Digital Payments: Ações que se beneficiam com o fim do papel-moeda

Entenda a importância de se posicionar para esta revolução digital


Compartilhar:


Em um futuro próximo, o dinheiro em sua forma física poderá deixar de existir. Da mesma forma que fitas cassetes, disquetes, aparelhos de rádio e orelhões tornaram-se obsoletos com a chegada de novas tecnologias, as cédulas de dinheiro eventualmente desaparecerão à medida que mais meios de pagamento digital chegam às mãos da população.

No século XVII, o papel-moeda foi amplamente adotado na Europa, onde cidadãos conseguiam trocar as cédulas por ouro até que, em 1933, o Padrão-Ouro nos EUA selou esta aplicação. Hoje, o papel é substituído por bits, 0’s e 1’s, nos discos dos computadores e gigantes como as FAAMGs: Facebook (Pay), Apple (Pay), Amazon (Pay) e Google (Payments) apostam neste mercado que deve transacionar quase US$ 5 trilhões em 2020.

Esta mudança de paradigma é um caminho sem volta por uma série de motivos. Em primeiro lugar, o papel-moeda onera bancos, negócios e as pessoas que o transacionam. O custo anual de imprimir, armazenar, transportar e separar o dinheiro é estimado em 0,5% do PIB global, traduzindo-se em uma despesa de ~US$ 400bi apenas em 2019. Se nos EUA de 2018, foram gastos US$ 900 milhões apenas para imprimir moeda, imagine em 2020 com o Federal Reserve imprimindo mais de US$ 7tri.

Uma vez que as transações digitais são armazenadas e rastreáveis com mais facilidade, passou a ser interesse primordial do Estado que mais operações sejam realizadas assim. A fim de reduzir a sonegação de impostos, coletar dados e possivelmente dificultar lavagem de dinheiro e corrupção, governos ao redor do mundo vêm aprovando novas regulações e investindo em novos ecossistemas para favorecer as compras eletrônicas. Um exemplo recente é o PIX, lançado pelo governo brasileiro.

Embora hajam preocupações com a privacidade destes dados, a verdade é que esta mudança, já em curso, ainda foi acelerada pela pandemia. Nos EUA, por exemplo, apenas 30% dos usuários de smartphones fizeram compras por aproximação no ano passado. Este ano, o número de usuários cresceu 70% desde janeiro e, ao redor do planeta, 50% dos consumidores passaram a utilizar mais os meios digitais. A cultura do dinheiro físico está desaparecendo diante dos nossos olhos.

Para se ter uma ideia, em 1990, foram realizadas 300 milhões de compras com cartão de débito nos EUA; hoje ultrapassam os 40 bilhões. Na China, um dos países com maior adoção global, 80% dos proprietários de celular já utilizam pagamentos por aproximação e possuem uma população engajada com o uso de tecnologias como impressão digial e reconhecimento facial, podendo até mesmo eliminar o uso dos celulares no momento da compra.

Na Coréia do Sul, apenas 20% das transações de consumidores envolvem papel-moeda ou cheques enquanto no Canadá, esta proporção é de 29% e, nos EUA, 50%. Olhando para o planeta, o número de transações sem dinheiro “multiplicou por 2x, no mínimo, entre 2007 e 2017“, segundo o Bank of International Settlements.

Olhando para o futuro, estima-se que o mercado de transações digitais cresça mais de 13% a/a, alcançando US$ 8,2 trilhões e algumas empresas, como o Facebook, Paypal, Shopify e Square estão à frente desta migração para os meios digitais. Facebook e seus mais de 3bi de usuários podem superar o WeChat da China; Paypal lidera o serviço de carteiras digitais e é a favorita dos vendedores; Shopify estimula o comércio eletrônico e faz parcerias com gigantes como Walmart e TikTok; Square desenvolve novas tecnologias para viabilizar transações. Acreditamos, portanto, serem empresas muito bem posicionadas para capturar esta mudança estrutural em curso.

Saiba como ter exposição a essas empresas:

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Por conta da atividade de distribuição de COEs, a XP Investimentos recebe dos bancos emissores uma remuneração de no máximo 1,7% ao ano. Esta remuneração é recebida no momento da emissão do COE, independente do cliente manter o investimento até o vencimento.

ATENÇÃO: ESTE PRODUTO É DESTINADO A CLIENTES COM PERFIL DE INVESTIMENTO MODERADO (VALOR NOMINAL PROTEGIDO) E AGRESSIVO (VALOR NOMINAL EM RISCO), SENDO ESTE O PÚBLICO A QUE SE DESTINA O PRESENTE MATERIAL. O EMISSOR DO COE SE RESERVA AO DIREITO DE CANCELAR A EMISSÃO OU ALTERAR AS CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO, CASO O VALOR MÍNIMO NÃO SEJA ATINGIDO OU HAJA ALTERAÇÃO NAS CONDIÇÕES DE MERCADO. ESTE DOCUMENTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS MELHORES PRÁTICAS DE MERCADO PELO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE NEGOCIAÇÃO DE INSTRUMENTOS FINANCEIROS O RECEBIMENTO DOS PAGAMENTOS DESTE CERTIFICADO ESTÁ SUJEITO AO RISCO DE CRÉDITO DO SEU EMISSOR O COE É UM PRODUTO FINANCEIRO QUE NÃO CONTA COM GARANTIA DO FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO – FGC. A PRESENTE OFERTA FOI DISPENSADA DE REGISTRO PELA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS – CVM. A DISTRIBUIÇÃO DE CERTIFICADO DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS – COE NÃO IMPLICA, POR PARTE DOS ÓRGÃOS REGULADORES, GARANTIA DE VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS OU DE ADEQUAÇÃO DO CERTIFICADO À LEGISLAÇÃO VIGENTE OU JULGAMENTO SOBRE A QUALIDADE DO COE, DO SEU EMISSOR OU DA INSTITUIÇÃO INTERMEDIÁRIA. LEIA O DOCUMENTO DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS ANTES DE APLICAR NESTE CERTIFICADO DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS ESTE CERTIFICADO. NÃO SE TRATA DE INVESTIMENTO DIRETO NO ATIVO SUBJACENTE. O CERTIFICADO DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS – COE é um produto complexo. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações aqui divulgadas. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. É obrigatória a leitura do Documento de Informações Essenciais – DIE previamente à aquisição do COE, com especial atenção aos fatores de risco. Recomenda-se uma profunda análise das características, prazos e riscos dos investimentos antes da decisão de compra/venda/aplicação/resgate. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. Os custos das operações e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da Corretora: www.xpi.com.br. Para reclamações, utilize o SAC 0800 77 20202. E se não ficar estiver satisfeito com a solução, favor entrar em contato com a Ouvidoria. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.