Evergrande, China Construction Bank e seus CDBs

Além de efeitos diretos para credores e acionistas da construtora, entenda qual o risco para credores do banco chinês CCB.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

  • A Evergrande, gigante do setor imobiliário chinês, apresenta risco de default (calote) de dívida de mais de US$ 300 bilhões.
    • Recentemente, fechou acordo para evitar default no pagamento de juros de cerca de US$ 36 milhões, mas o risco relativo ao volume total persiste.
  • Este evento pode ter uma série de implicações, desde a cadeia de fornecedores, mutuários até os credores e acionistas da companhia. O mercado de capitais possui a menor parte dessa dívida, o que minimiza risco de contágio global. Já a maior parte está concentrada no mercado bancário, principalmente nos grandes bancos chineses, que são públicos e estão entre os maiores bancos globais. Dentre eles, há o China Construction Bank (CCB).
    • O banco possui rating A1 pela Moody’s e, até o momento, não houve rebaixamento ou mudança de perspectiva indicando deterioração na qualidade de crédito como resultado dos acontecimentos com a Evergrande.
  • O CCB tem subsidiária no Brasil, que possui emissões de CDBs no mercado local, o que levanta preocupações aos detentores e potenciais investidores desses papeis.
  • No momento, não enxergamos risco para o CCB Brasil em relação à situação da Evergrande, uma vez que o banco chinês é controlado pelo governo da China, que, por sua vez, forneceria suporte ao CCB em caso de necessidade, evitando maiores problemas para o sistema bancário do país asiático.

O que está acontecendo

Na semana de reuniões de política monetária nos EUA (FOMC) e no Brasil (COPOM), um outro assunto tem sido destaque: A gigante do setor imobiliário chinês Evergrande.

É bem provável que você nunca tivesse ouvido falar da empresa até alguns dias atrás, mas o risco de haver um calote por parte dela fez com que os mercados do mundo inteiro reagissem negativamente. Não é por pouco: a Evergrande possui mais de US$ 300 bilhões em dividas, o que já seria um sinal de alerta por si só.

Porém, com a desaceleração nas vendas dos imóveis na China, após aperto regulatório no setor por parte do governo, as agências de classificação de risco de crédito rebaixaram os ratings da Evergrande e outras do setor. Isso sinaliza que enxergam uma piora na capacidade dessas empresas em honrar as dívidas com os credores (em português claro: maior risco de calote).

Além da preocupação que isso gera para os credores e acionistas da empresa, existe um efeito derivado: o risco que isso impõe sobre os credores dos bancos chineses que emprestaram à companhia. Afinal, eles são uma parte considerável das dívidas da Evergrande e, caso não recebam seus pagamentos, dado o expressivo volume, pode haver impacto negativo sobre seus próprios balanços.

China Construction Bank e sua relação com a Evergrande

Um destes bancos é o China Construction Bank – CCB, listado no relatório anual da empresa relativo ao ano de 2020 como um dos principais bancos credores.

O CCB é um banco público chinês, fundado em 1954, e é um dos maiores conglomerados financeiros do mundo. Seu principal objetivo é apoiar o desenvolvimento da China. O banco possui 15 mil agências bancárias, na China e no exterior e está presente em todos os continentes, por meio de suas 251 subsidiárias.

Por que citar especificamente este nome?

O CCB tem uma subsidiária no Brasil desde 2014, operando por meio de suas carteiras de crédito, investimentos e de câmbio e comércio exterior, direcionadas para atender especialmente empresas de grande porte. Para financiar suas atividades, capta recursos através da emissão de títulos bancários, como CDBs. Os detentores desses CDBs e potenciais novos investidores têm tido dúvidas a respeito do risco ao banco em relação à Evergrande.

Em nossa visão, não há, no momento, risco para o banco. Os bancos chineses estão entre maiores bancos do mundo, e têm como acionista majoritário o governo chinês. No caso específico do CCB, o Estado é detentor de cerca de 70% do banco. Aqui vale um adendo de que os bancos chineses são a base de toda a política pública chinesa e que o sistema bancário do país foi moldado de forma a atender o Estado.

Além disso, estima-se que a dívida bancária (excluindo mercado de capitais) da Evergrande seja atualmente de US$ 90 bilhões, pulverizada em diversos bancos. De acordo com analistas, este total representa menos de 1,0% do total de volume de empréstimos do sistema bancário chinês. Por fim, o governo chinês já anunciou injeção de US$ 18,5 bilhões no sistema financeiro nesta semana.

Sendo assim, acreditamos que, em caso de necessidade de aporte, o governo chinês intervirá para resguardar o sistema bancário, o que mitigaria os potenciais riscos para os bancos, incluindo o CCB (e, consequentemente, suas subsidiárias).

Gostou? Tem alguma sugestão? Não deixe de avaliar e de mandar seu comentário abaixo.

Fonte

Evergrande
China Construction Bank
Banco CCB

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “XP”) tem caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como sendo material promocional, solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Os prazos, taxas e condições aqui contidas são meramente indicativas. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados.
Os instrumentos financeiros discutidos neste material podem não ser adequados para todos os investidores. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.