XP Expert

Decisão de política monetária no Brasil e reabertura da economia nos EUA em foco

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 0,75% | 79.471 Pontos

CÂMBIO -0,62% | 5,58/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em alta de 0,75% ontem, aos 79.470 pontos, chegando a zerar a alta por um breve momento após as bolsas americanas perderem força e a imprensa divulgar o depoimento prestado pelo ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, à Polícia Federal no último sábado.

Nele, Moro reafirma a tentativa de interferência política de Jair Bolsonaro na Polícia Federal e oferece meios para corroborar o que disse na entrevista coletiva da saída do ministério. O presidente reagiu chamando de “mentira deslavada”. No curso das investigações, o ministro Celso de Mello, do Supremo, autorizou a tomada de depoimentos de ministros do governo e o acesso ao áudio da reunião no Planalto mencionada por Moro – e ainda se posicionou contra o sigilo na investigação.

Nesta manhã, futuros do S&P 500 nos EUA sobem quase 1%, refletindo o direcionamento de Trump para reabrir a economia: “Não podemos deixar nosso país fechado”. Bolsas na Europa seguem de lado, China apresentou alta de 0,6% após 5 dias fechada, e Japão continua em feriado.

No Brasil, a perspectiva para a nota de crédito soberano do país foi revisada ontem pela agência de classificação de risco Fitch Ratings de estável para negativa. A revisão foi justificada pela deterioração do cenário econômico e fiscal do país e pela renovação das incertezas políticas.

Além disso, em meio às adversidades da pandemia do novo coronavírus, a produção industrial brasileira apresentou queda de 9,1% entre fevereiro e março desse ano, frustrando bastante tanto a nossa expectativa (-4,3%) quanto a expectativa de mercado (-3,7%).

Na agenda de indicadores e eventos do dia, o destaque será a decisão de política monetária do Banco Central do Brasil. A nossa expectativa é de que a Selic seja reduzida para a sua nova mínima histórica, de 3,25% ao ano.

Na Câmara, deputados aprovaram ontem nova redação para o projeto de auxílio emergencial a estados e municípios, com alterações que exigirão nova votação pelo Senado. Houve mudanças nos cálculos para distribuição dos R$ 60 bilhões em repasses diretos e na relação de categorias de servidores que, como contrapartida ao socorro, ficam impedidas de receber reajuste até o fim de 2021.

Com a inversão da ordem dos trabalhos de ontem, os deputados devem votar hoje o segundo turno da PEC do Orçamento de Guerra e do Banco Central.

Ainda no Legislativo, começa a ganhar momento a discussão sobre a medida provisória do programa de preservação de empregos. Deputados discutem ampliar o valor do benefício pago a quem tiver jornada e salário reduzidos, além de permitir que o governo prorrogue o programa para além de três meses.

Do lado das empresas, publicamos um relatório com os principais destaques da LIVE com a participação do CEO e CFO da Lojas Renner. No geral, o encontro reforçou a nossa visão de que a empresa está bem posicionada não só para atravessar o período mais crítico da pandemia, mas também para acelerar os ganhos de participação de mercado, uma vez retomadas as atividades. Além disso, também incluímos as nossas expectativas para os resultados do 1T20 da companhia. Mantemos a nossa recomendação de Compra para as ações da Lojas Renner e preço-alvo de R$ 50/ação ao final de 2020.

Por fim, a EdP Energias do Brasil divulgou resultados do 1T20, com um EBITDA ajustado em linha com nossas expectativas, mas abaixo do consenso de mercado. A principal surpresa negativa veio no segmento de geração hidrelétrica, reflexo da combinação de maior alocação sazonal de vendas no trimestre e da queda de preços de energia no mercado de curto prazo. Independente da reação das ações no pregão de hoje, continuamos a ter uma visão positiva da EdP dentre as elétricas integradas, e mantemos recomendação de Compra.

Tópicos do dia

Coronavírus

Tempos de guerra – revisando o target da Bolsa
Revisão setorial: Novas estimativas e Preços alvo
Varejo e o COVID-19 – Parte 2: Tendências no Brasil e no Mundo
IPCA de março esboça os primeiros efeitos do coronavírus sobre a economia brasileira
Medidas econômicas para combater o coronavirus no Brasil

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Agenda de resultados

Gerdau (GGBR4): antes da abertura
CSN (CSNA3): após o fechamento
AES Tietê (TIET11): após o fechamento
Temporada de resultados 1° tri 2020: o que esperar?
Clique aqui para acessar nossa visão sobre a temporada de resultados
Clique aqui para acessar o calendário de resultados do 1T20

Brasil

  1. Fitch revisa perspectiva para a nota de crédito do Brasil de estável para negativa
  2. Câmara aprova texto-base que estabelece ajuda financeira a Estados e municípios
  3. Produção industrial brasileira frustra as expectativas em março

Internacional

  1. Política Internacional: Presidente Americano, Donald Trump deve aliviar força-tarefa do coronavírus
  2. Petróleo: Forte recuperação recente devido à flexibilização de quarentenas

    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. EdP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 1T20: EBITDA ajustado em linha com nossa estimativa, mas abaixo do consenso; Mantemos Compra
  2. Lojas Renner (LREN3): Destaques da LIVE com CEO e CFO; Nossa visão sobre o 1T20
  3. E-commerce: Leitura dos resultados do 1T20 do Mercado Livre
  4. Setor Elétrico: Declarações recentes do Ministro Bento Albuquerque
  5. Gol (GOLL4): Dados preliminares de tráfego em abril; Taxa de ocupação em 79,5%

Veja todos os detalhes

Brasil

Fitch revisa perspectiva para a nota de crédito do Brasil de estável para negativa

  • A perspectiva para a nota de crédito soberano do Brasil foi revisada ontem pela agência de classificação de risco Fitch Ratings de estável para negativa. O rating soberano permaneceu em BB-, mas a mudança de perspectiva da agência sinalizou que um possível rebaixamento pode acontecer em breve;
  • A revisão foi justificada pela deterioração do cenário econômico e fiscal do país, pela renovação das tensões políticas e pelas incertezas quanto à duração e intensidade da disseminação do novo coronavírus no Brasil;
  • A Fitch projeta uma contração de 4% do PIB do Brasil em 2020 e expansão de 3% em 2021 e aponta que dois dos principais motivos para a piora da perspectiva para o país são as recentes tensões entre o Executivo e o Congresso e a demissão do ex-ministro Sergio Moro.

Câmara aprova texto-base que estabelece ajuda financeira a Estados e municípios

  • A Câmara aprovou ontem o texto-base do projeto que estabelece ajuda financeira a Estados e municípios. O pacote prevê repasses diretos de R$ 60 bilhões, mas o custo total do programa, que também inclui a suspensão de dívidas dos governos regionais, é estimado em cerca de R$ 120 bilhões para a União;
  • Como contrapartida à liberação de recursos, a proposta proíbe que o salário de servidores públicos seja reajustado até 31 de dezembro de 2021, com exceção dos profissionais das áreas de saúde e de segurança pública. Entretanto, o texto aprovado ontem sugere a inclusão de algumas categorias adicionais que poderiam ter reajustes salariais nesse período, como policiais federais e legislativos, técnicos e peritos criminais, agentes socioeducativos, profissionais de limpeza pública e assistência social;
  • O relator na Câmara, deputado Pedro Paulo, apresentou ainda uma emenda especificando que fica proibido o uso dos recursos da União transferidos a Estados e municípios para conceder reajuste para essas categorias e antecipou, de dezembro de 2021 para dezembro de 2020, o fim do prazo para a suspensão dos refinanciamentos de dívidas dos municípios com a Previdência Social. Para concluir a votação do texto, os deputados ainda precisam analisar as sugestões de emendas para que, só então, o texto retorne ao Senado.

Produção industrial brasileira frustra as expectativas em março

  • A produção industrial brasileira apresentou contração de 3,8% na comparação anual de março (mar20/mar19) e de 9,1% na comparação mensal desse mesmo mês (mar20/fev20), surpreendendo negativamente tanto a nossa expectativa (-0,7% a/a e -4,3% m/m) quanto a expectativa de mercado coletada pela Bloomberg (-1,3% a/a e -3,7% m/m);
  • A queda abrupta da produção industrial em março nos chamou bastante a atenção, pois as medidas de isolamento social começaram apenas na metade do mês;
  • O resultado reforçou a mensagem de que a deterioração da atividade econômica brasileira deve acontecer de forma mais intensa do que o esperado, contribuindo para uma contração ainda maior do PIB nesse ano.

Internacional

Política Internacional: Presidente Americano, Donald Trump deve aliviar força-tarefa do coronavírus

  • A OMS recomendou que países investiguem casos suspeitos de pneumonia no fim de 2019 após França e EUA detectarem casos de coronavírus entre 20 e 30 dias antes do primeiro registro formal da doença em seus respectivos territórios;
  • Presidente Americano, Donald Trump deve aliviar força-tarefa com foco na pandemia até o fim do mês à medida que estados se voltam para segunda fase de reabertura;
  • Ademais, EUA e Reino Unido anunciaram início de negociações formais para acordo de livre-comércio. O representante de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, e a secretária de Comércio Internacional do Reino Unido, Elizabeth Truss, afirmaram que o acordo “contribuiria para a saúde de longo prazo das economias”. Equipes devem se reunir nas próximas duas semanas em sessões virtuais.

Petróleo: Forte recuperação recente devido à flexibilização de quarentenas

  • Continuando o movimento de recuperação dos últimos dias, os preços de petróleo Brent operam em alta e 2,32%, aos US$31,69/barril, enquanto o WTI opera em alta de 3,58%, aos US$25,44/barril;
  • A alta recente de preços está relacionada às tentativas iniciais de diversos países de flexibilizar as quarentenas em curso e promover uma abertura parcial. Destacam-se nesta frente alguns estados americanos, Itália, Espanha, Alemanha e Índia, segundo a Rueters. Tal abertura deve reverter a forte queda na demanda global de petróleo em abril, estimada na ordem de -30%. Nesse sentido, é importante monitorar a evolução de dados de estoque para corroborar tal tendência, e notamos que hoje serão divulgados os dados da Agência de Informação de Energia dos EUA (EIA), às 11:30 da manhã (horário de Brasília). O mercado estima uma alta de 7,7 milhões de barris em estoques, comparados à alta de 8,9 milhões na semana anterior;
  • Além disso, notícias sobre redução de produção de óleo por diversos países e empresas contribui para o otimismo com a commodity. Segundo a Reuters, a produção de petróleo na Rússia nos primeiros cinco dias do mês de maio foi de 8,75 milhões de barris ao dia (mbpd) , próximo ao compromisso firmado no último acordo da OPEP+ de 8,5 mbpd;
  • Acreditamos que a combinação de uma recuperação de demanda de petróleo, somada a notícias de cortes de produção e redução em investimentos por grandes petroleiras deve acarretar em uma recuperação de preços de petróleo, desde que tais movimentos sejam consistentes (por exemplo, sem eventuais restabelecimentos de quarentenas mais restritivas relacionadas à pandemia da COVID-19).

Empresas

EdP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 1T20: EBITDA ajustado em linha com nossa estimativa, mas abaixo do consenso; Mantemos Compra

  • Em 05 de maio, após o fechamento do mercado, a EdP Energias do Brasil reportou um EBITDA Ajustado do 1T20 de R$ 586,4 milhões, praticamente em linha com nossa estimativa de R$ 595,2 milhões (-1,5%), mas abaixo do consenso da Bloomberg de R$ 632 milhões (-7,2%). Apesar dos resultados da EdP terem vindo em linha com nossas estimativas acreditamos que o mercado pode ter uma reação levemente negativa devido ao desapontamento das expectativas do mercado;
  • A maior surpresa negativa, na nossa visão, veio do segmento de geração hidrelétrica. Houve uma queda de -31% em relação ao 1T19 de margem bruta em compra a venda de energia, refletindo a combinação de uma maior alocação sazonal no trimestre e a queda de preços de energia no mercado de curto prazo como fruto da queda de demanda e maior incidência de chuvas no período. Entretanto, notamos que a EdP deverá recuperar parte de seus resultados ao longo do 2T20 por realizar uma alocação menor de volumes de energia no período, o que se traduzirá em maiores margens em vista da queda de custos com compra de energia com os menores preços no mercado de curto prazo de energia (média de R$44/MWh desde o início do trimestre, comparado R$131/MWh no 2T19);
  • Independente da reação de curto prazo aos resultados, continuamos a ter uma visão construtiva nas ações da EdP Energias do Brasil. Mantemos recomendação de Compra na EdP Energias do Brasil, com preço-alvo de R$20/ação. Clique aqui pra acessar o relatório completo.

Lojas Renner (LREN3): Destaques da LIVE com CEO e CFO; Nossa visão sobre o 1T20

  • Na tarde de ontem (05 de maio), realizamos uma LIVE com participação dos CEO (Fabio Faccio) e CFO (Laurence Gomes) da Lojas Renner. Durante a reunião, discutimos principalmente as iniciativas da companhia desde o início do período de quarentena, bem como o desempenho das lojas já reabertas e as expectativas para a expansão da empresa no médio-prazo;
  • No geral, o encontro reforçou a nossa visão de que a empresa está bem posicionada não só para atravessar o período mais crítico da pandemia, mas também para acelerar os ganhos de participação de mercado, uma vez retomadas as atividades do setor. Em particular, destacamos o fortalecimento do relacionamento com os fornecedores e a manutenção da expectativa de expansão da companhia;
  • Os quatro principais destaques da reunião foram: #1. COVID-19: Como está sendo a retomada e quais foram as principais iniciativas; #2. Expansão de Lojas: Mantendo a meta de médio-prazo; #3. Relacionamento com fornecedores: Fortalecendo laços com a cadeia; #4. Operação Financeira (Realize): Antecipando um potencial aumento da inadimplência;
  • Além disso, divulgamos nossa prévia dos resultados referentes ao 1T20 da companhia. Esperamos um trimestre desafiador, com queda de vendas de -9,4% no conceito mesmas lojas na comparação anual, impactadas principalmente pela queda de tráfego a partir do começo de março e fechamento das lojas a partir da terceira semana do mês. Além disso, na operação financeira esperamos que a companhia reforce a sua reserva para potenciais perdas de crédito com R$ 180 milhões em provisões no trimestre (6,3% da carteira vs. 2,7% no 1T19);
  • Mantemos a nossa recomendação de Compra para as ações da Lojas Renner e preço-alvo de R$ 50,00 ao final de 2020. Clique no LINK para conferir o conteúdo completo.

E-commerce: Leitura dos resultados do 1T20 do Mercado Livre

  • O Mercado Livre (MELI; Nasdaq) reportou resultados referentes ao primeiro trimestre de 2020 (1T20) na terça-feira (5 de maio) após o fechamento de mercado. Apesar de não cobrirmos as ações da companhia, o Mercado Livre é atualmente o líder no e-commerce brasileiro (~33% de participação de mercado);
  • No geral, esperamos uma reação Neutra para as ações da B2W (BTOW3), Magazine Luiza (MGLU3) e Via Varejo (VVAR3). Entretanto, observamos um progresso importante da estrutura logística proprietária do Mercado Livre, com o Fulfillment atingindo ~20% dos pedidos realizados pela companhia em abril;
  • Os principais destaques foram:
  1. Desaceleração do crescimento de vendas: Impactos do COVID-19. A companhia reportou desaceleração do crescimento de GMV (valor total de mercadorias vendidas no site) para 15% A/A (vs. 23% no 4T19 e 18% no 1T19), impactado pelos efeitos da crise desencadeada pelo Covid-19.
  2. Acelerando novas categorias: Bens de consumo (CPG). Apesar de ainda pouco representativa (menos de 5% das vendas totais), a categoria de bens de consumo (CPG) é estratégica para a companhia – não só durante a pandemia (venda de álcool-gel e produtos de limpeza), mas também durante a retomada. A empresa busca aumentar o sortimento de produtos, inclusive com venda de estoque próprio, tendo inclusive lançado a interface de varejo alimentar no Brasil neste trimestre.
  3. Logística: Expandindo a rede proprietária. A participação da rede proprietária (cross-docking e fulfillment) como % dos pedidos enviados pelo Mercado Envios atingiu 42%, com o Fulfillment representando 14% no trimestre. O número permaneceu relativamente estável em relação ao último trimestre, em função da maior participação da categoria de bens de consumo no período, que estavam em sua maioria ainda no modelo logístico de drop-shipping (Correios). Entretanto, já vemos uma evolução rápida, especialmente do Fulfillment – com participação de 15,1% no final do trimestre e ~20% em abril.
  • Mantemos nossa recomendação de Compra para Magazine Luiza e Via Varejo e Neutro para as ações de B2W. Para mais detalhes sobre nossa avaliação dos resultados de MELI, clique no (LINK) para acessar o relatório completo.

Setor Elétrico: Declarações recentes do Ministro Bento Albuquerque

  • Segundo o Valor Econômico, em conferência on-line da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), o Ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque forneceu alguns detalhes importantes sobre a atual crise do setor elétrico. Em primeiro lugar, o Ministro afirmou que a sobrecontratação de distribuidoras de energia pode alcançar 20% em 2020, e até 40% no caso de algumas distribuidoras localizadas no Norte e Nordeste;
  • O Ministro Bento também afirmou que a demanda de energia elétrica desde o início da pandemia do coronavírus é de cerca de -20%, ao passo que a inadimplência chegou a 12%. Por outro lado, o Ministro também notou que houve alguma recuperação de demanda nos últimos dias por volta de 2%, o que poderia sinalizar uma boa notícia se corresponder a uma retomada de fato. O Ministro também notou que a descontratação no mercado regulado (ou seja, redução de contratos de energia das distribuidoras) é uma medida possível, mas vai ser feita com a participação de todos;
  • Finalmente, o Ministro Bento também afirmou que o pacote de resgate ao setor elétrico, normalmente denominado “Conta-COVID” ainda está sendo negociada, mas deve estar consolidada “até o final de maio”. Acreditamos que tal prazo é muito longo e pode pressionar o setor elétrico como um todo se não puder ser antecipado;
  • Para maiores detalhes sobre a crise do setor elétrico, consulte nosso relatório completo no link.

Gol (GOLL4): Dados preliminares de tráfego em abril; Taxa de ocupação em 79,5%

  • A Gol reportou hoje cedo seus dados preliminares de tráfego relativos ao mês de abril, com uma queda de 93,5% a/a na oferta consolidada (ASK) e queda de 93,6% a/a na demanda (RPK), o que resultou em uma taxa de ocupação de 79,5% (-1,3 p.p. vs. abril de 2019). Enquanto uma queda forte na oferta já era esperada, tendo em vista as respostas da companhia à disseminação do vírus e as consequentes políticas de distanciamento social, vemos como positivo o fato de a Gol ter mantido taxas elevadas de ocupação em seus voos mesmo em um cenário desafiador. Projetamos uma queda de ~70% a/a na demanda consolidada ao longo do 2T20;
  • No mercado doméstico, a queda na oferta foi de 92,6% a/a em abril, enquanto a demanda apresentou queda de 92,7%, resultando em uma taxa de ocupação no mês de 79,8% (-1,3 p.p. a/a). Já nos mercados internacionais, a queda na oferta foi de 99,2% a/a, enquanto a demanda apresentou retração de 99,5% a/a, resultando em uma taxa de ocupação de 56,3% (-22,4 p.p. a/a). Os mercados internacionais representaram apenas 1,7% da oferta total no mês.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.