XP Expert

Mercados em alta, à espera de decisão sobre juros nos EUA

Mercados em alta e divulgação do Índice de Preços ao Produtor (PPI) nos EUA são alguns dos temas de maior destaque nesta quarta-feira, 14/06/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Áudio disponível em breve.

https://open.spotify.com/episode/0Fv58d8gUKUJrgEGWdAqVI

IBOVESPA -0,51% | 116.746 Pontos

CÂMBIO -0,10% | 4,86/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaques do dia

Mercados amanhecem em alta, aguardando a decisão de política monetária americana pelo Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), que deve ser anunciada hoje (14). Ainda na agenda internacional, destaque para a divulgação do Índice de Preços ao Produtor (PPI) também nos EUA. No Brasil, as atenções estarão voltadas para a divulgação dos dados de vendas no varejo.

Índice de Preços ao Consumidor nos EUA

O Índice de Preços ao Consumidor (CPI) dos EUA aumentou 0,1% no mês passado, após subir 0,4% em abril. Nos 12 meses até maio, o índice subiu 4,0%. Esse foi o menor aumento ano a ano desde março de 2021. Enquanto isso, o núcleo da inflação – que exclui itens mais voláteis como alimentos e energia – subiu 5,3% ao ano e 0,4% ao mês, em linha com as estimativas. O cenário base do time de economia da XP continua sendo que os dados continuarão a diminuir nos próximos meses, e o Fed não aumentará mais as taxas de juros, o que significa que o próximo passo será cortar as taxas.

Mercados globais

Os mercados globais amanhecem em alta hoje pela manhã, com expectativas de que o Federal Reserve anuncie uma pausa no ciclo de juros americano. Com a desaceleração da inflação ao consumidor dos EUA divulgada ontem, a probabilidade da manutenção da taxa de juros aumentou para acima de 90%, segundo dados do CME Group FedWatch. Agora pela manhã, os futuros do S&P 500 sobem levemente ( 0,1%), depois de mais um dia de ganhos na terça-feira (13), com o principal índice americano se aproximando do nível de 4.400 pontos. As Bolsas europeias também negociam em alta, com o Stoxx 600 subindo 0,5% em meio a expectativas do anúncio do banco central americano. Por fim, na Ásia, os principais índices fecharam o dia mistos, com o índice japonês Nikkei 225 terminando o dia em forte alta de 1,5%, atingindo o maior patamar desde 1990; por outro lado, o China offshore Hang Seng caiu 0,6%, enquanto o onshore CSI 300 fechou praticamente de lado, depois dos ganhos no dia anterior após anúncio de estímulos na economia chinesa.

Mercado no Brasil ontem

O Ibovespa fechou ontem em queda de 0,51% aos 116.73 pontos, interrompendo uma sequência de alta e marcando a primeira baixa do índice em junho. O dólar, por sua vez, fechou o dia de lado, em R$ 4,86.

As taxas futuras de juros fecharam em alta, contrariando o movimento dos últimos pregões. As principais diretrizes foram (i) as declarações de integrantes do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, (ii) o ajuste após a tendência baixista das últimas semanas; e (iii) a expectativa para a decisão de política monetária do Federal Reserve. DI jan/24 foi de 12,985% para 13,075%; DI jan/25 passou de 11,03% para 11,190%; DI jan/26 subiu de 10,43% para 10,650%; e DI jan/27 foi de 10,495% para 10,745%.

Veja todos os detalhes

Agenda de resultados

Economia

Decisão do Fed sobre taxa de juros no centro das atenções

  • O Índice de Preços ao Consumidor (CPI) dos EUA aumentou 0,1% no mês passado, informou o Departamento do Trabalho na terça-feira, após subir 0,4% em abril. Nos 12 meses até abril, o índice subiu 4,0%. Esse foi o menor aumento ano a ano desde março de 2021 e seguiu um aumento de 4,9% em abril. Economistas consultados pela Reuters previam que o IPC subiria 0,2% no mês passado e aumentaria 4,1% na comparação anual. Uma queda nas tarifas aéreas e nos preços da gasolina pressionaram a inflação para baixo, embora essas quedas tenham sido compensadas por um salto nos custos de habitação e carros usados. Enquanto isso, o núcleo da inflação, que exclui itens mais voláteis como alimentos e energia, subiu 5,3% ao ano e 0,4% ao mês, em linha com as estimativas. Os contratos futuros vinculados à taxa de juros do Fed caíram após os dados, com os traders firmando apostas de que o banco central dos EUA decidirá na quarta-feira manter a taxa de referência entre 5,00% e 5,25%. Nosso cenário base continua sendo que os dados continuarão a diminuir nos próximos meses, e o Fed não aumentará mais as taxas de juros, o que significa que o próximo passo será cortar as taxas;
  • A produção industrial da zona do euro se recuperou mais do que o esperado em abril, após uma queda em março. A produção industrial nos 20 países que usam o euro subiu 1,0% em abril em relação ao mês anterior, para um aumento de 0,2% em relação ao ano anterior, informou o escritório de estatísticas da União Europeia, Eurostat. Economistas consultados pela Reuters esperavam alta mensal e anual de 0,8%. A produção de bens de capital também foi o principal fator para o aumento da produção em termos homólogos, compensando as quedas acentuadas de bens intermediários, energia e bens de consumo duráveis;
  • No Reino Unido, o varejo e a indústria cinematográfica ajudaram a economia a crescer em abril, apesar das contrações na manufatura e na construção. A economia da Grã-Bretanha cresceu 0,2% na comparação mensal, igualando o consenso em uma pesquisa da Reuters com economistas. A produção de serviços aumentou 0,3% no mês, com o comércio atacadista e varejista sendo o maior impulsionador do crescimento. Informação e comunicação foi o segundo maior contribuidor, com destaque para a indústria cinematográfica e televisiva. Mas a produção manufatureira caiu 0,3% e o setor de construção contraiu inesperadamente 0,6%, mostraram os números;
  •  O destaque da agenda hoje é a decisão do Fomc sobre a taxa de juros nos Estados Unidos. O consenso do mercado é que o Fed manterá as taxas de juros inalteradas, enquanto adota uma postura agressiva no discurso pós-decisão. Também nos EUA, esperamos a divulgação do Índice de Preços ao Produtor (PPI), mostrando uma nova desaceleração da inflação (índice cheio 1,5% A/A, núcleo 2,9% A/A). Na China, devem ser divulgados os dados da produção industrial e das vendas no varejo de maio. No Brasil, as vendas do varejo em abril (consenso: 0,5% MoM, XP: 0,4%) e do varejo ampliado (consenso: -2,3% MoM, XP: -1,6%) devem mostrar desaceleração após a forte recuperação em março.

Empresas

Mercado de Capitais: Destaques Operacionais da B3 – Maio 2023

  • Em 13 de junho, a B3 (B3SA3) divulgou os números operacionais de maio. A B3 apresentou números, ainda que tímidos, que podem indicar o início de um ciclo de recuperação de volumes;
  • Na comparação anual, o volume de ações (ADTV) caiu 10,7% e fechou o mês em R$ 26,2 bilhões. No lado da Renda Fixa, as novas emissões cresceram 15,4% A/A, impulsionadas pelos Depósitos Interfinanceiros (DI). Como resultado, embora ligeiramente mais lento do que no mês anterior, o estoque manteve seu ritmo forte (+21,6% A/A e +1,1% M/M);
  • No geral, vemos os números de maio como neutros e esperados, dadas as atuais condições econômicas desafiadoras, e mantemos nossa visão conservadora para a ação (recomendação de Neutro e preço-alvo de R$ 13,60/ação);
  • Vale ressaltar que, em nossa visão, a dinâmica de preços recente é mais um reflexo da entrada de dinheiro do que dos dados operacionais. No entanto, se o aparente alívio observado no mês se confirmar nos próximos meses, isso poderá desencadear uma nova valorização das ações (em 2023 B3SA3: +12,3% vs IBOV: +6,39%);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Positivo (POSI3): Positivo anuncia nova divisão de segurança entrando no mercado da Intelbras

  • Maior diversificação e novos desafios pela frente. A companhia anunciou hoje na ExpoSeg 2023 sua entrada no mercado de segurança eletrônica voltado para o canal B2B;
  • Atualmente, esse mercado movimenta cerca de R$ 11bi por ano, com um crescimento anual de 15%, podendo ser uma avenida de crescimento importante para a companhia;
  • O maior desafio da Positivo será em estabelecer novas parcerias com revendedores e integradores, dado a dominância da Intelbras com  50% de market share e uma rede de distribuição diferenciada e bem estabelecida gerando uma barreira relevante a novos entrantes nesse canal;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Data Expert | Unboxing the Week: Tracking Semanal de Madeira, Papel & Celulose da XP

  • Uma semana mista para empresas de papel e celulose, com as ações estáveis na América Latina, enquanto sobem 3% na América do Norte e 2% Europa (em dólares);
  • Segundo a Norexeco, os preços da celulose caíram na China e na Europa, com BHKP em US$ 492/t (+2% M/M) e NBSK em US$ 664/t (-2% M/M) na China, enquanto na Europa, BHKP estava em US$ 990/t (-10% M/M) e NBSK foi de US$ 1,250/t (-3% M/M);
  • Apesar disso, vemos a Suzano e a Klabin negociando a múltiplos atraentes com EV/EBITDA 2023 de 5,3x e 6,6x e múltiplos EV/ton de US$ 1,967/te US$ 1,935/t, respectivamente (~ 15% de desconto vs. média de 5 anos para ambas ações);
  • Clique aqui para o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Bancos esperam efeito limitado de decisão do STF sobre PIS/Cofins (Valor);
    • Volume médio negociado em ações cai 10,9% em maio, diz B3 (Valor);
    • Porto tem R$ 786 mi provisionados para compensar decisão sobre PIS/Cofins (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Positivo Tecnologia entra no mercado de segurança eletrônica (Valor);
    • MDIC faz diagnóstico para desenvolver data centers no Brasil (telesintese);
    • Vero aposta em novo crescimento de dois dígitos no mercado de fibra (TELETIME);
    • Anatel vai liberar faixa de 3,5 GHz em mais 187 cidades na próxima semana (TELETIME);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Americanas admite fraude de R$ 25 bi; outros R$ 20 bi estavam contabilizados ‘errado’ (Brazil Journal);
    • Reforma tributária: Centro-Oeste quer crédito presumido e alíquota maior do Simples (Estadão);
    • Grupo Mateus (GMAT3): Como Bolsa Família pega em cheio empresa? (Money Times);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos e Bebidas
      • China fecha a mão e, mesmo com vendas em alta, receita dos frigoríficos encolhe – AgFeed;
      • Investors may exit consumer goods firms over EU deforestation law – Reuters;
    • Agro
      • Chegada do El Niño põe setor de cana-de-açúcar em alerta – Valor;
      • Ukraine’s farm output could take 20 years to recover – Reuters;
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Presidente da Comissão de Infraestrutura do Senado se nomeia relator dos PDLs do saneamento. (Valor Econômico);
    • PL 414 está maduro para ir à votação, diz Fernando Coelho Filho. (Canal Energia);
    • EDP inaugura duas subestações de energia no ES. (Canal Energia);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • MME busca aumentar influência política no comando da Petrobras. (Valor Econômico);
    • Petrobras avalia cobrir oferta de R$ 10 bilhões para assumir controle da Braskem (Estado de S. Paulo);
    • Ibama vai reavaliar pedido para explorar petróleo em foz (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

Tudo sobre Renda Fixa no mês (e o que esperar)

  • A curva de juros encerrou maio em queda. As principais diretrizes foram o otimismo com o arcabouço fiscal e a desaceleração da inflação. O placar robusto na Câmara e a perspectiva de uma aprovação rápida do texto no Senado deram condições para a queda dos juros, em especial nos vértices mais longos da curva. Enquanto isso, os vértices curtos cederam com os dados da inflação abaixo do consenso de mercado, o que poderia acelerar o início do corte de juros pelo Banco Central.
  • No mercado primário, as emissões totalizaram R$ 15,9 bilhões em maio e R$ 71,8 bilhões nos 5M23. Apesar de valores inferiores no comparativo anual, em maio houve um aumento do volume em todas as categorias frente a abril.
  • Enquanto isso, no mercado secundário, todos os títulos públicos terminaram o mês com valorização em decorrência da queda das taxas no período.
  • Em maio, o número de downgrades (rebaixamentos) superou o de upgrades (elevações) das notas de crédito atribuídas pelas agências de rating. Além disso, as mudanças de perspectivas tiveram tendência neutra, ou seja, número igual de upgrades e downgrades.
  • Acesse aqui o relatório completo e o que esperar para junho.

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Pausa nos juros pelo Fed deve vir com projeções mais altas e comunicação dura, dizem analistas (Infomoney);
  • ​​​​​​​Desaceleração da inflação alivia mais para alta renda, que vê deflação de 0,08%, diz Ipea (Infomoney);
  • Americanas admite fraude e acusa sete ex-diretores em dia de depoimento na CPI​​​​​​ (Valor Econômico);
  • Negociação entre Americanas e bancos está perto do fim​​​​​​ (Valor Econômico);
  • Moody’s Local atribui A-.br à A.Yoshii Engenharia e Construção; perspectiva estável (Moody’s);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Panorama da Industria de Fundos Listados (Expert XP);
    • Com perspectiva de queda da Selic é hora de investir em fiis de recebíveis? (Expert XP);
    • Fundo imobiliário compra quase metade de imóvel na Faria Lima por uma bolada (Money Times);
    • FIIs mais alavancados têm dívidas que chegam a 40% do patrimônio; isso é necessariamente ruim? (InfoMoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Petrobras lidera aplicação de captura, uso e armazenamento de carbono | Café com ESG, 14/06

  • O mercado teve seu pregão de terça-feira em território negativo , com o Ibov e o ISE em quedas de -0,50% e -1,47%, respectivamente;
  • No Brasil, uma das maiores apostas das empresas de petróleo e gás na descarbonização é a aplicação da tecnologia CCUS, sigla em inglês para captura, uso e armazenamento de carbono, que permite separar o CO2 do gás natural e reinjetá-lo no reservatório de onde saiu – atualmente, as 21 plataformas que produzem no pré-sal da Bacia de Santos operadas pela Petrobras incorporam a tecnologia, cujo uso bateu recordes em 2022, atingindo 10,6mt de dióxido de carbono, equivalente a 25% de todo o CO2 injetado pela indústria de petróleo no ano passado, colocando a Petrobras na liderança mundial na utilização da tecnologia;
  • No internacional, (i) a União Europeia propôs ontem novas regulamentações para empresas que vendem classificações ESG, o que pode forçar algumas delas a reestruturar seus negócios – entre as companhias afetadas, destaque para S&P Global, Moody’s, MSCI e a Sustainalytics da Morningstar, que devem interromper a prestação de serviços de consultoria a investidores, a venda de classificações de crédito e o desenvolvimento de benchmarks, passando pelo monitoramento da Autoridade Europeia de Valores Mobiliários e Mercados (ESMA, na sigla em inglês); e (ii) a Toyota enfrenta hoje um desafio em sua reunião anual de acionistas, com alguns fundos de pensão votando contra o presidente Akio Toyoda em questões de governança e independência do conselho, enquanto buscam mais divulgações sobre o lobby climático da montadora japonesa;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.