XP Expert

Morning Call XP (16.jul): Aberta a disputa política pelo formato e condução da Reforma Tributária

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,10% | 103.803 Pontos

CÂMBIO 0,5% | 3,76/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Futuros nos EUA operam em leve alta nesta manhã de terça-feira, em meio a sessão positiva na Europa e mista na Ásia durante a noite, enquanto investidores aguardam a temporada de resultados das empresas (JPMorgan Chase, Goldman Sachs e Wells Fargo) e discursos de dirigentes do Banco Central americano (Fed) nesta semana, incluindo o presidente do Fed, Jerome Powell.

Hoje, dados de vendas no varejo e produção industrial dos EUA serão monitorados para análise da saúde da economia americana, um dia depois que os números chineses mostraram sinais de estabilização.

As negociações comerciais EUA-China continuam sendo o grande foco, já que o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e o representante comercial americano, Robert Lighthizer, podem viajar à Pequim para conversas se as negociações forem proveitosas por telefone.

No Brasil, está aberta a disputa política pelo formato e condução da reforma tributária, mesmo com a previdência ainda em vias de ser aprovada na Câmara. O Ministério da Economia estimou que o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), que incidiria sobre o consumo, poderia ter alíquota de 30% ou mais.

O economista Bernard Appy, que liderou a proposta em discussão na Câmara e que unifica IPI, PIS, Cofins, ICMS e ISS, diz que a alíquota seria de 25%, sendo 9% para cobrir os impostos federais. Porém, a Receita alega que precisaria de 14,5%, o que aumentaria então a alíquota para os 30%.

A presidente da CCJ do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), estima que a comissão demore entre três semanas e um mês para votar a reforma da previdência e prevê uma aprovação rápida no plenário. O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), provável relator, quer inclusão de estados e municípios na reforma, mas busca um caminho para que o projeto inteiro não precise voltar para a Câmara.

Sondagem realizada pela XP Investimentos com 83 investidores institucionais mostra uma melhora na percepção do setor sobre o ambiente político, materializada em uma expectativa maior para a economia final da reforma da Previdência em 10 anos (R$ 850 bilhões ante R$ 700 bilhões nas pesquisas anteriores) e em uma melhor avaliação, tanto do governo Jair Bolsonaro (55% de menções “ótimo e bom” contra 14% no último levantamento) quanto do Congresso, que atingiu 86% de opiniões positivas, contra 32% em maio.

Vale notar que as entrevistas foram conduzidas nos dias 11 e 12 de julho, antes, portanto, da oficialização sobre o calendário de votação do segundo turno da reforma da Previdência para agosto.

Do lado das empresas, atualizamos ontem nossas estimativas para a Localiza (RENT3; R$ 49,5/ação) e Unidas (LCAM3; R$ 60,0/ação), mantendo recomendação de Compra para ambos os nomes. Vemos a Unidas como mais atrativa em termos de múltiplos. No entanto, acreditamos que o histórico sólido de execução da Localiza, combinado às perspectivas também elevadas de crescimento, justifiquem um prêmio em relação aos pares.

Por fim, preços da celulose de fibra curta na China caíram ligeiramente esta semana, recuando US$5,5/t e atingindo US$516,36/t. Na nossa visão, apesar do preço parecer estar próximo de um piso, a visibilidade ainda permanece baixa, mas mantemos nossa visão positiva à frente, com recomendação de Compra para Suzano (preço-alvo de R$40/ação) e Neutro para Klabin (preço-alvo de R$19/ação).

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Está aberta a disputa política pelo formato e condução da reforma tributária
  2. Projeto de lei visa dar respaldo jurídico a investidores

Internacional

  1. EUA: Dados econômicos e discursos de diretores de política monetária
  2. Bancos Centrais seguem monitorando condições globais e sinalizando a implementação de medidas estimulativas

Empresas

  1. Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3): Atualização das premissas Macroeconômicas e Preços-Alvo
  2. Vale (VALE3): MPT e Vale fecham acordo para indenizar famílias de Brumadinho
  3. IRB Brasil (IRBR3): Oferta atrai investidores estrangeiros
  4. Papel & Celulose: Queda no preço da celulose de fibra curta suavizou nesta semana
  5. Via Varejo (VVAR3): As primeiras mensagens do novo presidente da empresa 
  6. Setor de Varejo: Dados do ICVA em junho revertem tendência de desaceleração de crescimento


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Está aberta a disputa política pelo formato e condução da reforma tributária

  • A previdência sequer foi aprovada na Câmara e está aberta a disputa política pelo formato e condução da reforma tributária;
  • ​O Ministério da Economia estimou que o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), que incidiria sobre o consumo poderia ter alíquota de 30% ou mais. O economista Bernard Appy, que liderou a proposta em discussão na Câmara e que unifica IPI, PIS, Cofins, ICMS e ISS, diz que alíquota seria de 25%, sendo 9% para cobrir os impostos federais. A Receita alega que precisaria de 14,5%, o que aumentaria então a alíquota para os 30%;
  • A presidente da CCJ do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), estima que a comissão demore entre três semanas e um mês para votar a reforma da previdência e prevê uma aprovação rápida no plenário. O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), provável relator, quer inclusão de estados e municípios na reforma, mas busca um caminho para que o projeto inteiro não precise voltar para a Câmara.

Projeto de lei visa dar respaldo jurídico a investidores

  • De acordo com o jornal Valor Econômico, o Ministério da Economia elaborou um projeto de lei (apelidada de “PL do Coque de Investimento”) para (i) dar mais segurança jurídica a investidores, (ii) diminuir o risco de agentes financeiros em grandes obras, (iii) criar mecanismos que permitam solucionar problemas financeiros de concessões;
  • A proposta determina que as novas concessões apresentem três níveis de alerta sobre a situação financeira do projeto. No primeiro, é emitido um sinal de atenção, no segundo, aciona-se a cláusula de “step in rights”, pelo qual credores podem afastar os acionistas e assumir o controle do negócio em caso de inadimplência do concessionário, e no terceiro, será aberto processo para cassar a concessão;
  • Segundo o secretário especial de Produtividade e Competitividade, Carlos da Costa, a proposta deve ser enviada à Câmara em agosto, após o recesso, como parte da agenda de crescimento da economia pós-previdência.

Internacional

EUA: Dados econômicos e discursos de diretores de política monetária

  • A agenda norte-americana para o dia de hoje está repleta de resultados econômicos e discursos de diretores de política monetária;
  • Da parte econômica, serão divulgados dados de varejo e de produção industrial, ambos para o mês de junho. As expectativas são de que o varejo e a produção da indústria tenham avançado 0,2% e 0,1% ante maio, respectivamente;
  • Além disso, Bostic (Fed Atlanta) e Bowman (diretoria do Fed) discursarão às 9h15, Powell (presidente do Fed) às 14h e Evans (Fed Chicago) às 16h30 (horário de Brasília).

Empresas

Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3): Atualização das premissas Macroeconômicas e Preços-Alvo

  • Atualizamos ontem nossas estimativas para a Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3), (i) introduzimos nossos preços-alvo para 2020 de RENT3 e LCAM3, (ii) incorporamos premissas macroeconômicas atualizadas de forma a precificar um custo de capital mais baixo e (iii) acrescentamos os últimos resultados, bem como nossas expectativas para o 2T19;
  • Nossa visão positiva para o setor baseia-se nos seguintes pilares: (i) ambiente competitivo benigno, com tarifas sustentadas apesar do forte crescimento de volume – o que esperamos que prevaleça nos próximos trimestres; (ii) tendência de consolidação, com as três principais empresas liderando esse movimento e (iii) custo de capital potencialmente menor do que o previsto, o que beneficia todas as empresas do setor;
  • Vemos a Unidas como mais atrativa em termos de múltiplos (negociando a 17x P/L de 2020, com crescimento esperado de lucro de 30% em relação ao ano anterior). No entanto, acreditamos que o histórico sólido de execução da Localiza, combinado com as perspectivas também elevadas de crescimento, justifiquem um prêmio em relação aos pares. Continuamos com recomendação de Compra para ambos os nomes e definimos nossos novos preços-alvo em R$ 49,5 /ação para RENT3 e R$ 60,0/ação para LCAM3. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Vale (VALE3): MPT e Vale fecham acordo para indenizar famílias de Brumadinho

  • Segundo o Valor Econômico, a Vale aceitou elevar o valor das indenizações a serem pagas às famílias de trabalhadores que morreram no início do ano na tragédia de Brumadinho, firmando um acordo com o Ministério Público do Trabalho (MPT) de Minas Gerais pelo qual se compromete a pagar R$700 mil individualmente, para cônjuge, filhos e pais de cada trabalhador morto;
  • A proposta firmada anteriormente previa a indenização de no máximo R$300 mil aos familiares das vítimas. Para reparar o dano moral coletivo, a Vale, pelo acordo, desembolsará R$400mi em 6 de agosto;
  • Embora o aumento do valor acordado seja adicional aos US$5bi provisionados pela Vale, na nossa visão, potenciais riscos estão sendo cada vez mais mitigados, o que deve gradualmente permitir que as operações normalizem e as ações negociem de volta aos fundamentos. Vemos as ações da Vale atrativas, negociando a 4,1x EV/EBITDA 2019, com uma rentabilidade de 10-15% de sua geração de caixa em 2019-20, que pode ser ainda maior com preços de minério de ferro surpreendendo positivamente. Assumimos, conservadoramente, preço médio de US$85/t em 2019 e US$75/t em 2020, enquanto o minério já atingiu US$120/t. Para cada US$10/t de aumento no preço do minério, o EBITDA da Vale aumenta US$3bi. Mantemos Compra.

IRB Brasil (IRBR3): Oferta atrai investidores estrangeiros

  • De acordo com a Coluna do Broadcast (Estadão), a oferta secundária do IRB já tem ordens equivalentes a dois terços de seu valor total. A BB Seguridade e o Governo Federal estão vendendo 47,5 milhões (R$4,4 bilhões) e 36,4 milhões de ações (R$3,4 bilhões), respectivamente;
  • ​O resultado foi alcançado em apenas três dias de reuniões com investidores e a demanda, até o momento, está 66% concentrada em investidores estrangeiros. O último dia de reuniões, assim como a definição do preço, ocorre na quinta-feira (18/07);
  • Mantemos nossa recomendação de Compra para ambas as ações, uma vez que a oferta era esperada e não afeta nossas teses de investimentos. Para o IRB, vemos a conclusão da oferta como o fim de uma pressão sobre a ação e esperamos que a empresa volte a negociar com base em fundamentos novamente. Em relação à BBSE, a venda de sua participação no IRB deve aumentar o rendimento de dividendos de 2019, podendo chegar perto de dois dígitos.

Papel & Celulose: Queda no preço da celulose de fibra curta suavizou nesta semana 

  • Os preços da celulose de fibra curta na China caíram ligeiramente esta semana, recuando -US$5,5/t e atingindo US$516,36/t. Na nossa visão, apesar do preço parecer estar próximo de um piso, a visibilidade ainda permanece baixa, mas mantemos nossa visão positiva à frente; 
  • Embora os estoques permaneçam elevados e o ambiente desafiador, cortes de produção de fibra longa foram anunciadas por empresas europeias, e potenciais novos anúncios podem ajudar no reequilibrio do mercado, ou na sua estabilização;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra para Suzano (preço-alvo de R$40/ação) e Neutro para Klabin (preço-alvo de R$19/ação). Clique aqui para acessar nosso último relatório. 

Via Varejo (VVAR3): As primeiras mensagens do novo presidente da empresa 

  • Em entrevista ao Valor Econômico e Estadão, Roberto Fulcherberguer fez seus primeiros comentários na mídia após assumir a presidência da Via Varejo. Segundo ele, a prioridade inicial é estabilizar os sistemas internos e aumentar a conversão do tráfego de clientes em vendas. Além disso, a empresa está resgatando o modelo de parceria de longo prazo com os fornecedores e usando uma base de dados de 70 milhões de pessoas junto com a equipe de marketing para melhorar o relacionamento com os consumidores;
  • A expectativa é de recuperação do crescimento online ainda neste ano. O executivo também ressaltou que o objetivo é crescer o ecommerce de forma sustentável e que haverá seleção criteriosa para integração de terceiros na operação de marketplace;  
  • Nas lojas, o executivo vê possibilidade de melhora principalmente fora dos grandes centros, mas comentou que o investimento não será desproporcional. Com relação a expansão, Fulcherberguer afirmou que há espaço no Norte e Nordeste, mas por enquanto o plano ainda está sendo desenhado. Além disso, a empresa estuda a possibilidade de desativação da marca Ponto Frio. 

Setor de Varejo: Dados do ICVA em junho revertem tendência de desaceleração de crescimento

  • Segundo o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), as vendas no varejo cresceram +5,3% A/A em junho e reverteram tendência de desaceleração que vinha ocorrendo desde março. Dessa forma, o crescimento no primeiro semestre foi de +6,5% A/A;
  • A quebra do desempenho de vendas no semestre por segmentos sugere que a maior alta veio de bens não duráveis (+8,5% A/A), com destaque positivo para Drogarias/Farmácias, enquanto o Varejo Alimentar Especializado pressionou parcialmente o resultado. Já o segmento de bens duráveis e semiduráveis teve crescimento inferior (+3,7% A/A);
  • O ICVA mapeia mensalmente as vendas realizadas em 18 setores pela Cielo, que tem cerca de 1,2 milhão de varejistas credenciados.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.