XP Expert

XP Morning Call 26/06/2019: Expectativa com calendário da Reforma da Previdência

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Rodrigo Maia conta entre 314 e 320 votos a favor da previdência
  2. Mudanças na proposta para o PIS/Pasep

Internacional

  1.  EUA: FED sinaliza riscos para a taxa de juros s
  2. Novo secretário de Defesa dos EUA pede apoio da Otan sobre Irã

Empresas

  1. Cemig (CMIG4): Governador Zema enviará PEC para retirar exigência de referendo em privatizações
  2.  Frigoríficos: China suspende importações de carne do Canadá
  3. Vale (VALE3): CPI que investiga a tragédia de Brumadinho em foco 

  1. Facebook: Um dos dirigentes do grupo anunciou que a Libra pode mudar o mundo


IBOVESPA -1,93% | 100.093 Pontos

CÂMBIO -0,6% | 3,85/USD

Expectativa com calendário da Reforma da Previdência

Futuros nos EUA em alta nesta quarta-feira em meio a sessões mistas na Europa e Ásia durante a noite.

Ontem, o presidente do Banco Central americano, FED, reiterou que o ritmo mais lento do que o previsto da taxa de inflação pode de fato levar a um potencial corte de juros. Entretanto, o destaque do discurso foi sua ressalva de que o FED não pode reagir desproporcionalmente, ou seja, que os movimentos serão suaves, o que desanimou o mercado que esperava discurso mais incisivo em relação ao corte de juros.

Do lado positivo, o secretário do Tesouro americano, Mnuchin, disse à CNBC que o acordo comercial EUA-China está 90% completo, apesar de uma autoridade do governo dizer que os EUA não farão novas concessões. Lembramos que neste final de semana teremos encontro do Trump com o Presidente Chinês. Qualquer avanço rumo a um acordo comercial seria bem recebido pelo mercado.

As ações do Brasil tiveram pior dia em mais de um mês (-1,9%), com os investidores realizando ganhos e reduzindo a exposição, após o Ibovespa ter alcançado a máxima histórica na última sexta-feira. Além da aversão a risco no internacional, o mercado também se preocupou com a votação da reforma da previdência na comissão especial, que deve ser adiada até a próxima semana.

Rodrigo Maia conta com algo entre 314 e 320 votos a favor da previdência hoje, podendo chegar a 380 votos. São necessários 308 para aprovar a reforma. O calendário do presidente da Câmara prevê a aprovação no plenário antes do recesso parlamentar, que começa em 18 de julho.

No entanto, a votação ainda na comissão especial, que estava programada para ocorrer até amanhã (27), deve ser adiada para segunda (1) ou terça feira (2). Os partidos ainda resistem a alguns pontos do relatório e busca-se acordo para reincluir estados e municípios no texto, o que nos parece improvável que aconteça.

Na nossa visão, o texto base da reforma pode ainda ser votado em julho no plenário da Câmara dos Deputados, mas os destaques devem ficar para agosto, após o recesso, o que pode trazer uma certa decepção.

Do lado das empresas, o Governador de Minas Gerais, Romeu Zema, enviará projeto à Assembleia Legislativa para retirar a exigência de referendo popular para a privatização de estatais. Cemig e Copasa devem ser positivamente afetadas pela notícia.


Brasil

Política Brasil: Rodrigo Maia conta entre 314 e 320 votos a favor da previdência

  • Rodrigo Maia conta algo entre 314 e 320 votos a favor da previdência hoje, podendo chegar a 380 votos. São necessários 308 para aprovar a reforma. O calendário do presidente da Câmara prevê a aprovação no plenário antes do recesso parlamentar, que começa em 18 de julho. No entanto, a votação ainda na comissão especial, que estava programada para ocorrer até amanhã (27), deve ser adiada para segunda (1) ou terça feira (2). Os partidos ainda resistem a alguns pontos do relatório e busca-se acordo para reincluir estados e municípios no texto, o que nos parece improvável que aconteça;
  • Presidente do Senado em conflito com o Planalto. Davi Alcolumbre (DEM) devolveu parte de medida provisória proposta por Jair Bolsonaro que retirava do Ministério da Justiça a tratativa de demarcação de terras indígenas. O governo tentava reverter o que Congresso já havia aprovado na MP 870; anunciou a instalação da CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) para apurar fake news na eleição de 2018, algo que pode respingar na atuação dos apoiadores online do presidente e até no ministro Sergio Moro, caso o escopo seja ampliado; e determinou que diretores apontados pelo presidente para o DNIT durante vigência de MP que caducou devem ser sabatinados pelo Senado, em mais um constrangimento para o Planalto;
  • Diante de provável derrota, o governo decidiu recuar e revogou os polêmicos decretos sobre armas. Entretanto, no acordo costurado por Onyx Lorenzoni, a Câmara prometeu analisar projeto de lei enviado pelo presidente com conteúdo semelhante ao dos decretos originais em 30 dias e o Senado em 45 dias;
  • Turma do STF rejeitou por 3×2 liminar que soltaria Lula até que a suspeição de Sergio Moro fosse julgada, algo que está previsto para ocorrer apenas no segundo semestre.

Mudanças na proposta para o PIS/Pasep

  • O relator da reforma da Previdência, Samuel Moreira, estuda a possibilidade do fim do repasse dos recursos do PIS/Pasep do FAT para o BNDES acontecer de maneira gradual ao longo de dez anos, e não de uma vez como proposto inicialmente;
  • A ideia central é redirecionar gradualmente os recursos do PIS/Pasep que hoje são destinados ao BNDES para o pagamento de aposentadorias e pensões;
  • O maior risco é que o parecer gere muitos questionamentos judiciais de empresas que aleguem repetição de cobrança de tributos, já que o Cofins já é uma fonte de tributação para financiar a Previdência.

Internacional

EUA: FED sinaliza riscos para a taxa de juros

  • Ontem, o presidente do FED, Jerome Powell, reiterou sua visão de que o ritmo mais lento do que o previsto da taxa de inflação deve estar no radar para as perspectivas da taxa de juros e que vários membros do FOMC acreditam já haver espaço para uma redução de juros;
  • No entanto, o destaque do discurso de Powell foi sua ressalva de que o FED não pode reagir desproporcionalmente ao cenário atual, levando o mercado a crer que estabilidade de juros ou um corte menor de juros na próxima reunião é mais provável;
  • ​As atenções do FED seguem voltadas para as correntes controvérsias como o desenvolvimento comercial e o crescimento global, com as disputas comerciais voltando-se para uma maior incerteza e dados globais econômicos, ainda que o Secretário do Tesouro americano tenha sinalizado hoje que 90% da negociação comercial entre EUA e China já está a caminho.

Novo secretário de Defesa dos EUA pede apoio da Otan sobre Irã

  • O novo secretário de Defesa interino dos EUA, Mark Esper, que assumiu o comando do Pentágono nesta segunda-feira, chegou em Bruxelas onde participará de uma reunião da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan);
  • Em sua primeira conversa com a imprensa, Esper adiantou que pedirá o apoio dos aliados da Otan para levar o Irã à mesa de negociações sobre um novo acordo nuclear. O Irã, no entanto, recusa-se a negociar um novo pacto depois que os EUA saíram do anterior;
  • Já líderes da União Europeia, também membros da Otan, ainda trabalham para salvar o acordo de 2015 e possibilitar a ativação de um mecanismo para manter o comércio com o Irã, apesar das sanções econômicas dos EUA ao país do Oriente Médio.

Empresas

Cemig (CMIG4): Governador Zema enviará PEC para retirar exigência de referendo em privatizações

  • Segundo o jornal O Tempo, o Governador de Minas Gerais, Romeu Zema, enviará projeto à Assembleia Legislativa para retirar a exigência de referendo popular para a privatização de estatais;
  • O projeto deve ser enviado em conjunto a medidas para adesão de Minas ao Plano de Recuperação Fiscal da União;
  • A privatização de Cemig (Neutro), Copasa e Codemig é exigência para o refinanciamento das dívidas de Minas Gerais. Esperamos uma reação positiva para as estatais listadas em bolsa hoje.
     

Frigoríficos: China suspende importações de carne do Canadá

  • A China suspendeu ontem todas as importações de carne do Canadá depois que uma investigação feita por Pequim acusou a existência de certificados forjados em determinadas remessas de carne suína canadense;
  • A medida afeta o comércio de quase US$0,5bi em carnes e ocorre num momento de aumento das tensões entre Pequim e Ottawa, após a decisão do Canadá de prender uma executivo sênior da Huawei Technologies em dezembro;
  • A China lançou uma investigação depois que inspeções encontraram resíduos de um suplemento alimentar não aceito pela China em porcos canadenses, informou a embaixada chinesa no Canadá em comunicado. A investigação revelou até 188 certificados veterinários “falsificados”, afirmou a embaixada, e a existência de “óbvias falhas de segurança”.

Vale (VALE3): CPI que investiga a tragédia de Brumadinho em foco 

  • Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) que investiga a tragédia de Brumadinho, dois trabalhadores que atuavam na mina da Vale afirmaram que foi realizada uma detonação programada próxima à barragem no mesmo dia em que ela se rompeu; 
  • Segundo matéria da Agência Brasil, os trabalhadores divergiram sobre o horário da explosão. Um deles disse ter assistido a detonação e calculou que ela teria ocorrido a cerca de um quilômetro da barragem entre 12h20 e 12h40, enquanto a ruptura ocorreu às 12h28. De acordo com a reportagem, a polícia civil informou que a influência de explosões na ruptura da barragem não é descartada pelos investigadores e está sendo analisada;
  • Em nota, a Vale disse que fez detonações no dia da tragédia, mas que elas ocorreram apenas após o rompimento da barragem. “Após a ruptura, por medida de segurança, foram realizadas duas detonações que já estavam programadas para ocorrer, em distância e com cargas seguras. As detonações foram mantidas com o objetivo de eliminar qualquer risco vinculado à presença de furos carregados de explosivos no complexo do Córrego do Feijão”, disse a Vale.

Itaú (ITUB4): Pedido de reconsideração para proteção das ações da Braskem

  • O Itaú levou para o juiz João de Oliveira (Vara de Falências) um pedido de reconsideração da decisão que protege as ações que Odebrecht possui da Braskem. A empresa solicitou tal proteção contra os credores, baseando-se no argumento de que essas ações são essenciais para a sobrevivência do conglomerado;
  • De acordo com o Valor Econômico, todas as ações da Braskem detidas pela ODB foram dadas em garantia de empréstimos concedidos por Itaú, Bradesco, BNDES, Banco do Brasil e Santander (dívida total de R$98,5 bilhões). Devido ao desconforto dos bancos com a situação, a Odebrecht concordou em fazer um acordo de trégua com os credores para garantir que as ações não seriam executadas.

Elétricas e Saneamento: Goiás deve vender Celg-GT e fazer IPO da Saneago

  • Segundo a Reuters, o Governador de Goiás, Ronaldo Caiado afirmou que avalia realizar o IPO da estatal de saneamento Saneago;
  • A transação ocorreria após um processo de reestruturação interna da companhia;
  • O governador também citou que a estatal do setor elétrico Celg GT já está pronta para ser vendida ainda em 2019.

Coe News

Facebook: Um dos dirigentes do grupo anunciou que a Libra pode mudar o mundo

  • Segundo Dante Disparte, responsável pela comunicação oficial da divisão da inédita moeda digital do grupo, a Libra, o sucesso do projeto poderá mudar o sistema financeiro e mudar a vida das pessoas, mas isso dependerá tanto da usabilidade entre os usuários do Facebook, que precisam ganhar maior confiança na segurança de seus dados, quanto comerciantes e prestadores de serviços interessados em utilizar a moeda;
  • Alguns dos potenciais parceiros como Mastercard, Paypal, Uber e Spotify ajudarão a gigante de mídias sociais a validar a segurança, escalabilidade e credibilidade da moeda;
  • A Libra permitirá transferências internacionais de dinheiro, entre divisas, de maneira instantânea e de custo quase zero. Se a moeda for amplamente adotada pelos 1,5 bilhões de usuários do Facebook, poderá ter uma influência considerável, afetando o mercado financeiro.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.