XP Expert

Bolsas operam mistas; Orçamento americano e fiscal brasileiro são alguns dos destaques

Acordo sobre orçamento nos EUA e meta fiscal no Brasil são alguns dos temas de maior destaque nesta segunda-feira, 02/10/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,72% | 116.565 Pontos

CÂMBIO -0,32% | 5,03/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa fechou a semana em alta de 0,5% aos 116.565 pontos. Com isso, o mês de setembro acumulou leve alta de 0,7%, na contramão dos mercados globais que tiveram um mês negativo pressionado, novamente, pelas altas nas taxas de juros globais. No cenário doméstico, o mercado repercutiu notícias tanto do lado fiscal como o do monetário. Do lado de política fiscal, o impasse quanto ao pagamento de precatórios persiste.

Renda Fixa

A curva de juros encerrou a semana com abertura em relação à semana anterior, após dias de considerável volatilidade, principalmente nos vencimentos mais longos. O mercado continua refletindo maior aversão a risco, tanto localmente quanto globalmente. No Brasil, a ata do Copom reforçou o ambiente econômico global (mais) incerto e a resiliência da atividade doméstica, fatores que diminuem a chance de aceleração de cortes da Selic. No comparativo semanal, DI Jan/24 passou de 12,26% para 12,24%; DI Jan/25 saiu de 10,53% para 10,85%; DI Jan/27 oscilou de 10,51% para 10,815%; DI Jan/31 variou de 11,367% para 11,57%.

Mercados Globais

Nos Estados Unidos, os futuros estão em alta nesta segunda-feira (S&P 500: +0,1%; Nasdaq 100: +0,3%), após o governo aprovar uma medida que evitou a paralização do governo discutida na semana passada. Os congressistas americanos aprovaram, durante o final de semana, um orçamento temporário que adia a decisão  sobre o orçamento, com validade de 45 dias. Clique aqui para saber mais sobre o tema.

Na Europa, os mercados operam em queda (Stoxx 600: -0,4%), refletindo dados piores do que esperado de atividade econômica na região. Os índices de gerentes de compras (PMI) apresentaram queda, à medida que novas encomendas tiveram declínio recorde.

Na China, a bolsas estão fechadas por conta dos feriados da Semana Dourada. Dados de atividade econômica vieram positivos, com alta nos índices de gerentes de compras e na produção industrial.

Economia

Após negociações entre congressistas dos EUA durante o fim de semana, a Câmara aprovou um acordo bipartidário para elevar os gastos no curto prazo e evitar a paralisação do governo. Os mercados acionários dos EUA reagiram positivamente às notícias esta manhã. Entre os dados econômicos, o núcleo do índice de preços dos dados de consumo nos EUA (Core PCE Deflator, na sigla em inglês) ficou ligeiramente abaixo das expectativas na sexta-feira. Trata-se da medida de inflação favorita do Federal Reserve (banco central do país). Os resultados do mercado de trabalho, outro elemento-chave para a política monetária, serão publicados na próxima sexta-feira.

Os resultados da sondagem PMI ficaram abaixo do esperado na China (embora ainda acima do limite de 50 que indica contração). Na Europa, os resultados da sondagem indicam que a economia já está em recessão. No Brasil, o secretário do Tesouro Rogério Ceron disse em entrevista que o governo pretende atingir a meta fiscal para 2024, mas se o resultado final for melhor do que o mercado espera, já será boa notícia. A meta oficial de resultado primário para o próximo ano é zero, enquanto o mercado espera um déficit de cerca de 1% do PIB. Entre os indicadores econômicos, a taxa de desemprego continuou recuando em julho, conforme divulgado pelo IBGE na última sexta-feira (29).

Veja todos os detalhes

Economia

Os mercados reagem positivamente ao acordo do Congresso dos EUA para evitar a paralisação do governo.

  • Após negociações entre congressistas dos EUA durante o fim de semana, a Câmara aprovou um acordo bipartidário para elevar os gastos no curto prazo e evitar a paralisação do governo. O acordo foi alcançado poucas horas antes do prazo final. A medida mantém o governo funcionando até 17 de Novembro e inclui 16 mil milhões de dólares em financiamento para emergências (mas não ajuda adicional à Ucrânia). Os mercados acionários dos EUA reagiram positivamente às notícias esta manhã;
  • O núcleo do índice de preços dos dados de consumo nos EUA (Core PCE Deflator, na sigla em inglês) aumentou 0,1a% em agosto, ligeiramente abaixo das expectativas (consenso: 0,20%). Trata-se da medida de inflação favorita do Federal Reserve (banco central do país). A variação anual do Core PCE Deflator registrou 3,88%, ante 4,29% em julho. As variações mensais têm vindo mais baixas, enquanto a média móvel de três meses anualizada e dessazonalizada recuou pelo sexto mês consecutivo, de 2,75% em Julho para 2,16% em agosto, aproximando-se gradualmente do objetivo de 2%. Valores de inflação melhores do que o esperado poderão ajudar a reduzir a pressão sobre a Fed para um aperto monetário adicional substancial. Os resultados do mercado de trabalho (criação de emprego, taxa de desemprego), outro elemento-chave para a política monetária, serão publicados na próxima sexta-feira;
  • O Banco Mundial reduziu as suas perspectivas de crescimento da China em 2024 para 4,4%, de 4,8%, citando uma série de evidências de que segunda maior economia do mundo está mais fraca. Para 2023 a previsão permanece em 5,1%. Na mesma linha, a pesquisa PMI Caixin de setembro publicada no último sábado ficou abaixo das expectativas. O PMI de manufatura ficou em 50,6 (51,2 esperado, 51,0 em agosto) e o PMI de serviços caiu para 50,2 (52,0 esperado, 51,8 em agosto). Resultados acima de 50 indicam expansão;
  • As pesquisas PMI do setor industrial de setembro ficaram abaixo de 50 na Espanha, Itália, França e Alemanha. É uma evidência adicional de que a economia europeia já se encontra em recessão, como resultado da política monetária restritiva e dos efeitos da guerra na Ucrânia;
  • No Brasil, o secretário do Tesouro Rogério Ceron disse em entrevista que o governo pretende atingir a meta fiscal para 2024, mas se o resultado final for melhor do que o mercado espera, já será boa notícia. A meta oficial de resultado primário para o próximo ano é zero, enquanto o mercado espera um déficit de cerca de 1% do PIB;
  • Divulgada na última sexta-feira, a taxa de desemprego brasileira caiu para 7,8% no trimestre móvel encerrado em agosto, de 7,9% no trimestre móvel encerrado em julho. Este resultado veio exatamente de acordo com a nossa expectativa e o consenso de mercado. Estimamos que a taxa mensal de desemprego ajustada sazonalmente tenha permanecido estável em 7,7% de julho a agosto. A desaceleração gradual do emprego e da renda deverá persistir nos próximos meses, como resultado da desaceleração da economia. Assim, projetamos que a taxa de desemprego encerre 2023 em torno de 8%.

Empresas

Equatorial (EQTL3): Ainda atraente depois de todos esses anos; Atualizando estimativas

  • Estamos atualizando nossas estimativas da Equatorial (EQTL3), incorporando as últimas revisões tarifárias, os números do 2T23 e os mais recentes desenvolvimentos regulatórios, especialmente relacionados a discussão sobre a renovação das concessões;
  • Dado o forte histórico da Equatorial em turnaround de concessões de distribuição, ainda vemos upsides a serem capturados nas concessões adquiridas mais recentemente (CEA, CEEE-D e EQTL GO). Além disso, enxergamos uma recente redução de risco após a publicação do MME praticamente eliminar os riscos regulatórios relacionados à renovação das concessões. Por fim, notícias recentes descartaram a possibilidade de aquisição da Enel-CE, eliminando a necessidade de emissão de ações ou venda de ativos;
  • Nossas projeções indicam um preço-alvo de R$39/ação e uma TIR real de 10,3%, o que sustenta nossa recomendação de Compra para a ação;
  • Confira aqui o relatório.

Sabesp (SBSP3): Contribuição do governo para o processo de definição da Base Regulatória; Eliminação de riscos da estrutura regulatória

  • O Governo de São Paulo fez uma contribuição para o processo de definição da Base Regulatória;
  • Os principais aperfeiçoamentos de regras sugeridos foram: (i) o Capex ser apropriado anualmente, adotando uma abordagem “backward-looking”; (ii) monitorar cada plano municipal de saneamento durante o processo de revisão; e (iii) usar um valor contábil “qualificado” (i.e. devidamente verificado por uma certificadora) em vez do Valor Novo de Reposição (VNR) usado na adição de ativos além da base protegida;
  • As propostas do governo mostram um caminho para uma estrutura regulatória de menor risco, o que é uma notícia positiva para a empresa e seu processo de privatização;
  • Confira aqui o relatório.

Telecom Brasil: Data Expert | Monitor Anatel; Resultados de Agosto de 2023

  • Ontem (28 de setembro), a Anatel divulgou a base de dados de assinantes de agosto de 2023. Os principais destaques foram: (i) no que diz respeito à banda larga fixa (todas as tecnologias incluídas), entre os ISPs listados, a Brisanet continua apresentando o melhor desempenho em termos de crescimento orgânico, adicionando cerca de +17,2 mil clientes;
  • A Desktop reportou uma adição líquida de +8,5 mil assinantes em agosto, e a Unifique adicionou +2,6 mil clientes; e (ii) no segmento móvel, a Vivo conquistou o maior número de clientes pós-pagos (excluindo M2M) em agosto, adicionando cerca de 273,5 mil clientes, e desligou -450,7 mil clientes no pré-pago ao longo do mês;
  • A Claro aumentou o número de clientes pós-pagos (excluindo M2M) em +199,7 mil, e conectou +91,8 mil clientes no pré-pago. Neste mês, a TIM conectou +173,3 mil clientes pós-pagos (excluindo M2M), e desconectou -223,6 mil clientes no pré-pago. A Vivo atualmente possui uma participação de mercado de 38,7% (pré-pago + pós-pago), enquanto a Claro tem 33,4% e a TIM 24,3%;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Desenrola Brasil: leilão reduz dívidas de R$ 151 bilhões para R$ 25 bilhões (Estadão);
    • Fusões e aquisições globais esfriam com queda de US$ 1 trilhão (Valor);
    • Estrangeiros aportam R$ 539,1 milhões na Bolsa em 27 de setembro (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Banda larga fixa ultrapassa marca de 47 milhões de acessos no Brasil (TELETIME);
    • M2M e PoS puxam o mercado móvel em agosto; acessos padrão crescem só 32 mil novas linhas (TELETIME);
    • GT de redes comunitárias estuda usar Fust para subvenções (telesintese);
    • Google Shopping vai destacar produtos com frete grátis (telesintese);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Governo vai cobrar imposto de Shein, Shopee etc., mas ainda não sabe como (Folha);
    • Estados poderão criar programas de ‘tax free’ para turistas estrangeiros, decide conselho (Estadão);
    • O plano bilionário de marcas para reverter ‘apocalipse’ das lojas físicas (BBC News);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • 3º mês seguido de queda faz ação da Ambev acumular perda de 9,7% em 2023 (Guia da Cerveja);
      • Reforma tributária – O “imposto sobre o pecado” e o setor cervejeiro (Guia da Cerveja);
    • Alimentos
      • Marcos Molina passa de 60% do capital na Marfrig (TheAgriBiz);
      • France kicks off bird flu vaccination despite trade backlash risk (Reuters);
    • Agro
      • India’s monsoon rains hit five-year low due to El Nino (Reuters);
      • Aging Trees Show a Crisis Looms for the World’s Everything Oil (Bloomberg);
    • Biocombustíveis
      • Imposto sobre o diesel aumenta novamente neste domingo (epbr);
      • De fora do Combustível do Futuro, biometano se articula por programa nacional (epbr);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Governo de SP considera desnecessário aval formal de municípios para venda da Sabesp (Folha);
    • Neoenergia conclui venda de 50% de empresa de transmissão à Warrington (Valor Econômico);
    • Preços de energia elétrica subiram com onda de calor, parada em Angra 2 e restrições de transmissão, diz ONS (EPBR);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Alagoas aponta perdas de R$ 35,8 bi provocadas pela Braskem (Valor Econômico);
    • Petrobras obtém licença ambiental para exploração na Bacia Potiguar, na Margem Equatorial (Valor Econômico);
    • Arábia Saudita e Rússia arrecadam bilhões de dólares com cortes na oferta de petróleo (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

Raio-XP: Alta nos preços do petróleo e nas taxas de juros – o Brasil está sentindo a pressão

  • Em setembro, um sentimento global de aversão ao risco continuou a pressionar os ativos brasileiros. Após os principais bancos centrais sinalizarem juros mais altas por mais tempo, as taxas dos títulos globais continuaram subindo e pesando sobre ações globais. As ações brasileiras também sofreram, caindo -0,7% em dólares. Além de uma perspectiva macro global mais negativa, a política fiscal no Brasil continua sendo um tema chave. Neste Raio XP, exploramos três discussões principais que temos tido com investidores: (i) o impacto dos preços mais altos de energia, (ii) a agenda fiscal do Brasil e (iii) como se posicionar;
  • Preços mais altos do petróleo – necessariamente negativo para as ações brasileiras? O principal desafio para a desinflação global é o recente aumento nos preços do petróleo. Nossa análise mostra uma correlação positiva entre o petróleo e as ações globais. Embora o Brasil compartilhe um nível comparável de exposição aos preços do petróleo com as ações globais, o impacto no setor de Energia local é mais expressivo;
  • A política fiscal voltou a pesar sobre os ativos brasileiros. Por um lado, existem riscos de aumento nos impostos corporativos, por outro lado, os riscos de o governo não atingir sua meta de resultado primário também são uma preocupação. O consenso do mercado é que alcançar a meta parece pouco provável, mas os investidores aguardam mais esclarecimentos. Nossa visão é que uma mudança na meta é negativa. Embora a não aprovação das medidas fiscais possa remover um uma grande incerteza para as empresas, poderíamos ver um efeito mais negativo no câmbio e nas taxas de juros, o que deve pressionar negativamente as ações;
  • Setores e fatores mais defensivos com desempenho mais positivo. No último mês, conversamos com vários investidores e uma das principais preocupações em relação aos setores sensíveis aos juros é que muitos já tiveram uma forte alta e parte dos ganhos está sendo revertida. Fatores defensivos, como Alta Qualidade e Baixo Risco, também estão positivos, enquanto Crescimento tem desapontado. Da mesma forma, as Small Caps começaram a registrar perdas. Ainda vemos espaço para setores que ficaram para trás performarem bem, apoiados pelo padrão histórico consistente de desempenho observado em ciclos de corte no passado. No entanto, é importante reconhecer que as atuais condições macro podem continuar a impactar os retornos desses setores/fatores;
  • Revisamos o nosso valor justo do Ibovespa para 128 mil de 133 mil pontos para o final de 2023Continuamos a ver o múltiplo do Ibovespa como descontado, com o P/L em 7,9x vs. a média histórica de 11x. Além disso, fizemos mudanças em nossas Carteiras XP para o mês de outubro;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Banco Mundial corta previsão de crescimento do PIB da China em 2024 para 4,4% (Valor);
  • Diferencial da taxa de juro pesa no câmbio (Valor);
  • Fundos e assessorias terão que detalhar taxas cobradas (Valor);
  • Agibank emite R$ 300 milhões em letras financeiras (Valor);
  • Fitch Afirma Ratings ‘BBB-‘/’AAA(bra)’ da Votorantim; Perspectiva dos IDRs Revisada Para Positiva (Fitch);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Carteira Recomendada de Fundos Imobiliários XP – outubro de 2023

  • Atualizamos a carteira fundamentalista de FIIs para o mês de outubro de 2023 com alterações nas alocações dos segmentos e fundos;
  • A carteira recomendada da XP apresentou a performance de 1,82% em setembro, acima do IFIX, que apresentou performance de 0,2% no mês. No ano, acumula alta de 20,9%;
  • No mês, fundos de papel registraram uma alta média de 0,05%, enquanto fundos de tijolos subiram em média 0,47%;
  • Clique aqui e confira as alterações e a carteira completa.

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Ifix tem maior alta desde abril e completa 6 meses seguidos de ganhos; FIIs anunciam dividendos (InfoMoney);
    • FII HCTR11 prevê aumento gradual de dividendos ainda em 2023, mas não evita queda de 31% no mês (InfoMoney);
    • FISD11, FMOF11 e BICR11: Confira novidades em FIIs, IFIX fecha em alta (Investing);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Ibama enfim concede licença para Petrobras explorar petróleo na Margem Equatorial | Café com ESG, 02/10

  • A semana passada terminou em território misto, com o IBOV registrando alta de +0,5%, enquanto o ISE recuou -0,5%. Já o pregão de sexta-feira encerrou positivo, com o IBOV e o ISE em alta de +0,72% e +0,54%;
  • Do lado das empresas, (i) a Petrobras obteve, na sexta-feira, a licença ambiental para explorar petróleo e gás natural na Bacia Potiguar, litoral do Rio Grande do Norte, na Margem Equatorial – após idas e vindas, a licença ambiental foi emitida pelo Ibama, conforme informação divulgada pelo Ministério de Minas e Energia (MME); e (ii) segundo a Morningstar, os ativos nos chamados fundos de transição climática nos EUA disparam 304%, para US$ 9,3 bilhões, no período de 18 meses encerrado em junho – essa é uma categoria de fundos ESG que visa investir em grandes emissores de carbono (CO2), mas com o objetivo de limpá-los;
  • Na política, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse na sexta-feira que ainda precisa analisar as emendas apresentadas pela Frente Parlamentar do Agronegócio (FPA) na semana passada e que acabaram adiando a votação na Comissão de Meio Ambiente do Senado do projeto de lei que cria o mercado regulado de crédito de carbono no Brasil – segundo ele, retirar o agro do mercado de carbono seja desconhecimento de como isso está sendo pensado mundo a fora, reafirmando o compromisso de dialogar com o setor;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.

Emissão ESG do governo brasileiro aguarda condições de mercado; VALE3 e PETR4 se unem; Imposto sobre carbono da UE | Brunch com ESG

  • Pensando em melhor auxiliar os investidores, o Brunch com ESG é um relatório publicado todos os domingos pelo time ESG do Research da XP que busca destacar os principais tópicos da agenda na semana;
  • Na última semana, destacamos: (i) Data exata da emissão do título soberano sustentável do Brasil depende de condições favoráveis de mercado; (ii) Vale e Petrobras se unem para desenvolver soluções de baixo carbono; (iii) Imposto sobre carbono da UE entra em fase de testes; e
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.