XP Expert

Início de cobertura de Vivara com Compra e negociações comerciais em destaque

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,27% | 106.269 Pontos

CÂMBIO 0,47% | 4,21/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ontem, após um início positivo, o Ibovespa terminou o dia em queda de 0,3% aos 106.269 pontos, enquanto o dólar fechou acima dos R$ 4,20 pela primeira vez na história, seguindo sinais de maior pessimismo da China sobre um acordo comercial com os Estados Unidos e liquidez mais fraca devido aos feriados.

A CNBC citou, ontem pela manhã, fonte relatando que o governo chinês está pessimista em relação às chances de um acordo com os EUA. Por outro lado, no fim da tarde, o Departamento do Comércio dos EUA decidiu estender por 90 dias uma licença que autoriza empresas americanas a promoverem transações “específicas” e “limitadas” com a gigante tecnológica chinesa Huawei.

Nesta manhã, bolsas europeias e índices futuros nos EUA operam em alta após uma sessão mista na Ásia, enquanto investidores ficam de olho em sinais de progresso nas negociações comerciais.

No Brasil, o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou que, graças a receitas extraordinárias, como a do megaleilão do pré-sal, o governo federal fechará o orçamento de 2019 com um déficit de R$ 80 bilhões, cerca de R$ 60 bilhões a menos do que o previsto. Para o ano que vem, está mantida a estimativa de rombo de R$ 124,1 bilhões.

Do lado das commodities, os preços de celulose de fibra curta na China apagaram o repique da semana passada com queda de US$1,4/t nessa terça-feira, para US$458,2/t. Embora a visibilidade permaneça baixa, os preços parecem estar próximos de um piso e sinais de desestocagem por parte da Suzano são positivos, em nossa visão. Adicionalmente, seguimos com uma visão positiva para a dinâmica de oferta/demanda no médio-longo prazo.

Por fim, iniciamos cobertura das ações da Vivara – VIVA3 – com recomendação de Compra e preço-alvo de R$30/ação para final de 2020, potencial de 25% de alta das ações. Para os próximos anos, seguindo a conclusão da oferta primária de ações (IPO), a Vivara está bem capitalizada e pronta para acelerar seu crescimento através de um ambicioso plano de abertura de lojas.

Tópicos do dia

AO VIVO, a partir das 9h: Acompanhe (link) o evento Perspectivas para a Economia e o Mercado Brasileiros.

Brasil

  1. Política Brasil: Maia diz que estratégia do governo condena reforma tributária “ao fracasso”
  2. Estados discutem em paralelo uma agenda de mudanças no ICMS

Empresas

  1. Vivara (VIVA3): A Joia da Bolsa; Iniciamos com Compra
  2. Jean Jereissati Neto será novo diretor-presidente da Ambev
  3. Saneamento: Votação do Novo Marco Regulatório de saneamento na Câmara ainda enfrenta resistências
  4. Bancos: Punições maiores serão aplicadas para quem não ceder microcrédito

Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Maia diz que estratégia do governo condena reforma tributária “ao fracasso”

  • O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, criticou a intenção do governo de fatiar sua reforma tributária em quatro etapas. Segundo ele, essa estratégia “condena a reforma ao fracasso”. Maia também disse que a proposta do governo, anunciada ontem pelo Estadão, não resolve o ICMS e que uma reforma mais ampla seria capaz de equilibrar eventuais prejuízos ao setor de serviços. Ele falou que o que o governo pretende já foi tentado pelo ex-presidente Michel Temer e não foi adiante;
  • O presidente do STF, Dias Toffoli, revogou a decisão que lhe deu acesso a dados sigilosos de 600 mil pessoas. A decisão estabelecia que os relatórios de inteligência financeira feitos pelo Coaf nos últimos três anos fossem enviados ao presidente da Corte. Na última sexta (15), o procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu que Toffoli revogadas essa decisão;
  • O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou que o rombo no Orçamento deste ano ficará R$ 60 bilhões abaixo do previsto. O déficit neste ano, o sexto seguido, será menor do que R$ 80 bilhões, melhor marca desde 2014, quando foi de cerca de R$ 20 bilhões. Nas contas da equipe econômica, esse número só deve voltar ao azul em 2023. A principal fonte de receita responsável pela diminuição do déficit foi de leilões de petróleo no fim deste ano. Antecipação de dividendos de estatais e melhor arrecadação com imposto de renda também favoreceram.

Estados discutem em paralelo uma agenda de mudanças no ICMS

  • Com a reforma tributária a passos lentos no Congresso, os Estados tocam em paralelo uma agenda de mudanças no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), à espera da proposta do governo;
  • De acordo com o Estadão, as discussões passam pela simplificação da cobrança do tributo e pela redução de entraves na votação de benefícios no âmbito do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz);
  • Pela legislação, ao conceder uma redução de ICMS, o Estado tem de submeter essa decisão ao Confaz. Na prática, porém, os Estados não cumprem essa exigência, praticando o que ficou conhecido como guerra fiscal. Em vez da unanimidade para aprovar uma isenção ou redução de impostos por parte de um Estado, a maioria dos governadores quer que o quórum caia para 4/5. Por outro lado, as demais decisões do Confaz, que hoje são tomadas por maioria simples, também teriam de ter os mesmos 4/5.

Empresas

Vivara (VIVA3): A Joia da Bolsa; Iniciamos com Compra

  • Iniciamos cobertura das ações da Vivara – VIVA3 – com recomendação de Compra e preço-alvo de R$30/ação para final de 2020, potencial de 25% de alta das ações. Para os próximos anos, seguindo a conclusão da oferta primária de ações (IPO), a Vivara está bem capitalizada e pronta para acelerar seu crescimento através de um ambicioso plano de abertura de lojas;
  • Com as ações da Vivara negociando a 22x P/L para 2020, o múltiplo parece alto. Entretanto, vemos o patamar atual das ações como um ponto de entrada atrativo para uma varejista que crescerá acima de outras empresas do setor. Esperamos que o plano de abertura de 514 novas lojas até 2024 sustente um crescimento robusto por mais tempo. Dessa forma, estimamos um crescimento médio anual de +23% nas vendas, +26% de EBITDA e +26% de lucro líquido para os próximos três anos;
  • Além disso, no relatório abordamos duas das principais preocupações dos investidores: (1) risco de execução do plano de abertura de lojas; e (2) cenário para as margens, em função do aumento recente no preço do ouro. Para mais detalhes, acesse o relatório completo aqui.

Jean Jereissati Neto será novo diretor-presidente da Ambev

  • A Ambev anunciou que, a partir de 1º de janeiro, Jean Jereissati Neto será o novo diretor-presidente, acumulando o cargo com o seu atual cargo de diretor de vendas e de marketing, em substituição a Bernardo Pinto Paiva, diretor-presidente desde 2014, que deixa a companhia para seguir projetos pessoais;
  • Jean Jereissati Neto é administrador formado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e ingressou na Ambev em 2000, tendo ocupado diversos cargos, incluindo de diretor geral das operações de América Central e Caribe e de diretor geral das operações da China e diretor-geral da Ásia e Pacífico Norte na Anheuser-Busch InBev.

Saneamento: Votação do Novo Marco Regulatório de saneamento na Câmara ainda enfrenta resistências

  • Segundo a Agência Estado, o projeto de lei que atualiza o Marco Regulatório do setor de saneamento básico (PL 3261/2019) ainda enfrenta resistências na Câmara, o que dificulta o avanço mais rápido da matéria no plenário. Dentre os principais obstáculos, a reportagem cita a insatisfação de deputados da bancada nordestina com o teor do texto aprovado na Comissão Especial em 30 de outubro;
  • Apesar do apoio expresso do Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ao novo marco legal, diversas lideranças da Câmara demonstraram resistência à proposta, como o deputado Arthur Maia (DEM-BA), vice-líder de seu partido (e do mesmo partido do relator da proposta, Geninho Zuliani, do DEM-SP) e o deputado Arthur Lira (PP-AL), líder do PP da Câmara e do mesmo partido do presidente da Comissão Especial, Evair de Melo (PP-ES);
  • Nosso time “XP Monitor Setorial” aponta para dois cenários possíveis: (1) poderá haver uma tentativa de se votar um requerimento de urgência hoje (19) na Câmara para votar o PL 3261/2019, e se houver ampla maioria a favor, ele poderia ser votado em sequência no plenário, o que daria ao Senado três semanas para debater o projeto ou (2) vota-se o requerimento hoje, mas coloca-se o PL 3261/2019 para votação em plenário na Câmara apenas na próxima semana (26-27 de novembro), o que daria ao Senado apenas duas semanas para analisar o PL, prazo que poderia não ser suficiente para apreciar a matéria. Nesse segundo cenário, poderia haver riscos do texto não ir à sanção em 2019;
  • A aprovação do PL 3261/2019 é determinante para as teses de investimento de Sabesp e Copasa, duas empresas cujas ações negociam com base em expectativas de privatização. Mais especificamente, consideramos fundamental a manutenção na versão final do texto do trecho que prevê que a privatização das empresas estatais de saneamento não necessite da anuência dos titulares das concessões se não houver alteração no objeto e na duração dos contratos (Artigo 15, parágrafo 1). Em nossa opinião, esse mecanismo é essencial para garantir que um eventual processo de privatização possa avançar sem riscos de judicialização.

Bancos: Punições maiores serão aplicadas para quem não ceder microcrédito

  • O Microcrédito, que faz parte do crédito direcionado para pessoas físicas, não tem sido concedido pelos bancos. Os bancos estão utilizando a alternativa de deixar o dinheiro parado, sem correção, no Banco Central a ter que conceder o crédito;
  • Reflexo disso pode ser visto nos dados de crédito do Banco Central: o microcrédito, mesmo tendo um saldo pequeno e representando apenas 0,4% do crédito regulado, apenas cresceu 24% anualmente para R$ 6 bilhões;
  • Entre as mudanças, que constam no Capítulo III da Medida Provisória nº 905, pode ser a de aumentar a porcentagem do depósito a vista que deve ser usada para microcrédito de 2% para 3%.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.