XP Expert

XP Morning Call 18/12/2019: Volatilidade continua a dominar, foco no Fed

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1.    Política Brasil: Noticiário fraco. Maia defende previdência de uma vez
  2.  Reunião do CNPE termina sem aprovar leilão da Cessão Onerosa, Paulo Guedes prefere deixar para 2019
  3. Prévia do PIB mostra leve alta em outubro

Internacional

  1. Votação do Brexit deve acontecer na semana do dia 14 de janeiro
  2. Índice de manufatura dos EUA cai para o nível mais baixo em 19 meses

Empresas

  1. TAESA: Anuncia a aquisição de 4 linhas de transmissão da Âmbar Energia
  2. B3 (B3SA3): Feedback B3 Day; 2019 promissor
  3. Minério de ferro atinge máxima de 4 semanas na China com queda nos estoques

COE News

  1. Amazon: Vendedores chineses tentam manipular a plataforma
  2. Google: Nova sede será inaugurada em NY

Resumo

Volatilidade continua a dominar, foco no Fed

Os mercados tiveram dia de forte correção ontem, com dados de atividade mais fracos nos EUA e contínua aversão a risco, fazendo o S&P quebrar o piso de 2.600 pela primeira vez desde setembro de 2017, acumulando queda de 13% desde o pico de outubro.

Na Ásia, as bolsas seguiram o movimento e caíram 1-2%. Foco no discurso do presidente chinês Xi Jinping na noite de terça, que não anunciou novas medidas de estímulo e decepcionou o mercado. 

Na contramão, minério de ferro atingiu máxima de 4 semanas ontem, em $71,3/t. Sua resiliência reforça nossa tese positiva nas ações da Vale. Europa abre estável, mineradoras caindo 0,5-1%.

Como temos destacado, a correção que passamos, tanto no S&P (-13%), quanto em mercados emergentes (que caem quase 30% desde março), nos parece já refletir o atual cenário de risco, e os dois eventos a monitorar são (1) o Fed esta semana (Banco Central Americano) e uma eventual virada na política monetária e (2) Negociações comerciais EUA-China, com quase 70 dias à frente de negociação.

Em relação ao Fed, o consenso ainda é de alta de 0,25% para 2,5% amanhã, mas a probabilidade vem diminuindo, pois historicamente o Fed evita altas em momentos de turbulência, e a recente correção no S&P adiciona motivos para pausar o ciclo de aperto monetário nos EUA. Se a mensagem de menor necessidade de alta no curto prazo for confirmada, esperamos reação positiva.

Na Europa, o Brexit continua em foco e a primeira ministra Theresa May ainda espera por mais concessões da UE. O acordo será finalmente submetido a votação no parlamento inglês na semana de 14 de janeiro.

No Brasil, sem grandes destaques. Rodrigo Maia se posiciona contra o fatiamento da reforma da previdência. Ata da reunião do Copom sai hoje, podendo reforçar mensagem de juros baixos por mais tempo.

Do lado das empresas, Taesa anuncia aquisição de quatro linhas de transmissão, IPO de BMG é postergado por condições de mercado e Investor Day da B3 com otimismo para 2019.


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Noticiário fraco. Maia defende previdência de uma vez.

  • Em dia de notícias sem grandes impactos, Rodrigo Maia foi contra o fatiamento da reforma da previdência. Depois de aprovado um primeiro projeto, dificilmente outras propostas teriam condições de avançar na Casa;
  • Estudo de pesquisadores do Ipea, que hoje compõem a equipe de Bolsonaro, propõe alterações na tributação de empresas. Paulo Guedes defendeu cortes no sistema S.

Reunião do CNPE termina sem aprovar leilão da Cessão Onerosa, Paulo Guedes prefere deixar para 2019

  • O Conselho Nacional de Política Energética não colocou em pauta a aprovação do mega leilão dos excedentes da Cessão Onerosa na reunião de ontem, por não haver consenso sobre conduzir o tema;
  • Além disso, o futuro Ministro da Economia Paulo Guedes afirmou que retornará ao tema ano que vem, ressaltando que buscará a divisão de recursos com estados e municípios;
  • Não foi possível encontrar uma solução para viabilizar tal repasse sem violar o teto de gastos, fator que travou a aprovação do PL da Cessão Onerosa no Senado.

Prévia do PIB mostra leve alta em outubro

  • O Índice de Atividade (IBC-Br), tido como prévia do PIB, ficou praticamente estável em outubro, com alta de 0,02% ante setembro e 3% na comparação anual (ante expectativa de +2,5% pelo consenso Bloomberg), acumulando elevação de 1,40% nos 10 primeiros meses do ano;
  • Para economistas, o desempenho do índice indica que o BC tende a manter os juros em patamares baixos por mais tempo, uma vez que reforçam a percepção de perda de tração da retomada da atividade econômica;
  • A previsão atual do Banco Central para a atividade em 2018 é de avanço de 1,4%, sendo que em 2017 o PIB subiu apenas 1,1%.

Internacional

Votação do Brexit deve acontecer na semana do dia 14 de janeiro

  • De acordo com a Bloomberg, a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, se deu mais quatro semanas para salvar o acordo Brexit. Na semana passada, May cancelou uma votação parlamentar marcada para 11 de dezembro, com risco de ser derrotada em meio a oposição de políticos. Ela ainda espera mais concessões da União Europeia, e nesta segunda-feira anunciou que o acordo será finalmente submetido a votação na semana de 14 de janeiro;
  • Por outro lado, o líder do partido trabalhista Jeremy Corbyn disse que May havia evitado a prestação de contas no Parlamento por muito tempo. Ele propôs uma moção de desconfiança contra a primeira-ministra, citando seu “fracasso” em dar à Câmara dos Comuns a chance de votar no pacote que ela negociou;
  • Ainda assim, o grupo de políticos conservadores pró-Brexit, que na semana passada desencadeou um voto de confiança sobre May sobre sua liderança do Partido Conservador, disse que a apoiaria contra a moção.
     

Índice de manufatura dos EUA cai para o nível mais baixo em 19 meses

  • De acordo com a Bloomberg, o índice de manufatura dos EUA caiu 12,4 pontos, para 10,9, de acordo com relatório divulgado na segunda-feira. Esse é o menor nível desde maio de 2017 e o maior declínio em um mês desde maio de 2016;
  • Os dados indicam que a atividade empresarial cresceu a um ritmo mais lento em dezembro do que no mês anterior e pode reforçar o argumento de que o banco central deve ser mais cauteloso com os aumentos das taxas de juros em 2019.
     

Empresas

TAESA: Anuncia a aquisição de 4 linhas de transmissão da Âmbar Energia

  • Em fato relevante ontem, a TAESA anunciou a aquisição de quatro linhas de transmissão da Âmbar Energia por R$ 942,6 milhões;
  • Ajustado pela participação da TAESA, o total da receita anual permitida das linhas é de R$ 130,1 milhões, com término da concessão em 2043;
  • Vemos a iniciativa como positiva, uma vez que ela aumenta a duração média da concessão da TAESA com retornos mais atrativos do que em leilões de linhas novas.

 
B3 (B3SA3): Feedback B3 Day; 2019 promissor

  • Ontem participamos do B3 Day e deixamos o evento ainda mais confiantes de que 2019 deve ser um ano de transformação para a empresa. Além dos efeitos macroeconômicos que devem criar um cenário positivo para volumes de negociação e novas listagens, a empresa anunciou seu plano estratégico e metas refinadas para se beneficiar desse ambiente;
  • O plano estratégico foi delineado com seus principais direcionadores de valor e metas relacionadas. Além disso, os diretores detalharam tópicos relevantes como internacionalização, foco no core business versus diversificação, concorrência e tecnologia;
  • Por fim, a companhia divulgou seu guidance para 2019, com despesas 8% maiores que as de 2018, e a nova quebra de receita com as linhas: Títulos listados, Títulos de Balcão, Infraestrutura de Financiamento e Serviços de Tecnologia e Dados de Mercado. Clique aqui para encontrar o relatório completo.

 
Minério de ferro atinge máxima de 4 semanas na China com queda nos estoques

  • Os contratos futuros do minério de ferro na China subiram para uma máxima em quatro semanas ontem, impulsionados por uma oferta apertada frente à menores estoques nos portos e com expectativas de demanda com a recomposição de estoques às vésperas do Ano Novo Chinês;
  • O contrato de referência do minério de ferro na bolsa de Dalian chegou a subir 2,3%, para US$71,30/t, nível não visto desde 22 de novembro, e fechou o dia com alta de 1,6%. Segundo dados da consultoria SteelHome, ontem os estoques atingiram 137,1mt, nível 4,5% inferior ao visto há um ano atrás e o menor nível desde o início de novembro de 2017;
  • Como temos ressaltado, vemos como positivo o cenário de preço de minério de ferro e reforçamos nossa recomendação de compra para Vale, com um preço-alvo de R$70/ação.

 
Correção no preço de celulose continua

  • Na China, os preços de celulose de fibra curta, material produzido pela Suzano, tiveram outra queda, de US$8,61/t, para US$698,36/t, depois de terem caído US$29,51/t na semana passada. Os preços de fibra longa também recuaram em US$12,48/t para US$790,73/t, ficando o diferencial de preços em US$96,24/t;
  • Na Europa, os preços da celulose de fibra curta caíram novamente, após um longo período estável, em US$5,46/t para US$1.027,99/t. Os preços de fibra longa também recuaram, com queda de US$3,12/t, para 1.200,21/t;
  • Em nossa opinião, isso pode pressionar o desempenho das ações da Suzano hoje.

Brasil e EUA vão ser as plataformas de expansão da Gerdau

  • Gustavo Werneck, primeiro presidente da Gerdau fora do ramo familiar, diz estar com a sensação do dever cumprido nos primeiros 360 dias de gestão. Segundo o executivo, após se desfazer de R$7,4bi em ativos, o foco em 2019 estará principalmente no Brasil e Estados Unidos, operações que juntas representam 90% da receita da empresa;
  • Para as operações americanas, será anunciado ainda em 2018 um pacote de investimento de cinco anos para modernização das suas operações locais. Após a venda de ativos menos rentáveis, a Gerdau permanece com dez fábricas nos EUA. No Brasil, frente ao otimismo com o novo governo, a Gerdau promete reforçar o investimento total, prevendo despender nos próximos anos mais que os R$1,2bi esperados para 2018;
  • Mesmo com a intensificação dos investimentos, Werneck afirmou que a empresa não irá ultrapassar o dogma de endividamento de 2x Dívida Líquida / EBITDA. Reforçamos nossa recomendação de compra para a Gerdau, com um preço-alvo de R$22/ação.

 
Banco BMG decide suspender IPO

  • Segundo o Valor Econômico, o banco mineiro BMG decidiu adiar a oferta inicial de ações (IPO), que teria seu preço definido ontem;
  • A intenção do banco era captar R$2 bilhões para acelerar os projetos que estão em andamento;
  • As condições de mercado justificaram a decisão do banco, que ainda não tem previsão de retomada do processo.

 
Embraer: Boeing pagará US$ 4,2 bi por 80% da Aviação Comercial

  • A Boeing atualizou o valor da JV com a Embraer para US$ 4,2 bi, vs. os US$ 3,8 bi anteriores, para 80% do business de Aviação Comercial;
  • De acordo com a empresa, é esperada uma sinergia anual de US$ 150 mi antes de impostos. Além disso, o acordo dá à Embraer a opção de venda dos 20% remanescentes após dez anos do fechamento da operação;
  • O presidente tem 30 dias para se pronunciar sobre o acordo. Há possibilidade de Michel Temer definir a questão nos próximos dias. Mas, de acordo com o Valor, a prevalecer as expectativas do setor, Jair Bolsonaro é quem tomará a decisão final.

 
Estácio (ESTC3): Executivo da Vale vai presidir a Cia

  • Segundo o Valor Econômico, Eduardo Parente, diretor de Projetos Especiais da Vale, irá assumir o cargo de CEO da companhia no lugar de Pedro Thompson, que ocupava a posição desde 2016;
  • Eduardo Parente já esteve no comando de empresas como: MRS, Prumo Logística, Companhia Siderúrgica do Pecém, além de ter sido sócio da consultoria McKinsey & Company;
  • O objetivo do novo presidente é liderar um processo de expansão por meio de aquisições. Atualmente a Estácio está participando do processo competitivo para a compra da Universidade Positivo, avaliada em R$550 milhões.

COE News

Amazon: Vendedores chineses tentam manipular a plataforma

  • Segundo o Wall Street Journal, alguns vendedores chineses recorrem a técnicas e algoritmos para manipular as listagens de produtos da plataforma online da gigante varejista, com o objetivo de aumentar suas vendas. Avaliações falsas, vendas artificiais e até subornos estão sendo utilizados para enganar consumidores;
  • Usuários da Amazon estão sendo impactados pela sobrecarga de opções na plataforma, com mais de meio bilhão de produtos ofertados, muitas pessoas acabam decidindo por comprar os itens mais vendidos, que aparecem no topo da lista, ao invés de comprar aquilo que realmente precisam;
  • Dirigentes da Amazon informaram que tais táticas violam as regras internas da empresa e que poderão tomar medidas punitivas.

Google: Nova sede será inaugurada em NY

  • A gigante de tecnologia investirá mais de US$ 1 bilhão para estabelecer um novo campus em Nova York. De acordo com a Reuters, a sede deve ser inaugurada até 2022;
  • Com isso, o Google se tornará a segunda grande empresa de tecnologia, além da Amazon, a escolher a capital financeira dos EUA para expandir suas operações, além de criar milhares de empregos.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.