XP Expert

XP Morning Call 27/03/2019: A incerteza segue elevada no Brasil

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Macro Brasil

1. Política Brasil: PEC do orçamento e impasse na CCJ

Macro internacional

1. Brexit: Parlamento vota alternativas hoje
2. Negociações comerciais entre China e EUA devem retomar esta semana

Empresas

1. Petrobras e BR Distribuidora (PETR4 e BRDT3): Mudança de reajuste do diesel e introdução do “cartão caminhoneiro”
2. Suzano (SUZB3): Anúncio de sinergias, capex e mais | Positivo 
3. Vale (VALE3): Produção 4T18 sem novidades

COE News

1. Apple segue em disputa com a Qualcomm


Resumo

A incerteza segue elevada no Brasil

Bolsas na Ásia tiveram leve alta ao longo da noite, com a Europa estável nessa manhã. O mercado segue focado no impasse entre o Executivo e o Legislativo no Brasil, com poucos sinais de avanço e incerteza elevada.

A Câmara aprovou por 453 votos a 6 uma PEC que torna o orçamento ainda mais impositivo, ou seja, limita ainda mais o poder de gasto do Executivo, contra o que defende o ministro da Economia Paulo Guedes. Essa derrota para o governo é vista como fruto da crise entre Rodrigo Maia e Jair Bolsonaro que teve seu auge no final de semana.

Como já era esperado, treze partidos se declararam oficialmente contra a aposentadoria rural e o BPC (benefício de prestação continuada) como previstos na PEC da Nova Previdência. Esses itens eram alvos de críticas desde a apresentação da PEC à Câmara e, em conjunto, poderiam diluir a proposta da previdência de R$1,15tri para R$900bi.

No internacional, os dados de atividade seguem fracos, mas parece ter um respiro em relação às preocupações com o crescimento global após dias de bastante tensão na semana passada. O próximo evento a monitorar nessa frente será no final de semana, quando saem dados de atividade da China.

Destaque hoje para votação do Brexit no Reino Unido. Após assumir o controle do processo na segunda-feira, o Parlamento votará hoje nas opções para a saída da EU, entre as quais estão o cancelamento do Brexit e um segundo referendo.

Do lado das empresas, a Petrobras informou ontem que sua diretoria aprovou alteração na periodicidade de reajustes dos preços do diesel, que agora não ocorrerão em intervalos inferiores a 15 dias. Além disso, a BR Distribuidora também informou ao mercado que está trabalhando na criação de um cartão pré-pago para caminhoneiros de forma a mitigar os efeitos de flutuações de preços ao consumidor.

Apesar de elogiarmos a rápida reação das companhias a insatisfação de caminhoneiros com preços do diesel, não vemos o anúncio como positivo quando pensando na atratividade do programa de venda de refinarias da Petrobras. Quanto à BR, vemos risco que a falta de flexibilidade em precificar combustíveis leve a perdas de participação de mercado.

A Suzano anunciou ontem suas projeções de ganhos de sinergia com a combinação da Fibria, com NPV esperado em R$14bi, mas sem grandes novidades em linhas gerais, o que de certa forma desapontou o mercado. A Vale reporta hoje após o fechamento do mercado, com o foco voltado em atualizações a respeito da situação pós Brumadinho.

Participamos ontem do Bradesco Day 2019 e o tom foi positivo, com a diretoria reforçando as projeções otimistas para o ano e sua confiança com o novo ciclo de crédito.


Conteúdo na íntegra

Macro Brasil

Política Brasil: PEC do orçamento e impasse na CCJ

  • A Câmara aprovou por 453 votos a 6 uma PEC que torna o orçamento ainda mais impositivo, ou seja, limita ainda mais o poder de gasto do Executivo e é o oposto do que defende o ministro da Economia Paulo Guedes. Essa derrota para o governo é vista como fruto da crise entre Rodrigo Maia e Jair Bolsonaro que teve seu auge no final de semana;
  • Como já era esperado, treze partidos se declararam oficialmente contra a aposentadoria rural e o BPC como previstos na PEC da Nova Previdência. Esses itens eram alvos de críticas desde a apresentação da PEC à Câmara. Boa parte do mau humor do Congresso é resultado da desistência de Paulo Guedes de falar na Comissão de Constituição e Justiça sobre a reforma da Previdência;
  • Ainda ontem, a CCJ se encontra em um impasse sobre a indicação do relator da PEC: líderes pediram para o presidente indicar o nome só depois que Guedes comparecer ao colegiado, o que deve acontecer na semana que vem. Mas o Planalto diz que Guedes só vai à Câmara quando a PEC já tiver um relator. 
     

Macro internacional

Brexit: Parlamento vota alternativas hoje

  • Depois de assumir o controle do processo Brexit na segunda-feira, os legisladores britânicos vão votar hoje em sua opção preferida do Brexit, que inclui o cancelamento do Brexit e um segundo referendo, entre outros;
  • De acordo com o The Guardian, pelo menos 16 propostas foram apresentadas até a noite de terça-feira e John Bercow, líder da camâra, escolherá o que será enviado para votação. Com os resultados de hoje, o parlamento reduzirá o número de propostas e fará uma nova votação em 1º de abril; 
  • O Reino Unido tem até 12 de abril para informar a União Européia sobre suas intenções de deixar o bloco. Isso não será necessário se o acordo de May for aprovado e, nesse caso, o Brexit acontecerá somente no dia 22 de maio.

Negociações comerciais entre China e EUA devem retomar esta semana

  • Autoridades norte-americanas e chinesas devem retomar as negociações comerciais nesta semana, ao passo que se aproximam de um acordo que poderia ser apenas o primeiro passo em direção ao apaziguamento econômico, segundo a Bloomberg;
  • Movimentos diplomáticos recentes sugerem que os dois lados seguem determinados a chegar em um acordo que evite a exacerbação dos conflitos comerciais, que obrigaria os países a impor tarifas sobre ~US$ 360 bilhões das importações de cada um;
  • Em uma entrevista de rádio nesta semana, o principal negociador comercial de Trump, Robert Lighthizer, afirmou que quer chegar a um acordo, mas que não está necessariamente “esperançoso” que isso vai acontecer. Ele afirma que estão “trabalhando nisso” ao veículo National Public Radio.

Empresas

Petrobras e BR Distribuidora (PETR4 e BRDT3): Mudança de reajuste do diesel e introdução do “cartão caminhoneiro”

  • A Petrobras informou ontem que sua diretoria aprovou alteração na periodicidade de reajustes dos preços do diesel, que agora não ocorrerão em intervalos inferiores a 15 dias. Além disso, a BR Distribuidora também informou ao mercado que está trabalhando na criação de um cartão pré-pago de pagamentos de caminhoneiros (“Cartão Caminhoneiro”), de forma a mitigar os efeitos de flutuações de preços ao consumidor;
  • As medidas anunciadas foram uma resposta das companhias à notícias recentes de ameaças de uma greve dos caminhoneiros, dada a alta acumulada de 18,5% do diesel no ano. Apesar de elogiarmos a rápida reação, destacamos que o principal problema da precificação dos combustíveis no Brasil é sua tributação, haja visto que a Petrobras pratica margens apenas ligeiramente superiores à paridade internacional (R$0,20/litro) , de modo a assegurar a operação de importadores independentes;
  • Além disso, notamos que o anúncio não é oportuno em um contexto que a Petrobras deseja realizar o desinvestimento de parte de seu parque de refino de até 50%, segundo o CEO Roberto Castello Branco;
  • Finalmente, apesar de enxergarmos impactos positivos para volumes e resultados de curto prazo da BR Distribuidora, a falta de flexibilidade na precificação de combustíveis pode afetar a competitividade da empresa e arriscar a participação de mercado da companhia para empresas menores que importam combustíveis. Além disso, restam dúvidas sobre se um programa de fidelidade desse tipo será viável em um contexto que a empresa seja privatizada, ou que parte das refinarias da Petrobras seja vendida.

​Suzano (SUZB3): Anúncio de sinergias, capex e mais | Positivo 

  • A Suzano sediou ontem seu evento anual com investidores em NY, anunciando suas projeções de ganhos de sinergia com a combinação da Fibria e da Suzano, com NPV estimado em R$14bi, o que vemos como positivo. Segue abaixo os principais destaques e, para mais detalhes, clique aqui para acessar nosso relatório completo;
  • Sinergias podem atingir NPV de R$14bi, positivo – Das R$14bi, R$10bi são advindas das sinergias operacionais (a Suzano espera capturar no período de 2019 a 2021 entre R$800-900mi por ano – antes da tributação – em bases recorrentes após 2021) e R$4bi das tributárias (sinergias que gerarão dedutibilidade estimada da ordem de R$2bi por ano no período de 2019 a 2021, a serem deduzidas ao longo do tempo); 
  • Opcionalidades de crescimento, ainda poucos detalhes – a Suzano mencionou uma série de opcionalidades de crescimento, e dentre elas, destacam-se: potenciais investimentos de expansão em celulose (o que vemos como provável ao longo dos próximos 2 anos), lignina, fluff, nanocelulse. Além disso, a empresa também anunciou a meta de atingir endividamento de US$10bi (vs. US$13,5bi atuais);
  • Capex estimado em R$6,4bi para 2019 – Os R$6,4bi estimados está acima dos nossos R$4,1bi, dos quais R$4bi referem-se à manutenção, que já incorporávamos, e o saldo advindo de investimentos em projetos como as aquisições de terras e florestas da Duratex, e o investimento em ativos logísticos de portos, bem como eventuais novos investimentos em terras e florestas.

Vale (VALE3):  Produção 4T18 sem novidades

  • A Vale reportou ontem os dados de produção e vendas para o 4T18. Detalhes adicionais em relação à situação da companhia após a tragédia de Brumadinho, bem como expectativas para frente, não foram dadas. Os principais destaques foram: (1) A produção de minério em 101mt foi 8% acima ano contra ano, com volume de vendas de minério + pelota de 96,5mt, acima dos nossos 93mt; (2) O volume de vendas de finos de minério de ferro de 80,2mt foi em linha com o nosso, mas flat ano contra ano e 3,9% abaixo do 3T18; (3) Do lado positivo, o volume de vendas de pelotas em 16mt foi acima dos nossos 14mt; e (4) A venda de metais básicos foi em linha com o esperado, com 59,6kt de níquel e 104,1kt de cobre;
  • Para o resultado do 4T, divulgado hoje após o fechamento do mercado, esperamos um EBITDA de US$4,6bi e preço realizado de minério de US$67,6/t. Entretanto, destacamos que o foco está em atualizações que possam vir em relação à situação atual, em especial na conferência com os investidores que ocorrerá amanhã. Clique aqui para acessar nosso relatório completo.

Bradesco (BBDC4): Tom positive no Bradesco Day

  • Comparecemos ontem ao Bradesco Day 2019 e tivemos a chance de ouvir e fazer perguntas aos principais diretores do banco. A visão permanece positiva e as projeções “ambiciosas” são consideradas como atingíveis pela administração;
  • Principais destaques foram: (1) crescimento de crédito em 2019, (2) Reorganização na alta gestão, (3) Era Digital e (4) Pagamentos/Cielo. Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra (R$49,00 Preço-Alvo) e a preferência pelo Bradesco entre os bancos privados. O banco é altamente exposto ao ciclo de crédito benigno esperado para os próximos anos, especialmente nos segmentos de varejo. Além disso, o BBDC oferece o maior potencial em relação à qualidade de ativos e queda de provisões ao analisar os níveis anteriores à crise.

Vale (VALE3): Ação do MPT pede R$5mi por vítima em Brumadinho 

  • Na segunda-feira o Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais ajuizou ação civil pública contra a Vale, exigindo o pagamento de indenizações às famílias dos funcionários mortos e desaparecidos no desastre de Brumadinho;
  • O MPT pede que a companhia seja condenada a pagar R$5mi, no mínimo, a título de danos morais individuais a cada grupo familiar que perdeu parentes quando houve o rompimento da barragem do Córrego do Feijão, da Vale. Se o pedido for aceito pela Justiça, a Vale terá de desembolsar ~R$1,5bi somente para cobrir as indenizações por danos morais;
  • O valor de R$5mi definido pelos procuradores tem como referência o documento da própria Vale, que precifica o valor de uma vida humana em US$2,6mi, em caso de acidente de trabalho decorrente do rompimento de qualquer barragem.

Bancos: Novo sistema de parcelamento

  • Bancos lançam nova forma de oferecer crédito com taxas a partir de 0,99% ao mês com prazo de 36 meses. Este sistema é contratado no momento de aquisição das adquirentes e é uma opção adicional ao cliente para desincentivar o parcelamento sem juros;
  • De acordo com o Valor Econômico, o parcelamento sem juros está enraizado na cultura brasileira, porém traz muitos riscos para os emissores de cartões que hoje enfrentam um desafio de implementar esta nova forma de crédito;
  • Visto que no Brasil o financiamento por cartão de crédito não é a primeira opção, o novo modelo é uma vantagem para o varejista, pois este recebe o valor total no momento da venda e os emissores ficam com o risco da operação, assim o lojista pode oferecer maiores descontos em seus produtos.

COE News

Apple segue em disputa com a Qualcomm

  • Um juiz da Comissão de Comércio Internacional dos Estados Unidos, órgão do governo federal que investiga casos relacionados ao comércio, anunciou que a Apple violou patentes da fabricante de microprocessadores Qualcomm, podendo barrar a importação de alguns modelos mais antigos, como iPhone X, 8, 7 e 6;
  • A decisão limita a comercialização de alguns dos modelos que infringem patentes relativas a mecanismos de conservação de energia e que estendem a duração da vida útil da bateria. Após anos de parceria, a Apple deixou de usar os chips da Qualcomm a partir do lançamento do modelo XS em 2018;
  • A decisão ainda pode ser revista por um grupo de seis juízes da Comissão, além da administração do presidente Donald Trump também poder influenciar a decisão.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.