XP Expert

Morning Call XP (08.ago): Câmara aprova reforma da Previdência e texto vai ao Senado

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,61% | 102.782 Pontos

CÂMBIO +0,2% | 3,97/USD

O que pode impactar o mercado hoje

A tão aguardada reforma da Previdência foi aprovada na Câmara dos Deputados, com economia estimada pelo governo de R$933 bilhões, acima da expectativa do mercado. Com isso, o texto passará ao Senado, onde será avaliado pela Comissão de Constituição e Justiça da Casa e seguido por duas votações em plenário. São necessários 49 votos favoráveis.

A PEC terá a relatoria de Tasso Jereissati, tucano como Samuel Moreira, o responsável pelo texto na Câmara. Os dois mantiveram contato durante a tramitação, o que reduz chances de alterações que forcem nova análise pela Câmara. A presidente da CCJ é Simone Tebet (MDB). Ainda assim, a equipe econômica reconhece que a proposta não será aprovada no “piloto automático” e que exigirá atenção e dedicação para que não haja alterações no relatório.

Na esteira desse momento transformacional, a aprovação da reforma da Previdência vira uma página histórica para o Brasil, dando início a um novo rumo para o país.

E o Brasil adiante com seus desafios e oportunidades, é o tema central do relatório que publicamos hoje. Nele você entenderá nossas perspectivas para os próximos períodos, como os impactos da Previdência e as reformas seguintes, além de conhecer nossa opinião a respeito de como você deve investir seu patrimônio nesse novo ciclo.

No internacional, bolsas nos EUA, Europa e Ásia foram impulsionadas após a China ter fixado sua moeda mais apreciada que o esperado, aliviando temores sobre um agravamento do conflito comercial. Apesar da sinalização positiva, os investidores continuam preocupados com o potencial para escalada na guerra comercial com os EUA.

Do lado das commodities, os preços de petróleo recuperam parte das perdas vistas na semana, operando em leve alta de 0,74% em US$56,9/barril. O minério segue no patamar dos US$94/t, recuando 15% na semana, mas ainda acumulando alta de 30% no ano.

Tópicos do dia

Agenda de resultados hoje

Azul (AZUL4): Antes da abertura
B2W (BTOW3): 
Após o fechamento
B3 (B3SA3): 
Após o fechamento
Lojas Americanas (LAME4): 
Após o fechamento
Suzano (SUZB3): 
Após o fechamento
Clique aqui para acessar o calendário completo
Para ver um resumo dos resultados até o momento, clique aqui

Brasil

  1. O Brasil após a Reforma da Previdência
  2. Relator pretende mudar MP da Liberdade Econômica

Internacional

  1. China: Banco Central define faixa de negociação da moeda em 7 yuans para 1 dólar

Empresas

  1. SulAmérica (SULA11): Forte 2T19; Cenário promissor para Saúde & Odonto
  2. Petrobras (PETR4): Prazo de entrega de propostas por Liquigás é adiado
  3. Varejo Alimentar: Mais notícias sobre especulações de venda do GPA pelo Casino
  4. Frigoríficos: Receita das exportações de carne suína tem alta de 24% A/A em julho


Veja todos os detalhes

Brasil

O Brasil após a Reforma da Previdência

  • A tão aguardada Reforma da Previdência foi aprovada na Câmara dos Deputados, com economia estimada pelos nossos economistas de R$800-850bi, acima da expectativa do mercado. Após sete meses de novo governo, a aprovação já nos dois turnos na Câmara dos Deputados permite que uma página muito importante da nossa história seja virada. 2019 é um ano transformacional;
  • A recuperação da economia ainda é lenta, mas alguns sinais positivos emergem e vemos crescimento do PIB de 0,9% em 2019 e de 2,1% em 2020, liderado pelo consumo. Enquanto isso, vemos a inflação em quadro confortável e dentro da meta em 2019 e 2020. Nesse contexto, esperamos queda dos juros dos atuais 6% para 5% até o fim de 2019, ficando estável em 2020. O governo começa agora a pautar a agenda que seguirá a previdência, como reforma tributária, privatizações e reformas micro;
  • O Brasil adiante com seus desafios e oportunidades é o tema central do relatório que publicamos hoje. Nele você entenderá nossas perspectivas para os próximos períodos, como os impactos da Previdência e as reformas seguintes, além de conhecer nossa opinião a respeito de como você deve investir seu patrimônio nesse novo ciclo. Cliquei aqui para acessar o relatório completo.

Relator pretende mudar MP da Liberdade Econômica

  • De acordo com o Valor Econômico, o deputado Jerônimo Georgen (PP-RS) pretende apresentar uma emenda com mudanças adicionais no texto da MP da Liberdade Econômica;
  • As mudanças principais devem ser feitas na área trabalhista, um dos pontos que mais tem atrasado o andamento do texto. Nesse campo, Georgen disse que pretende diminuir o texto e possivelmente retirar artigos relativos à Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho;
  • A MP perderá a validade se não for aprovada por Câmara e Senado até o dia 28 de agosto. Entretanto, segundo o relator, a medida provisória será votada na semana que vem e não existe risco de que ela caduque.

Internacional

China: Banco Central define faixa de negociação da moeda em 7 yuans para 1 dólar

  • De acordo com o Financial Times, o banco central da China definiu a banda de negociação do yuan em 7,0039 para o dólar, +/- 2%. A decisão formaliza uma mudança de política no sentido de deixar a moeda enfraquecer, o que ocorreu no início desta semana;
  • A decisão surpreendeu as expectativas do mercado de uma taxa de 7,0445, uma indicação ligeiramente positiva em meio às tensões comerciais atuais e uma proteção para o crescimento mais lento da China. As moedas dos países asiáticos também reagiram positivamente à decisão.

Empresas

SulAmérica (SULA11): Forte 2T19; Cenário promissor para Saúde & Odonto

  • A SulAmérica divulgou ontem o resultado do 2T19 com lucro líquido de R$260 milhões, 39% acima de nossa expectativa, expandindo 17% no tri e 93% A/A. A diferença para nossos números é explicada principalmente por uma alíquota de imposto muito abaixo do esperado (4% vs 39% no 1T19) devido a uma reversão de passivos fiscais diferidos (o lucro antes de impostos ficou 11% abaixo do XPe). Embora os resultados sejam difíceis de ler, vemos a SulAmérica se beneficiando do cenário de melhora para seguro de saúde e mantemos nosso viés positivo com as ações;
  • Os destaques positivos foram: (1) O total de prêmios ganhos cresceu 9% A/A, positivamente impactado por Saúde & Odonto (+11%) e Vida e Acidentes Pessoais (+6%); (2) Outras receitas operacionais cresceram 11% vs 2T18 explicadas por previdência privada (+11%), capitalização (+10%) e gestão de ativos (+49%); (3) As receitas de saúde e odontológico das PMEs cresceram 18% A/A, confirmando a forte dinâmica do segmento e (4) Despesas administrativas totais caíram 1,3% A/A devido ao menor gasto com pessoal (-5%) e com serviços de terceiros (-21%). As despesas gerais e administrativas caíram de 8,5% no 2T18 para 8,1% em relação à receita operacional;
  • Os destaques negativos foram: (1) Menor receita de Automóveis e Ramos Elementares, com queda de 9% e 11%, respectivamente. Vale ressaltar que esses são os segmentos que a SulAmérica está analisando atualmente a oferta indicativa da Allianz e (2) O resultado financeiro caiu -5% no ano em linha com taxa Selic menor e atingiu 114% do CDI;
  • Em resumo, o 2T19 foi positivo em nossa visão e estamos confiantes de que a empresa seguirá com suas iniciativas crescimento e eficiência. Desde que iniciamos a cobertura em 24 de julho, a ação valorizou rapidamente 35,7% e, no nível atual, o preço já não é tão óbvio. No entanto, ainda vemos potencial até nosso cenário otimista (R$48,00) e opções interessantes que podem trazer um impulso adicional às ações, como a venda da divisão de automóveis e P&C para a Allianz e o aumento da distribuição de recursos para impulsionar o ROE. Mantemos nossa classificação de compra e viés positivo.

Petrobras (PETR4): Prazo de entrega de propostas por Liquigás é adiado

  • De acordo com o Valor Econômico as empresas interessadas na aquisição da distribuidora de gás liquefeito (GLP) Liquigás solicitaram à Petrobras o adiamento do prazo final de propostas que teriam que ser entregues no dia 07 de agosto. Acatando a solicitação dos interessados, a estatal adiou a data para 16 de agosto;
  • A Liquigás atua no envasamento, distribuição e comercialização de GLP no Brasil por meio dos segmentos de negócios engarrafados e a granel, totalizando 22% de participação de mercado. Os consórcios que farão as propostas devem ser formados por investidores financeiros e operadores desse mercado. Alguns deles já tinham se aliado na fase não vinculante, mas outros foram chamados pela Petrobras para a segunda fase de negociações;
  • Os investidores se juntam para arcar com o  valor da aquisição, estimado entre R$ 2,3 bilhões e R$ 2,5 bilhões. As exigências do processo são que (i) os operadores do mercado de GLP que já tem 10% do mercado, só podem ter 30% de participação no consórcio e (ii) investidores puramente financeiros precisam ter mais de US$ 1 bilhão (quase R$ 4 bilhões) sob gestão;

Varejo Alimentar: Mais notícias sobre especulações de venda do GPA pelo Casino

  • Segundo notícia no Valor Econômico, o Casino tinha interesse em vender sua participação no Grupo Pão de Açúcar (GPA) e, de acordo com fontes, chegou a contratar assessoria financeira para a transação. Entretanto, agora o foco do grupo francês é concluir a reorganização dos ativos na América Latina e o mandato de venda do GPA fica suspenso por enquanto;
  • Além disso, também em entrevista ao Valor Econômico, o empresário Abilio Diniz (que detém participação no Carrefour) comentou que uma eventual fusão entre o GPA e o Carrefour não está em discussão no momento;
  • Como destacamos anteriormente, recentemente aumentaram as especulações sobre a necessidade do Casino em vender suas operações na América Latina para reduzir seu nível de endividamento, porém ambas as empresas não confirmaram o assunto. Temos recomendação de Compra para o GPA (preço-alvo de R$124/ação) e de Neutro para o Carrefour Brasil (preço-alvo de R$25/ação).

Frigoríficos: Receita das exportações de carne suína tem alta de 24% A/A em julho

  • De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que compila dados da Secex, as exportações brasileiras de carne suína (in natura e processadas) somaram 67,9kt em julho, leve queda de 0,4% A/A, mas acumulam alta de 19,62% no acumulado do ano;
  • Em receita, as vendas em julho chegaram a US$148mi, resultado 24,1% A/A e melhor desempenho dos últimos 23 meses. No acumulado do ano, a alta foi de 23,5%, com US$847,7mi. Segundo Francisco Turra, presidente da ABPA, o preço médio das exportações segue em ascensão. Em janeiro, estava em US$1.886/t e em julho chegou a US$2.179/t, maior patamar registrado nos últimos 12 meses;
  • A China, destino de 35% das exportações de carne suína do Brasil, importou 23,7kt em julho, aumento de 34% A/A.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.