XP Expert

Mercados reagem positivamente à reabertura parcial da economia nos EUA e Europa

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -2,02% | 78.876 Pontos

CÂMBIO -1,04% | 5,54/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa caiu 2% ontem, aos 78.876 pontos, seguindo ruídos políticos aqui e tensão entre EUA e China. Nesta manhã, mercados internacionais sobem com reabertura parcial da economia dos EUA e Europa. Futuros do S&P 500 operam em alta de 1% e bolsas na Europa sobem 1,2%, após fechamento positivo na Ásia (Hong Kong). Bolsas na China e Japão estão fechadas devido ao feriado.

No Brasil, o foco político se mantém nos desdobramentos da saída de Sergio Moro do governo, em duas frentes principais. Na primeira, da investigação, os destaques são os pedidos da Procuradoria-Geral da República para ouvir três ministros de Jair Bolsonaro e ter acesso ao vídeo de uma reunião mencionada por Moro – além da requisição do ex-ministro para tornar público seu depoimento. Na segunda, no governo e no Judiciário, o foco são as ações do novo diretor da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza, e a discussão no Supremo para que as decisões sobre a suspensão de atos de outro Poder passem a ser tomadas pelo plenário, e não mais de maneira individual.

No Congresso, a Câmara aprovou ontem o primeiro turno da PEC que permite a atuação do Banco Central no mercado secundário de títulos públicos e privados. Houve uma alteração no texto, que deixou de especificar os ativos privados que podem ser negociados pela instituição, ampliando o escopo de sua atuação. Também ficou fora a exigência de contrapartida das empresas beneficiadas por programas emergenciais do governo. Os deputados devem votar hoje o segundo turno, para que o texto possa ser promulgado. Vencida a PEC, está prevista a votação do plano de socorro aos estados e municípios.

O Banco Central aprovou ontem a regulamentação da duplicada eletrônica e lançou o open banking, programa que tem o intuito de estimular a competição entre as instituições financeiras por meio do compartilhamento de dados dos clientes. O programa será implementado em quatro fases, com início em 30 de novembro de 2020 e término em outubro de 2021.

Refletindo as consequências do coronavírus sobre a economia, a venda de veículos novos em abril apresentou queda de 76% na comparação com o mesmo mês do ano anterior e de 66% com relação a março desse ano, o pior resultado mensal para o setor desde fevereiro de 1999. Além disso, o PMI industrial do Brasil caiu de 48,4 pontos em março para 36,0 em abril, o pior resultado histórico do indicador.

No Brasil, a agenda de indicadores do dia traz como destaque a divulgação da produção industrial de março, às 9h. Já no cenário externo, o destaque será a leitura de abril do índice de atividade do setor de serviços dos Estados Unidos, que será divulgada às 11h.

O Itaú reportou ontem à noite um resultado abaixo das expectativas, com lucro de R$ 3,9 bilhões (vs. R$ 5,9 bilhões estimados), queda anual de 43% e um retorno sobre patrimônio líquido de 12,6% (vs. 23% no 4T19). O lucro foi principalmente afetado por um maior provisionamento que visa enfrentar possíveis aumentos na inadimplência; o custo de crédito aumentou 165% anualmente para R$ 10,1 bilhões.

Porém, acreditamos que as medidas conservadoras adotadas pelo banco sejam necessárias, uma vez que 70% da carteira do banco é concentrada no mais arriscado segmento de varejo, e acreditamos que agora o Itaú esteja mais preparado para os eventuais efeitos desta crise. Por fim, esperamos que o banco performe abaixo do Ibovespa hoje, mas reiteramos nossa recomendação neutra e preço-alvo de R$ 30,00/ação, uma vez que acreditamos que um eventual aumento na inadimplência já esteja precificado.

Do lado das commodities, os preços de celulose de fibra curta na China tiveram forte alta na semana (+US$4,1/t), para US$469,3/t. Mantemos nossa visão positiva no longo prazo com recomposição de margens dos produtores de papel na China. Esperamos uma reação positiva das ações de Suzano e Klabin no pregão de hoje.

Tópicos do dia

Coronavírus

Tempos de guerra – revisando o target da Bolsa
Revisão setorial: Novas estimativas e Preços alvo
Varejo e o COVID-19 – Parte 2: Tendências no Brasil e no Mundo
IPCA de março esboça os primeiros efeitos do coronavírus sobre a economia brasileira
Medidas econômicas para combater o coronavirus no Brasil

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Agenda de resultados

EDP (ENBR3): após o fechamento
Temporada de resultados 1° tri 2020: o que esperar?
Clique aqui para acessar nossa visão sobre a temporada de resultados
Clique aqui para acessar o calendário de resultados do 1T20

Brasil

  1. PEC do Orçamento de Guerra é aprovada em primeiro turno
  2. Banco Central e CMN regulamentam oficialmente o Open Banking

Internacional

  1. Política Internacional: OMS diz que que alegação dos EUA de que coronavírus foi criado em laboratório é especulativa

    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Itaú (ITUB4): preparado para a guerra | revisão do 1T20
  2. BB Seg (BBSE3): impactado pelo resultado financeiro | Revisão do 1T20
  3. Porto Seguro (PSSA3): melhor que o lucro indica | Revisão do 1T20
  4. Saneamento: Prévia dos resultados do 1T20
  5. Papel & Celulose: Forte alta no preço da celulose de fibra curta na China
  6. Frigoríficos (JBSS3, MRFG3, BRFS3): atualização quanto ao fechamento de plantas
  7. Cemig (CMIG4): Cemig lança novo Programa de Desligamento Voluntário

Veja todos os detalhes

Brasil

PEC do Orçamento de Guerra é aprovada em primeiro turno

  • A Câmara dos Deputados aprovou ontem, em primeiro turno, a proposta de emenda à Constituição que cria o chamado Orçamento de Guerra, que flexibiliza temporariamente as regras fiscais para facilitar gastos emergenciais durante a crise do novo coronavírus. A expectativa é de que a proposta seja votada em segundo turno ainda hoje, uma vez que o presidente da Casa, Rodrigo Maia, convocou uma nova sessão deliberativa extraordinária para às 11h;
  • Um dos principais pontos da proposta é liberar o governo, temporariamente, do cumprimento da chamada regra de ouro, que impede que a União se endivide para pagar despesas correntes. Além disso, a proposta permite que o governo injete R$ 36 bilhões em fundos garantidores para destravar a liberação de crédito a empresas. Desse valor, R$ 15,9 bilhões serão aportados no Fundo de Garantia de Operações (FGO), gerido pelo Banco do Brasil, e poderão ser utilizados no socorro a micro e pequenas empresas enquadradas no Simples Nacional. Os outros R$ 20 bilhões serão aportados no Fundo Garantidor para Investimentos (FGI), do BNDES, com o intuito de atender às empresas de médio porte;
  • A proposta aprovada ontem também amplia a capacidade do Banco Central (BC) de atuar diretamente no mercado, permitindo que o BC compre títulos públicos e privados de crédito no mercado secundário.

Banco Central e CMN regulamentam oficialmente o Open Banking

  • O Banco Central do Brasil lançou a resolução oficial do open banking, programa que tem o intuito de estimular a competição entre as instituições financeiras por meio do compartilhamento de dados dos clientes e, assim, diminuir a assimetria de informações entre os bancos incumbentes e bancos menores/novos entrantes;
  • Bancos considerados sistematicamente importantes (S1 e S2), que englobam os 5 grandes bancos e outros como Banrisul, serão obrigados a participar. Já Bancos enquadrados como S3 a S6 possuem participação facultativa, porém devem compartilhar as informações caso queiram entrar no sistema. O cronograma se manteve alterado, com implementação em quatro fases e início em 30 de novembro de 2020 e término em outubro de 2021;
  • Nossa visão é negativa para os bancos incumbentes sob nossa cobertura, pois as décadas de informações e relacionamento com clientes são uma vantagem comparativa em modelagem e, consequentemente, em inadimplência. Porém é importante destacar que possuímos pouca visibilidaide sobre o potencial impacto do programa, uma vez que a medida teve efeitos diversos nos locais onde foi implementado e, em alguns locais, teve efeito negativo para competição.

Internacional

Política Internacional: OMS diz que que alegação dos EUA de que coronavírus foi criado em laboratório é especulativa

  • Após acusações do governo americano a China, a OMS afirmou que alegação dos EUA de que coronavírus foi criado em laboratório é especulativa. No fim de semana, o secretário do Estado americano afirmou ter evidências do ocorrido, mas ainda não apresentou provas para o público ou para a OMS, segundo Michael Ryan, diretor de emergências da organização;
  • A OCDE anunciou que estão sendo coordenadas negociações para tributar gigantes digitais como Facebook, Google, Amazon e Apple. Apesar da pandemia atrasar o processo, o acordo deve sair ainda neste ano, segundo a organização.

Empresas

Itaú (ITUB4): preparado para a guerra | revisão do 1T20

  • Itaú (recomendação neutra) postou lucro abaixo das nossas expectativas em R$ 3,9 bilhões (vs. R$ 5,9 bilhões estimados), queda anual de 43% e um retorno sobre patrimônio líquido de 12,6% (vs. 23% no 4T19). O lucro foi principalmente afetado por um maior provisionamento que visa enfrentar possíveis aumentos na inadimplência; o custo de crédito aumentou 165% anualmente para R$ 10,1 bilhões;
  • Porém acreditamos que as atitudes conservadoras adotadas pelo banco sejam necessárias, uma vez que 70% da carteira do banco é concentrada no mais arriscado segmento de varejo, e acreditamos que agora o banco esteja mais preparado para os eventuais efeitos desta crise;
  • Por outro lado, impostos ajudaram o resultado com uma alíquota efetiva de 20% (vs. 26% no último trimestre e contra uma alíquota teórica de 45% aplicada no trimestre devido ao aumento da CSLL no último trimestre), uma vez que os benefícios de juros sob capital próprio pagos ficarm proporcionalmente mais importantes devido ao menor lucro do trimestre. No mais, as linhas de receita e despesas vieram conforme esperado;
  • Por fim, esperamos que o banco performe abaixo do índice na próxima negociação, mas reiteramos nossa recomendação neutra e preço-alvo de R$ 30,00 para o banco, uma vez que acreditamos que um eventual aumento na inadimplência já esteja precificado. Clique aqui para acessar nosso relatório completo.

BB Seg (BBSE3): impactado pelo resultado financeiro | Revisão do 1T20

  • A BB Seguridade (recomendação de compra) reportou ontem um fraco resultado neste primeiro trimestre de 2020, 12% abaixo das expectativas de mercado. O resultado foi principalmente impactado pelo resultado financeiro dos negócios de seguro e de previdência, que sofreram com a menor SELIC e descasamento entre ativos e passivos;
  • Além disso, a seguradora descontinuou seu guidance para 2020 dada a incerteza causada pela pandemia do coronavírus. Porém mantemos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$ 35,00 devido ao risco-retorno favorável e um possível dividend yield atrativo. Clique aqui para acessar nosso relatório completo.

Porto Seguro (PSSA3): melhor que o lucro indica | Revisão do 1T20

  • A Porto Seguro acaba de postar um lucro abaixo do esperado neste primeiro trimestre de 2020 (1T20), caindo 24% anualmente para R$ 228 milhões. O retorno sobre patrimônio líquido veio em 12,3% (vs. 20,1% no 4T19 e 17,6% nno 1T19);
  • A queda tem como fundamento o resultado financeiro que saiu de R$ 271 milhões no 1T19 para negativo R$ 2 milhões neste trimestre, impactado pelos investimentos em renda variável, que teve forte queda desde o início da crise do coronavírus. Reiteramos nossa recomendação neutra e preço-alvo de R$ 49,00. Clique aqui para acessar nosso relatório completo.

Saneamento: Prévia dos resultados do 1T20

  • Ontem, publicamos nossa prévia de resultados do 1T20 para o setor de saneamento básico (excluído Copasa, que já havia divulgado resultados na semana passada);
  • Esperamos que Sabesp e Sanepar divulguem fortes resultados operacionais (isto é, até a linha de EBITDA) com base em notícias referentes a um aumento de consumo de água por questões de higiene, no contexto da pandemia do coronavírus. Dito isso, também notamos que o lucro da Sabesp seja significativamente impactado pela variação monetária da parcela de dívida em moeda estrangeira (R$6,36 bilhões), tendo em vista a desvalorização do real de -30% ao longo do trimestre;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra nas units da Sanepar, com preço-alvo de R$33/unit (inalterado) e recomendação Neutra nas ações da Sabesp, com preço-alvo de R$53/ação (era R$54/ação anteriormente);
  • Clique aqui para acessar nossa prévia.

Papel & Celulose: Forte alta no preço da celulose de fibra curta na China

  • Os preços de celulose de fibra curta na China tiveram forte alta na semana (+US$4,1/t), para US$469,3/t. Mantemos nossa visão positiva no longo prazo com recomposição de margens dos produtores de papel na China;
  • Esperamos uma reação positiva das ações de Suzano e Klabin no pregão de hoje. Temos recomendação de Compra para ambos os nomes, com preço-alvo de R$43 e R$18.5/ação para Suzano e Klabin, respectivamente.

Frigoríficos (JBSS3, MRFG3, BRFS3): atualização quanto ao fechamento de plantas

  • Segundo o Valor Econômico, o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul pediu ontem à Justiça a interdição por 15 dias dos frigoríficos da BRF e da Minuano localizados no município de Lajeado. O MP argumenta que as unidades constituem “foco de disseminação e propagação do coronavírus” na cidade. Com menos de 80 mil habitantes, Lajeado é o terceiro município gaúcho mais afetado pela covid-19, só atrás da capital Porto Alegre e de Passo Fundo, onde está sediado um abatedouro da JBS que foi interditado em meados de abril. A BRF informou não ter sido notificada sobre o pedido de interdição da unidade e lembrou que atua em uma atividade essencial e que, por isso, continua operando;
  • Segundo o G1, a unidade de bovinos da JBS em Greeley, no estado americano do Colorado, teria tido novo surto de coronavírus. A planta voltou a operar no dia 24 de abril, depois de ter sido fechada por duas semanas. Os casos confirmados entre os trabalhadores da unidade aumentaram de 120 no dia 26 para 245 até o dia 29 de abril, disse uma porta-voz do sindicato dos funcionários da empresa à Reuters, alertando para os riscos de reabertura dos frigoríficos nos Estados Unidos;
  • Finalmente, segundo a Reuters, a Smithfield Foods, maior processadora de carne suína do mundo, teria retomado operações parcialmente ontem na fábrica de Sioux Falls, no estado americano da Dakota do Sul, depois de fechar no mês passado por causa da pandemia de coronavírus. A Smithfield teria reaberto os departamentos de limpeza noturna e carne suína moída da fábrica, e cerca de 250 dos 3.700 trabalhadores teriam voltado ao trabalho, disse uma porta-voz do sindicato de funcionários da empresa. A empresa planejaria reiniciar gradualmente mais operações e não teria retomado o abate de suínos, segundo o sindicato. A Smithfield disse em comunicado que não havia retomado as operações na instalação, responsável por cerca de 5% da produção suína dos EUA.

Cemig (CMIG4): Cemig lança novo Programa de Desligamento Voluntário

  • Ontem a Cemig lançou um novo Programa de Desligamento Voluntário Programado (PDVP) para seus funcionários, com o intuito de reduzir custos. Segundo a Reuters, o plano mira trabalhadores que completem em 2020 ao menos 25 anos de serviços na empresa ou suas subsidiárias;
  • A Cemig não informou metas do plano ou projeções de adesão, tendo apenas destacado que o PDVP do ano passado teve adesão de aproximadamente 600 funcionários e proporcionou economia anual de cerca de R$150 milhões. Segundo a Reuters, fontes apontam que cerca de 1000 funcionários se enquadrariam aos critérios, enquanto o objetivo da Cemig com o programa seria obter cerca de 400 adesões. Os desligamentos associados ao plano têm início previsto a partir de junho de 2020, de acordo com o documento da empresa;
  • Vemos a iniciativa como positiva para a Cemig em vista do potencial de redução de custos, o que consideramos importante no atual cenário desafiador para a companhia. Mantemos nossa recomendação Neutra em Cemig, com preço-alvo de R$ 11/ação.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.