XP Expert

Coronavírus continua preocupante; Revisão das Top 10 ações XP e panorama de mercado para abril

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -2,17% | 73.020 Pontos

CÂMBIO -0,23% | 5,21/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em queda de 2,2%, ontem aos 73.019 pontos, consolidando uma baixa de 29,9% em março, o pior mês desde agosto de 1998, quando caiu 39,5%.

Após surpresa positiva no PMI ‘oficial’ da China, o da Markit confirmou o bom resultado ao subir de 40.3 pontos em fevereiro para 50.1 pontos em março, superando as expectativas, que eram de um avanço para 45.0 pontos.

Acreditamos que o mercado olhará para o resultado com bons olhos, mas vale ressaltar que, por ser um índice de difusão, existem duas situações possíveis que podem ter levado o PMI a retornar para a linha dos 50 pontos. A primeira é se 50% das empresas consultadas tiverem reportado uma melhora das condições financeiras, enquanto as demais tiverem reportado deterioração. A segunda é se, para 100% das empresas consultadas, as condições financeiras não tiverem sofrido alterações, o que, nesse momento, poderia ser um sinal negativo.


Porém, a grande preocupação continua nos dados de avanço do número de casos e mortes pelo coronavírus nos EUA e Europa. A mudança de discurso de Trump, que ontem disse que “serão duas semanas dolorosas”, é resultado dos dados alarmantes de que dispõe a Casa Branca.

Ontem os coordenadores da resposta ao coronavírus no governo americano falaram de 100 a 200 mil mortes e mostraram um slide com projeção de 240 mil mortes, mesmo com medidas de distanciamento social. Para combater os efeitos na economia, depois de aprovar US$ 2 trilhões, Casa Branca e democratas buscam medidas para serem reunidas em um possível novo plano.

Nesta manhã, futuros nos EUA e bolsas na Europa caem quase 3% (puxadas pelo setor bancário, que não poderá pagar dividendos ou recomprar ações), após fechamento negativo dos mercados asiáticos; China -0,3%, Hong Kong -2,2% e Japão -4,5%. O primeiro trimestre deste ano fechou com o pior desempenho do índice da bolsa americana Dow Jones desde 1987 e o pior desempenho do S&P 500 desde 2008.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro fez ontem seu quarto pronunciamento em rede de TV desde o início da crise. Em tom mais moderado do que o adotado nos últimos dias, pediu um pacto contra a pandemia e falou na preocupação em salvar vidas. O ajuste é resultado do isolamento a que o presidente foi submetido pela postura radical que adotou até aqui. Agora, ele não deixa de lado a defesa da retomada da economia e da preservação de empregos, mas ajusta a fala a um tom menos agressivo.

Depois da aprovação pela Câmara e pelo Senado do voucher de R$ 600 para trabalhadores informais, Legislativo e Executivo agora se desentendem sobre a sanção do projeto – que ainda não aconteceu. Paulo Guedes diz que é necessária a aprovação da PEC do Orçamento de Guerra, enquanto Rodrigo Maia sustenta que a decisão do Supremo que suspendeu trechos da Lei de Responsabilidade Fiscal é suficiente.

Na agenda de hoje, o destaque será a divulgação do PMI industrial de março, que deve trazer as primeiras sinalizações de qual tem sido a magnitude da desaceleração econômica causada pelo coronavírus no Brasil. Além disso, também será divulgada a produção industrial de fevereiro.

Howard Marks, uma das lendas do mercado financeiro e fundador da Oaktree Capital, nos trouxe duas lições importantes na Live que fizemos com ele essa semana: 1) Períodos de crise como o que estamos vivendo trazem várias oportunidades de investimento, e maior retorno está em fazer aquilo que outras pessoas têm medo de fazer, e 2) No curto prazo, sua visão é cautelosa, pois o mundo está entrando em um território que não é conhecido, com um grande choque de oferta e demanda ao mesmo tempo nas principais economias do mundo.

Temos uma visão parecida aqui na XP, com recomendação de cautela no curto prazo, pois a volatilidade deve permanecer elevada, porém com otimismo em relação à volta das economias no 2º semestre e em 2021, o que traz uma série de oportunidades.

O mês de março foi de muita incerteza e volatilidade nos mercados, devido à preocupação quanto aos impactos do coronavírus. Dado que os impactos das restrições de movimentação de pessoas e quarentenas começaram fortemente no Brasil e ainda é incerto por quanto tempo teremos essas paralisações, resolvemos fazer 5 trocas na nossa carteira mensal: Ecorodovias, Cyrela, Lojas Renner, Via Varejo e Iguatemi por JBS, Marfrig, Vale, Suzano e Grupo Pão de Açúcar.

Tópicos do dia

Coronavírus

Tempos de guerra – revisando o target da Bolsa
Revisão setorial: Novas estimativas e Preços alvo
Live com o Ministro Paulo Guedes
Os efeitos do coronavírus na economia
Pesquisa XP Março: Qual é o impacto do coronavírus nas empresas do Brasil?
Medidas econômicas para combater o coronavirus no Brasil

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Brasil

  1. Política Brasil: Bolsonaro pede pacto contra pandemia em pronunciamento
  2. MP para o financiamento do salário de funcionários de pequenas empresas deve sair hoje

Internacional

  1. Petróleo: Expectativa de mercado de um aumento de 3,997 milhões de barris nos estoques dos EUA
  2. PMI industrial chinês sobe para 50,1 em março

Empresas

  1. Panorama de Mercado XP: Bolsa em abril – O que você precisa saber para investir
  2. Setor elétrico: Distribuidoras notificam geradoras sobre “força maior”
  3. BRF (BRFS3): empresa contrata linha de financiamento de R$ 1,4 bilhão para reforçar sua liquidez

Fundos de Investimento

  1. Carteira Recomendada de Fundos Imobiliários de Abril

Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Bolsonaro pede pacto contra pandemia em pronunciamento

  • O presidente Jair Bolsonaro fez ontem seu quarto pronunciamento em rede de TV desde o início da crise. Em tom mais moderado do que o adotado nos últimos dias, pediu um pacto contra a pandemia e falou na preocupação em salvar vidas. O ajuste é resultado do isolamento a que o presidente foi submetido pela postura radical que adotou até aqui. Agora, ele não deixa de lado a defesa da retomada da economia e da preservação de empregos, mas ajusta a fala a um tom menos agressivo;
  • Depois da aprovação pela Câmara e pelo Senado do voucher de R$ 600 para trabalhadores informais, Legislativo e Executivo agora se desentendem sobre a sanção do projeto – que ainda não aconteceu. Paulo Guedes diz que é necessária a aprovação da PEC do Orçamento de Guerra, enquanto Rodrigo Maia sustenta que a decisão do Supremo que suspendeu trechos da Lei de Responsabilidade Fiscal é suficiente.

MP para o financiamento do salário de funcionários de pequenas empresas deve sair hoje

  • O presidente do BC, Roberto Campos Neto, afirmou ontem que a MP que propõe a criação de uma linha de crédito de R$ 40 bilhões para o financiamento do salário de empregados de pequenas empresas deve sair hoje;
  • A medida, anunciada na semana passada, determina que, durante dois meses, serão disponibilizados R$ 20 bilhões às empresas com faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões;
  • De acordo com Roberto Campos, 85% da linha será bancada pelo Tesouro Nacional, enquanto os demais 15% serão bancados por bancos privados. A operacionalização ficará sob responsabilidade do BNDES. 

Internacional

Petróleo: Expectativa de mercado de um aumento de 3,997 milhões de barris nos estoques dos EUA

  • O relatório oficial de fornecimento da Agência de Informação de Energia dos EUA (EIA) deve ser publicado hoje ao meio dia (horário de Brasília), com uma expectativa de mercado de um aumento de 3,997 milhões de barris nos estoques dos EUA;
  • Os estoques de petróleo dos EUA cresceram 1,6 milhões de barris na semana passada, abaixo da expectativa de mercado de 2,7 milhões de barris. Notamos que pode haver um espaço de tempo até que a queda significativa de demanda monitorada se reflita em dados de estoques;
  • Nessa manhã de quarta-feira, a commodity opera em território negativo em queda de -1.8%, aos US$25,4/barril.

PMI industrial chinês sobe para 50,1 em março

  • O PMI industrial chinês divulgado pela IHS Markit passou de 40,3 em fevereiro para 50,1 em março. A leitura acima de 50 pontos confirmou a mensagem de expansão da atividade econômica do país;
  • Acreditamos que o mercado olhará para o resultado com bons olhos, mas vale ressaltar que, por ser um índice de difusão, existem duas situações possíveis que podem ter levado o PMI a retornar para a linha dos 50 pontos. A primeira é se 50% das empresas consultadas tiverem reportado uma melhora das condições financeiras, enquanto as demais tiverem reportado deterioração. A segunda é se, para 100% das empresas consultadas, as condições financeiras não tiverem sofrido alterações, o que, nesse momento, poderia ser um sinal negativo;
  • Continuaremos monitorando de perto os próximos indicadores divulgados para entender qual tem sido a magnitude da desaceleração econômica causada pela pandemia do coronavírus.

Empresas

Panorama de Mercado XP: Bolsa em abril – O que você precisa saber para investir

  • O mês de março foi de muita incerteza e volatilidade nos mercados. O Ibovespa chegou a acumular queda de 39% até o dia 23, com seis circuit breakers em apenas oito pregões, seguindo a deterioração nos mercados globais, devido à preocupação quanto aos impactos do coronavírus;
  • Dado que os impactos das restrições de movimentação de pessoas e quarentenas começaram fortemente no Brasil e ainda é incerto por quanto tempo teremos essas paralisações, resolvemos fazer 5 trocas na nossa carteira mensal;
  • No relatório, também comentamos sobre a live exclusiva que fizemos com Howard Marks, o lendário investidor americano fundador da Oaktree Capital Management. Clique aqui para acessar o Panorama de Mercado XP.

Setor elétrico: Distribuidoras notificam geradoras sobre “força maior”

  • Segundo informações do portal de notícias especializado no setor de infraestrutura, Agência Infra, as concessionárias de distribuição de energia de todo o país enviaram a geradoras de energia notificações de eventos de “força maior”, o que poderia isentá-las de repassar recursos relacionados à compra de energia;
  • A medida não quer dizer que as distribuidoras ficarão inadimplentes junto aos agentes geradores, mas foi uma medida recomendada pelo departamento jurídico das companhias dado que ontem era o último dia do mês, data em que se repassam os recursos. O motivo é a queda de faturamento significativo das distribuidoras, principalmente desde que a ANEEL vetou cortes de energia para classes residenciais por 90 dias em meio à crise desencadeada pelo coronavírus;
  • Notícias apontam que distribuidoras e governo estão negociando um pacote de socorro de R$15 bilhões às distribuidoras. Acreditamos que a utilização de recursos arrecadados via encargos no passado e a criação de uma conta-reserva para se cobrir o descasamento de arrecadação no setor elétrico (sendo custeada por encargos adicionais no futuro, conforme observado em 2014-15) são as melhores soluções para se garantir a continuidade de arrecadação em toda a cadeia de valor de energia e evitar uma perturbação significativa no setor.

BRF (BRFS3): empresa contrata linha de financiamento de R$ 1,4 bilhão para reforçar sua liquidez

  • A BRF anunciou ontem (31), via Fato Relevante, que contratou linhas de financiamento junto a instituições financeiras no Brasil no montante de R$1,4 bilhão e prazo de um ano, para reforçar sua liquidez durante esse período de grande volatilidade;
  • Vale ressaltar ainda que, em 27 de dezembro de 2019, a BRF contratou uma linha de crédito rotativo (revolving credit facility) junto ao Banco do Brasil, no montante de até R$1,5 bilhão, pelo prazo de até 3 anos e cujos recursos não foram desembolsados.

Fundos de Investimento

Carteira Recomendada de Fundos Imobiliários de Abril

  • O mês de março foi marcado por um cenário de alta volatilidade nos mercados de renda variável. O IFIX, índice de fundos imobiliários da B3, apresentou queda de -15.8% no mês de março;
  • Em razão do cenário de incertezas e aversão ao risco no curto prazo, mantemos nossa maior exposição em papéis mais defensivos. Desse modo, a distribuição entre os segmentos segue Recebíveis (40,0%), Logística (37,5%), Shoppings (10,0%), Lajes Corporativas (7,5%) e Fundos de Fundo (5,0%).
  • Sobre as mudanças da carteira, retiramos os fundos imobiliários XP Industrial (XPIN11) e Valora RE III (VGIR11) da carteira recomendada. Substituindo-os pelos fundos XP Log (XPLG11) e RBR High Grade (RBRR11). Para mais detalhes sobre a carteira acesse o link.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.