XP Expert

Quarta-feira de fôlego em mercados internacionais e discussões políticas no Brasil

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 0,3% | 97.294 Pontos

CÂMBIO 1,06% | 5,47/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa ganhou força do exterior no final do pregão de ontem, e fechou em alta de 0,31%, aos 97.294 pontos, após uma sessão bastante volátil. Já as taxas futuras de juros encerraram o dia em queda ao longo de toda a curva, principalmente nos vencimentos intermediários. Ajudou no alívio das expectativas a divulgação da ata do Copom, indicando que a taxa Selic deve permanecer baixa por mais tempo. DI jan/21 fechou em 1,94; DI jan/23 encerrou em 4,34%; DI jan/25 foi para 6,29%; e DI jan/27 fechou em 7,25%.

Nessa manhã, mercados globais em alta. Puxada por aéreas e montadoras, Europa (+1,6%) recupera parcialmente as perdas recentes com temores de uma “segunda onda” de confinamento. Nos EUA (+0,5%), bolsas sobem pelo segundo dia seguido, após beirarem território de correção (queda de 10%) na segunda-feira.

Ainda no palco internacional, democratas, republicanos e a Casa Branca chegaram a um acordo orçamentário que permite o funcionamento do governo até 11 de dezembro. O projeto foi aprovado na Câmara dos Representantes por ampla maioria (359 a 57 votos), e deve ser votado no Senado ainda nesta semana. Os partidos devem retomar negociações para o orçamento de 2021 após a eleição.

No Brasil, destaque para o palco político, onde dois temas principais seguem atraindo a atenção. De um lado, o governo intensificou sua ofensiva para convencer a Câmara a discutir uma proposta de recriação do imposto sobre transações, que poderia arrecadar R$ 120 bilhões no ano nas contas do Ministério da Economia. Os recursos seriam usados para bancar a desoneração da folha de pagamentos (integral até um salário mínimo e redução de 20% para 10% acima disso) e o aumento da faixa de isenção do imposto de renda, mas ainda há resistência entre deputados. De outro, seguem as conversas sobre a PEC do Pacto Federativo, que procura encontrar espaço orçamentário para a criação de um novo programa de transferência de renda.

No campo econômico, a conta das dívidas e pagamentos adiados durante a pandemia começa a chegar ao caixa das empresas. Segundo veículos de mídia, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estuda prorrogar a suspensão temporária das cobranças dos pagamentos de dívidas pelo menos para os setores econômicos mais atingidos pela crise. O Banco ainda não detalhou a possibilidade de prorrogação.

Enquanto isso, na agenda de indicadores e eventos do dia, destaque para a divulgação da leitura de setembro do IPCA-15, além dos números da confiança do consumidor calculada pela FGV, e os dados do setor externo de agosto. No exterior, haverá a divulgação do PMI dos EUA. Além disso, o presidente do Fed, Jerome Powell, testemunha no Subcomitê, enquanto a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, participa de evento virtual. Finalmente, do lado das empresas, o Banco do Brasil oficializou ontem a nomeação de André Brandão ao cargo de CEO da companhia. Lembramos que nossa visão é positiva para a chegada de Brandão, pelo fato dele já ter experiência como CEO e ter sido previamente um executivo do ramo em uma instituição onde o corte de custos era foco. Acreditamos que o seu perfil de mercado e experiência sejam bem recebidos pelo mercado.

Tópicos do dia

Coronavírus

Revisamos em agosto o target do Ibovespa para 115.000 pontos
Medidas econômicas para combater o coronavirus no Brasil

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Brasil

  1. Como esperado, em discurso na ONU, Bolsonaro tenta reverter a imagem negativa do país sobre a preservação ambiental

Internacional

  1. Política internacional: Democratas, republicanos e a Casa Branca chegam a um acordo orçamentário
  2. Petróleo: Expectativas do mercado de uma redução de 2,3 milhões de barris nos estoques dos EUA 
    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Petrobras (PETR4): Presidente do STF paralisa julgamento sobre venda de refinarias
  2. Banco do Brasil (BBAS3): Nomeação oficial de André Brandão ao cargo de CEO
  3. Localiza, Unidas (RENT3, LCAM3): Acordo de Incorporação de Ações
  4. Bebidas (ABEV3): volta à tona potencial tributação de refrigerantes

Veja todos os detalhes

Brasil

Como esperado, em discurso na ONU, Bolsonaro tenta reverter a imagem negativa do país sobre a preservação ambiental

  • Em seu discurso de abertura da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) ontem, na tentativa de se eximir das cobranças por recordes de queimadas na Amazônia e no Pantanal, o presidente Jair Bolsonaro fez um discurso defensivo, negando a dimensão das queimadas e acusando estrangeiros de promoverem uma “campanha de desinformação” sobre o tema com “interesses obscuros”;
  • Como esperado, pressionado por investidores e organizações internacionais, Bolsonaro iria mesmo usar seu pronunciamento para tentar reverter a imagem negativa do país sobre a preservação ambiental, em um momento em que o Brasil vive alta nos índices de desmatamento na Amazônia, além de enfrentar incêndios na região e na área do Pantanal;
  • Organizações ambientais e políticos criticaram o discurso de Bolsonaro. Sem citar diretamente o presidente, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, disse que o combate ao desmatamento não é escolha política – e sim dever constitucional, assumido pelo país em acordos internacionais. Por outro lado, o vice-presidente, Hamilton Mourão, concordou com o discurso, dizendo que é preciso “contrapor a desinformação” quanto ao meio ambiente e destacou que a fala do presidente está dentro da visão do governo;
  • Sem poder ignorar o tema, a percepção geral é de que o discurso feito pelo presidente não traz sinalizações de mudanças e insiste nas ações que o governo já tomou, sem modificar a agenda, o que deve, portanto, agregar pouco em termos de atratividade brasileira, não devendo alterar, assim, a visão externa sobre o Brasil. De acordo com dados publicados pela B3, em 2020, os investidores estrangeiros já retiraram R$88,9 bilhões do mercado acionário brasileiro e, no mês de setembro, o fluxo está negativo em R$3,6 bilhões.

Internacional

Política internacional: Democratas, republicanos e a Casa Branca chegam a um acordo orçamentário 

  • Democratas, republicanos e a Casa Branca chegaram a um acordo orçamentário que permite o funcionamento do governo até 11 de dezembro. O projeto foi aprovado na Câmara dos Representantes por ampla maioria nesta terça-feira (24) (359 a 57 votos), e deve ser votado no Senado ainda nesta semana. Os partidos devem retomar negociações para o orçamento de 2021 após a eleição;
  • Ainda sobre pautas da Câmara Alta dos EUA, mais senadores republicanos indicaram que seriam favoráveis a confirmar a candidata de Trump à Corte Suprema antes da eleição presidencial. Dos 7 moderados cujos votos são considerados chave, 5 já se manifestaram a favor de Trump (Mitt Romney, Cory Gardner, Chuck Grassley, Pat Roberts e Lamar Alexander), e apenas 2 disseram ser totalmente contra a votação antes da eleição (Susan Collins e Lisa Murkowski). Sendo assim, Trump teria os votos necessários para a confirmação. No entanto, vale lembrar que a confirmação é um processo complexo e o Senado apenas tem 11 sessões até a eleição, o que implica que os democratas ainda tem chance de adiar o voto;
  • No lado da política externa, em discurso na Assembléia-Geral da ONU, Trump renovou ataques à China e pediu que país seja responsabilizado pela pandemia provocada pelo novo coronavirus. Por sua vez, o destaque do discurso do presidente da China, Xi Jinping, foi o anúncio que o país pretende ser “neutra em carbono” até 2060.  

Petróleo: Expectativas do mercado de uma redução de 2,3 milhões de barris nos estoques dos EUA 

  • O relatório oficial de fornecimento da Agência de Informação de Energia dos EUA (EIA) deve ser publicado hoje às 11:30 da manhã (horário de Brasília), com expectativas do mercado de uma redução de -2,325 milhões de barris nos estoques dos EUA; 
  • Os estoques de petróleo dos EUA caíram -4,389 milhões de barris na semana passada, um resultado melhor que as expectativas de mercado de um aumento de 1,271 milhão de barris. Uma redução de estoques acima do esperado é vista como positiva por indicar uma menor oferta em relação à demanda. Além disso, houve uma redução de -0,381milhões de barris nos estoques de gasolina nos EUA, o que pode indicar um aquecimento nas atividades e maior movimentação de bens e pessoas;
  • Nessa manhã de quarta-feira, a commodity opera em território ligeiramente positivo, em alta de +0,55% em US$41,95 barril (Brent). 

Empresas

Petrobras (PETR4): Presidente do STF paralisa julgamento sobre venda de refinarias

  • Segundo o Valor Econômico, ontem o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, suspendeu o julgamento virtual da matéria que busca impedir a alienação de refinarias da Petrobras, dando mais fôlego às negociações que estão em curso pela estatal. A análise do caso deve ser retomada ainda neste ano, em sessão presencial ou por videoconferência, mas ainda não há data definida;
  • Na segunda-feira, via plataforma eletrônica, os ministros Edson Fachin (relator), Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello já haviam votado para conceder a liminar e proibir a estatal de criar subsidiárias com o único propósito de aliená-las. A matéria chegou ao Supremo em julho, a partir do Senado Federal, que alertou para uma suposta manobra do governo para conseguir vender empresas públicas sem necessidade de aval prévio do Congresso ou de procedimento licitatório – uma espécie de drible à decisão do STF proferida no ano passado. O presidente do Senado, Senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirma que um posicionamento do tribunal é essencial para impedir que a manobra ocorra nos processos de alienação de ativos da Refinaria Landulpho Alves (Rlam) e da Refinaria do Paraná (Repar), que já registra compradores interessados;
  • Acreditamos que o julgamento do STF será tema de grande importância para a avaliação das ações da Petrobras, embora notemos que vemos um risco-retorno positivo nas ações sem assumir a execução do plano de desinvestimentos em nossas estimativas. Mantemos nossa recomendação de Compra, com preços-alvo de12 meses de R$30 e R$29 para PETR4 e PETR3, respectivamente.

Banco do Brasil (BBAS3): Nomeação oficial de André Brandão ao cargo de CEO

  • O Banco do Brasil nomeou oficialmente ontem, o novo presidente da companhia Sr. André Brandão;
  • Sobre o novo CEO, André Brandão é graduado em Ciência da Computação pela Universidade Mackenzie (SP), 34 anos de experiência no mercado financeiro. Previamente, trabalhou no HSBC como chefe global do banco para as Américas e para a Europa e, nesse período, exerceu também os cargos de presidente da corretora do HSBC nos EUA e de presidente do HSBC Brasil. Anteriormente, trabalhou no Citibank como chefe da área de  estruturação de produtos;
  • Por fim, a notícia já era esperada conforme nosso último comentário sobre o assunto. Lembramos que nossa visão é positiva para a chegada de André Brandão pelo fato dele já ter experiência como CEO e ter sido previamente um executivo do ramo, em uma instituição onde o corte de custos era foco. Acreditamos que o seu perfil de mercado e experiência sejam bem recebidos pelo mercado.

Localiza, Unidas (RENT3, LCAM3): Acordo de Incorporação de Ações

  • A Localiza e a Unidas celebraram hoje um Acordo de Incorporação de Ações, o qual prevê a combinação dos negócios de ambas as empresas, criando uma Companhia Combinada, que será a maior empresa no setor de Aluguel de Carros no Brasil;
  • Relação de troca: Na data de consumação da Incorporação de Ações, os acionistas da Unidas receberão 0,44682380 ação ordinária da Localiza em substituição a cada uma ação ordinária da Unidas por eles detida. Os acionistas da Localiza passarão a deter, em conjunto, 76,85% do capital social total e votante da companhia combinada, enquanto os acionistas da Unidas passarão a deter 23,15%;
  • Dividendos: A Unidas poderá distribuir dividendos de até R$ 425 milhões aos seus acionistas, que deverão ser pagos em até 90 dias corridos à partir da data de oficialização do acordo;
  • Financiamento: Adicionalmente ao pagamento de dividendos, a Localiza providenciará a todos os acionistas da Unidas interessados, uma linha de crédito para tomada de financiamento. O valor do financiamento será de até 20% do valor total das ações da Localiza atribuídas para cada acionista da Unidas;
  • Governança: O Conselho da nova companhia será formado por 6 membros indicados pela Localiza, enquanto a Unidas indicará 2 membros para a constituição do Conselho da companhia combinada;
  • O acordo ainda deverá ser aprovado pelos acionistas de ambas as companhias em suas respectivas assembleias gerais e, também, deve ser aprovado pelo CADE.

Bebidas (ABEV3): volta à tona potencial tributação de refrigerantes

  • Segundo o Valor Econômico, foi realizado mais um estudo sobre o efeito elasticidade-preço de uma nova tributação sobre bebidas não alcoólicas adoçadas, categoria que inclui refrigerantes, sucos de caixinha, isotônicos e bebidas à base de leite e chocolate. Para conferir todos os detalhes, acesse o Expresso Alimentos & Bebidas desta semana;
  • Coordenado pelo economista Cláudio Lucinda e realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) a pedido da ACT Promoção da Saúde, o estudo concluiu que uma tributação de 20% sobre a categoria geraria R$ 4,7 bilhões de arrecadação tributária adicional por ano e um acréscimo de R$ 2,4 bilhões ao PIB, em valores de 2018;
  • Tal tributação de 20% se daria por meio de uma Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) e poderia implicar em uma variação da quantidade e do valor consumido de, respectivamente, -20% e -21%; caso a tributação fosse de 35%, esses valores seriam atualizados para -35% e -37%;
  • Entendemos que, por enquanto, se trata da divulgação de um novo estudo, sem efeitos diretos em termos de política pública. Ainda assim, como a ideia converge com o “sugar tax” já mencionado pelo ministro Paulo Guedes, seguiremos monitorando a situação, uma vez que o segmento brasileiro de bebidas não alcoólicas da Ambev representa cerca de 7% do EBITDA da empresa.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.