Ibovespa interrompe sequência de altas

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA -0,8% | 129.787 Pontos

CÂMBIO -0,2% | 5,03/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa interrompeu sequência de 8 altas e voltou aos 129 mil pontos ontem. A baixa pode ser facilmente atribuída a uma realização de ganhos, uma vez que depois de tantos dias positivos é normal que os investidores decidam embolsar lucros zerando em parte ou totalmente suas posições compradas. O dólar ficou estável.

Já as taxas futuras de juros, que haviam apresentado queda pela manhã, fecharam a sessão de ontem em relativa estabilidade. A retração nos juros das Treasuries norte-americanas, que ditou o tom no início do pregão, foi ofuscada pela sinalização do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que o pagamento do auxílio emergencial deverá ser estendido em dois ou três meses, seguido pela reformulação do Bolsa Família. DI jan/22 fechou em 5,115%; DI jan/24 foi para 7,36%; DI jan/26 encerrou em 8,03%; e DI jan/28 fechou em 8,46%.

Os mercados globais amanhecem em mais um dia sem movimentos expressivos (EUA +0,1% e Europa 0%) na falta de catalisadores de preços. O S&P 500 fechou em seu 3º patamar recorde e, na China (+0,1%), maior alta dos preços ao produtor em 13 anos aumenta pressão sobre uma atuação mais firme do governo no mercado de commodities

Do lado político, as negociações entre a Casa Branca e a principal negociadora do partido republicano pelo pacote de infraestrutura foram encerradas nesta terça-feira (9). Ainda há uma tentativa de acordo sendo impulsionado por grupo de parlamentares dos dois partidos, mas líderes democratas já se preparam para avançar via reconciliation (manobra que permite esquivar obstrução da minoria no Senado). 

Reiteramos que o cenário mais provável é de não haver acordo entre os partidos, portanto, o foco de agora em diante deve ser as negociações entre democratas. Os senadores Manchin e Sinema, cujos votos são precisos para aprovar o projeto no Senado, são os mais resistentes aos gastos e aumentos tributários propostos por Biden e devem ser chave no processo.

Ainda nos EUA, a política industrial ganha força. O Senado aprovou um projeto de lei para investir pesadamente em manufatura e tecnologia.

No Brasil, o ministro Paulo Guedes confirmou ontem a disposição do governo de estender o auxílio emergencial por “dois ou três meses”– a definição depende do tempo necessário para operacionalização do novo programa social que deve ser implementado no lugar do Bolsa Família. O governo trabalha para anunciar a prorrogação do auxílio até a semana que vem – o formato, o valor e o número de famílias beneficiadas seriam os mesmos do programa atual. Já na reforma tributária, o ministro acenou com a possibilidade de que o governo patrocine a criação de alíquotas diferentes para os setores de comércio e serviços dentro da CBS, o tributo fruto da unificação de PIS e Cofins que é discutido em projeto de lei já enviado pelo governo.

Na agenda, os destaques de hoje são o IPCA de maio e as discussões da privatização da Eletrobrás no Senado.

Do lado das empresas, estamos iniciando a cobertura de Arezzo & Co. (ARZZ3) com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 110,0/ação para o fim de 2021 (link). Trazemos como os principais destaques do nosso relatório: i) estimativa do potencial adicional com as opcionalidades de crescimento, olhando para as iniciativas Arezzo Bambini, Brizza e vestuário na Schutz; ii) análise do que a Reserva pode se tornar, olhando para os diferenciais da Uniqlo e estimando o potencial risco positivo dos segmentos infantil e feminino; iii) mapeamento dos potenciais alvos de fusões/aquisições da companhia; e iv) nossa análise completa ESG.

Tópicos do dia

Acesse aqui o relatório internacional

Economia

  1. A política industrial ganha força nos EUA. O Senado aprovou um projeto de lei para investir pesadamente em manufatura e tecnologia. No Brasil, o governo confirmou a extensão do Auxílio Emergencial por pelo  menos mais dois meses. Os destaques de hoje são o IPCA de maio e as discussões da privatização da Eletrobrás no Senado

Política

  1. Paulo Guedes confirma disposição do governo de estender auxílio por mais ‘dois ou três meses’
  2. Política internacional: negociações entre Casa Branca e republicanos

Empresas

  1. Arezzo&Co. (ARZZ3): Colocando o pé em novos mercados; Iniciando com Compra
  2. Vale (VALE3): Vale antecipa pagamento de US$ 2 bilhões para acelerar desinvestimento em mina de carvão
  3. Magalu (MGLU3): Aquisição da Bit55
  4. Lavvi (LAVV3): Forte performance de vendas do projeto Villa Versace 
  5. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  6. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

ESG

  1. Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG
  2. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 09/06

Veja todos os detalhes

Economia

A política industrial ganha força nos EUA. O Senado aprovou um projeto de lei para investir pesadamente em manufatura e tecnologia. No Brasil, o governo confirmou a extensão do Auxílio Emergencial por pelo  menos mais dois meses. Os destaques de hoje são o IPCA de maio e as discussões da privatização da Eletrobrás no Senado

  • O Senado dos Estados Unidos aprovou por larga margem um projeto de lei para investir quase US$250 bilhões em manufatura e tecnologia. O projeto autoriza, por exemplo, US$190 bilhões em universidades e outras instituições de pesquisa. O objetivo é enfrentar a competição da China;
  • Os preços do petróleo continuam subindo, apoiados por um forte crescimento global. O petróleo WTI está sendo negociado acima de US$70 o barril, enquanto o Brent ultrapassa US$72. A alta dos preços do petróleo alimenta preocupações com a inflação global;
  • A inflação ao consumidor na China em maio ficou abaixo das expectativas. O IPC aumentou 1,3% a/a, contra 1,6% esperado. No atacado, a pressão continua. O Índice de Preços ao Produtor aumentou 9% a/a, acelerando de 6,8% em abril;
  • No Brasil, as vendas do varejo ampliado cresceram 3,8% mês/mês em abril (41,0% a/a), muito acima da nossa estimativa (2,3% m/m; 37,8% a/a) e do consenso mercado (2,1% m/m; 37,0% a/a). A discrepância entre a nossa expectativa e o resultado real foi principalmente devido ao aumento das vendas de ‘eletrodomésticos’ e de ‘outros artigos pessoais e domésticos’. Em nossa opinião, a (forte) recuperação das vendas no varejo após a queda observada em março decorreu principalmente do (i) relaxamento das restrições de mobilidade a partir de meados de abril; (ii) retomada da confiança do consumidor; e (iii) nova rodada de transferências emergenciais de dinheiro para pessoas pobres e vulneráveis. Acreditamos que as vendas no varejo ampliado continuaram em trajetória de recuperação em maio;
  • O ministro Paulo Guedes confirmou ontem que o programa Auxílio Emergencial será prorrogado até setembro, pelo menos. A prorrogação será financiada por crédito extraordinário, o que significa que ficará acima do teto de gastos;
  • No dia, o destaque fica por conta da inflação do IPCA de maio, no final da manhã. Esperamos 0,73%, consenso de mercado 0,71%. O mercado também acompanhará as discussões da privatização da Eletrobrás no Senado.

Política

Paulo Guedes confirma disposição do governo de estender auxílio por mais ‘dois ou três meses’

  • O ministro Paulo Guedes confirmou ontem a disposição do governo de estender o auxílio emergencial por “dois ou três meses”– a definição depende do tempo necessário para operacionalização do novo programa social que deve ser implementado no lugar do Bolsa Família. O governo trabalha para anunciar a prorrogação do auxílio até a semana que vem – o formato, o valor e o número de famílias beneficiadas seriam os mesmos do programa atual. Já na reforma tributária, o ministro acenou com a possibilidade de que o governo patrocine a criação de alíquotas diferentes para os setores de comércio e serviços dentro da CBS, o tributo fruto da unificação de PIS e Cofins que é discutido em projeto de lei já enviado pelo governo.

Política internacional: negociações entre Casa Branca e republicanos

  • As negociações entre a Casa Branca e a principal negociadora do partido republicano pelo pacote de infraestrutura foram encerradas nesta terça-feira (9). Ainda há uma tentativa de acordo sendo impulsionado por grupo de parlamentares dos dois partidos, mas líderes democratas já se preparam para avançar via reconciliation (manobra que permite esquivar obstrução da minoria no Senado);
  • Reiteramos que o cenário mais provável é de não haver acordo entre os partidos, portanto, o foco de agora em diante deve ser as negociações entre democratas. Os senadores Manchin e Sinema, cujos votos são precisos para aprovar o projeto no Senado, são os mais resistentes aos gastos e aumentos tributários propostos por Biden e devem ser chave no processo;
  • Também nesta terça-feira, o Senado americano aprovou uma série de medidas com custo total de USD 250 bilhões que visam impulsionar manufatura e tecnologia no país para se contrapor à China;
  • Notamos ainda que o panorama permanece adverso para aprovação no Parlamento americano do acordo do G-7 sobre imposto mínimo para multinacionais. Já no Reino Unido, líderes fazem lobby para isenção do setor financeiro do imposto;
  • Na seara diplomática, a União Europeia e os EUA devem se comprometer a encerrar as batalhas comerciais pendentes quando se reunirem na próxima terça-feira (15).

Empresas

Arezzo&Co. (ARZZ3): Colocando o pé em novos mercados; Iniciando com Compra

  • Estamos iniciando a cobertura de Arezzo & Co. (ARZZ3) com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 110,0/ação para o fim de 2021;
  • Nós temos uma visão construtiva uma vez que (i) ela é uma empresa de alta qualidade com perspectivas sólidas de crescimento orgânico além de contar com diversas opcionalidades de crescimento (com a entrada em infantil, chinelos e vestuário feminino); (ii) ela está bem posicionada para se beneficiar da retomada/recuperação econômica dado que acreditamos que a categoria de calçados foi duramente despriorizada em 2020, principalmente no que diz respeito a sapatos sociais/casuais (foco da Arezzo); e (iii) o papel está negociando 25,2x P/L 2022e, o que é um desconto de 20% vs. a média de 3 anos e um desconto e 8% aos pares;
  • Trazemos como os principais destaques do nosso relatório: i) estimativa do potencial adicional com as opcionalidades de crescimento, olhando para as iniciativas Arezzo Bambini, Brizza e vestuário na Schutz; ii) análise do que a Reserva pode se tornar, olhando para os diferenciais da Uniqlo e estimando o potencial risco positivo dos segmentos infantil e feminino; iii) mapeamento dos potenciais alvos de fusões/aquisições da companhia; e iv) nossa análise completa ESG. Clique aqui para ser o relatório completo.

Vale (VALE3): Vale antecipa pagamento de US$ 2 bilhões para acelerar desinvestimento em mina de carvão

  • Em comunicado divulgado ontem (8), a Vale informou que liquidará antecipadamente os passivos referentes ao Project Finance do Corredor Logístico de Nacala (CLN) que atende uma mina de carvão em Moçambique. O pagamento de aproximadamente US$2,5 bilhões está previsto para 22 de junho e, segundo a Vale, formaliza-se o cumprimento de todas as condições para a aquisição das participações da Mitsui na mina de carvão de Moatize e no corredor logístico;
  • Com a conclusão, o EBITDA não será mais onerado com custos relacionados ao serviço da dívida, investimento na manutenção das operações e outros encargos que em 2020 impactaram seu resultado em cerca de US$ 300 milhões;
  • Ressaltamos nossa perspectiva positiva para a Vale, uma vez que o acordo representa mais um passo para o desinvestimento responsável da Vale no negócio de carvão, com a simplificação da governança e gestão dos ativos. Temos a recomendação de Compra para Vale com preço-alvo de R$122 por ação.

Magalu (MGLU3): Aquisição da Bit55

  • A Magalu anunciou a aquisição da Bit55, plataforma de tecnologia para processamento de cartões de crédito e débito na nuvem, construída pelo Banco BS2. Segundo a empresa, as soluções da Bit55 possuem capacidade de processamento de mais de 2 mil transações por segundo e  possibilitam a emissão de cartões em minutos, além de oferecerem a estrutura para a gestão de portfólios de cartões de crédito;
  • A aquisição está em linha com a estratégia da empresa de complementar os serviços oferecidos pela Hub Fintech, que poderá oferecer a emissão de cartões de crédito e débito;
  • Enxergamos a transação como positiva, mas não deve ter impacto financeiro relevante para os resultados no curto prazo. Mantemos a nossa recomendação neutra e preço-alvo para o fim de 2021 de R$ 27,0/ação.

Lavvi (LAVV3): Forte performance de vendas do projeto Villa Versace 

  • Lavvi reportou forte performance de vendas do seu recém lançamento Villa Versace, seu principal projeto de alto padrão com VGV de R$632 milhões. Após uma semana do lançamento, a companhia já vendeu 60% do seu VGV, com performance sólida em todos os segmentos, desde studios até apartamentos maiores;
  • Reiteramos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$11,50/ação, visto que o sólido desempenho de vendas deve impulsionar os resultados financeiros da companhia nos próximos trimestres.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Radar ESG | Arezzo & Co. (ARZZ3): Caminhando com seus próprios passos pela agenda ESG

  • Dado o entendimento do setor de moda e vestuário como um grande influenciador de sustentabilidade, seria negligente pensar que o setor como um todo seria capaz de escapar do crescente interesse e demanda à cerca de áreas-chave como produção, cadeia de valor e força de trabalho. Diante desse movimento, as empresas de vestuário e calçados estão reconhecendo a necessidade de atender ao interesse dos investidores e consumidores que desejam entender melhor e opinar sobre como seus pertences são obtidos, produzidos e reciclados. E a Arezzo está caminhando nessa direção. Para este setor, vemos a frente Social como a mais importante das três, seguida pelo pilar Governança e Ambiental, respectivamente;
  • Vemos com bons olhos os esforços e compromissos da Arezzo & Co. na agenda ESG, principalmente na frente G, enquanto esperamos ver mais avanços adiante nos pilares E e S. Na frente E, destacamos o Sistema de Gestão Ambiental da empresa, porém vemos espaço para melhorias no que diz respeito à eficiência energética e às emissões de gases do efeito estufa. Em relação ao S, ressaltamos as iniciativas para promoção da diversidade, enquanto esperamos divulgação mais detalhada em relação às políticas para gestão da força de trabalho na cadeia de suprimentos;
  • Por fim, no G, notamos que a Arezzo é uma empresa familiar, controlada pela Família Birman, o que, em nossa opinião, é uma alavanca de valor única para a marca. Além disso, recebemos de forma positiva que (i) as ações da empresa são listadas no segmento do Novo Mercado; (ii) o Conselho de Administração da Arezzo tem 3 membros independentes de 7; e (iii) as mulheres representam 33% e 29% da Diretoria e Conselho da empresa, respectivamente. Neste relatório, destacamos os tópicos ESG que vemos como os mais importantes para o setor de Vestuário & Calçados e analisamos como a Arezzo & Co. (ARZZ) se posiciona quando o tema é ESG. Clique aqui para ler o conteúdo completo.

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 09/06

  • Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança;
  • Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance histórica do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP;
  • Por que essas informações são importantes? Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.