XP Expert

Morning Call XP (20.ago): Mercados internacionais respiram; Ibovespa não acompanha

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,34% | 99.468,67 Pontos

CÂMBIO 1,7% | 4,07/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou ontem em queda de 0,34%, aos 99.469 pontos, enquanto o dólar disparou seguindo questionamentos sobre o ciclo de juros nos EUA e maior percepção de risco nos mercados emergentes.

O noticiário local aponta que metade dos líderes da Câmara são contrários à proposta do governo de criar um novo tributo sobre meios de pagamento nos moldes da antiga CPMF. A proposta, que já foi rejeitada pelo presidente Jair Bolsonaro, foi também rejeitada pelo relator da reforma tributária no Senado e por isso deverá enfrentar muita resistência.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, anunciou ontem que instalará na próxima quarta-feira a comissão especial que analisará o projeto de lei que institui um novo marco legal para o saneamento básico. De acordo com Maia, a comissão deverá analisar a proposta em quatro semanas, no máximo. A proposta terá relatoria do deputado Geninho Zuliani (DEM-SP).

Nas bolsas internacionais, futuros dos EUA operam levemente em alta, em meio a sessões mistas na Europa e Ásia durante a noite. Anúncios de estímulos econômicos permitiram um início de semana positivo, especialmente porque foram das maiores economias do mundo, Alemanha e China.

Porém, os investidores continuam à espera do Jackson Hole desta semana, conferência que reúne economistas, acadêmicos, participantes do mercado e representantes do governo, onde o presidente do FED, Jerome Powell, pode sinalizar outro corte de juros para setembro. Além disso, a ata da última reunião será divulgada amanhã e será monitorada atentamente.

Por fim, as tensões entre EUA e China também diminuíram um pouco depois que o secretário de comércio americano confirmou prorrogação das restrições à Huawei por mais 90 dias.

Do lado das commodities, os preços de petróleo operam estáveis, em US$58,6/barril, enquanto o minério de ferro recuou US$1,17/t ontem, ficando abaixo do patamar dos US$90/t. Enquanto isso, os preços de celulose amenizam as quedas, com leve recuo de -US$1,5/t nessa terça-feira, em US$484,6/t – positivo para Suzano.

Do lado das empresas, após 150% de alta nas ações da JBS em 8 meses, com a BRF e a Marfrig seguindo o movimento, publicamos relatório de atualização, reiterando nossa visão positiva para o setor. A JBS continua como nosso nome preferido (novo preço-alvo de R$37/ação), mudamos nossa recomendação para a BRF de Neutro para Compra (novo preço-alvo de R$47/ação) e mantemos Compra na Marfrig (preço-alvo de R$10/ação), mas reconhecemos que, após os resultados do 2T19, atingir a estimativa da empresa de R$1-1,5bi em fluxo de caixa livre em 2019 pode ser mais desafiador do que o esperado, o que pode pressionar as ações.

A B2W anunciou um aumento de capital de R$ 2,5 bilhões com base no preço de emissão de R$39/ação para reduzir seu endividamento. Vemos a transação da B2W como positiva e acreditamos que fortalece o plano de geração de caixa. Para Lojas Americanas, que se comprometeu em adquirir 100% das ações não subscritas, acreditamos que a alavancagem da operação de lojas para capitalizar a B2W novamente pode causar uma reação negativa do mercado.

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Marcos Cintra demite o número 2 da Receita Federal depois de pressão de Bolsonaro
  2. Comissão especial de saneamento da Câmara será instalada amanhã
  3. De acordo com o Estadão, metade dos líderes partidários não concorda com a proposta de recriação da CPMF

Internacional

  1. China: Nova regra de determinação de taxa de juros de referência já apresenta efeito

Empresas

  1. Ações da JBS: 150% de alta em 8 meses. E agora?
  2. B2W (BTOW3): Proposta de aumento de capital de R$ 2,5 bilhões para redução de dívida
  3. Grupo Pão de Açúcar (PCAR4): Casino eleva preço de compra da participação do Éxito no GPA para R$113/ação


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Marcos Cintra demite o número 2 da Receita Federal depois de pressão de Bolsonaro

  • Bolsonaro pressiona e Marcos Cintra demite o número 2 da Receita Federal. O presidente disse que sua família sofreu perseguição da receita e estuda novas mudanças da cúpula do órgão. A verba de funcionamento básico da Receita (emissão de CPF, controle aduaneiro e pagamento de restituições) acaba dia 25 de agosto. A promessa do governo é não deixar que ocorra um shutdown;
  • Escolha do PGR segue um padrão complexo e pouco produtivo: vários nomes de favoritos são divulgados e passam a sofrer ataques na imprensa. O último, Antonio Carlos Simões é outsider, desconhecido na carreira do MP e tem chancela de Flávio Bolsonaro;
  • Mais pressão fiscal em 2020. A previsão é aumento em 48,5% as despesas do governo com derrotas definitivas na justiça que precisam começar a serem pagas neste ano.

Comissão especial de saneamento da Câmara será instalada amanhã

  • O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, anunciou ontem que instalará na próxima quarta-feira a comissão especial que analisará o projeto de lei que institui um novo marco legal para o saneamento básico;
  • De acordo com Maia, a comissão deverá analisar a proposta em quatro semanas, no máximo. A proposta terá relatoria do deputado Geninho Zuliani (DEM-SP);
  • De acordo com o Broadcast, Maia disse acreditar que a criação da comissão especial é importante, pois a câmara precisa fazer algumas mudanças no texto votado pelo Senado.

De acordo com o Estadão, metade dos líderes partidários não concorda com a proposta de recriação da CPMF

  • De acordo com o Estadão, a proposta de criação de um novo tributo sobre meios de pagamento não agrada 15 dos 30 líderes partidários na Câmara, incluindo os partidos do chamado Centrão;
  • Considerada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, como uma nova CPMF, a ideia é que o novo tributo sobre pagamentos seja cobrado não apenas sobre movimentações financeiras, mas sobre todo o fluxo de pagamento, incidindo também sobre a entrada e saída de dinheiro da conta;
  • A proposta, que também foi rejeitada pelo relator da reforma tributária no Senado, Roberto Rocha, já havia sido rejeitada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Internacional

China: Nova regra de determinação de taxa de juros de referência já apresenta efeito

  • Ontem o Banco Central da China anunciou mudanças na determinação de sua taxa de juros sobre empréstimos interbancários. A medida prevê que a nova taxa (LPR) seja uma média das taxas de juros cobradas por Bancos (excluindo a maior e a menor) e tira do Banco Central a obrigação de fixar esse preço;
  • A medida já parece surtir algum efeito na medida em que a nova taxa de empréstimos (LPR) de 1 ano ficou em 4,25% em agosto, ante 4,31% em julho. Os novos empréstimos bancários com vencimentos em um ou cinco anos serão vinculados à LPR a partir de hoje. Com isso, o Banco Central da China espera que a potência da política monetária aumente;
  • Como argumentamos ontem, a medida é bastante positiva, pois além de aumentar a potência da política monetária, a taxa passa a ser determinada via forças de mercado (oferta e demanda), o que reduz o risco de desbalanços e ineficiências alocativas.

Empresas

Ações da JBS: 150% de alta em 8 meses. E agora?

  • A JBS tem sido a estrela do Ibovespa nesse ano, com alta de 149% desde janeiro, enquanto a BRF também acumula um aumento de 75%. Temos destacado o momento positivo dos frigoríficos há um tempo, mantendo nossa preferência pela JBS devido a sua sólida operação, independentemente do potencial impacto positivo advindo da peste suína africana. Reiteramos a JBS como nosso nome preferido dentre os frigoríficos, frente à entrega de fortes resultados, a incorporação do impacto da peste suína e crescimento adiante (novo preço-alvo de R$37/ação vs. R$27/ação anteriormente);
  • Além disso, em um contexto semelhante e com mais visibilidade sobre a geração de caixa para frente, mudamos nossa recomendação para a BRF de Neutro para Compra (novo preço-alvo de R$47/ação vs. R$33/ação anteriormente). Há quem argumente que as ações dos frigoríficos nos patamares atuais já refletem o cenário positivo, mas, em nossa visão, há mais por vir – Veja no relatório os 10 temas mais quentes do setor;
  • Mantemos Compra na Marfrig (preço-alvo de R$10/ação), mas reconhecemos que, após os resultados do 2T19, atingir a estimativa da empresa de R$1-1,5bi em fluxo de caixa livre em 2019 pode ser mais desafiador do que o esperado, o que pode pressionar as ações. Clique aqui para acessar o relatório completo.

B2W (BTOW3): Proposta de aumento de capital de R$ 2,5 bilhões para redução de dívida

  • A B2W anunciou um aumento de capital, para subscrição privada, de R$ 2,5 bilhões com base no preço de emissão de R$39/ação (desconto de 9,4% em relação à média dos últimos sete pregões). A Lojas Americanas (controladora da B2W) se comprometeu a exercer seus direitos de preferência, na proporção de sua participação acionária na companhia, bem como a subscrever a totalidade de eventuais ações não subscritas;
  • O aumento de capital será usado para melhorar a estrutura de capital da B2W, reduzindo as dívidas e, consequentemente, as despesas financeiras. Vemos a capitalização da B2W como positiva e acreditamos que a transação fortalece o plano de geração de caixa para suportar investimentos no crescimento online e em novos negócios, como as iniciativas da Ame Digital e de integração com o mundo offline;
  • Para a Lojas Americanas, embora não esperamos nenhuma mudança no plano atual de expansão, acreditamos que a alavancagem da operação de lojas para capitalizar a B2W mais uma vez pode causar uma reação negativa do mercado. Para acessar o relatório completo, clique aqui.

Grupo Pão de Açúcar (PCAR4): Casino eleva preço de compra da participação do Éxito no GPA para R$113/ação

  • O Casino elevou o preço da compra da participação indireta que o Éxito detém no GPA de R$109/ação para R$113/ação (um aumento de 4%). Já o preço de compra da totalidade das ações do Éxito pelo GPA se manteve inalterado em 18.000 Pesos Colombianos por ação. Dessa forma, o valor líquido a ser desembolsado pelo GPA em função a reorganização de ativos será de R$ 3,9 bilhões (contra R$ 4,1 bilhões anteriormente) enquanto o Casino desembolsará R$ 409 milhões (contra R$ 210 milhões anteriormente);
  • Vemos a notícia como marginalmente positiva para o GPA, uma vez que a alteração de preço anunciada pelo Casino reduz o montante líquido a ser pago pelo GPA pela compra do Éxito em R$ 200 milhões. Dentro do varejo alimentar, nossa preferência é pelo GPA em função de seus múltiplos mais atrativos. Temos recomendação de Compra, com preço-alvo de R$124/ação;
  • Além disso, segundo notícia do Valor, o GPA confirmou o retorno de Jorge Faiçal ao grupo para assumir a posição de Diretor Digital de Operação (CDO). Faiçal trabalhou no GPA até dezembro do ano passado, mas recentemente atuava como diretor comercial e de marketing da Via Varejo. O objetivo da contratação é acelerar a estratégia de transformação digital do GPA e o ecommerce alimentar.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.