XP Expert

Bolsas internacionais operam em alta de olho no comércio China-EUA

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 0,6% | 96.125 Pontos

CÂMBIO -2,1% | 5,37/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em alta nesta quinta-feira (18) na contramão das bolsas americanas, que terminaram o dia entre perdas e ganhos. Após a reunião do COPOM de quarta-feira, o dólar subiu 2,1% a R$ 5,37. No mercado de juros futuros, os DI’s longos também apresentaram alta.

Os mercados internacionais voltam a registrar ganhos e apontam para a 4ª semana de alta das últimas 5, com poucos indícios de um segundo confinamento e dados mostrando recuperação econômica. EUA +0,9% e Europa +1,2%, após fechamento igualmente positivo na Ásia.

Nos EUA, destaque para notícias de que a China planeja acelerar as compras de produtos agrícolas americanos para cumprir o acordo comercial da primeira fase após negociações no Havaí. Na Europa, a atenção voltou-se para as negociações sobre o programa proposto pela UE de 750 bilhões de euros (840 bilhões de dólares) para ajudar as economias a se recuperarem dos bloqueios.

No Brasil, as atenções seguem voltadas para os desdobramentos e impactos da prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro, que foi detido na casa de um advogado próximo da família presidencial. A sequência da investigação se soma a outras frentes em que o entorno de Jair Bolsonaro é alvo no Judiciário e tende a provocar mais instabilidade no governo.

Na economia, influenciado negativamente pelas piores performances dos principais setores da economia brasileira em abril (indústria, comércio e serviços), o índice de atividade econômica calculado mensalmente como uma métrica do PIB pelo Banco Central (IBC-Br) apresentou contração de 9,7% na comparação mensal de abril e de 15,1% na comparação anual desse mesmo mês. O resultado veio levemente acima tanto das nossas expectativas quanto das expectativas de mercado, mas reforçou a mensagem de que abril foi o pior mês para a atividade econômica no país.

De acordo com a Folha de São Paulo, a equipe de Paulo Guedes está preparando um plano que será submetido ao ministro nas próximas semanas para definir uma meta para a dívida pública.  A ideia dos assessores é que, assim como acontece hoje com as metas para a inflação e para o resultado primário, o governo consiga mostrar ao mercado o compromisso com o ajuste mesmo diante da pandemia.

Pelo lado corporativo, o Presidente do Senado, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), anunciou que o Novo Marco regulatório do Saneamento (Projeto de Lei 4162/19) deverá ser votado na próxima quarta-feira (24/06). O relator do Plenário, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) disse espera que o relatório seja apresentado até hoje (19) para que seu conteúdo seja conhecido. Esperamos reação positiva das ações de saneamento no pregão de hoje, em particular de Sabesp (Neutro) e Copasa (Venda), candidatas a eventuais projetos de privatização. Em relatório recente, apresentamos mais detalhes sobre o Novo Marco Regulatório do Saneamento Básico e nossas recomendações dentro do setor.

Tópicos do dia

Coronavírus

O caso para se comprar Brasil: Rumo aos 110 mil
Medidas econômicas para combater o coronavirus no Brasil

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Agenda de resultados

Temporada de resultados 1° tri 2020: o que esperar?
Clique aqui para acessar nossa visão sobre a temporada de resultados
Clique aqui para acessar o calendário de resultados do 1T20

Internacional

  1. Política internacional: Trump diz que ainda pode cortar laços com a China
  2. Petróleo: Commodity em alta com maior cumprimento de metas de corte de produção por membros

    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Saneamento: PL do novo marco do saneamento estará na pauta do Senado na próxima quarta (24)
  2. Copasa (CSMG3): Conselho decide não pagar dividendo extraordinário de R$ 400 milhões


Veja todos os detalhes

Internacional

Política internacional: Trump diz que ainda pode cortar laços com a China

  • Após a reunião entre Mike Pompeo e delegação chinesa nesta semana dar indícios de relaxamento na relação entre os Estados Unidos e a China, o presidente americano Doland Trump voltou a escalar as tensões entre os países ao afirmar que ainda pode cortar todos os laços com a China, uma declaração que contraria o que o representante de comércio americano, Robert Lighthizer, disse na quarta-feira. O presidente também se referiu ao coronavírus como a “plaga chinesa”;
  • No Reino Unido, o primeiro ministro Boris Johnson recebeu o presidente da França, Emmanuel Macron, para discutir as negociações sobre as relações comerciais com a UE pós-Brexit. Segundo comunicado do governo Johnson, o primeiro ministro reiterou sua intenção de intensificar as negociações no mês de Junho e afirmou que não considera necessário prolongar as conversar porque devem chegar a um acordo até setembro.

Petróleo: Commodity em alta com maior cumprimento de metas de corte de produção por membros

  • Os preços de petróleo operam em alta nesta manhã, com o Brent subindo +2,22%, aos US$42,43/barril e o WTI subindo +2,75%, aos US$39,91/barril. Em um painel da OPEP+ realizado ontem, conhecido como Comitê Conjunto de Monitoramento Ministerial (sigla em inglês JMMC), houve pressão para que países como Iraque e Cazaquistão tenham uma maior adesão aos cortes de produção estabelecidos pelo grupo;
  • Lembramos que em 6 de junho, a OPEP+  (grupo que reúne os maiores produtores de petróleo do mundo e aliados como a Rússia)  conseguiu chegar a um acordo para estender o atual nível de cortes de produção de petróleo de 9,7 milhões de barris ao dia (mbpd) – ou cerca de 10% da produção global da commodity – até o final de julho. A partir de agosto, tal patamar de cortes passará a -7,7 mbpd até dezembro de 2020 e -5,8 mbpd de janeiro de 2021 até abril de 2022. A JMMC voltará a se reunir em 15 de julho, quando deverá reavaliar a situação dos mercados de petróleo novamente e recomendar o próximo nível de cortes de produção. No entanto, notamos que no painel de ontem não foi discutido se haverá uma extensão do atual nível de cortes de produção em agosto;
  • Vemos a decisão referente a países da OPEP+ que não cumpriram suas metas de produção de petróleo como positiva, uma vez que um maior cumprimento das metas de produção da OPEP+ como um todo colabora para um equilíbrio maior de oferta e demanda da commodity. Seguimos confiantes em uma recuperação dos preços de petróleo nos patamares anteriores à pandemia do coronavírus no médio e longo prazo conforme houver uma maior normalização das atividades e flexibilização de quarentenas.

Empresas

Saneamento: PL do novo marco do saneamento estará na pauta do Senado na próxima quarta (24)

  • Ontem, o Presidente do Senado, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), anunciou que o Novo Marco regulatório do Saneamento (Projeto de Lei 4162/19) deverá ser votado na próxima quarta-feira (24/06). Apesar de algumas lideranças partidárias se posicionarem contrariamente à apreciação do tema por sessão remota e em meio à situação de calamidade pública, o Presidente do Senado disse que “assumiu um compromisso”, e que o tema tem que ser resolvido por voto;
  • O relator do Plenário, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) disse espera que o relatório seja apresentado até hoje (19) para que seu conteúdo seja conhecido. O Senador também buscou minimizar críticas de seus pares, afirmando que o Novo Marco Regulatório é um projeto de universalização, e não de privatização (visão com a qual concordamos). Líderes do governo também buscam construir um acordo para evitar alterações no texto que obrigariam o PL a retornar à Câmara dos Deputados;
  • Esperamos reação positiva das ações de saneamento no pregão de hoje, em particular de Sabesp (Neutro) e Copasa (Venda), candidatas a eventuais projetos de privatização. Veja no nosso relatório mais detalhes sobre o Novo Marco Regulatório e nossas recomendações dentro do setor.

Copasa (CSMG3): Conselho decide não pagar dividendo extraordinário de R$ 400 milhões

  • Ontem a Copasa divulgou, via fato relevante, que seu conselho de administração decidiu que a companhia não irá pagar dividendos extraordinários neste momento, em função da pandemia da covid-19;
  • No fato relevante, a companhia diz que, pela política de dividendos, haveria espaço para a distribuição extraordinária — uma vez que a relação entre dívida líquida e Ebitda ficou abaixo de 2,0x vezes no ano passado. O montante seria na ordem de R$ 400 milhões. No entanto, “em função de incertezas dos impactos da pandemia da covid-19 que, conforme vem sendo noticiado, aparenta ainda não ter atingido seu pico no Estado de Minas Gerais”, o conselho decidiu preservar o caixa para garantir compromissos já assumidos;
  • Por fim, a Copasa cita a adesão a uma medida divulgada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que prevê a suspensão de pagamentos de dívidas relacionadas a empréstimos e debêntures por um período de seis meses;
  • Mantemos nossa recomendação de Venda nas ações da Copasa, com preço alvo de R$ 46,00/ação.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.