderes de Alemanha e França, Merkel e Macron, respectivamente, para buscar apoio e conseguir adiar a saída do bloco para além de 12 de abril (sexta-feira). Como possibilidades de data estão o dia 30 de junho ou até um período de um ano de extensão, que resultaria na indesejada participação do Reino Unido nas eleições da União Europeia.

Nas empresas, iniciamos cobertura da Marfrig com Compra e preço-alvo de R$9,00. Também ajustamos nossos números para JBS, reiterando Compra e aumentando nosso preço alvo para R$20,00. Na BRF, mantemos Neutro com um preço-alvo de R$28,00. Em geral, vemos um ambiente positivo para proteínas, impulsionado pela Peste Suína Africana na China, que poderia mudar significativamente a dinâmica global, beneficiando as três empresas.

Por fim, o Banrisul (Compra, R$34,00) anunciou ontem que vendeu ao preço de R$24,10 todas as suas 2 milhões de ações preferenciais, representando 0,5% do total de ações do banco. Em nosso início de cobertura em março, colocamos a venda de ações a mercado como um risco para as ações, devido à situação fiscal complicada do controlador, o Estado do Rio Grande do Sul.


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Novo Ministro da Educação; Maia “desiste” da articulação da reforma

  • Bolsonaro escolheu Abraham Weintraub para substituir Ricardo Vélez na Educação. Economista e professor universitário, o novo ministro é seguidor de Olavo de Carvalho e ocupava a posição de número 2 na Casa Civil, auxiliando de Onyx Lorenzoni;
  • Rodrigo Maia disse em evento que desistiu da articulação política para aprovação da reforma da previdência. Paulo Guedes, por sua vez, alegou que não tem temperamento para fazer esse papel. Com isso, aumenta a pressão para que a articulação política do governo entregue resultados. Hoje Bolsonaro encontra líderes de partidos para tentar construir apoio no Congresso à reforma e outras propostas de seu governo;
  • Governo revogará 250 decretos e deve editar uma medida provisória com medidas desburocratizantes. O objetivo é reduzir o tempo requerido das empresas para cumprimento de obrigações existentes.
     

MACRO INTERNACIONAL

EUA impõem tarifas sobre US$ 11 bilhões em mercadorias da UE

  • Segundo o Financial Times, os EUA impuseram tarifas de US$ 11 bilhões em produtos da UE – incluindo aeronaves civis e produtos agrícolas – em uma medida que ameaça intensificar ainda mais as tensões comerciais entre Europa e os EUA;
  • O governo Trump disse que estava propondo as tarifas em resposta aos subsídios da UE para apoiar a Airbus, o grupo europeu aeroespacial e de defesa, que foram considerados ilegais pela Organização Mundial do Comércio (OMC);
  • A medida representa um aumento das tensões entre Washington e Bruxelas, quando ambas as autoridades se tornaram cada vez mais frustradas umas com as outras. Também em um momento particularmente delicado para a UE, com as eleições para o Parlamento Europeu marcadas para o próximo mês e com a enorme incerteza sobre o resultado das negociações do Brexit.

Empresas

Frigoríficos: O ciclo positivo continua

  • Iniciamos cobertura da Marfrig com recomendação de compra e preço-alvo de R$9,0/ação. Também ajustamos nossos números para JBS, reiterando nossa recomendação de compra e aumentando nosso preço alvo de R$16/ação para R$20/ação. Na BRF, mantemos nossa recomendação neutra com um preço alvo de R$28/ação. Em geral, vemos um ambiente positivo para todas as proteínas, no Brasil e nos EUA, que representa 60% dos negócios da Marfrig e 70% da JBS;
  • Sobre Marfrig, depois de reformular seus negócios com o desinvestimento da Keystone e a aquisição de 51% da National Beef, acreditamos que a empresa está na direção certa para capturar um cenário positivo de proteínas à frente. Segundo nossas estimativas, a empresa negocia em 3,4x EV/EBITDA em 2019, atrativo;
  • Apesar de acreditarmos ser cedo para um cálculo preciso dos impactos potenciais da Peste Suína Africana na China, reconhecemos que é um tópico a ser monitorado, e que poderia mudar significativamente a dinâmica global, beneficiando BRF, JBS e Marfrig;
  • ​Numa análise de sensibilidade construtiva, mas conservadora, considerando volumes e custos estáveis, um aumento de 10% no preço de frango e porco, aumentaria o EBITDA da JBS em 40% e nosso EBITDA de R$3,4bi para BRF em 2019 poderia ir para R$5,5bi, um divisor de águas para geração de caixa da companhia;
  • Sobre carne bovina, os resultados sazonalmente mais fracos no primeiro trimestre podem pressionar as ações dos frigoríficos, mas seria um ponto de entrada interessante, à medida que continuamos a ver tendências sólidas à frente com forte demanda e ciclo do gado positivo. Veja mais detalhes no link.

Banrisul (BRSR6): Governo vende lote de ações

  • O banco Banrisul controlado pelo governo do Rio Grande do Sul (RS) leiloou nesta segunda-feira um lote de 2.056.962 ações que corresponde a 1,02% das preferenciais classe B (sem direito a voto) e 0,50% do capital social total; 
  • De acordo com o jornal Correio do Povo, o leilão foi concluído com preço de venda a R$24,10 e a operação movimentou cerca de R$49,50 mm superando a expectativa inicial, contudo, o controle do banco permanece no controle do Estado;
  • A privatização completa do banco ainda é um tópico distante e que outros ativos podem começar suas privatizações a um passo mais rápido, como companhias de energia elétrica, mineração e distribuição de gás.

Cemig (CMIG4): Privatização poderia ser aprovada este ano, afirma Governador Zema

  • Em entrevista durante o evento Brazil Conference at Harvard & MIT, o Governador de Minas Gerais Romeu Zema afirmou que espera conseguir a aprovação de um plano de privatização da Cemig até o final do ano;
  • ​Segundo o Governador, a situação financeira do estado é crítica demais, e não há outro caminho que não a venda da elétrica, haja visto que geração e distribuição de energia não são prioridades para o governo. Zema afirmou que pretende enviar o projeto de privatização para a Assembleia Legislativa até meados do ano, e acredita que o projeto poderia ser aprovado até o final do ano;
  • Segundo a Constituição do Estado de Minas Gerais, a privatização a Cemig depende de aprovação de 3/5 da Assembleia Legislativa, além de validação em um plebiscito. Acreditamos que tais condições implicam um ambiente complexo para viabilizar qualquer privatização, e por isso mantemos nossa recomendação neutra nas ações da Cemig, com preço-alvo de R$13/ação.

BR Distribuidora (BRDT3): Empresa receberá propostas para parceria em lojas de conveniência

  • Segundo fontes, a BR Distribuidora receberá até o dia 22 de abril as propostas para a parceria no negócio de lojas de conveniência. Redes de varejo como Grupo Pão de Açúcar, Carrefour, IMC (Frango Assado) e Lojas Americanas, além de fundos de investimento continuam no páreo, segundo o Valor;
  • Para que os interessados passem para uma segunda fase de negociação há determinadas exigências como a capacidade de investimento para acelerar o ritmo de expansão da rede. Para viabilizar uma parceria, a BR decidiu abrir mão do controle do negócio de lojas de conveniência, passando a oferecer 51% do capital votante;
  • Com base em nossas estimativas publicadas no nosso início de cobertura (link), se o ritmo de abertura de novas lojas de conveniência acelerar, assumindo uma penetração para níveis da AM/PM (Ipiranga) e aumento nos níveis de produtividade de vendas por m² para os níveis da AM/PM, estimamos um ganho de R$2,9/ação para o nosso preço-alvo de R$28/ação para BRDT3.

Engie Brasil (EGIE3): Aquisição da TAG é aposta em abertura do setor de gás natural no Brasil

  • Em teleconferência sobre a aquisição da TAG sediada ontem, a diretoria da Engie Brasil afirmou que a transação representa uma aposta do grupo francês no mercado de gás natural no Brasil, e está em linha com a meta do grupo controlador de ampliar seus negócios em infraestrutura de transporte de energia, incluindo transmissão de energia e gasodutos;
  • Executivos da empresa do setor de energia expressaram otimismo com o setor de gás natural com o aumento da produção da commodity nas áreas do pré-sal, e afirmaram que a companhia buscará viabilizar um projeto de usina termelétrica a gás natural já em 2019;
  • A oferta de US$8,6 bilhões deverá ser concluída até maio, e 70% do valor deve ser financiado por um grupo de bancos internacionais e brasileiros. Segundo o presidente da Engie, a oferta pela TAG está 80% baseada nos contratos de longo prazo já assinados pela companhia.

Vale e defensoria oferecem opção de acordo extrajudicial e surpreendem MP

  • A Vale assinou termo de compromisso com a Defensoria Pública de Minas Gerais por meio do qual atingidos pelo rompimento da barragem de Brumadinho poderão optar por acordos extrajudiciais para indenizações, individuais ou por núcleo familiar;
  • Na nossa visão tal medida representa uma evolução positiva, que pode potencialmente levar a um acordo mais abrangente entre a Vale e as demais partes interessadas;
  • Conforme temos mencionado, os riscos potenciais estão sendo cada vez mais mitigados, o que gradualmente deve permitir que a ação volte a negociar com base em fundamentos. A ação da Vale segue muito descontada em relação aos pares (20-25%), negociando a 3,9x EBITDA 2019, e esperamos uma convergência gradual. Reiteramos a COMPRA, preço alvo de R$68/ação.

Relatório de Alocação

Relatório de Alocação para o mês de abril; Estreia do Podcast

  • Relatório de Alocação para o mês de abril; Estreia do PodcastLançamos ontem a série mensal sobre alocação no Spotify, buscando trazer os principais destaques contidos no Relatório em formato de bate-papo (clique aqui para acessar). Bem como nosso relatório, ele será um resumo dos eventos que mais impactaram os mercados do último mês, as expectativas para o próximo e como isso se traduz nas nossas recomendações de ativos;
  • Para o mês de abril, não houve alterações, uma vez que já tínhamos antecipado nas edições anteriores que o cenário seria de maior volatilidade. Em março diminuímos o percentual de renda variável no perfil agressivo e, em fevereiro, aumentamos os percentuais de inflação nos perfis moderados e agressivos; 
  • Os principais promotores foram os ativos de renda fixa, principalmente os ativos indexados à inflação, dada expectativa do IPCA no mês de 0,54%, contra um CDI de 0,47%. Os principais detratores, em geral, foram os ativos de renda variável e os fundos multimercados mais posicionados no kit Brasil (posições aplicadas em juros, compradas em Bolsa e vendidas no dólar). Para acessar o relatório completo, clique aqui.

COE News

Samsung: Expectativa de resultados do 1T19 abaixo do consenso, foco na forte demanda pelo Galaxy 10

  • Os dirigentes da empresa anunciaram que esperam registrar queda de 60% A/A no lucro operacional do 1T19, atingindo US$ 5,5bi, enquanto que a receita pode ser 14% menor neste período, em US$ 46,1bi; 
  • Destaque negativo para o enfraquecimento da demanda por chips de memória devido à desaceleração global. Com o temor em relação à guerra comercial, executivos da Samsung comentaram que parte dos consumidores hesitaram em comprar novos smartphones enquanto que as empresas registraram menores gastos com servidores para armazenamento dados (Datacenters);
  • Destaque positivo para a forte demanda pelo Galaxy S10, um dos produtos mais importantes na geração de receitas, que chegou às lojas em 8 de março. As encomendas pelo principal smartphone representam o maior nível da história da empresa, podendo atingir 38mi de unidades vendidas até o final do ano. Além disso, o Galaxy Fold, com tela dobrável e que custará ~US$ 2mil, poderá começar a ser vendido ainda este mês. O preço das ações da Samsung ainda acumula alta de 21% no ano, com os investidores mantendo o otimismo de que os preços dos chips vão se recuperar até o fim do ano
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.