XP Expert

Dólar continua atingindo novas máximas históricas

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -1,3% | 107.059 Pontos

CÂMBIO 0,3% | 4,24/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ontem o Ibovespa caiu 1,26% para 107.059 pontos, enquanto o dólar fechou na máxima histórica de R$4,24.

O foco do dia deverá permanecer na disparada do dólar frente ao real e em possíveis novas atuações do Banco Central (BC) para conter a alta do câmbio. A cotação se aproximou de R$4,28 ontem, impulsionada em boa medida pela fala do ministro Paulo Guedes sobre o dólar e o AI-5, levando o BC a realizar dois leilões de dólares.

O presidente do BC, Roberto Campos, avisou que o banco pode voltar a intervir no mercado hoje. No entanto, ressaltou que essas intervenções apenas atenuam o movimento de curto prazo, sugerindo que haverá um limite na atuação e na capacidade dos leilões segurarem a cotação.

No campo político, tanto o presidente do Supremo, Dias Toffoli, quanto o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, criticaram a fala do Ministro da Economia, que foi alvo até de parlamentares alinhados à sua pauta no Congresso.

Além disso, a decisão do TSE sobre a possibilidade de coleta de assinaturas de forma eletrônica para a criação de partidos políticos foi adiada. Com isso, fica mais distante a possibilidade da criação do partido (Aliança) do presidente Jair Bolsonaro no ano que vem.

Está marcado para hoje início do julgamento no TRF-4 de recurso da defesa de Lula, que tenta anular a condenação em primeira instância pelo sítio de Atibaia. Hoje também entra na pauta do plenário da Câmara o requerimento de urgência do novo marco regulatório do saneamento.

Nesta manhã de quarta-feira, as ações na Europa operam em alta junto aos índices futuros nos EUA, enquanto bolsas asiáticas também subiram, exceto na China, onde os dados mostraram economia desacelerando ainda mais.

Os investidores continuam monitorando os desenvolvimentos das negociações comerciais. O Presidente Donald Trump declarou terça-feira que as conversas na primeira fase de um acordo foram quase concluídas após negociadores de ambos os lados terem falado por telefone.

Do lado das empresas, após realizar testes de impairment em Nova Caledônia (Níquel) e nas reservas de carvão, a Vale reconheceu baixa de, aproximadamente, US$3.2 bilhões no 4T19. É importante ressaltar que baixas adicionais podem ocorrer, pois a revisão anual de ativos será concluída em Fev/2020. Temos uma visão neutra com relação a esse noticiário, pois não existe efeito caixa. E, apesar de não ser uma prioridade da companhia no curto prazo, essa baixa de ativos não afeta potenciais dividendos futuros.

Por fim, participamos ontem de reunião para investidores e analistas da IRB, onde a empresa expôs seu histórico de evolução tecnológica, bem como novos projetos relacionados a inovação. Entre os temas tratados, tivemos: blockchain como ferramenta para seguradoras, programa de parceria com universidades para desenvolvimento de tecnologia de seguradoras, desenvolvimento de soluções com startups e big techs, além da análise de dados e transformação digital da companhia. Mantemos recomendação de Compra.

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: A fala de Guedes sobre o dólar e o AI-5 gerou reações ontem ao longo do dia
  2. Governo estuda a possibilidade de tributar dividendos utilizando critérios de renda
  3. Presidente do BC fala em possíveis novas intervenções para conter a alta do câmbio

Empresas

  1. IRB Re (IRBR3): Feedback do IRB Day
  2. Magazine Luiza (MGLU3): Magalu anuncia parceria com a Linx
  3. CCR (CCRO3): ANTT determina redução em 53,94% no pedágio da MSVia
  4. Marfrig (MRFG3): Prepara follow on de R$ 2 bilhões


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: A fala de Guedes sobre o dólar e o AI-5 gerou reações ontem ao longo do dia

  • A fala de Paulo Guedes sobre o dólar e o AI-5 gerou reações ontem ao longo do dia. O presidente do Supremo e Rodrigo Maia criticaram a fala do Ministro da Economia, que foi alvo até de parlamentares alinhados à sua pauta no Congresso;
  • Foi adiada decisão do TSE sobre a possibilidade de coleta de assinaturas de forma eletrônica para a criação de partidos políticos. E está marcado para hoje início do julgamento no TRF-4 de recurso da defesa de Lula, que tenta anular a condenação em primeira instância pelo sítio de Atibaia;
  • O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, estuda devolver a MP da Carteira Verde e Amarelo, que cria o programa de incentivo de contratação de jovens. Além da resistência à forma de financiamento do programa, que prevê a taxação de quem recebe seguro desemprego, há questionamento sobre um ponto que permitiria que o dia de descanso semanal deixe de ser obrigatoriamente o domingo, uma vez que tal alteração na legislação já teria sido rejeitada esse ano na MP da Liberdade Econômica. A decisão é política.

Governo estuda a possibilidade de tributar dividendos utilizando critérios de renda

  • De acordo com o Valor Econômico, o governo estuda a possibilidiade de que a tributação de dividendos também envolva algum critério de renda do acionista. A medida, que ainda está sendo desenhada pelo governo, teria como um de seus principais objetivos reduzir a regressividade do sistema tributário;
  • A medida está associada ao projeto de reformulação do Imposto de Renda. No caso das empresas, a medida poderia ajudar o governo a baixar o IRPJ para uma faixa entre 20% e 25%. No caso das famílias, a medida ajudaria a aumentar o limite de isenção do IR, ainda que para isso outros benefícios tenham que ser reduzidos, como a dedução de gastos com saúde;
  • De acordo com o governo, a taxação de dividendos, acompanhada da reforma do PIS/Cofins, ajudaria a equalizar o sistema tributário. O desenho da medida ainda está sendo elaborado, mas deve ser apresentado nas próximas semanas.

Presidente do BC fala em possíveis novas intervenções para conter a alta do câmbio

  • No Brasil, o foco do dia deverá permanecer na disparada do dólar frente ao real e em possíveis novas atuações do Banco Central (BC) para conter a alta do câmbio;
  • O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou que a autoridade monetária vai intervir no câmbio sempre que for necessário atenuar algum movimento fora do normal, como o desta terça-feira (26/11), quando a moeda norte-americana chegou a bater R$4,28 e fechou o dia com alta de de 0,61%, atingindo a marca de R$4,24;
  • Roberto Campos, entretanto, ressaltou que essas intervenções apenas atenuam o movimento de curto prazo, sugerindo que haverá um limite na atuação e na capacidade dos leilões segurarem a cotação. Olhando para frente, ainda esperamos que a cotação continue flutuando entre 3,90 e 4,20 ao longo de 2019 e de 2020.

Empresas

IRB Re (IRBR3): Feedback do IRB Day

  • Participamos ontem do APIMEC Day de IRB, onde a cia expôs seu histórico de evolução tecnológica, bem como novos projetos relacionados a inovação;
  • Entre os temas tratados, tivemos: blockchain como ferramenta para insurance, programa de parceria com universidades para desenvolvimento de insurtech, desenvolvimento de soluções com startups e fintechs e big techs, além da análise de dados e transformação digital da cia;
  • Vemos como positivo os movimentos da resseguradora em direção a digitalização e em realizar parcerias com fintechs, startups e big techs. Além disso, acreditamos que o segmento de seguros deve se beneficiar do tratamento cada vez mais robusto de dados para manter vantagens comparativas e acreditamos que a resseguradora caminha nesta direção. Para ler o nosso relatório completo, clique aqui.

Magazine Luiza (MGLU3): Magalu anuncia parceria com a Linx

  • O que aconteceu? No dia 26 de Novembro, após o fechamento do mercado, o Magazine Luiza anunciou uma parceria com a Linx. Por meio do acordo, o sistema multi-canal da Linx será integrado ao marketplace do Magalu (incluindo a Netshoes);
  • Com isso, as varejistas que hoje utilizam o sistema “OMNI” de gerenciamento de pedidos (OMS) da Linx poderão dispobilizar o seu catálogo de produtos (on- e offline) no marketplace do Magalu. Além disso, os vendedores que hoje já utilizam a plataforma do Magalu e também o sistema “OMNI” da Linx poderão utilizar os seus próprios pontos físicos como opção de entrega ou retirada de produtos vendidos no Magalu (retira-loja);
  • Nossa Visão: O Magalu continua reforçando a sua estratégia multicanal e disponibilizando ferramentas para que outras varejistas melhorem o nível de serviço. Por meio da parceria, os vendedores poderão digitalizar as suas operações de uma maneira simples e/ou reduzir o prazo e custo de frete para o consumidor final, ao permitir que outras varejistas ofereçam a opção de “retira-loja”.
  • Para mais detalhes, acesse o link com o relatório completo.

CCR (CCRO3): ANTT determina redução em 53,94% no pedágio da MSVia

  • A CCR informou ontem que a ANTT determinou redução de 53,94% na tarifa da MSVia a partir de 30/11, no âmbito de um processo administrativo que iniciou em 2017. A redução reflete a aplicação do “Fator D” na tarifa de pedágio, aplicado conforme a execução (ou não) de obras conforme o cronograma;
  • A rodovia representa ~3% do EBITDA de rodovias, não estando entre os principais ativos da companhia. Apesar da CCR possivelmente entrar com as medidas legais cabíveis para reverter a decisão, a visibilidade sobre o timing do processo ainda é baixa, e portanto esperamos reação negativa das ações.

Marfrig (MRFG3): Prepara follow on de R$ 2 bilhões

  • Segundo Valor Econômico, a Marfrig Global Foods prepara uma oferta subsequente de ações (follow on) de cerca R$ 2 bilhões. A operação pode dar saída parcial ao BNDESPar, que tem 33,7% do capital da empresa;
  • De acordo com uma das fontes, metade da oferta seria primária, injetando recursos no caixa da empresa, e a outra metade secundária, destinada ao BNDES. Com R$ 1 bilhão da oferta primária, a Marfrig teria o caixa reforçado para reduzir as dívidas após o aumento da participação no National Beef, negócio que custou US$ 860 milhões;
  • No curto prazo, a operação pode gerar pressão no papel, dado que o montante de R$2 bilhões representa ~30% do valor de mercado da empresa. Por outro lado, a queda na alavancagem e saída do BNDES são vistos com bons olhos. Vale ressaltar que ainda não há um posicionamento oficial da Marfrig sobre a notícia.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.