Destaque do dia vai para a divulgação de dados econômicos dos EUA, China e Brasil

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA +1,9% | 116.404 Pontos

CÂMBIO -0,6% | 5,22/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em alta de 1,9% nesta segunda-feira (13), aos 116.404 pontos, em função de uma melhora no clima político no Brasil combinada com a queda em casos de Covid nos Estados Unidos, aliviando parte das preocupações com o avanço da variante delta. No campo da Renda Fixa, as taxas futuras de juros fecharam o dia de ontem com alta nos vencimentos mais longos, refletindo em perda de inclinação. O movimento nas taxas longas se deu após certa redução na tensão política nacional, apesar de haver receios em relação à duração desse alívio. Já as taxas curtas chegaram a oscilar com novas revisões de IPCA e Selic no Focus, porém fecharam perto da estabilidade. Assim, o DI jan/22 fechou em 7,285%; DI jan/24 encerrou em 9,815%; DI jan/26 fechou em 10,31%; e DI jan/28 foi para 10,6%.

Ainda do lado de Economia, as atenções devem seguir voltadas para a inflação ao consumidor de agosto nos EUA, um ingrediente-chave para a reunião de política monetária do Fed na próxima semana. Outro destaque são os dados de produção industrial e vendas no varejo na China, que devem ser divulgados esta noite – será importante avaliar se a economia chinesa continua desacelerando gradativamente, uma vez que dados recentes sugerem que a variante delta pode ter atingido a atividade no país de forma mais severa do que o esperado. Por outro lado, no Brasil, dados do setor de serviços de julho devem mostrar que a atividade continua se recuperando com a reabertura da economia.

No campo da Política, a retomada da agenda legislativa no Congresso é o destaque desta terça-feira, sucedendo os sinais de moderação de tom manifestados pelo presidente Jair Bolsonaro pós-Sete de Setembro. Na Câmara, o Palácio do Planalto tem dois desafios principais: (1) mobilizar sua base aliada para blindar o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, do escrutínio ao qual será submetido a partir das 9h no Plenário (após Arthur Lira deferir que o debate parlamentar de temas polêmicos como o preço dos combustíveis ocorra neste palco) e; (2) avançar com as agendas prioritárias, com a votação do mérito da Reforma Administrativa na comissão especial (às 9h) e da admissibilidade da PEC dos Precatórios na CCJ (às 13h).

Já na seara Internacional, parlamentares americanos continuam os trabalhos sobre o Plano das Famílias Americanas. A Comissão de Ways and Means da Câmara divulgou na segunda-feira um novo esboço do projeto, com propostas tributárias mais soft que o projeto original, em aceno a moderados. A nova versão não inclui impostos aos mais ricos e reduz o imposto corporativo de 28% a 26,5%.

Por fim, do lado das Empresas, ontem publicamos um relatório sobre o impacto para as empresas do setor elétrico de um racionamento de energia no próximo trimestre (4T21), assumindo um corte obrigatório de 20% nos contratos das geradoras, tanto no mercado livre quanto no mercado regulado. Como resultado acreditamos que as transmissoras não deveriam ser afetadas, as distribuidoras poderiam ser ligeiramente afetadas e as geradoras poderiam até ser beneficiadas. Por fim, reiteramos Omega Geração e CESP como nossas top picksclique aqui para acessar o relatório completo.

Tópicos do dia

Economia

  1. Atenções voltadas para a inflação ao consumidor de agosto nos EUA, um ingrediente-chave para a reunião do FOMC na próxima semana. No Brasil, dados do setor de serviços de julho devem mostrar que a atividade continua se recuperando com a reabertura da economia

Política

  1. A retomada da agenda legislativa no Congresso
  2. Comissão propõe redução no imposto corporativo de 28% a 26,5% e exclui taxação aos mais ricos do Plano das Famílias Americanas

Empresas

  1. Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia?
  2. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  3. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

Internacional

  1. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Créditos do Facebook

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 14/09

Veja todos os detalhes

Economia

Atenções voltadas para a inflação ao consumidor de agosto nos EUA, um ingrediente-chave para a reunião do FOMC na próxima semana. No Brasil, dados do setor de serviços de julho devem mostrar que a atividade continua se recuperando com a reabertura da economia

  • Atenções do mercado se voltam esta manhã para os números de inflação ao consumidor de agosto nos EUA. Esperamos que a inflação anual atinja 5,25%, recuando ligeiramente de 5,4% em julho. O núcleo da inflação (excluindo alimentos e energia) deve ficar em 4,1% (4,3% em julho). Acreditamos que os dados mostrarão que em agosto houve continuidade da desinflação nos ítens que vêm apresentando taxas anormais de aumento em função da reabertura econômica e dos prolongados choques de oferta relacionados à pandemia;
  • Se a inflação vier em linha com as nossas e com as expectativas do mercado, será uma evidência adicional de que o Fed não deve ter pressa em retirar os estímulos monetários. O comitê de política monetária do Fed (FOMC) se reúne na próxima semana, mas não esperamos nenhuma mensagem relevante vinda da reunião. Esperamos que o FOMC delineie o plano de redução gradual na reunião de novembro e inicie o processo em dezembro.• Os preços das commodities continuam apresentando desempenhos mistos. O petróleo subiu pelo terceiro dia, com um outro furacão ameaçando um importante centro de energia dos EUA. O petróleo bruto está sendo negociado perto de 71 dólares por barril. O minério de ferro, por sua vez, caiu pelo quinto dia para o nível mais baixo deste ano, já que as restrições à produção na China pesam sobre a demanda;
  • A produção industrial e as vendas no varejo da China serão publicadas esta noite. Será importante avaliar se a economia continua desacelerando gradativamente. Dados recentes sugerem que a variante delta pode ter atingido a economia de forma mais severa do que o esperado, especialmente o setor de serviços;
  • No Brasil, o presidente da Câmara, Artur Lira, criticou a Petrobrás por aumentar o preço da gasolina. O presidente da Petrobrás, Silva e Luna, participa hoje de um debate sobre energia na Câmara;
  • O volume do setor de serviços de julho será divulgado hoje. Projetamos crescimento de 17,7% na comparação anual, sugerindo que a atividade continua se recuperando com a gradual normalização da economia.

Política

A retomada da agenda legislativa no Congresso

  • A terça-feira começa tendo como destaque a retomada da agenda legislativa do governo no Congresso Nacional, sucedendo os sinais de moderação de tom manifestados pelo presidente Jair Bolsonaro pós-Sete de Setembro;
  • Na Câmara, o Palácio do Planalto tem dois desafios principais: (1) mobilizar sua base aliada para blindar o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, do escrutínio a que será submetido a partir das 9h no Plenário (após Arthur Lira deferir que o debate parlamentar de temas polêmicos como o preço dos combustíveis ocorra neste palco) e; (2) avançar com as agendas prioritárias, com a votação do mérito da Reforma Administrativa na comissão especial (às 9h) e da admissibilidade da PEC dos Precatórios na CCJ (às 13h).

Comissão propõe redução no imposto corporativo de 28% a 26,5% e exclui taxação aos mais ricos do Plano das Famílias Americanas

  • Na seara internacional, parlamentares americanos continuam os trabalho sobre o Plano das Famílias Americanas. A Comissão de Ways and Means da Câmara divulgou na segunda-feira um novo esboço do projeto, com propostas tributárias mais soft que o projeto original, em aceno a moderados . A nova versão não inclui impostos aos mais ricos e reduz o imposto corporativo de 28% a 26,5%.

Empresas

Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia?

  • Embora ainda acreditemos que um racionamento de energia não seja provável em 2021, o risco de ocorrer está crescendo conforme mencionamos em nossa última edição do Sensor elétrico XP. Com isso, publicamos um relatório analisando qual seria o impacto de um racionamento de energia no próximo trimestre (4T21), assumindo um corte obrigatório de 20% nos contratos das geradoras, tanto no mercado livre quanto no mercado regulado;
  • As empresas de transmissão não teriam impacto: As transmissoras têm contratos de receita fixa, com base na disponibilidade da linha (geralmente maior que 98%), e a receita é corrigida pela inflação. Portanto, não há relação com consumo ou geração de energia. Dito isso, nada muda em caso de racionamento de energia;
  • As empresas de distribuição podem ter um impacto negativo de curto prazo, mas nenhum impacto sobre o valor das empresas. No caso de um corte obrigatório, embora estimemos que as empresas teriam um impacto negativo no resultado de curto prazo em torno de -18%, elas podem solicitar à ANEEL o reequilíbrio econômico-financeiro da concessão. Desta forma, acreditamos que um racionamento de energia desencadearia em um reequilíbrio do contrato de concessão e, como vimos em 2020 com a Conta-Covid, as distribuidoras estariam protegidas;
  • Empresas de geração podem ser beneficiadas dependendo das condições de mercado, mas isso não é trivial. Para as geradoras, um racionamento de energia pode ser benéfico para os resultados dependendo de quatro fatores: (i) nível de risco hidrológico (GSF); (ii) preços de energia de curto-prazo (PLD); (iii) configuração da matriz de geração da companhia; e (iv) nível de contratação do portfolio da companhia. Essas variáveis podem resultar em um impacto positivo ou negativo, conforme ilustramos ao longo do nosso relatório.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Internacional

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Créditos do Facebook

  • O Facebook anunciou seu novo programa, Facebook Invoice Fast Track, que disponibilizará US$ 100 milhões para o apoio de pequenas empresas;
  • A SpaceEx planeja lançar 4 astronautas a uma distância de 360 milhas da Terra;
  • A Oculli, startup de software focada em sensores, recebeu aporte da General Motors;
  • Pesquisa do Deutsche Bank indica que 70% dos profissionais do mercado esperam uma correção de pelo menos 5% até o final do ano.
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 14/09

  • Após fechar a semana passada em queda, o mercado iniciou a semana em território positivo, com o Ibov encerrando o pregão em alta de +1,8% e o ISE de +1,6%;
  • No Brasil, (i) a Rumo anunciou uma emissão externa de dívida atrelada a metas de sustentabilidade (SLB), se comprometendo a reduzir as emissões de carbono de escopo 1 e 2 – que envolvem operações diretas e o uso de energia – em 17,6% até final de 2026 (vs. 2020). Das 5 captações externas de cias brasileiras anunciadas recentemente, 4 delas envolvem SLBs: Movida, Suzano, B3 e agora Rumo (a única que saiu sem critérios atrelados à sustentabilidade foi a do Banco do Brasil); e (ii) o Brasil foi o primeiro país a autorizar o uso do Bovaer, um suplemento nutricional animal que vem sendo desenvolvido há mais de uma década pela holandesa DSM e que promete reduzir em até 90% as emissões de gases de efeito-estufa do gado bovino;
  • No internacional, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) busca um novo plano global para os preços do carbono, com o qual espera evitar a eclosão de guerras comerciais entre países com políticas verdes diferentes. De modo geral, a definição de um preço para o carbono é considerada a melhor maneira de reduzir as emissões de combustíveis fósseis, pois os poluidores podem ser efetivamente tributados pelo carbono que emitem, mas um ponto controverso é determinar qual deve ser esse preço. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.