XP Expert

Bolsas em alta hoje; no Brasil, destaque para a divulgação de dados de inflação

Planos do Fed, guerra na Ucrânia e IPCA de março no Brasil são alguns dos temas de maior destaque nesta sexta-feira, 08/04/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,5% | 118.862 Pontos

CÂMBIO +0,7% | 4,75/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Os mercados amanhecem em leve alta, avaliando planos do Federal Reserve (Fed) e notícias sobre a guerra na Ucrânia. No Brasil, atenções voltadas hoje para o IPCA de março, que continua sob presão devido ao forte aumento dos preços de commodities.

Brasil

O Ibovespa encerrou a sessão de quinta-feira (8) em alta de +0,5% aos 118.862 pontos. A subida acompanhou os mercados globais reagindo a política monetária do Federal Reserve, além de ter sido puxado por ações da Petrobras que subiram após as indicações para novo Diretor Presidente e Presidente do Conselho da companhia. Enquanto isso, dólar também subiu +0,7% e fechou cotado em R$ 4,75.

No mercado de juros, as taxas fecharam o dia em alta, com mais volatilidade nos títulos de vencimentos longos. As taxas locais acompanharam a nova escalada dos retornos dos treasuries (títulos de dívida norte-americanos) e o avanço do dólar, com o Fed emitindo mais sinais de política agressiva no combate à inflação. No Brasil, a informação de bandeira tarifária verde, ou seja, redução no custo de energia, aliviou a pressão na curva de juros no começo do dia, mas não foi o suficiente para evitar a alta nas taxas. DI jan/23 fechou em 12,735%; DI jan/24 em 12,125%; DI jan/25 em 11,485%; DI jan/27 encerrou em 11,245%; e DI jan/29 em 11,33%.

Mundo

Os mercados globais amanhecem positivos (EUA +0,2% e Europa +1,1%), mas ações internacionais encaminham-se para semana de perdas à medida que preocupações com a postura mais contracionista do Federal Reserve e os riscos geopolíticos seguem no radar. Nos EUA, James Bullard, presidente do Fed de St. Louis, afirmou nesta quinta-feira que o banco central americano pode estar “atrás da curva” e gostaria de ver a taxa de juros atingir o patamar de 3% a 3,25% já no segundo semestre deste ano. Na Europa, membros da União Europeia concordaram em aplicar um embargo sobre o carvão russo, como parte da quinta rodada de negociações contra o país. Além disso, a Assembleia Geral da ONU suspendeu a Rússia do conselho de direitos humanos, em consequência dos potenciais crimes de guerra cometidos no conflito. Na China, o índice de Hang Seng (+0,3%) encerrou em leve alta, mas o país segue com dificuldades para controlar o volume de casos da Covid-19. Mesmo em lockdown, Xangai registrou um novo recorde de 21 mil novos casos nesta sexta-feira.

Guerra na Ucrânia

Apesar das discussões sobre um possível cessar-fogo em algum momento à frente, a Rússia continua bombardeando o sul da Ucrânia. De acordo com as notícias da Bloomberg, dezenas foram mortos esta manhã em uma estação de trem na região de Donetsk. Autoridades dos EUA alertaram que a guerra pode durar meses ou até anos. E o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia pediu ajuda militar urgente. Como reação, os preços das commodities de energia estão subindo levemente esta manhã, com o petróleo em torno de 100 dólares por barril.

Covid-19 na China

Os mercados também estão monitorando de perto a dinâmica da covid na China. As autoridades intensificaram sua “política de Covid Zero”, com testes em massa e lockdowns mas, até agora, a política não conseguiu conter a propagação do vírus. A política Covid Zero tende a prejudicar a economia da China e aprofundar as interrupções das cadeias produtivas globais.

Veja todos os detalhes

Economia

O foco permanece no bombardeio da Rússia e na nova onda de covid da China. No Brasil, atenções voltadas hoje para o IPCA de março

  • Apesar das discussões sobre um possível cessar-fogo em algum momento à frente, a Rússia continua bombardeando o sul da Ucrânia. De acordo com as notícias da Bloomberg, dezenas foram mortos esta manhã em uma estação de trem na região de Donetsk. Autoridades dos EUA alertaram que a guerra pode durar meses ou até anos. O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia pediu ajuda militar urgente. Os preços das commodities de energia estão subindo levemente esta manhã, com o petróleo em torno de 100 dólares por barril;
  • Os mercados também estão monitorando de perto a dinâmica da covid em Xangai, uma das cidades mais importantes da China. As autoridades intensificaram sua Covid Zero, com testes em massa e lockdowns. Mas, até agora, a política não conseguiu conter a propagação do vírus. A política Covid Zero tende a prejudicar a economia da China e aprofundar as interrupções das cadeias produtivas globais;
  • No Brasil, atenções voltadas hoje para o IPCA de março. Esperamos inflação de 1,33% na comparação mensal. A inflação corrente continua sob pressão devido ao forte aumento dos preços das commodities como consequência da guerra na Ucrânia;
  • O ministro Paulo Guedes reforçou ontem a vontade de reduzir ainda mais o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). No mês passado, o governo cortou 25% da alíquota do IPI.

Empresas

Multilaser (MLAS3): Anúncio Programa de Recompra de Ações e Parceria Estratégica com Hikvision

  • Multilaser anunciou um programa de recompra de ações, com duração de até 18 meses, de até 17,2 milhões de ações (10% do total de ações atualmente em circulação);
  • Além disso, a companhia anunciou uma parceria estratégica com Hikvision, líder mundial na oferta de produtos e soluções de segurança eletrônica, que deve estar ativa a partir do 3T22;
  • Vemos ambos os anúncios como positivos e, portanto, mantemos nossa recomendação de Compra e preço-alvo de R$11,0/ação para o final de 2022.

Fras-le (FRAS3): Empresa Conclui Follow-on de ~$629 milhões

  • A Fras-le anunciou por meio de fato relevante que concluiu seu follow-on anunciado anteriormente, captando ~R$629 milhões em uma oferta primária;
    • Pelo lado positivo, destacamos que o aumento de capital deve posicionar melhor a empresa para outra trajetória de crescimento, principalmente considerando as perspectivas inorgânicas, impulsionadas por um balanço mais forte (níveis de alavancagem de 1,9x dívida líquida/EBITDA no 4T21 para 0,3x imediatamente após o aumento de capital);
    • Do lado negativo, não vimos tranches secundárias na oferta (Petros e Gávea mantendo suas respectivas participações), com Randon e Dramd (veículo de investimento da Randon) emitindo ~39 mi do total de ~52mi de emissão de ações, o que limita o potencial de melhoria da liquidez das ações (free-float aumentando de ~16% para ~22%, vs. um potencial anterior de ~28-31% se as tranches secundárias fossem emitidas, assumindo uma participação mínima da Randon em 50,01%). Além disso, observamos que o preço da ação fixado na oferta de R$ 12,00/ação ficou ~6% abaixo dos últimos preços de fechamento.
  • Reiteramos nossa recomendação Neutra na Fras-le, respaldada por um valuation justo (6,6x vs. média histórica de 5,7x) e baixa liquidez das ações (ADTV atual de apenas R$ 4,9mi).

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • BB lança linhas de crédito de antecipação de fretes para caminhoneiros autônomos e produtores rurais (Estadão);
    • Alex Szapiro: “Podemos ver liquidez menor este ano, mas é tudo cíclico” (Pipeline Valor);
    • Projeções para o crédito sobem apesar de contexto desafiador (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Conta de luz para a população cairá 18% sem canetada, diz Guedes (Exame);
    • O dilema do Mateus: companhia acelera, mas retornos sofrem (Brazil Journal);
    • A Macy’s alerta que os consumidores pressionados pela inflação podem optar por gastar em viagens em vez de compras (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • China embarga carne de três frigoríficos do Brasil (Valor);
    • Conab eleva estimativas de safra, exportação e consumo de milho do Brasil (Infomoney);
    • Contêineres empilhados nos portos da China devido a caminhões bloqueados pelo Lockdown (Bloomberg);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Não privatizar Eletrobras põe em risco segurança energética, afirma Guedes. (Canal Energia);
    • Petróleo fecha em queda, mas modera perdas no fim da sessão. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Tudo sobre Renda Fixa no mês (e o que esperar)

  • No mês de março, a curva de juros futuros apresentou elevação nos prazos curtos e queda na parte de vencimentos médios e longos. As taxas de curto prazo acompanharam as sinalizações de política monetária pelo Banco Central de fim do ciclo de alta da Selic em 12,75% no mês que vem;
  • As taxas para prazos mais longos reverteram a tendência de alta dos últimos meses com ajuda da apreciação do câmbio e alívio no preço de commodities. Essa dinâmica de juros impactou positivamente o preço dos títulos prefixados e indexados à inflação (IPCA+);
  • Mais uma vez, os resgates na caderneta de poupança sinalizaram um aperto na renda dos brasileiros. Mesmo com os dados de desemprego caindo, o rendimento real médio apresentou queda, prejudicado ainda pela inflação elevada;
  • O volume de emissões de debêntures incentivadas e comuns acelerou em março, e os volumes de negociações de debêntures, CRIs e CRAs também ganharam tração em comparação com os dois primeiros meses do ano;
  • Nas ações de ratings, sinais equilibrados de elevações e rebaixamentos, com destaque para o volume de novas classificações atribuídas, o que é uma evidência de ritmo nas emissões novas;
  • Para os próximos meses, esperamos um cenário de aperto monetário mais agressivo pelo FED (banco central americano) em resposta ao ambiente inflacionário global, agora agravado pelos impactos da guerra na Ucrânia e sanções do ocidente à Rússia. Aqui no Brasil, o arrefecimento do câmbio e discurso persistente do Banco Central de encerrar o ciclo de alta da taxa Selic na reunião do COPOM de maio deve manter a parte curta da curva de juros mais ancorada, porém ainda com volatilidade ainda na parte média e longa. Esperamos agora que a Selic chegue em 12,75% e fique estável até ao final de 2022, e projetamos 8,25% para o fim de 2023;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Berkshire (BERK34), a empresa de Warren Buffet, compra participação na HP

  • Samsung surpreende em lucros, impulsionada por forte demanda por smartphones e chips de memória para servidores;
  • Warren Buffett compra cerca de 121 milhões de ações da HP;
  • Levi Strauss supera estimativas e reafirma suas previsões para 2022;
  • Empresas do S&P 500 deverão registrar desaceleração no crescimento dos lucros;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • 6 fundos imobiliários com dividendo de até 15,76% para abril, segundo o PagBank (MoneyTimes);
    • JGP entra em negócios imobiliários e prepara lançamento de dois fundos (Estadão);
    • Fiagro em 2022: um campo vasto de oportunidades (Suno);

ESG

América Latina e Caribe contam com uma matriz de energia elétrica entre “as mais limpas do mundo” | Café com ESG, 08/04

  • Na quinta-feira, o mercado fechou em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +0,5% e +0,2%, respectivamente;
  • Do lado das empresas, (i) a Rio Tinto, a General Motors e até mesmo o Departamento de Energia dos Estados Unidos estão investindo pesadamente em uma safra de tecnologias mais novas que podem revolucionar a forma como o lítio é produzido para baterias de veículos elétricos; e (ii) as grandes empresas não estão esperando que a Europa se afaste dos combustíveis fósseis russos, mas algumas estão tomando o assunto por conta própria, como a Mercedes-Benz, que está trabalhando para aumentar sua independência energética nesta década com investimentos em energia solar e parques eólicos;
  • Ao redor do globo, a América Latina e o Caribe têm “tremendas vantagens” para atuar em uma economia global menos baseada em carbono, de acordo com o economista-chefe do Banco Mundial para a região, William Maloney, principalmente por conta matriz de energia elétrica estar entre “as mais limpas do mundo”. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.