XP Expert

XP Morning Call 15/05/2019: Dados de atividade mais fracos que o esperado na China

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Governo sofre revés em convocação de Ministro da Educação
  2. IBC-Br totaliza queda de 0,68% no primeiro trimestre de 2019
  3. Setor de serviços recua 0,7% em março

Internacional

  1. Vendas do varejo na China desaceleram para menor nível em 16 anos
  2. Itália: Temores sobre limite de déficit agitam os mercados italianos

Empresas

  1. Vale (VALE3): Potencial aumento de 60mt/ano em Carajás Serra Sul
  2. Equatorial (EQTL3): Destaques dos Resultados do 1T19
  3. TAESA (TAEE11): Destaques dos resultados do 1T19

COE News

  1. Disney assumirá o controle da Hulu

Resumo

Dados de atividade mais fracos que o esperado na China

A melhora dos mercados vista ontem com retórica mais branda de Trump sobre a disputa comercial com a China deteriorou novamente nesta quarta-feira, seguindo dados de atividade chineses fracos.

O temor de que as duas principais economias do mundo passem por uma guerra comercial mais acirrada e prolongada manteve os mercados pressionados nos últimos dias. Porém, comentário de Trump ontem dizendo que a disputa comercial é “pequena” e que as negociações não entraram em colapso reconfortou os investidores.

Além disso, o presidente dos Estados Unidos disse que espera um encontro produtivo com o presidente da China, Xi Jinping, no G20 no próximo mês e que nenhuma decisão sobre as tarifas de 25% sobre a parcela final de US$ 325 bilhões de importações chinesas foi tomada.

Do lado negativo, dados de atividade mais fracos que o esperado na China aumentaram a preocupação com crescimento econômico do país e pesam hoje sobre os mercados. As vendas no varejo desaceleraram para 7,2% A/A em abril (de 8,7% em março), menor nível desde 2003, enquanto a produção industrial também desacelerou, com impacto negativo dos setores de exportação e sequencialmente, o investimento cresceu menos mostrando sentimento ainda deprimido do setor privado.

Por outro lado, após fraqueza dos dados, a expectativa por novos estímulos na China ganha força, o que, se confirmado, ajudaria na melhora do sentimento.

No Brasil, o governo federal sofreu uma derrota na Câmara ontem, após a convocação por 307 votos a 82 do Ministro da Educação Abraham Weintraub para o plenário da Câmara dos Deputados, após pedido de autoria do deputado Orlando Silva, do PCdoB-SP. A base do governo não conseguiu impedir a convocação, e apenas PSL e Novo se opuseram.

Do lado das empresas, o presidente da Vale disse estar considerando aumentar em 60mt/ano a produção de minério na Serra Sul de Carajás, sem um prazo ainda definido, mas a ser materializado após 2020.

Embora os estudos ainda sejam preliminares, ele demonstra o potencial de produção que ainda existe no sistema Norte. Vemos o anúncio como positivo, à medida que mostra um posicionamento importante por parte da Vale no balanço da oferta futura de minério e sinaliza também que a empresa está começando a virar a página em relação à tragédia de Brumadinho. 


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Governo sofre revés em convocação de Ministro da Educação

  • O governo federal sofreu uma derrota na Câmara ontem, após a convocação por 307 votos a 82 do Ministro da Educação Abraham Weintraub para o plenário da Câmara dos Deputados, após pedido de autoria do deputado Orlando Silva, do PCdoB-SP. A base do governo não conseguiu impedir a convocação, e apenas PSL e Novo se opuseram;
  • Os parlamentares cobram explicações sobre o contingenciamento orçamentário em universidades e institutos federais de educação. O ministro é obrigado a comparecer sob pena de incorrer em crime de responsabilidade em caso de ausência;
  • Hoje deverá ocorrer greve nacional da educação como resultado dos cortes, com atos planejados em 67 cidades, o que é motivo de preocupação para o governo;
  • ​Na Comissão Especial da reforma da Previdência, o presidente Marcelo Ramos defende a tese de dar prazo para as assembleias locais validarem nos estados as regras da reforma, sob pena não receberem verbas federais.

IBC-Br totaliza queda de 0,68% no primeiro trimestre de 2019

  • Com os principais setores da economia em ritmo fraco, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma prévia do PIB, fechou o mês de março com queda de 0,28% em relação a fevereiro e assim registrou a terceira retração mensal consecutiva;
  • Refletindo um primeiro trimestre abaixo das expectativas e um cenário de muitas incertezas, o indicador totalizou uma desaceleração de -0,68% entre o quarto trimestre de 2018 e o primeiro de 2019;
  • Dessa forma, a perda de tração da atividade econômica observada no final de 2018 persiste no início de 2019, reforçando a possibilidade tanto de continuidade da redução das projeções para o PIB de 2019 quanto da obtenção de um resultado negativo no primeiro trimestre do ano.

Setor de serviços recua 0,7% em março​

  • Corroborando a mensagem de perda de tração da economia brasileira no início de 2019, o volume do setor de serviços caiu 0,7% em março ante fevereiro, configurando a terceira queda mensal consecutiva do indicador;
  • Na comparação anual, o volume de serviços recuou 2,3%, interrompendo uma sequência de sete taxas positivas nessa base de comparação e ficando abaixo das expectativas de mercado (-1,0% a/a);
  • Assim como enfatizou o Comitê de Política Monetária em sua última ata divulgada, os indicadores continuaram apontando para um desempenho da economia brasileira “aquém do esperado” no primeiro trimestre de 2019, corroborando a expectativa de recuo do PIB nos três primeiros meses do ano.

Internacional

Vendas do varejo na China desaceleram para menor nível em 16 anos

  • De acordo com a Reuters, a China relatou um crescimento mais fraco nas vendas de varejo e na produção industrial para abril na quarta-feira, adicionando pressão sobre Pequim para mais estímulos à economia na medida que a guerra comercial com os Estados Unidos aumenta;
  • Dados do National Bureau of Statistics (NBS) mostraram que as vendas totais do varejo em abril subiram 7,2% A/A, o menor ritmo desde maio de 2003, uma queda ante o dado de 8,7% em março e abaixo da previsão de 8,6% compilada pela Reuters. De acordo com a notícia, os dados sugerem que os consumidores estão começando a reduzir os gastos com produtos de uso diário, como cuidados pessoais e cosméticos, enquanto continuam evitando itens mais caros, como carros;
  • Na produção industrial, o crescimento desacelerou para 5,4% em abril, abaixo dos níveis de 8,5% em março, o que gerou suspeitas de que os dados foram impulsionados por fatores sazonais e temporários. Os dados chineses de abril apontaram em grande parte para uma acomodação da atividade econômica, um contraste em relação a leituras otimistas de março que aumentaram as esperanças de que a economia exigiria menos estímulos.

Itália: Temores sobre limite de déficit agitam os mercados italianos

  • Os títulos e mercado acionário na Itália tiveram forte queda, após o vice-primeiro ministro Matteo Salvini escalar as tensões dizendo que estaria preparado para aumentar o déficit do país acima dos limites permitidos pela União Europeia para aumentar o emprego;
  • Salvini é líder da Liga, partido de direita que forma a coalizão de governo junto com o Movimento 5 Estrelas (M5S), e fez as declarações durante um comício de campanha para as eleições para o Parlamento Europeu em Verona. Até o desemprego cair pela metade na Itália (até chegar a 5%), afirmou que a Itália gastará “tudo o que tiver”, de acordo com o Valor Econômico. Se precisar quebrar limites, como os 3% do déficit orçamentário em relação ao PIB, eles o farão;
  • Temores sobre o déficit da Itália ressurgiram na semana passada após uma projeção da Comissão Européia de que o déficit excederá o limite de 3% do bloco em 2020. Uma batalha entre os líderes do país e Bruxelas agitou os mercados em 2018, antes de um acordo ser alcançado. Um forte desempenho dos populistas da Europa nas eleições para o Parlamento Europeu na próxima semana poderia encorajar Salvini ainda mais de acordo com a Bloomberg.

Empresas

Vale (VALE3): Potencial aumento de 60mt/ano em Carajás Serra Sul 

  • Eduardo Bartolomeo, presidente da Vale, anunciou ontem em encontro com investidores em Barcelona que a Vale está considerando aumentar a produção na Serra Sul de Carajás, no sudeste do Pará, para 150mt de minério de ferro por ano (60mt adicionais), sem um prazo ainda definido, mas a ser materializado após 2020;
  • Das 150mt, 100mt serão asseguradas pelo S11D, que vai passar por uma expansão de 10mt em sua capacidade. O projeto, originalmente, foi desenhado para produzir 75mt/ano em 2019 e 90mt/ano em 2020. As outras 50mt serão desenvolvidas em outras áreas da Serra Sul de Carajás e vão servir para repor capacidade de produção que a Vale perdeu em Minas Gerais depois de Brumadinho;
  • Dentre os ganhos com esse aumento, destacam-se: (1) aumentar a presença da Vale na produção a seco, passo importante para reduzir o uso de barragens de rejeitos, (2) permitir o aumento da flexibilidade operacional e logística nos produtos premium e, por fim, (3) maior produção de pellet feed no Brasil para suprir pelotas para a indústria siderúrgica doméstica. Vale ressaltar que apesar da perspectiva de aumento de volumes em Carajás, a produção anualizada da Vale deve permanecer na casa dos 400mt/ano de minério de ferro;
  • Embora os estudos para ampliação da capacidade ainda sejam preliminares, ele demonstra o potencial que ainda existe na produção de minério de ferro na Serra Sul de Carajás. Vemos o anúncio como positivo, à medida que mostra um posicionamento estratégico por parte da Vale no balanço da oferta futura de minério, e sinaliza também que a empresa esta começando a virar a página em relação à tragédia de Brumadinho. Reiteramos nossa recomendação da Compra, preço-alvo de R$68/ação.

Equatorial (EQTL3): Destaques dos Resultados do 1T19

  • A Equatorial Energia reportou EBITDA do 1T19 de R $ 604 milhões. Excluindo os efeitos não caixa do IFRS sobre novos ativos de transmissão, o EBITDA Ajustado foi de R $ 403 milhões, significativamente acima dos nossos R $ 337 milhões, refletindo principalmente resultados melhores do que o esperado na nova subsidiária Cepisa, devido a menores custos gerenciáveis e menor despesas de provisão;
  • Na frente operacional, os seguintes destaques foram (1) para Cemar, perdas não técnicas de 8,1% vs. níveis regulatórios de 9,8%, (2) para a Celpa, perdas não-técnicas de 40,9% vs. níveis regulatórios de 34,0% e (3) para a Cepisa, perdas não técnicas de 30,9% vs. níveis regulatórios de 13,9%. Todas as empresas apresentaram um aumento nas perdas não técnicas devido a uma estratégia de cobrança mais conservadora;
  • Focando nas novas distribuidoras Cepisa e Ceal, destacamos também os resultados dos Programas de Demissão Voluntária, com adesão de 30% e 32% do dos funcionários em cada empresa, respectivamente;
  • Mantemos nossa recomendação de compra na Equatorial, com preço-alvo de R$90.

TAESA (TAEE11): Destaques dos resultados do 1T19

  • A TAESA reportou Lucro Líquido de R$159,6 milhões, abaixo da nossa estimativa de R$ 225,1 milhões, com a piora nos resultados refletindo o impacto de menores dados de inflação média pelo IGP-M de -0,20% no 1T19 ante os +1,72% no 1T18;
  •  A TAESA anunciou dividendos totais de R$ 96,7 milhões (R $ 0,28/unit ou 1,1% de yield). As ações serão negociadas ex-dividendos em 17 de maio de 2019, e o pagamento será efetuado em 28 de maio de 2019;
  • Mantemos nossa recomendação neutra nas ações da TAESA por acreditar que negociam no seu preço justo, com projeção de 8,3% de dividendos nos próximos 2 anos.

Cemig (CMIG4): SPIC reduz valor proposto por participação na Usina de Santo Antônio

  • Segundo a Reuters, a elétrica Chinesa SPIC fez uma oferta vinculante pela fatia de 15% da Cemig na Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, mas fontes apontam que o valor foi inferior a uma proposta indicativa anteriormente apresentada;
  • As negociações entre as empresas se iniciaram em 2017, e fontes apontam que o novo valor proposto pela SPIC torna pouco provável a conclusão de uma venda, embora negociações possam continuar. O empreendimento também tem como sócios Odebrecht (que já afirmou que pretende vender sua participação), Eletrobras, Caixa FIP Amazônia Energia e Andrade Gutierrez;
  • O empreendimento está operacional desde 2017, mas sofreu impactos negativos de maiores custos de energia com a menor incidência de chuvas (o chamado risco hidrológico). Em publicações prévias, estimamos valores entre R$693,2 e R$955,9 milhões para a participação da Cemig na Usina.

COE News

Disney assumirá o controle da Hulu

  • O grupo Walt Disney, que já detém 70%, assumirá o controle da plataforma de streaming Hulu, após oferta enviada para a Comcast  que detém os 33% de participação remanescentes na empresa. A plataforma é considerada pioneira no seguimento, lançada em 2008, e consolidada no atual cenário ao deter os direitos de nomes como “The Handmaid’s Tale”;
  • O grupo pretende concentrar a maior parte da transmissão de conteúdo próprio na plataforma Disney+, que será lançada em novembro deste ano, enquanto direcionará conteúdo adulto para a Hulu. Além disso, a recente finalização do processo de aquisição dos canais 21st Century Fox, ajuda a turbinar o portfólio de conteúdo a ser distribuído;
  • Segundo o atual presidente, Robert Iger, a meta é atingir algo entre 60 e 90 milhões de assinantes até o final de 2024, ano em que a operação poderá tornar-se lucrativa. Considerando que este não é o primeiro passo da empresa na distribuição de conteúdo online, a Disney administrará separadamente três serviços de streaming, incluindo ESPN+ e a plataforma Hulu que já possui 25mi de assinantes.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.