XP Expert

Vivo assume a liderança do Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3 | Café com ESG, 03/01

Vivo é a nova líder do ISE; BYD supera Tesla em vendas de carros elétricos

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do tema ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance histórica dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP.

Principais tópicos do dia

• O mercado encerrou o pregão de terça-feira, o primeiro do ano, em território negativo, com o IBOV e o ISE registrando quedas de 1,1% e 1,9%, respectivamente.

• No Brasil, a Vivo é a nova líder do ISE, Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3, em vigor a partir deste mês, com a companhia completando três anos consecutivos entre as Top 5 da carteira – atualmente, a composição do ISE contempla 78 empresas de 36 diferentes setores da bolsa brasileira.

• No internacional, (i) pela primeira vez, a chinesa BYD, que tem Warren Buffett entre seus investidores, terminou 2023 à frente da norte-americana Tesla, do bilionário Elon Musk – a BYD alcançou a marca de 3 milhões de veículos elétricos e híbridos vendidos e produzidos no ano passado, superando a Tesla, que entregou 1,85 milhão de automóveis ao longo de 2023; e (ii) uma série de desafios trouxe ao debate público questões de governança das quatro maiores firmas de auditoria e consultoria em 2023, as chamadas “Big Four”, levando a uma reavaliação de como melhor responsabilizar a gestão – o regulador de auditoria dos EUA, por exemplo, iniciou uma revisão de cultura das firmas, para descobrir a causa do aumento no número de auditorias de companhias abertas que não atendem aos padrões regulatórios.

Gostaria de receber os relatórios ESG por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!

Brasil

Empresas

Vivo recebe destaque como empresa mais sustentável do Brasil no ISE B3

“A Vivo é a nova líder do ISE, Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3, em vigor a partir deste mês. A lista atual contempla 78 empresas, de 36 diferentes setores. Este é o terceiro ano consecutivo da companhia entre as Top 5 da carteira, destaque em critérios como Governança Corporativa, Capital Social, Modelo de Negócio e Inovação, Meio Ambiente e Mudanças no Clima e pontuação acima da média da carteira. “Evoluímos em todas as dimensões da avaliação, um resultado que reflete a sustentabilidade como pilar estratégico do nosso negócio, que é norteado por princípios éticos e ações consistentes nos aspectos, ambiental, social e de governança”, diz o vice-presidente de Relações Institucionais e Sustentabilidade da Vivo, Renato Gasparetto. A empresa tem na governança a base viabilizadora destes avanços, com um Plano de Negócio Responsável com mais de 100 indicadores e metas de médio e longo prazo. Cerca de 20% da remuneração variável na Vivo é atrelada à indicadores de sustentabilidade, como diversidade, redução de emissões, NPS e reputação. No aspecto de diversidade, 33% do Conselho de Administração da companhia é composto por mulheres. A Vivo tem cerca de 44% de presença feminina no seu quadro de colaboradores, sendo mais de 37% delas em cargos de liderança executiva. Atualmente, mais de 41% dos colaboradores da Vivo são profissionais negros. A empresa alcançou a marca de 32,5% de negros na liderança, de acordo com o último Censo de Diversidade realizado pela companhia, resultado da ampliação de ações afirmativas, principalmente voltadas a contratação de pessoas negras, quanto ao plano intencional de proporcionar reflexões sobre a luta antirracismo, vieses inconscientes, responsabilidade da liderança na carreira de colaboradores negros, além do amadurecimento das equipes em relação à autodeclaração racial, que inclui questões de segurança psicológica, aceitação e consciência das raízes históricas.”

Fonte: Tiinside, 02/01/2024

Política

Servidores do Ibama prometem suspender fiscalização ambiental

“Mais de 1,7 mil servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) assinaram uma carta destinada à presidência do órgão informando que irão suspender todas as atividades de fiscalização ambiental, se concentrando apenas em atividades internas e burocráticas. A carta informa que a decisão seria colocada em prática a partir dessa segunda-feira (1). A medida é uma resposta ao andamento das negociações entre servidores e governo a respeito do reajuste salarial e da proposta de reestruturação da carreira. Segundo os servidores que assinaram o documento, esta “é uma resposta direta à falta de ação e suporte efetivo aos servidores e às missões críticas que desempenhamos”. Os funcionários reclamam da falta de resposta do Ministério da Gestão e Inovação (MGI) em relação à proposta de restruturação da carreira de especialista em meio ambiente. O documento afirma que as atividades finalísticas do órgão podem ser prejudicadas até que as negociações sejam retomadas, o que inclui operações de fiscalização ambiental na Amazônia e em terras indígenas, como a Yanomami, vistorias de processos de licenciamento ambiental, processos autorizativos, prevenção e combate a incêndios florestais, atendimento às emergências ambientais, entre outras.”

Fonte: Valor Econômico, 03/01/2024

Internacional

Empresas

BYD passa Tesla e é a maior fabricante de 100% elétricos

“Na corrida dos carros elétricos, a chinesa BYD, que tem Warren Buffett entre seus investidores, terminou 2023 à frente da norte-americana Tesla, do bilionário Elon Musk. No último trimestre do ano passado, a BYD entregou 526.409 veículos elétricos 100% movidos a bateria, superando a Tesla, que entregou 484.507 no mesmo período. Foi a primeira vez que a montadora chinesa superou a concorrente norte-americana nas vendas dos carros puramente elétricos – anteriormente, a BYD já superava a Tesla quando contados os híbridos plug-in, aqueles que além do motor a combustão contam com um elétrico que pode ser carregado na tomada. Somente em dezembro, a montadora chinesa contabilizou ter vendido 340.178 automóveis – do total, 190 mil eram 100% elétricos. Ao alcançar a marca de 3 milhões de veículos elétricos e híbridos vendidos e produzidos no ano passado, a montadora com sede na China passou a ser a nova líder de vendas de elétricos em todo o mundo, superando a Tesla, que entregou 1,85 milhão de automóveis ao longo de 2023. O montante representa um incremento de 62,2% nas vendas da empresa chinesa na comparação com 2022, quando a BYD havia atingido a marca de 1,8 milhão de automóveis em produção e vendas. Do total comercializado pela montadora chinesa no ano passado, 1,5 milhão de veículos vendidos correspondem à fatia de veículos 100% a bateria, e 1,4 milhão representam automóveis híbridos plug-in. O resultado de 2023 não foi de todo ruim para a montadora de Elon Musk, uma vez que a Tesla superou sua meta de produção para o ano, que tinha como objetivo entregar 1,8 milhão de veículos, acima do 1,3 milhão registrado em 2022.”

Fonte: Capital Reset, 02/01/2024

Toyota e Honda apostam que caminhões impulsionarão a economia do hidrogênio

“Os fabricantes de automóveis japoneses estão apostando em caminhões para abrir caminho aos carros movidos a hidrogênio, que têm demorado a aderir, apesar das grandes expectativas internas de que a tecnologia ajudará a impulsionar a descarbonização. Um caminhão pesado de 12 metros de comprimento e pintado com as letras “H2” nas laterais começou em 22 de dezembro a fazer testes nas estradas de Tóquio. Desenvolvido em conjunto pela Honda Motor e Isuzu Motors, o caminhão é movido por células de combustível, que combinam hidrogênio com oxigênio do ar para produzir eletricidade para girar as rodas. É importante ressaltar que eles não emitem carbono. O caminhão carrega 56 quilos de hidrogênio e pode percorrer 800 quilômetros por carga. As montadoras levarão até setembro para determinar a praticidade do caminhão – quão bem ele lida com a carga, quão fácil ou difícil é o reabastecimento. A meta é começar a vendê-lo em 2027. O governo tem outro objetivo: ter um total acumulado de 5 mil caminhões pesados ​​com células de combustível circulando até 2030. Honda e Isuzu foram derrotados por alguns meses. Em maio, um caminhão com célula de combustível desenvolvido em conjunto pela Toyota Motor e sua subsidiária Hino tornou-se o primeiro veículo experimental desse tipo a iniciar a demonstração.”

Fonte: Valor Econômico, 02/01/2024

FT: Auditorias repensam governança após ano de equívocos e escândalos

“Uma série de escândalos e equívocos estratégicos expuseram deficiências na governança das quatro maiores firmas de auditoria e consultoria em 2023, as chamadas “Big Four”, levando a uma reavaliação de como melhor responsabilizar a gestão. Os sócios da EY nos EUA votaram antes do Natal para introduzir um novo sistema de governança que inclui um conselho para supervisionar a gestão e aprovar a estratégia, segundo fontes familiarizadas com o assunto. A reformulação, que entrará em vigor em julho, foi proposta depois que a equipe de gestão atual da EY nos EUA vetou um plano para separar o negócio global de consultoria da empresa, causando indignação em muitos sócios. Bob Moritz, líder global da PwC, disse que as reformas de governança na Austrália, onde estavam contratando um presidente de fora da firma pela primeira vez, poderiam se tornar um modelo para outros países em sua rede global. Enquanto isso, o regulador de auditoria dos EUA iniciou uma “revisão de cultura” das firmas, para descobrir a causa do aumento no número de auditorias de companhias abertas que não atendem aos padrões regulatórios. A revisão examinará se algo deu errado com o chamado “tone at the top” (o exemplo que vem de cima), anunciou o Conselho de Supervisão de Contabilidade de Companhias Abertas (PCAOB, na sigla em inglês) em dezembro. O órgão também colocará a estrutura organizacional das empresas sob escrutínio. O debate sobre a governança nas Big Four, que empregam coletivamente 1,5 milhão de pessoas e auditam a maioria das maiores empresas de capital aberto do mundo, estava atrasado após anos de crescimento exponencial, de acordo com Laura Empson, professora especializada em gestão de empresas de serviços profissionais na Bayes Business School da Universidade de Londres.”

Fonte: Valor Econômico, 02/01/2024

Instalações de energia renovável da Alemanha em 2023 atingem um recorde, mas o setor eólico fica para trás

“As instalações de energia solar e eólica da Alemanha atingiram um recorde em 2023, mas apenas a energia fotovoltaica alcançou as metas do governo, disseram as associações do setor, esperando um crescimento contínuo este ano com uma redução ainda maior da burocracia. A Alemanha pretende cobrir 80% de suas necessidades de eletricidade com energias renováveis até 2030, em comparação com 52% em 2023. Mais de um milhão de novos sistemas de energia solar, gerando 14 GW de energia, foram instalados na Alemanha no ano passado, um aumento de 85% em relação ao ano anterior, graças a um boom na demanda solar residencial, colocando-a no caminho certo para atingir a meta de Berlim para 2030, informou a associação de energia solar BSW na terça-feira. Cerca de 7 GW foram instalados no segmento residencial, um aumento de 135% em relação ao ano anterior e cerca de metade da capacidade total instalada. Cerca de 31%, ou 4,3 GW, vieram de parques solares, um aumento de 40% em comparação com 2022, acrescentou a BSW. A BSW espera que a demanda cresça ainda mais este ano, citando uma pesquisa que mostra que mais de 1,5 milhão de proprietários de casas planejam instalar um sistema solar em seus telhados. “Esperamos um boom solar sustentado em 2024”, disse o diretor da BSW, Carsten Koernig, em um comunicado, pedindo uma redução na burocracia, como a facilitação do acesso a locais adequados para parques. No setor eólico, as licitações concedidas também atingiram um recorde no ano passado, com cerca de 6,4 GW, mas não conseguiram atingir a meta do governo de capacidade instalada anual em terra de 10 GW até 2030, informou a associação de energia eólica BWE na semana passada.”

Fonte: Reuters, 02/01/2024

Grã-Bretanha recorre a turbinas flutuantes para aproveitar velocidades de vento extraordinárias

“Depois de passar a maior parte de sua carreira como engenheiro no setor de petróleo e gás, Dan Jackson voltou suas habilidades para empreendimentos mais ecológicos. Ele planeja instalar centenas de turbinas flutuantes a até 200 km da costa escocesa, o que o torna um dos pioneiros da nova tecnologia projetada para aproveitar a maior velocidade do vento em alto-mar. As estruturas flutuantes abrem novas e vastas áreas em alto-mar, superando as limitações das turbinas convencionais, que são fixadas no leito do mar e são difíceis de instalar além de profundidades de 60 m. Elas são mais caras para instalar, mas os custos são mais altos. A instalação dessas turbinas é mais cara, mas esses custos mais altos são compensados pelo fato de que elas podem gerar muito mais energia. “Os recursos eólicos existentes são extraordinários”, explicou Jackson, diretor fundador da Cerulean Winds, empresa privada de desenvolvimento com sede na Inglaterra, que pretende desenvolver uma rede de três parques eólicos flutuantes conectados em quase 1.000 km2 do Mar do Norte. A tecnologia é fundamental para a meta do Reino Unido de reduzir as emissões de dióxido de carbono a zero até 2050. Os executivos do setor acreditam que ela poderá responder por mais da metade da meta de 100 gigawatts de geração de energia eólica offshore até a metade do século. Jackson pretende colocar a fase inicial de 600 megawatts de seu projeto em funcionamento até 2028, o que o colocará no caminho certo para ser um dos primeiros parques eólicos offshore flutuantes comerciais e de grande escala da Grã-Bretanha. O projeto foi concebido para fornecer eletricidade limpa às plataformas de petróleo e gás do Mar do Norte, mas cada vez mais enviar o excesso de energia para o continente à medida que a extração de combustíveis fósseis diminui, disse ele. Juntamente com os executivos que trabalham em dezenas de outros projetos eólicos offshore flutuantes em águas britânicas, Jackson acompanhará de perto dois eventos importantes este ano, que visam dar o pontapé inicial no setor.”

Fonte: Financial Times, 03/01/2024

Índices ESG e suas performances

(1) O Índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3) tem como objetivo ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas com reconhecido comprometimento com o desenvolvimento sustentável, práticas e alinhamento estratégico com a sustentabilidade empresarial.
(2) O Índice S&P/B3 Brasil ESG mede a performance de títulos que cumprem critérios de sustentabilidade e é ponderado pelas pontuações ESG da S&P DJI. Ele exclui ações com base na sua participação em certas atividades comerciais, no seu desempenho em comparação com o Pacto Global da ONU e também cias sem pontuação ESG da S&P DJI.
(3) O ICO2 tem como propósito ser um instrumento indutor das discussões sobre mudança do clima no Brasil. A adesão das companhias ao ICO2 demonstra o comprometimento com a transparência de suas emissões e antecipa a visão de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.
(4) O objetivo do IGCT é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de emissão de empresas integrantes do IGC que atendam aos critérios adicionais descritos nesta metodologia.
(5) A série de índices FTSE4Good foi projetada para medir o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).
(6)
O Índice MSCI ACWI, que representa o desempenho de todo o conjunto de ações de grande e médio porte do mundo, em 23 mercados desenvolvidos e 26 emergentes.


Nossos últimos relatórios

Análise ESG Empresas (Radar ESG)

Moura Dubeux (MDNE3): De tijolo em tijolo construindo uma agenda promissora(link)

Unipar (UNIP3) e Braskem (BRKM5): Entendendo os desafios (e oportunidades) do setor petroquímico no Brasil(link)

Smart Fit (SMFT3): O segredo para progredir é dar o primeiro passo(link)

Outros relatórios de destaque

Cosan (CSAN3): Principais destaques ESG do Investor Day(link)

Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para setembro (link)

ESG na Expert XP 2023: As três principais mensagens que marcaram o tema no evento(link)

Relatórios Semanais (Brunch com ESG)

Atenções voltados para a agenda de Lula em Nova York e os desdobramentos da Semana do Clima (link)

1° título verde soberano do Brasil avança; ORVR3 emite SLB no valor de R$130M; Bancos públicos de desenvolvimento se encontram (link)

Expert XP 2023 coloca transição energética em pauta; Marco legal de captura de carbono avança; Investidores pressionam BlackRock (link)


Ainda não tem conta na XP? Clique aqui e abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.