XP Expert

Mau humor com avanço do Covid na Europa e decisão do COPOM no Brasil

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -1,4% | 99.606 Pontos

CÂMBIO 1,45% | 5,71/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em queda na terça-feira, a terceira consecutiva do índice desde que ele bateu 102 mil pontos na última quinta-feira, puxado pelo mau humor no exterior. Já as taxas futuras de juros fecharam o dia de ontem em alta, seguindo ainda os receios com relação ao risco fiscal no Brasil, na falta de avanços do lado político. DI jan/21 fechou em 1,96%; DI jan/23 encerrou em 4,99%; DI jan/25 foi ara 6,7%; e DI jan/27 fechou em 7,54%.

Mercados globais em forte queda nesta manhã. A contínua elevação do número de casos de COVID-19 na Europa  (-2%) segue preocupando os mercados sobre a recuperação econômica do continente no quarto trimestre, e governos consideram medidas mais restritivas. A expectativa é de alguma reação do BCE no discurso desta quinta-feira por mais estímulos monetários.

Já nos EUA, a aversão ao risco chega também forte (-1,3%), com 6 dias para as eleições e a alguns bilhões de dólares de distância de um novo pacote de estímulos. No cenário eleitoral, os candidatos fazem eventos de campanha nos ‘swing states’ e consolidam suas mensagens. Nessa reta final, as pesquisas mostram acirramento em estados chave, como Pennsylvania e Arizona. No entanto, Biden retém vantagem e continua sendo o favorito. Segundo os principais agregadores, o democrata hoje tem vantagem de 7,1% (RCP) – 9,2% (538) nas pesquisas nacionais. Destacamos ainda que, diante do fato de que o número de pessoas que votaram antecipadamente chega a mais da metade do número total de eleitores de 2016, o turnout promete ser histórico. 

No Brasil, o noticiário volta a destacar a alta na inflação vista recentemente. Matéria do jornal Valor Econômico destaca que a alta não está apenas nos preços de alimentos e já se estende para o início de 2021. Já reportagem no jornal Estado de São Paulo destaca que a composição da cesta mais cara afeta principalmente o poder de compra das famílias mais pobres. E por último, matéria do jornal O Globo expõem os itens de alimentos que tiveram as maiores altas no período.

Na agenda econômica do dia, atenções voltadas para a decisão do COPOM às 18 horas. Expectativa de manutenção da taxa SELIC em 2,00% a.a. e de exposição no comunicado sobre os próximos passos sobre a política monetária.

Enquanto isso, na política, Rodrigo Maia pressiona pela suspensão do recesso parlamentar em janeiro para avançar nas votações da PEC Emergencial e do orçamento de 2021. No entanto, a disputa pela sucessão da Câmara é um obstáculo para esse objetivo. Sobre a reforma Administrativa, Maia diz que vai apensar proposta a outra mais adiantada para agilizar a tramitação e driblar o fato e não ter sido instalada ainda a Comissão de Constituição de Justiça da Câmara, sem a qual a proposta não tem como avançar. No entanto, é consenso que o tema ficará para 2021.

Ainda no cenário político, o relator da PEC Emergencial, senador Márcio Bittar, defendeu a tese de que o Renda Brasil precisa ser resolvido ainda neste ano, depois de reunião com o ministro Paulo Guedes em que foram discutidas novas possibilidades. O programa deve constar em seu relatório, mesmo que seja apenas como um conceito geral. Nenhuma novidade sobre o tema na fala do senador, o que era esperado diante da postura mais cautelosa adotada após polêmicas recentes.

Do lado das empresas, retomamos a cobertura dos shopping centers brasileiros: Iguatemi (IGTA3; Preço-alvo de R$41,0/ação) e Multiplan (MULT3; Preço-alvo de R$25,0/ação) com recomendação de Compra e brMalls (BRML3; Preço-alvo de R$10,7/ação) com recomendação Neutra. Apesar dos resultados amplamente impactados pela covid-19, vemos as ações dos shoppings negociando em patamares atraentes. Temos preferência pelas companhias com portfólio de shoppings sólidos e dominantes, pois acreditamos que elas tendem a se recuperar mais rapidamente do que a média do setor em um cenário pós-pandemia. Para mais detalhes, confira nosso relatório publicado.

Finalmente, ontem houve a divulgação de resultados de Raia Drogasil, vendas de Carrefour, Santander e Cielo referentes ao terceiro trimestre de 2020 (3T20). Os resultados de RD vieram em linha com nossas estimativas e esperamos uma reação positiva do mercado por conta da aceleração do ritmo de vendas tanto nas lojas físicas quanto no canal online. Carrefour também divulgou um sólido desempenho de vendas no trimestre com um crescimento de +29,9% em relação ao mesmo período do ano anterior e 4,2% acima da nossa estimativa, por conta de um crescimento recorde de +26% A/A no conceito mesmas lojas (vs nossa estimativa em 21% A/A). Mantemos nossa recomendação de Neutro para ambos os papeis.

Já o Santander reportou um lucro de R$ 3,9 bilhões e um ROE nível pré-pandemia de 21% no trimestre devido a provisões abaixo do esperado. Embora consideremos as provisões ainda não normalizadas, temos agora mais visibilidade de uma possível redução sequencial dos níveis de provisionamento para os bancos incumbentes, o que deve aumentar o potencial para os bancos brasileiros e possíveis reavaliações de múltiplos. Por fim, Cielo apresentou forte recuperação quando comparada ao prejuízo no segundo trimestre, ajudado pela recuperação econômica e aumento de volumes, mas ainda 55% inferior ao mesmo período do ano anterior. Por fim, mantemos recomendação de Neutro para ambos os papeis.

Tópicos do dia

Agenda de Resultados

Pão de Açúcar (PCAR3): após o fechamento
EdP (ENBR3): após o fechamento
Gerdau (GGBR4): antes da abertura
Metalúrgica Gerdau (GOAU4): antes da abertura
Multiplan (MULT3): após o fechamento
Vale (VALE3): após o fechamento
Banco Bradesco (BBDC4): após o fechamento
CESP (CESP6): após o fechamento
Petrobras (PETR4): após o fechamento
Temporada de resultados do 3º trimestre – o que esperar?
Calendário de resultados do 3T20

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Internacional

  1. Política internacional: Eleições americanas em foco
  2. Petróleo: Preços de petróleo caem com expectativa de aumento da oferta nos EUA
    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Shoppings (IGTA3, MULT3, BRML3): hora de aproveitar as promoções!
  2. Raia Drogasil (RADL3): Resultados do 3T20 em linha; Sintomas do Covid quase eliminados, mas imunidade digital desenvolvida
  3. Carrefour Brasil (CRFB3): Faminto por mais; Vendas mesmas lojas em níveis recorde no 3T20
  4. Santander Brasil (SANB11): Forte lucro, mas quanto é o normalizado? | Revisão 3T20
  5. Cielo (CIEL3): Sem grandes surpresas | Revisão do 3T20
  6. Petrobras (PETR4): Anuncia revisão da Política de Remuneração aos Acionistas
  7. Bebidas (ABEV3): Heineken reporta resultados do terceiro trimestre de 2020; volume de cerveja do Brasil cresceu cerca de 12%


Veja todos os detalhes

Internacional

Política internacional: Eleições americanas em foco

  • A seis dias da eleição americana, os mercados internacionais voltam o foco à disputa pela Casa Branca. Os candidatos fazem eventos de campanha nos ‘swing states’ e consolidam suas mensagens. Do lado republicano, Donald Trump diz haver risco de socialismo nos EUA se Joe Biden for eleito e descreve o adversário como ‘fantoche da esquerda radical’, enquanto o democrata promete unir os americanos e faz críticas à administração da pandemia pelo atual governo;
  • Nessa reta final, as pesquisas mostram acirramento em estados chave, como Pennsylvania e Arizona. No entanto, Biden retém vantagem e continua sendo o favorito.Segundo os principais agregadores, o democrata hoje tem vantagem de 7,1% (RCP) – 9,2% (538) nas pesquisas nacionais. Destacamos ainda que, diante do fato que o número de pessoas que votaram antecipadamente já é mais da metade do número total de eleitores de 2016, o turnout promete ser histórico.  

Petróleo: Preços de petróleo caem com expectativa de aumento da oferta nos EUA

  • Ontem o petróleo tipo Brent subiu +1,83% com o furação Zeta, que forçou produtores do Golfo do México a fecharem 49,5% de sua produção de petróleo. No entanto, as expectativas de um aumento nos estoques de petróleo e gasolina dos EUA compensaram as interrupções no fornecimento do furação Zeta, invertendo o movimento de alta da commodity;
  • O American Petroleum Institute (API), relatou um aumento de 4,577 milhões de barris nos estoques de petróleo dos EUA na semana passada, resultado mais negativo que as expectativas de mercado de um aumento de 1,200 milhões de barris.  O relatório também mostrou que os estoques de gasolina aumentaram em mais de 2 milhões de barris;
  • O relatório oficial de fornecimento da Agência de Informação de Energia dos EUA (EIA) deve ser publicado hoje às 11:30 da manhã (horário de Brasília), com expectativas do mercado de um aumento de +1,230 milhões de barris nos estoques dos EUA; 
  • Nessa manhã de quarta-feira, a commodity opera em território negativo em queda de -3,47% em US$39,72 barril (Brent). 

Empresas

Shoppings (IGTA3, MULT3, BRML3): hora de aproveitar as promoções!

  • Estamos retomando a cobertura dos shoppings brasileiros: Iguatemi (IGTA3; Preço-alvo de R$41,0/ação) e Multiplan (MULT3; Preço-alvo de R$25,0/ação) com recomendação de Compra e brMalls (BRML3; Preço-alvo de R$10,7/ação) com recomendação Neutra;
  • Apesar dos resultados amplamente impactados em razão da covid-19, vemos as ações dos shoppings brasileiros negociando em patamares atraentes com base no método de fluxo de caixa descontado e prêmio sobre o FFO Yield para a NTN-B 2035 (taxa de juros reais de longo prazo). Preferimos companhias com portfólio de shoppings sólidos e dominantes (IGTA3 e MULT3), pois acreditamos que elas tendem a se recuperar mais rapidamente do que a média do setor em um cenário pós-pandemia;
  • ESG: Vemos os pilares Social e de Governança como os fatores mais importantes para os shoppings, enquanto a frente Ambiental também desempenha um papel relevante. Ambiental: vemos um esforço cada vez maior das empresas do setor em serem eficientes em energia, dado que o setor imobiliário responde por ~40% das emissões de carbono relacionadas à energia em todo o mundo¹. Social: os shoppings desempenham um papel importante para a sociedade, dito isso, a maior parte das iniciativas giram em torno do capital humano. Governança: uma questão fundamental para todas as companhias e com uma relevância ainda maior para as empresas brasileiras do setor de shoppings. Ao longo deste relatório, destacamos como a IGTA3, MULT3 e BRML3 se posicionam em cada um dos fatores acima mencionados. Para mais detalhes, confira nosso relatório.

Raia Drogasil (RADL3): Resultados do 3T20 em linha; Sintomas do Covid quase eliminados, mas imunidade digital desenvolvida

  • Os resultados de RD vieram em linha com nossas estimativas. A receita bruta de R$ 5,4 bilhões (+ 12,8% A/A e + 11% de crescimento orgânico), ficou 2,4% abaixo de nossas estimativas, mas 3% acima do consenso de mercado. As vendas no conceito mesmas lojas da empresa aumentaram 6,7% no comparativo anual (+ 1,4% para lojas maduras) contra nossa estimativa em +5,5% (+0,5% lojas madura), enquanto este número seria de + 10,6% (+ 5,63% madura) se excluíssemos as lojas de shoppings, que tem sido mais prejudicadas por medidas de restrição. O EBITDA ajustado e o lucro também vieram em linha com os nossos. O e-commerce continuou sendo um dos principais destaques do trimestre, atingindo 7,1% das vendas (vs. 7,6% no 2T20 e 2,7% no 1T20), reforçando que o consumidor parece realmente ter se tornado omnicanal;
  • Esperamos uma reação positiva do mercado, por conta da aceleração do ritmo de vendas, com vendas no conceito mesmas lojas alcançando patamares positivos, mesmo com uma base de comparação difícil (vendas mesmas lojas maduras em +7.7% no 3T19). Além disso, acreditamos que o mercado receberá bem o desempenho sólido digital, pois não perdeu tanta participação em relação ao segundo trimestre, quando as restrições e a pandemia estavam no auge. Entretanto, mantemos nossa recomendação de Neutro para a ação e preço-alvo de R$22,4/ação para o final de 2020;
  • Clique aqui para conferir o conteúdo completo.

Carrefour Brasil (CRFB3): Faminto por mais; Vendas mesmas lojas em níveis recorde no 3T20

  • O Carrefour Brasil divulgou ontem, 27 de outubro, após o fechamento do mercado, o desempenho de vendas referente ao terceiro trimestre de 2020 (3T20). O faturamento bruto atingiu R$ 18,8 bilhões, com um sólido crescimento de +29,9% em relação ao mesmo período do ano anterior e 4,2% acima da nossa estimativa, por conta de um crescimento recorde de +26% A/A no conceito mesmas lojas (vs nossa estimativa em 21% A/A). O forte resultado pode ser explicado principalmente retomada da demanda de bares e restaurantes decorrente da reabertura gradual durante o período, além de uma manutenção no fluxo de clientes pessoa física e revendedores (pequenas mercearias/supermercados). Dessa forma, a companhia conseguiu apresentar também um crescimento em relação ao trimestre anterior, que já foi bastante robusto por conta do impacto positivo das medidas de quarentena implementadas no 2º trimestre;
  • Na nossa visão, os principais destaques positivos do relatório foram: (i) o Atacadão, com vendas no conceito mesmas lojas crescendo 25,8% A/A e ganho de participação de mercado de 1,3 p.p A/A; (ii) a recuperação do Banco Carrefour, com as vendas de cartão crescendo 16% A/A e ultrapassando o NuBank para se tornar o 5º maior banco do Brasil (em saldo de carteira concedido por meio de cartões de crédito); e (iii) a performance do digital, com venda online (GMV) crescendo 72,5% A/A, puxado principalmente pelo segmento alimentar (+202% A/A), enquanto o não-alimentar também foi sólido em +69% A/A. Além disso, o Atacadão lançou sua plataforma de e-commerce e já está presente em 23 cidades brasileiras;
  • Esperamos uma reação positiva do mercado, mas mantemos a nossa recomendação de Neutro para as ações do Carrefour Brasil (CRFB3) e preço-alvo de R$ 22,00 ao final de 2020. Embora o Atacadão deva continuar a apresentar resultados positivos à medida que a demanda de bares e restaurantes se recupere, acreditamos que o fim do auxílio emergencial pode ser um risco. Além disso, atualmente vemos as ações da companhia negociando a um múltiplo justo de 19x P/L 2021.Clique aqui para conferir o conteúdo completo.

Santander Brasil (SANB11): Forte lucro, mas quanto é o normalizado? | Revisão 3T20

  • O Santander reportou ontem um lucro de R$ 3,9 bilhões (vs. R$ 3,0 bi XPe e R$ 2,9 bi do consenso Bloomberg) e um ROE nível pré-pandemia de 21% no trimestre devido a provisões abaixo do esperado. O resultado operacional, excluindo custo de crédito, foi apenas 7% acima de nossas estimativas. Embora consideremos as provisões ainda não normalizadas, temos agora mais visibilidade de uma possível redução sequencial dos níveis de provisionamento para os bancos incumbentes, o que deve aumentar o potencial para os bancos brasileiros e possíveis reavaliações de múltiplos. Mantemos nossa recomendação neutra e preço-alvo de R$ 32,00;
  • Se os investidores acreditarem que o lucro está normalizado, então o banco está negociando atualmente a um múltiplo atrativo de 8x P/L, embora seu 1,7x P/B pareça caro quando comparado ao 1,3x do Bradesco e 0,8x do Banco do Brasil (+110% de prêmio). Clique aqui para acessar o relatório completo.

Cielo (CIEL3): Sem grandes surpresas | Revisão do 3T20

  • A Cielo apresentou resultados suaves no trimestre, com lucro de R$ 100 milhões (vs. R$ 87 milhões das estimativas do mercado);
  • Uma forte recuperação quando comparada ao prejuízo de R$ 75 milhões no segundo trimestre, ajudado pela recuperação econômica e aumento de volumes, mas ainda 55% inferior ao mesmo período do ano anterior;
  • Como o resultado foi altamente antecipado, não esperamos que as ações da Cielo reajam no pregão de hoje e mantemos nossa recomendação neutra e preço alvo de R$ 5,0 devido tanto ao cenário competitivo quanto à disrupção regulatória. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Petrobras (PETR4): Anuncia revisão da Política de Remuneração aos Acionistas

  • Em fato relevante divulgado na manhã de hoje (28), a Petrobras informou que seu Conselho de Administração, em reunião realizada ontem, aprovou a revisão da Política de Remuneração aos Acionistas, com objetivo de possibilitar que a Administração proponha o pagamento de dividendos compatíveis com a geração de caixa da companhia, mesmo em exercícios em que não for apurado lucro contábil;
  • De acordo com o comunicado, a revisão realizada na política implica que em cenários em que o endividamento bruto da companhia estiver acima de US$ 60 bilhões, poderá ser apresentada a proposta de distribuição de dividendos, sem apuração de lucro contábil, quando se verificar redução de dívida líquida no período de doze meses anteriores, caso a Administração entenda que será preservada a sustentabilidade financeira da companhia. A proposta de distribuição deverá ser limitada à redução de dívida líquida;
  • Ainda segundo o comunicado, a Administração da companhia poderá, ainda, em casos excepcionais, propor o pagamento de dividendos extraordinários, superando o dividendo mínimo legal obrigatório ou o valor anual apurado a partir da fórmula (Distribuição de Proventos = 60% x (Fluxo de caixa operacional – CAPEX), quando seu endividamento bruto estiver inferior a US$ 60 bilhões, mesmo na hipótese de não verificação de lucro contábil;
  • Vemos o anúncio como muito positivo para as ações da Petrobras, pois a companhia poderá distribuir proventos mais elevados a acionistas antes de atingir a marca de endividamento bruto de US$60 bilhões, além dos proventos refletirem melhor a geração de caixa operacional da companhia. Reiteramos nossa recomendação de Compra para Petrobras, com preços-alvo de R$30 e R$29 para PETR4 e PETR3, respectivamente.

Bebidas (ABEV3): Heineken reporta resultados do terceiro trimestre de 2020; volume de cerveja do Brasil cresceu cerca de 12%

  • De acordo com a Reuters, a Heineken teve um desempenho melhor do que o esperado no terceiro trimestre de 2020, com um aumento surpreendente nas vendas de cerveja nas Américas. Por outro lado, a empresa afirmou que os impactos da pandemia ainda eram muito incertos, impedindo a empresa de fornecer uma perspectiva confiável para o final deste ano. Vale lembrar que novas restrições foram impostas por muitos países, incluindo o fechamento de bares e restaurantes. Confira todos os detalhes no Expresso Alimentos & Bebidas desta semana;
  • A Heineken também afirmou que houve queda na rentabilidade em função da mudança das compras de bares para lojas e mercados. Adicionalmente, os custos teriam subido, uma vez que barris são mais baratos para produzir, reutilizar e enviar do que latas e garrafas. Ainda de acordo com a Reuters, a cervejaria iniciará a reestruturação de seus escritórios em 2021 com o objetivo de cortar custos com pessoal em 20%;
  • No Brasil, o volume de cerveja cresceu cerca de 12% (low-teens, na expressão em inglês). Os portfólios premium e mainstream cresceram dois dígitos, com a marca Heineken (verdinha) crescendo significativamente e a Devassa e Amstel continuando a performar bem. Já o portfolio economy cresceu ligeiramente. O volume de produtos não-alcóolicos caiu cerca de 20%. Já a Heineken® 0.0, a cerveja sem álcool da empresa, cresceu dois dígitos com um desempenho particularmente forte no Brasil;
  • Conforme escrevemos no nosso início de cobertura de AmBev, acreditamos que a marca Heineken deve permanecer líder do segmento premium no Brasil no curto prazo, bem como um concorrente significativo no segmento econômico, e os resultados da empresa no 3T20 parecem apontar nessa direção. Nós vemos o acirramento da competição no Brasil como um dos principais riscos da nossa tese de AmBev, mas mantemos nossa recomendação de compra com preço-alvo de R$ 17,15 por ação devido a uma combinação positiva de: melhora de volumes no curto prazo; iniciativas de inovação da AmBev; transição da empresa rumo a um novo modelo de negócios, mais personalizado, tecnológico e focado no consumidor.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.