XP Expert

Morning Call XP (24.jul): Cortes de juros, FGTS e resultado da Cielo

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,24% | 103.704 Pontos

CÂMBIO -0,2% | 3,77/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Futuros dos EUA operam em queda nesta manhã de quarta-feira, em meio à sessão mista na Europa e positiva na Ásia durante a noite. Negociadores dos EUA teriam se dirigido à China na segunda-feira para discussões comerciais. Porém, sem grandes surpresas, dado que reuniões já eram esperadas para próxima semana e avanços mais significativos ainda são necessários.

As decisões dos bancos centrais para taxa de juros permanecem em foco após o Fundo Monetário Internacional (FMI) ter revisado para baixo suas previsões para o crescimento global (de 3,2% para 3,1% para 2019) e o mercado esperar corte na taxa de juros pelo Banco Central americano em 0,25% na próxima semana.

O Banco Central europeu pode manter estável a taxa em sua reunião amanhã, mas indicações sobre um possível movimento em setembro devem ser monitoradas, enquanto fracos dados econômicos na região aumentam a pressão para mais estímulos.

No campo das commodities, os preços do petróleo Brent seguem estáveis, em US$63,8/barril, enquanto o minério de ferro recua -3% e fica em US$116/t, frente a um ambiente de oferta e demanda mais equilibrado.

No Brasil, é esperado para hoje o anúncio da regra definitiva sobre o saque do FGTS, com limite de R$500 e montante total de R$30 bilhões neste ano. Mesmo depois do recuo do governo, a indústria da construção civil não ficou feliz com a diminuição nos recursos para financiamento imobiliário e disse que vai questionar no Congresso para reduzir a liberação em 2019.

A Polícia Federal prendeu no interior de SP quatro pessoas suspeitas de hackear celulares de autoridades, entre elas os ministros Sergio Moro e Paulo Guedes. A expectativa recai agora sobre os depoimentos e a análise do material apreendido que podem revelar se há ligação dos investigados com o vazamento de conversas de Moro e Deltan Dallagnol pelo site The Intercept. A PF afirma que o jornalista que publicou o material não é investigado.

Do lado das empresas, após a conclusão de oferta de ações (follow-on), a BR Distribuidora deixou de ser uma empresa estatal e passou a ser uma companhia privada de controle pulverizado. O foco do mercado após a privatização passará a ser em eficiências de custos e possíveis mudanças na estratégia comercial para reverter a perda de participação de mercado observada desde 2015.

Por fim, a Cielo reportou ontem um 2T19 fraco, com queda de lucro líquido de 21% vs 1T19 e 33% vs 2T18, mais uma vez impactada pela competição no setor e maiores gastos com pessoal. Do lado positivo, os volumes transacionados mostraram resiliência e confirmaram que os esforços da empresa estão tendo efeito, mesmo que ao custo de margens bem menores. Mantemos nossa recomendação Neutra e Preço-Alvo de R$7,00 para CIEL devido ao potencial limitado de queda das ações.

Tópicos do dia

Agenda de resultados hoje

WEG (WEGE3) – Antes da abertura do mercado
Carrefour (CRFB3) – Após fechamento do mercado
EDP (ENBR3) – Após fechamento do mercado
Grupo Pão de Açúcar (PCAR4) – Após fechamento do mercado
Clique aqui para acessar o calendário completo

Brasil

  1. Política Brasil: Suspeitos de hackear celulares de autoridades foram presos
  2. Regras de saque do FGTS devem ser anunciadas hoje às 16h

Internacional

  1. Zona do Euro: Atividade segue fraca no começo do 3T19. Alemanha é o destaque negativo

Empresas

  1. Cielo (CIEL3): Maiores volumes custam caro; 2T19 decepcionante
  2. WEG (WEGE3): Resultados acima das expectativas no 2T19
  3. BR Distribuidora (BRDT3): Oferta de ações concluída, empresa deixa de ser estatal
  4. Vale (VALE3): Retorno parcial das operações a seco no Complexo de Vargem Grande
  5. Petróleo e Gás: Governo lança o programa Novo Mercado de Gás
  6. Papel & Celulose: Empresa filandesa UPM confirma projeto de 2,1mt/ano de celulose de fibra curta

Coe News

  1. Tencent: Importante parceria


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Suspeitos de hackear celulares de autoridades foram presos

  • A Polícia Federal prendeu no interior de SP quatro pessoas suspeitas de hackear celulares de autoridades, entre elas os ministros Sergio Moro e Paulo Guedes;
  • ​A expectativa recai agora sobre os depoimentos e a análise do material apreendido que podem revelar se há ligação dos investigados com o vazamento de conversas Moro e Deltan Dallagnol pelo site The Intercept. A PF afirma que o jornalista que publicou o material não é investigado. 

Regras de saque do FGTS devem ser anunciadas hoje às 16h

  • De acordo com a mídia local, o governo deverá anunciar hoje às 16h as novas regras de saque do FGTS. O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a dizer que a medida deverá injetar R$42 bilhões no consumo, sendo R$30 bilhões em 2019 e R$12 bilhões em 2020;
  • Para compensar o limite de R$500 por conta nos saques, o governo deve passar a distribuir integralmente o lucro do fundo entre os trabalhadores. Hoje apenas metade do lucro é repartida entre os cotistas, de acordo com o saldo de cada conta no dia 31 de dezembro no ano anterior;
  • Paulo Guedes confirmou também que os saques poderão ser feitos nas contas ativas e inativas e que governo pretende liberar o saque do FGTS não apenas para 2019, mas também para os próximos anos.

Internacional

Zona do Euro: Atividade segue fraca no começo do 3T19. Alemanha é o destaque negativo

  • De acordo com a IHS Markit, o PMI industrial da zona do euro caiu para 46,4 pontos em julho ante 47,6 em junho. O resultado veio abaixo da expectativa de mercado que previa a estabilidade do indicador e confirma o maior ritmo de contração do setor industrial europeu. O PMI de serviços da região recuou de 53,6 pontos em junho para 53,3 pontos na mesma comparação, em linha com a projeção de mercado. Assim, o PMI composto (média ponderada dos dois índices) da zona do euro passou de 52,2 pontos no mês passado para 51,5 agora em julho, atingindo o seu menor nível em três meses;
  • O destaque negativo ficou por conta da Alemanha. O PMI industrial recuou de 45,0 pontos em junho para 43,1 pontos em julho, enquanto o PMI de serviços caiu de 55,8 para 55,4 pontos no mesmo período;
  • Preocupações com o Brexit, com questões comerciais, a deterioração do desempenho do setor automotivo e o grande prejuízo do Deutsche Bank são fatores de grande preocupação na Alemanha e devem seguir pesando sobre a recuperação da atividade alemã no terceiro trimestre.

Empresas

Cielo (CIEL3): Maiores volumes custam caro; 2T19 decepcionante

  • A Cielo divulgou ontem o resultado do 2T19 com lucro líquido de R$431,2 milhões, 13,8% abaixo das nossas estimativas. Como visto nos últimos trimestres, a deterioração do cenário competitivo e o aumento de gastos impactaram o resultado, apesar da receita e volumes maiores;
  • Os destaques positivos foram: (1) Volumes resilientes; (2) Crescimento da base de clientes ativos e (3) Resultado da Cateno;
  • ​Os destaques negativos foram: (1) Redução do yield de receita (receita/volume); (2) Despesas operacionais maiores e (3) Queda do resultado de antecipação de recebíveis;
  • De forma geral o resultado foi decepcionante, mas mostrou sinais iniciais de recuperação de volumes. Nós mantemos nossa recomendação Neutra e Preço-Alvo de R$7,00 para CIEL devido ao potencial limitado de queda das ações. Clique aqui para acessar o comentário completo do resultado.
     

WEG (WEGE3): Resultados acima das expectativas no 2T19

  • A WEG reportou há pouco resultados sólidos no 2T19, com lucro líquido acima do esperado e margens operacionais também mais fortes, seguindo despesas mais contidas, rentabilidade melhor nas operações estrangeiras e também um mix de produtos mais favorável;
  • A principal divergência em relação às nossas estimativas foi o segmento de energia, seguindo uma contribuição menor de projetos de geração eólica (fato já antecipado pela companhia), mas parcialmente compensado pelo negócio de geração solar. No segmento industrial (~56% da receita líquida), a companhia ressalta sinais de recuperação no Brasil e no mercado externo, com perspectivas construtivas de projetos brownfield e greenfield;
  • Temos recomendação neutra para as ações da WEG: Reconhecemos que existem oportunidades de crescimento interessantes pela frente, especialmente antecipando uma recuperação potencialmente mais forte nos investimentos em expansão de capacidade, mas acreditamos que os múltiplos atuais já incorporem esse cenário. Vemos as ações sendo negociadas a ~33x P/L 2019. Para acessar o comentário completo com os resultados trimestrais, com maior granularidade dos números, basta clicar aqui.

BR Distribuidora (BRDT3): Oferta de ações concluída, empresa deixa de ser estatal

  • Após a conclusão de oferta de ações (follow-on), a BR Distribuidora deixou de ser uma empresa estatal e passou a ser uma companhia privada de controle pulverizado. A oferta movimentou cerca de R$8,56 bilhões, podendo chegar a R$9,63 bilhões se o lote suplementar for exercido;
  • Conforme destacamos recentemente em relatório (link), o foco do mercado após a privatização passará a ser em eficiências de custos. Vemos uma diferença de R$20/m3 de margens da BR Distribuidora em relação às pares privadas Ipiranga e Raízen Combustíveis, mas cerca de metade corresponde a despesas com o fundo de pensão, com pouco espaço para mudanças;
  • Além disso, aguardamos maior clareza da companhia em relação a mudanças em sua estratégia comercial para reverter a perda de participação de mercado observada desde 2015, podendo haver impactos negativos sobre a margem bruta da companhia. Mantemos recomendação Neutra na BR Distribuidora, com preço-alvo de R$30/ação.
     

Vale (VALE3): Retorno parcial das operações a seco no Complexo de Vargem Grande

  • A Vale informou ontem que a Agência Nacional de Mineração (ANM) autorizou o retorno parcial das operações a seco do Complexo de Vargem Grande, interditadas desde 20 de fevereiro deste ano. A Vale espera que o retorno parcial e progressivo das operações a seco do Complexo permitam uma produção adicional de 5mt em 2019, além de aumentar, consequentemente, a oferta de Brazilian Blend Fines (BRBF), produto de alta qualidade;
  • A Vale reafirmou novamente sua projeção para as vendas de minério de ferro e pelotas de 307-332mt em 2019, com expectativa de que elas se situem ao redor do centro da faixa – estimamos 325mt;
  • Vemos o anúncio como positivo, enquanto riscos estão sendo cada vez mais mitigados, o que permite que as ações voltem gradualmente a negociar com base em fundamentos. Vemos as ações da Vale como atrativas, negociando a 4,1x EV/EBITDA 2019, com uma rentabilidade de 10-15% de sua geração de caixa em 2019-20, que pode ser ainda maior com preços de minério de ferro surpreendendo positivamente. Assumimos, conservadoramente, preço médio de US$85/t em 2019 e US$75/t em 2020, enquanto o minério já ultrapassa os US$115/t. Para cada US$10/t de aumento no preço do minério, o EBITDA da Vale aumenta US$3bi. Mantemos Compra.

Petróleo e Gás: Governo lança o programa Novo Mercado de Gás

  • Ontem o governo federal lançou o programa “Novo Mercado de Gás”, objetivando a redução do preço da commodity ofertada internamente para incentivar a reindustrialização do Brasil;
  • O programa abrange medidas que visam o aumento da oferta de gás oriundo do pré-sal, quebra de monopólios e maior atuação do setor privado na cadeia de valor do gás. Privatizações adicionais de gasodutos e distribuidoras de gás natural são centrais para a agenda;
  • Além disso, a adesão dos Estados será incentivada. A União promete transferir R$5-6 bilhões ao ano do fundo social do pré-sal a governos que privatizarem suas empresas estaduais de distribuição de gás e adotarem medidas para abrir o mercado, como a criação de agências reguladoras e criação da figura do consumidor livre.

Papel & Celulose: Empresa filandesa UPM confirma projeto de 2,1mt/ano de celulose de fibra curta

  • A produtora finlandesa de papel e celulose UPM decidiu ir adiante com o projeto de construção de uma fábrica de celulose de fibra curta no Uruguai e anunciou ontem que investirá mais de US$3bi no país. A fábrica terá capacidade de produzir 2,1mt/ano, elevando em mais de 50% a capacidade atual da empresa. O início da operação está previsto para o segundo semestre de 2022;
  • O projeto já estava no radar. As conversas começaram em meados de 2016 e somente no fim de 2017 a UPM e o governo uruguaio firmaram um contrato com as pré-condições necessárias. Para a papeleira finlandesa, apesar do momento crítico para os preços da celulose, os fundamentos são positivos no longo prazo, diante da demanda saudável prevista para os próximos anos, especialmente na Ásia, o que, portanto, justifica o investimento;
  • Frente à notícia do novo projeto, as ações da Suzano e da Klabin foram pressionadas, fechando o pregão de ontem em queda de -1,9% e -1,3%, respectivamente. Vale lembrar que nenhuma capacidade adicional está prevista até 2021, o que sustenta nossa tese positiva para o preço de celulose no médio-longo prazo. Na nossa visão, o anúncio da UPM pode dificultar ou postergar potenciais projetos adicionais de celulose (como o da Eldorado e potencialmente da Suzano), ainda mais dado o cenário difícil de preços, com a fibra curta acumulando queda de US$133/t no ano (-21%).

Coe News

Tencent: Importante parceria

  • Dirigentes da BMW anunciaram nesta quinta-feira uma potente parceria com a Tencent para o desenvolvimento de carros autônomos na China;
  • Na parceria, a gigante chinesa fornecerá uma plataforma de computação e ferramentas de desenvolvimento, com o intuito de apoiar a produção de veículos autônomos e a inovação tecnológica da BMW na China.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.