XP Expert

Otimismo com reforma tributária e viés positivo no exterior devem ditar o tom ao mercado nesta sexta-feira

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 1,22% | 100.553 Pontos

CÂMBIO 0,73% | 5,37/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Nesta quinta-feira, o Ibovespa fechou em queda de 1,22% a 100.553 pontos seguindo as bolsas internacionais em meio a dados econômicos mistos da China e preocupações com a possibilidade de que países sejam obrigados a fazer novas quarentenas para conter o coronavírus. O dólar comercial teve baixa de 1,04% a R$ 5,32. As taxas futuras de juros fecharam a quinta-feira em queda, após movimentos mistos ao longo do dia e nenhuma notícia com força para determinar a trajetória. DI jan/21 ficou em 2,07%; DI jan/23 fechou em 4,09%; e DI jan/25 caiu para 5,56%.

Nos mercados internacionais, tensões com a Rússia: segundo os Estados Unidos, o Canada e o Reino Unido, hackers do país teriam tentado roubar vacina para Covid-19. O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, alertou que investidores em projetos de gasodutos russos poderão ser alvo de sanções como parte da política do governo de conter a influência da Rússia sobre a Europa e a Turquia.

Na Zona do Euro, líderes da UE devem se reunir em pessoa pela primeira vez desde o início da crise nesta sexta-feira para negociar plano de recuperação econômica de EUR 750 bilhões.

No Brasil, em sua fala no terceiro dia da Expert XP 2020, o ministro Paulo Guedes confirmou que irá apresentar na terça-feira ao Congresso a primeira etapa da proposta de reforma tributária do governo, focada apenas na unificação de tributos federais. Com isso, o texto deve ser encaminhado à comissão mista de deputados e senadores. A proposta acontece depois de acordo entre Guedes, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre. Em outros momentos no futuro devem ser encaminhados trechos referentes à taxação de renda, inclusive com cobrança sobre dividendos e redução de imposto de renda da pessoa jurídica, à criação de um imposto sobre pagamentos.

Quando questionado sobre a agenda econômica que será seguida daqui em diante, Guedes disse que, passadas as pautas emergenciais, o ministério da economia poderá se voltar para as discussões reformistas e para o destravamento dos investimentos no país. O ministro ainda afirmou que nos próximos três meses espera acelerar os marcos regulatórios e aprovar pelo menos mais 3 ou 4 grandes privatizações para dar a sinalização de que o governo não abandonou essa agenda. Confira aqui mais detalhes de sua fala.

A agenda de indicadores e eventos do dia traz como destaque a participação do novo secretário do Tesouro, Bruno Funchal, na Expert XP. Nos Estados Unidos serão divulgados dados de confiança do consumidor.

No lado das empresas, iniciamos a cobertura das ações MRV Engenharia (MRVE3) e Tenda (TEND3), ambas com recomendação neutra. No relatório, também detalhamos sobre a dinâmica do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, seus meios de financiamento e nossa visão sobre o setor imobiliário. Para mais detalhes, acesse o relatório completo.

Finalmente, destaque para a Expert XP 2020, o maior evento de investimentos do mundo, agora 100% online e gratuito. O quarto dia contará com presença de Earvin “Magic” Johnson, Nassim Taleb e Adena Friedman.

Confira os destaques e detalhes da agenda de hoje aqui. Inscreva-se aqui!

Tópicos do dia

Expert 2020

Acesse aqui nossa cobertura da Expert 2020
Confira os destaques do primeiro dia de evento
Confira os destaques do segundo dia de evento
Confira os destaques do terceiro dia de evento

Agenda de resultados

Calendário da temporada de resultados 2° tri 2020

Coronavírus

O caso para se comprar Brasil: Rumo aos 110 mil
Medidas econômicas para combater o coronavirus no Brasil

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Brasil

  1. “Vamos à casa do Alcolumbre no próximo dia 21 entregar a reforma tributária”, afirma o ministro Paulo Guedes na Expert XP 2020

Internacional

  1. Política internacional: crescem tensões entre Estados Unidos, Europa e Rússia

    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Fundamentos Sólidos, mas precificado – MRVE3 & TEND3
  2. Saneamento: Deputados e Senadores reagem a vetos na sanção do Novo Marco do Saneamento
  3. EZTec (EZTC3): Companhia reporta sua prévia operacional do 2T20
  4. Tenda (TEND3): Tenda reporta sua previa operacional referente ao 2T20
  5. CSN (CSNA3): Anúncio de um novo contrato de pré-pagamento. Positivo
  6. Ecorodovias (ECOR3): ARTESP revoga decisão que reconhece desequilíbrio em favor da Ecovias
  7. Frigoríficos (JBBS3, MRFG3, BRFS3): produção de carne suína na China segue em queda

Veja todos os detalhes

Brasil

“Vamos à casa do Alcolumbre no próximo dia 21 entregar a reforma tributária”, afirma o ministro Paulo Guedes na Expert XP 2020

  • Em sua fala no terceiro dia da Expert XP 2020, o ministro da Economia, Paulo Guedes enfatizou que o governo focará no discurso de reformas nos próximos meses, a começar com o gesto simbólico de entrega da reforma tributária na próxima terça, 21, na casa do Presidente do Congresso Davi Alcolumbre. De acordo com o ministro, a intenção é começar a reforma pelos pontos onde existe consenso, como a unificação do Pis e Cofins num único imposto de valor agregado (IVA), e diminuir algumas das distorções que existem no sistema tributário atualmente, como a ausência de impostos sobre dividendos;
  • Quando questionado sobre a agenda que será seguida daqui em diante, Guedes disse que, passadas as pautas emergenciais, o ministério da economia poderá se voltar para as discussões reformistas e para o destravamento dos investimentos no país. O ministro afirmou ainda que nos próximos três meses espera acelerar os marcos regulatórios e aprovar pelo menos mais 3 ou 4 grandes privatizações para dar a sinalização de que o governo não abandonou essa agenda. Além disso, o pagamento do auxílio emergencial por mais dois meses, a descoberta de milhões de pessoas até então invisíveis na economia e o anúncio de estímulos creditícios que finalmente estão chegando na ponta devem ajudar a trazer um fôlego adicional para a economia brasileira nos próximos meses;
  • Quando questionado a respeito do teto de gastos, Guedes disse que essa nunca deixou de ser uma das prioridades do governo. Segundo ele, agora que que as três principais fontes de despesa do governo foram controladas (privilégios previdenciários, juros da dívida e gastos com o funcionalismo), as sinalizações para 2021 são positivas. Mas, para manter a sustentabilidade da dívida e não precisarmos alterar o teto, é importante, segundo Guedes, que o governo se volte para as pautas reformistas e que o gasto público seja desindexado, permitindo maior autonomia à classe política;
  • Por fim, em sua participação na Expert XP, o ministro da Paulo Guedes mostrou entusiasmo com a retomada da economia brasileira ao citar todas as medidas adotadas. Fez o diagnóstico dos problemas estruturais da economia brasileira e afirmou que pretende atacá-los no momento que os auxílios emergenciais de renda para as famílias se extinguirem. O cenário de melhora no curto prazo via expectativas e ganho de produtividade e espaço fiscal no longo prazo são determinantes para a análise do chefe da economia. E de acordo com Guedes, enquanto essas pautas continuarem sendo priorizadas, ele permanecerá no governo.

Internacional

Política internacional: crescem tensões entre Estados Unidos, Europa e Rússia

  • Tensões com a Russia: segundo os Estados Unidos, o Canada e o Reino Unido, hackers do país teriam tentado roubar vacina para Covid-19. O Reino Unido também acusou Moscow de interferência na eleição de 2019;
  • O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, alertou que investidores em projetos de gasodutos russos poderão ser alvo de sanções como parte da política do governo de conter a influência da Rússia sobre a Europa e a Turquia;
  • No lado da política doméstica dos EUA, o presidente Donald Trump disse que só aprovaria um novo pacote de estímulo se a folha de pagamentos fosse desonerada em contrapartida, o que deve dificultar ainda mais as negociações entre parlamentares democratas e republicanos;
  • E, na Europa, líderes da UE devem se reunir em pessoa pela primeira vez desde o início da crise nesta sexta-feira para negociar plano de recuperação econômica de EUR 750 bilhões.

Empresas

Fundamentos Sólidos, mas precificado – MRVE3 & TEND3

  • Estamos iniciando a cobertura das incorporadoras de baixa renda, MRV Engenharia (MRVE3) com recomendação NEUTRA e preço-alvo de R$23,00/ação e Construtora Tenda (TEND3) com recomendação de NEUTRA e preço-alvo de R$37,20/ ação
  • Apesar da perspectiva econômica desfavorável no curto prazo decorrente dos impactos do COVID-19, a demanda por imóveis de baixa renda mostrou, mais uma vez, sua resiliência, que acreditamos estar ligada principalmente pelo alto déficit habitacional brasileiro e pelos subsídios fornecidos pelo programa Minha Casa, Minha Vida.
  • A combinação de alta eficiência operacional, demanda abundante e uma estrutura de financiamento mais favorável (em comparação aos financiamentos no segmento de média e alta renda) levou a MRV e a Tenda a apresentarem os maiores retornos do segmento nos últimos anos. Para mais detalhes, acesse nosso relatório completo.

Saneamento: Deputados e Senadores reagem a vetos na sanção do Novo Marco do Saneamento

  • Ontem, publicamos relatório detalhando os vetos realizados pelo Presidente Jair Bolsonaro na sanção do Novo Marco do Saneamento. Dentre os principais fatores de atenção, destacamos (1) que não houve veto ao parágrafo 1º do Artigo 14, sobre a dispensa de anuência dos municípios para propostas de privatização sem alterações em contratos e (2) foi vetado o Artigo 16, que concedia o prazo de 31 de março de 2022 para a renovação de contratos de programa existentes por mais 30 anos, bem como para a oficialização de situações de prestação de serviços sem formalização na forma de contratos de programa;
  • Houve reação significativa no meio político aos vetos realizados, uma vez que estes contrariaram o acordo entre Governo e Congresso para viabilizar a aprovação do Novo Marco do Saneamento sem alterações, principalmente no caso do Senado. Segundo o Valor Econômico, bancadas partidárias dão como certo que o veto ao Artigo 16 seja derrubado na próxima seção deliberativa, restando apenas dúvidas sobre quando o tema será apreciado. Também há receio que a deterioração do clima político transborde para outros vetos e temas de interesse do executivo. O líder do PSD no Senado, Senador Otto Alencar (PSD-BA) afirmou que o governo não precisa contar com o voto dele “para nada” e que “acabou” a confiança de diversos senadores em relação a Executivo. O Senador também demostrou oposição a temas como a recriação da CPMF e a privatização da Eletrobras. O PSD conta com 12 parlamentares no Senado, sendo um dos partidos mais importantes da Casa;
  • A oposição ao veto ao Artigo 16 se deve ao fato de que este permitia que empresas estatais e prefeituras tivessem uma janela adicional para renovar seus contratos, e seria uma saída para que os governos estaduais não precisassem se desfazer de suas companhias a valores demasiadamente baixos. De fato, o veto ao Artigo 16 prejudica potenciais casos de privatização como o da Copasa (recomendação de Venda). O motivo é que o contrato mais relevante da companhia -Belo Horizonte, correspondendo a 30,9% das receitas – tem duração relativamente curta, vencendo em 2034;
  • Uma eventual derrubada do veto ao Artigo 16 não geraria impactos negativos sobre as ações em nossa cobertura (Sabesp, Sanepar e Copasa), apesar de reconhecermos que sua manutenção impede uma transição mais acelerada para uma maior competição pela prestação de serviços de saneamento no Brasil. Por outro lado, notamos que houve tempo considerável para empresas estaduais renovarem seus contratos de programa ou assinarem novos contratos durante todo o tempo de debate do Novo Marco do Saneamento – ilustrado no caso da Sabesp com a assinatura de Contratos com Guarulhos, Santo André e Mauá. Finalmente, ressaltamos que mantemos nossa postura mais conservadora com relação a casos de privatização devido ao tempo necessário para executar transações deste tipo e complexidades relacionadas a cláusulas que implicam nulidade de contratos entre estatais e municípios em caso de desestatização das companhias.

EZTec (EZTC3): Companhia reporta sua prévia operacional do 2T20

  • Vemos a performance operacional no 2T20 como fraca, mas esperada devido aos impactos decorrente do COVID-19. Diferente de outras incorporadoras listadas, a EZTec opera exclusivamente na região metropolitana de São Paulo e foca no segmento de média e alta renda, que foram amplamente impactadas pela crise do COVID-19.  
  • A companhia não lançou nenhum empreendimento no trimestre. No ano, a companhia lançou 3 empreendimentos que somam R$564 milhões de VGV.
  • A companhia reportou impacto severo nas vendas brutas em abril (com apenas R$21 milhões). No entanto, as vendas foram gradualmente acelerando mês a mês, atingindo R$94 milhões em junho. No trimestre, as vendas líquidas atingiram R$123 milhões (-73% t/t e -67% a/a)
  • A velocidade de vendas do trimestre foi consideravelmente mais fraco dado o desempenho das vendas e atingiu o patamar de 6,4% (-14,2 pp t/t e -14,1 pp a/a)
  • Pelo lado positivo, o volume de distratos nos últimos doze meses atingiu R$88 milhões no 2T20, em linha com o trimestre passado.

Tenda (TEND3): Tenda reporta sua previa operacional referente ao 2T20

  • Apesar dos impactos econômicos em razão da crise do COVID-19, vemos sua performance operacional no 2T20 como positiva. O resultado operacional da Tenda reforça, mais uma vez, a resiliência da demanda na habitação popular com o patamar de vendas em níveis superiores ao período pré-pandemia.
  • A companhia lançou 14 empreendimentos totalizando VGV de R$630 milhões no segundo trimestre (+ 6,4% a/a e +280,5% t/t). No entanto, no acumulado do ano, a companhia lançou R$795,8 milhões (-18,6% a/a) após o fraco nível de lançamentos no primeiro trimestre devido às medidas de contenção da pandemia de COVID-19 (desaceleração das aprovações e registros com os órgãos responsáveis)
  • As vendas brutas atingiram o maior patamar da história da companhia, totalizando R$689,2 milhões (+28,4% a/a e +27,4% t/t) e as vendas líquidas atingiram R$576,5 milhões no segundo trimestre (+20,1% a/a e +31,1% t/t). O destaque negativo foi para o nível de distratos que seguiu em patamares acima da média histórica devido às vendas não-repassadas no períodos em que houve impasse entre os agentes do programa MCMV na alocação de recursos para o programa (3T19 e 1T20)
  • A velocidade de vendas seguiu em patamares saudáveis de 30,4% (+1,5pp a/a e +4,9 pp t/t), sendo que a velocidade de vendas dos novos lançamentos se manteve em patamares sólidos atingindo 30% no segundo trimestre.

CSN (CSNA3): Anúncio de um novo contrato de pré-pagamento. Positivo

  • Em nota no fato relevante de 16 de julho, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) anunciou a assinatura de um novo contrato de fornecimento de longo prazo de minério de ferro com a trading suíça Glencore International AG;
  • Em contraste com as duas negociações anunciadas em 2019, o novo contrato prevê o pré-pagamento de US$115 milhões à CSN Mineração em troca do fornecimento de aproximadamente 4 milhões de toneladas em até 5 anos. O contrato também permite que novos valores sejam incrementados, além de já refletir a evolução do perfil de crédito da Companhia;
  • Em termos de alavancagem, temos uma pequena queda na Dívida Líquida/EBITDA 2020E para 3,8x (de 3,9x). No entanto, vemos como positivo o objetivo da empresa de reduzir a dívida. Mantemos nossa recomendação de Compra (preço-alvo de R$14/ação) seguindo nossa perspectiva positiva para os preços do minério de ferro, embora haja algum espaço para correção no segundo semestre com produção mais forte da Vale.

Ecorodovias (ECOR3): ARTESP revoga decisão que reconhece desequilíbrio em favor da Ecovias

  • A Ecorodovias informou ontem que a ARTESP, por meio de decisão publicada no Diário Oficial da União, deliberou por revogar a decisão que reconheceu o desequilíbrio econômico-financeiro devido ao recálculo dos valores de depreciação dos investimentos da Ecovias, o que em parte justifica a performance de ontem do papel;
  • A última apuração apontava para um valor a ser reequilibrado de ~R$ 1,6 bi a valores correntes. E o objetivo agora é formar uma comissão para, em até 90 dias, apurar e consolidar todos os eventos de desequilíbrio pendentes, incluindo a depreciação dos investimentos. Veja nosso comentário completo.

Frigoríficos (JBBS3, MRFG3, BRFS3): produção de carne suína na China segue em queda

  • De acordo com dados do Departamento Nacional de Estatísticas chinês, reportados pela Reuters, a China registrou queda na produção de carne suína pelo 7º trimestre consecutivo, evidenciando o desabastecimento do mercado doméstico como consequência da Febre Suína Africana (ASF, sigla em inglês);
  • A produção de carne suína recuou 4,7% no 2º trimestre de 2020 quando comparado ao mesmo período de 2019, consolidando uma queda de 19,1% no 1º semestre desse ano;
  • A queda na produção da China tem sido o principal estímulo às exportações de proteínas da América do Sul, o que favorece as indústrias exportadoras, como JBS e Marfrig.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.