XP Expert

Comentários dos Bancos Centrais do Brasil e os EUA em foco

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -1,1% | 112.570 Pontos

CÂMBIO 0,2% | 4,33/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa teve queda de 1% ontem, aos 112.570 pontos, com os impactos do coronavírus no centro da preocupação do mercado.

Empresas com exposição à atividade na China foram as mais afetadas como a Vale e os setores de siderurgia, celulose, proteínas e consumo. A fraqueza das commodities prevaleceu até mesmo sobre o bom desempenho do setor financeiro, que representa 33% do Ibovespa, tirando as ações do IRB que fecharam em queda de 16,5%.

Por outro lado, nesta manhã mercados internacionais operam em alta, após índices futuros nos EUA renovarem recordes no pregão de ontem. Investidores aguardam o comentário do presidente do Banco Central americano (Fed), Jerome Powell, que apresentará o relatório de política monetária às 12h de Brasília, uma hora depois do pronunciamento da presidente do Banco Central europeu (BCE), Christiane Lagarde, no Parlamento Europeu, na Bélgica.

Os investidores ficaram mais otimistas ultimamente, apesar da epidemia de gripe, sinalizando confiança de que os bancos centrais agirão para sustentar o crescimento em caso de desaceleração global. A presidente do Fed de São Francisco, Mary Daly, disse na segunda-feira que a economia dos EUA está bem. O foco também está mudando para as medidas que as empresas estão tomando para diminuir o impacto do vírus sobre seus resultados.

No Brasil, o destaque do dia foi a divulgação da ata do COPOM às 8h, que sinalizou a manutenção da taxa Selic em 4,25% ao ano. Apesar de ter sinalizado a interrupção do ciclo de corte de juros tanto no comunicado divulgado na última semana quanto no documento de hoje, o Banco Central adotou um tom menos cauteloso, enfatizando que a fragilidade dos investimentos e o impacto ainda desconhecido do coronavírus na economia mundial são elementos que poderiam justificar a continuidade do ciclo de corte de juros.

Daqui em diante, o mercado buscará entender melhor o balanço de riscos do Banco Central e as chances de termos um corte de 25bp a mais no curto prazo mesmo após a sinalização de que a Selic deve ser mantida em 4,25% em 2020.

Do lado das commodities, os preços de celulose de fibra curta na China tiveram queda esta semana, devolvendo parte das últimas cinco altas seguidas (-US$2,3/t), para US$ 460,1/t. Acreditamos que os preços estejam próximos de um piso, reforçados pela continuidade do movimento de desestocagem da Suzano. Seguimos com uma visão positiva para o balanço de oferta/demanda no médio/longo prazo, apesar de volatilidade maior no curto prazo devido ao coronavírus na China. Esperamos uma reação negativa das ações de Suzano e Klabin no pregão de hoje.

No corporativo, o Itaú reportou bons resultados no quarto trimestre de 2019 (4T19), com boa sustentabilidade nos resultados, mas uma deterioração na qualidade dos ativos. A maioria das receitas e custos surpreenderam positivamente, mas não acarretou em maiores ganhos, uma vez que o banco aproveitou os melhores resultados operacionais para realizar provisões. Mantemos recomendação neutra no papel.

Por fim, atualizamos nossos preços-alvo de Localiza (RENT3), Unidas (LCAM3) e Movida (MOVI3), para R$ 62,0/ação, R$ 29,2/ação e R$ 27,0/ação, respectivamente e reiteramos compra. Continuamos confiantes com as múltiplas avenidas de crescimento do setor, potencializadas por um cenário macroeconômico mais favorável. Além disso, fizemos uma nova rodada de coleta de dados nos sites de seminovos das companhias, que em geral reforçam a tendência já antecipada de preços marginalmente mais baixos na ponta.

Lembrete: hoje no Super Clássicos da Bolsa teremos “Via Varejo ou Magazine Luiza?”. A semana inteira traremos discussões com os analistas de ações da XP e outros especialistas do mercado para os principais confrontos setoriais da Bolsa brasileira. Para participar e assistir aos vídeos em tempo real, basta acessar a página do evento aqui e se inscrever.

Tópicos do dia

Temporada de resultados do 4º trimestre

Banrisul (BRSR6): antes da abertura do mercado

Clique aqui para acessar o calendário completo
Clique aqui para acessar nossa visão sobre a temporada de resultados

Brasil

  1. Política Brasil: Maia quer aprovar autonomia do BC e lei de câmbio até março
  2. Paulo Guedes receberá secretários estaduais para discutir o andamento da reforma tributária

Internacional

  1. Política internacional: hoje acontece a segunda primária democrata no estado de New Hampshire

Empresas

  1. Itaú (ITUB4): nem toda receita de serviços está sob disrupção | Revisão 4T19
  2. Aluguel de veículos (RENT3, LCAM3, MOVI3): mapeando Seminovos e atualizando estimativas; Reiteramos Compra
  3. Papel & Celulose: queda no preço da celulose de fibra curta nesta semana
  4. IRB (IRBR3): teleconferência com CEO e CFO
  5. O que o resultado do 4T19 de Mercado Livre significa para B2W e Magalu?
  6. Frigoríficos (JBSS3, MRFG3, BRFS3): campanha na Europa defenderia a cobrança de nova taxa sobre carnes
  7. Frigoríficos (JBSS3, MRFG3, BRFS3): gripe Aviária chega à Alemanha; Coronavírus estaria pressionando ainda mais a oferta de carne na China

Renda Fixa

  1. Tesouro Direto lança novos títulos


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Maia quer aprovar autonomia do BC e lei de câmbio até março

  • O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), disse que nunca tratou de taxação de grandes fortunas com parlamentares no âmbito da reforma tributária, e que nem o fará mais à frente. “Nunca tratei [de taxação] de grandes fortunas e não vou tratar”. Maia quer aprovar autonomia do BC e nova lei de câmbio até março;
  • Segue em Brasília a polêmica sobre o adjetivo usado por Paulo Guedes para se referir aos servidores públicos. O ministro da Economia se desculpou e foi repreendido por Maia e por auxiliares. Os jornais aproveitam o clima para criticar as pensões das filhas de militares;
  • Grupo a favor de nova CPMF promove resistência e insiste em buscar proximidade com Rodrigo Maia, que tem sofrido assédio também de grupos que se articulam para acelerar reforma tributária e defender pontos de interesse;
  • Eleições Municipais 2020 – Bolsonaristas rejeitam Skaf no comando do novo partido de Bolsonaro. O presidente da Fiespe está em uma espécie de disputa interna com o deputado Luiz Philippe de Orlenas e Bragança para liderar o partido e ser o candidato a prefeito de SP do bolsonarismo. Essa definição será importante para entender o arranjo de forças do novo partido do presidente no cenário nacional e como ele vai se preparar para 2022, quando deve estrear, de fato, nas urnas;
  • Desestatização – O governo planeja vender R$ 3 bilhões em imóveis da União em 2020. A meta era alcançar R$ 1 bilhão em 2019, mas as alienações ficaram em R$ 180 milhões ao fim de dezembro. O governo aguardava por um melhor momento do mercado.

Paulo Guedes receberá secretários estaduais para discutir o andamento da reforma tributária

  • De acordo com o Valor Econômico, o ministro da Economia, Paulo Guedes, receberá amanhã os secretários estaduais de Fazenda para discutir a reforma tributária e como as receitas da União com a exploração de petróleo serão utilizadas para atender às três principais demandas: Lei Kandir, aumento da participação federal no Fundeb (principal fundo da educação básica) e formação de um fundo de desenvolvimento regional. A ideia, segundo o presidente do Comitê de Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal, é buscar uma solução para atender a todas as principais demandas;
  • O relatório final da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Fundeb na Câmara dos Deputados deve ser finalizado nos próximos dias. Segundo a deputada Dorinha Seabra, a ideia é aumentar a complementação da União ao fundo de 10% para algo em torno de 20% já em 2021. Em contrapartida, a proposta de atingir o nível de 40% de forma gradativa ao longo de dez anos deve ser abandonada;
  • O Fundeb, responsável por 63% do financiamento da educação básica, reúne atualmente diversos impostos estaduais, que, depois, são redistribuídos. O governo federal contribui com cerca de R$ 14,5 bilhões, valor que é destinado aos Estados que não conseguem atingir o valor mínimo de investimento por aluno. A ideia é que a PEC também seja utilizada para corrigir distorções que hoje impedem que alguns municípios, localizados em Estados ricos, não tenham acesso ao dinheiro.

Internacional

Política internacional: Hoje acontece a segunda primária democrata no estado de New Hampshire

  • Hoje acontece a segunda primária democrata no estado de New Hampshire. Após o imbróglio com os resultados em Iowa, o evento ganha significância na corrida e pode ter maior peso que em anos anteriores. Destacamos que Bernie Sanders é o líder das pesquisas, com cerca de 27% da intenção de voto, seguido por Pete Buttigieg (21%), Elizabeth Warren, Joe Biden e Amy Klobuchar todos com cerca de 11-12%;
  • Vale lembrar também que Joe Biden perdeu bastante apoio no estado nas últimas semanas, mas já não era o favorito em New Hampshire até antes de sua derrota em Iowa. Entretanto, sua queda nas pesquisas nacionais de cerca de 5 p.p. preocupa a campanha, principalmente dado o crescimento de Bernie Sanders – hoje, os pré-candidatos estão tecnicamente empatados na maioria das pesquisas;
  • Sucessora de Angela Merkel, Annegret Kramp-Karrenbauer, foi derrubada por alinhamento da CDU com direita radical. A ministra de Defesa e presidente da União Democrata Cristã (CDU) renunciou à candidatura para cargo de chanceler após sua orientação desrespeitada em eleição em Turíngia, onde seu partido se uniu ao Alternativa para a Alemanha (Afd), grupo de ultradireita. As fragilidades já existentes dentro do partido foram exacerbadas pela aliança, e AKK, como é conhecida, tornou-se alvo de críticas por não conseguir unir a CDU. Ela deve permanecer como ministra, e chefe do partido até um novo líder ser escolhido.

Empresas

Itaú (ITUB4): nem toda receita de serviços está sob disrupção | Revisão 4T19

  • O Itaú reportou bons resultados no quarto trimestre de 2019 (4T19). No geral, o banco apresentou boa sustentabilidade nos resultados, mas uma deterioração na qualidade dos ativos. A maioria das receitas e custos surpreenderam positivamente, mas não acarretou em maiores ganhos, uma vez que o banco aproveitou os melhores resultados operacionais para realizar provisões;
  • O lucro líquido foi de R$ 7,3 bi, em linha com nossas estimativas, implicando em um Retorno sobre Patrimônio Líquido (ROE) de 23% e um crescimento de 13% A/A e 2% T/T. A administração também divulgou as projeções para 2020, que acreditamos estarem alinhadas às expectativas do mercado. Reiteramos nossa recomendação neutra e preço-alvo de R$ 40,00 para o fim de 2020, pois acreditamos que os múltiplos do banco não são atraentes. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Aluguel de veículos (RENT3, LCAM3, MOVI3): mapeando Seminovos e atualizando estimativas; Reiteramos Compra

  • Atualizamos nossos preços-alvo de Localiza (RENT3), Unidas (LCAM3) e Movida (MOVI3), agora em R$ 62,0/ação, R$ 29,2/ação e R$ 27,0/ação, respectivamente. Continuamos confiantes com as múltiplas avenidas de crescimento do setor, potencializadas por um cenário macroeconômico mais favorável;
  • Além disso, fizemos uma nova rodada de coleta de dados nos sites de seminovos das companhias, que em geral reforçam a tendência já antecipada de preços marginalmente mais baixos na ponta. Para acessar nosso relatório completo, bem como nossas teses de investimento para cada empresa, clique aqui.

Papel & Celulose: queda no preço da celulose de fibra curta nesta semana

  • Os preços da celulose de fibra curta na China tiveram queda esta semana, devolvendo parte das últimas cinco altas seguidas (-US$2,3/t), para US$ 460,1/t. Acreditamos que os preços estejam próximos de um piso, reforçados pela continuidade do movimento de desestocagem da Suzano. Seguimos com uma visão positiva para o balanço de oferta/demanda no médio/longo prazo;
  • Entretanto, dada a queda da celulose na semana, esperamos uma reação negativa das ações de Suzano (Compra; preço-alvo de R$45/ação) e Klabin (Neutro; preço-alvo de R$20.5/ação) no pregão de hoje.

IRB (IRBR3): teleconferência com CEO e CFO

  • Os diretores da companhia, José Cardoso e Fernando Passos, realizaram ontem (10) uma teleconferência de esclarecimentos sobre as recentes publicações da Squadra Investimentos, gestora carioca que influenciou na queda das ações;
  • Em geral, os principais temas não foram abordados detalhadamente. A conferência iniciou com um breve resumo das conquistas da empresa e encerrou com a companhia comunicando que, para os próximos relatórios de resultados, irão disponibilizar informações mais fragmentadas. Para a linha de expectativa de salvados e ressarcidos, a companhia disse que irá disponibilizar o pipeline e um guidance de projeção também. Por fim, suas demonstrações financeiras deverão ser auditadas por duas auditorias distintas;
  • Mantemos nossa cobertura de IRB sob revisão, porém vemos com bons olhos a confirmação dos diretores de que haverá maiores divulgações nos resultados do quarto tri. Clique aqui para acessar nossa análise completa sobre as publicações da gestora carioca.

O que o resultado do 4T19 de Mercado Livre significa para B2W e Magalu?

  • Ontem, o Mercado Livre (MELI) reportou resultados do 4T19 após o fechamento de mercado. Apesar de não cobrirmos o nome, a empresa é a maior do ecommerce brasileiro e por trouxemos a leitura dos números de MELI para B2W (BTOW3) e Magazine Luiza (MGLU3). Os destaques mais relevantes foram:
  • #1 Forte crescimento de vendas no Brasil, mas desacelerando. O GMV (valor total de mercadorias vendidas no site) cresceu 23% em relação ao mesmo trimestre do ano passado, impactado por uma Black Friday mais fraca. Apesar de forte, o crescimento tem mostrado uma leve desaceleração em relação aos trimestres anteriores (24% no 3T19 e 27% no 2T19);
  • #2 Logística. A participação da rede proprietária (cross-docking e fulfillment) como % dos pedidos enviados pelo Mercado Envios no Brasil atingiu 43% (vs. 30% em 3T19), com o Fulfillment dobrando a participação de 6% no 3T19 para 12% no 4T19. Dessa forma, o Mercado Livre continua fazendo esforços na redução de sua exposição aos Correios e na melhoria do nível de entrega;
  • Para mais detalhes sobre nossa avaliação dos resultados de MELI, clique no (LINK) para acessar o relatório completo.

Frigoríficos (JBSS3, MRFG3, BRFS3): campanha na Europa defenderia a cobrança de nova taxa sobre carnes

  • Segundo o Valor Econômico, uma nova campanha na Europa defenderia a introdução de uma “taxa de sustentabilidade”, para incluir o custo ambiental e reduzir o consumo de carnes, conforme defendido por um grupo de 30 organizações holandesas reunidas na “Coalizão por um preço justo de proteínas animais” (TAPCC, na sigla em inglês);
  • O presidente da coalizão, Jeroom Remmers, disse ao Valor que a campanha “não é contra a carne brasileira, e sim para impor taxas sobre carnes de qualquer origem, em proveito de um maior consumo de proteínas vegetais”. O plano foi apresentado na semana passada a deputados no Parlamento Europeu;
  • A TAPCC preconiza a aplicação de diferentes taxas a partir de 2022: aumento de 47% sobre 100 gramas de carne bovina, 36% por 100 gramas de carne suína e 17% por 100 gramas de carne de frango. A coalizão calcula que a taxação poderia gerar 32 bilhões de euros até 2030. Um terço desse valor serviria para baixar o imposto sobre frutas, legumes e vegetais.

Frigoríficos (JBSS3, MRFG3, BRFS3): gripe Aviária chega à Alemanha; Coronavírus estaria pressionando ainda mais a oferta de carne na China

  • Em outra notícia do setor, segundo a Reuters, a Alemanha reportou ontem um surto da gripe aviária (tipo H5N8) em uma produção caseira de frango. O vírus matou 44 dos 69 animais, sendo que os demais também foram sacrificados para evitar contágio;
  • Por fim, ontem um dos diretores do Ministério da Agricultura chinês, Kong Lian, afirmou que o surto de coronavírus teria aumentado ainda mais a pressão sobre os estoques de carne suína do país;
  • Com o surto, o lançamento de novas plantas de suínos foi atrasado, a entrega de ração para algumas províncias foi interrompida, e 10 mil toneladas de carne suína congelada das reservas estatais chinesas já foram consumidas para alimentar Hubei, o epicentro do surto de coronavírus.

Renda Fixa

Tesouro Direto lança novos títulos

  • Ontem (10/02) o Tesouro Direto lançou novos títulos para compra pelos investidores;
  • Os novos títulos são prefixados e indexados à inflação e apresentam vencimento mais longo do que os que foram descontinuados;
  • Saiba mais sobre os novos títulos.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.