O que é IPCA e como ele impacta sua vida? Confira!

IPCA é o índice que não somente o investidor deve ficar de olho, mas todo bom empreendedor. Saiba como o IPCA impacta sua vida e como você pode utilizá-lo a seu favor.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

O que é IPCA e como ele impacta sua vida? Confira!

Não são poucos os aspectos e componentes que devem ser levados em conta quando se fala em investimentos. Um dos fatores fundamentais incluídos nesse contexto é o chamado Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, ou, como é mais conhecido, o IPCA.

Calculado desde 1979 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA é considerado o termômetro oficial da inflação no Brasil. Ele reflete o custo de vida e o poder de compra da população no país.

Na prática, o IPCA mede mensalmente a variação nos preços de uma série de produtos e serviços comercializados no varejo e compara os números obtidos com os dados do mês anterior. A variação identificada nessa equação é a inflação do mês em questão.

Nesse texto, você vai ler sobre:

  • O que é IPCA
  • Como é calculado?
  • Tabela IPCA
  • Para que serve o IPCA?
  • IPCA e os investimentos
  • O que é o IPCA+?
  • Conheça mais 3 índices de inflação

Vamos lá!?

O que é IPCA?

Fotografia de um homem com terno sentado em uma mesa. Ele está mexendo no notebook e no celular. No fundo, há uma tela de home broker como na televisão, em que é possível entender mais sobre o IPCA

IPCA significa Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo. Como o nome indica, ele é um índice que tem por função medir a variação de preços de uma cesta de produtos e serviços consumida pela população do país, indicando a variação mês a mês.

Portanto, para facilitar, o IPCA mede a inflação, sendo, inclusive, um dos índices mais tradicionais do Brasil.

Ele tem por objetivo englobar 90% das pessoas que vivem em áreas urbanas no país e é calculado mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Por isso, tanto o Bacen quanto o governo federal o utilizam para realizar alterações na taxa de juros.

Há, ainda, outros modelos do indicador, como IPCA-15 (Coleta dados do dia 16 do mês anterior ao dia 15 do mês seguinte) e IPCA-E (índice acumulado a cada trimestre pelo IPCA-15).

O que significa IPCA acumulado?

O IPCA acumulado é a variação da inflação num determinado período. O IBGE destaca, geralmente, o indicador acumulado em doze meses.

Esse acúmulo é utilizado como referência para investimentos e reajustes salariais, uma vez que é necessário driblar a inflação para no primeiro caso garantir rentabilidade e no segundo tornar acessível produtos do dia a dia das famílias brasileiras

Mas como funciona o IPCA?

Fotografia de cédulas de 100 reais, uma sob a outra
IPCA é um índice que mede, resumidamente, a inflação do país

O IPCA é um indicador que pode gerar uma série de impactos para os investidores e a população em geral.

Ele é influenciado pela demanda e oferta de produtos e serviços. Se há aumento da procura por algo que há pouca quantidade no mercado, o preço do produto tende a subir. No entanto, quando o consumo está em queda, os preços podem ficam estagnados ou cair.

A importância do indicador está no fato de ele ser a referência usada pelo governo para monitorar a sua meta de inflação anual e para determinar as políticas monetárias e medidas econômicas que serão adotadas. É assim que o Governo Federal consegue controlar os índices de inflação.

Se, por exemplo, o IPCA indica que a inflação anual irá superar a meta definida, uma das estratégias normalmente implementadas para controlar esse índice é a elevação da taxa Selic, o que deve trazer como resultado a desaceleração do consumo. Saiba mais sobre a taxa em:

O que é taxa Selic: veja onde investir com as quedas e altas

Ao mesmo tempo, a elevação do IPCA é acompanhada pela redução do poder de compra dos brasileiros. Isso porque boa parte dos comerciantes reajusta seus preços com base neste indicador.

Você verá abaixo que a população como um todo é responsável pelo ajuste do IPCA, porém, excesso de gastos públicos também contribuem com a inflação. Quanto mais dinheiro em circulação, mais aquecida fica a economia, principalmente, se os produtos são importados ou cotados em dólar.

Como é calculado o IPCA?

Para entender como é calculado o IPCA, o IBGE capta diversos gastos da população. Por isso, é preciso entender a seguinte metodologia.

Segundo o IBGE, entre as categorias incluídas na pesquisa referente ao IPCA figuram segmentos como:

CategoriaPeso (%)
Artigos de residência3,8
Vestuário4,6
Comunicação5,7
Educação6,1
Despesas pessoais10,7
Saúde e cuidados pessoais13,5
Habitação15,6
Alimentação e bebidas19,3
Transporte20,6

Essas vertentes, por sua vez, são divididas em mais de 400 subcategorias.

O universo pesquisado abrange famílias com rendimentos de 1 a 40 salários mínimos, residentes nas regiões metropolitanas das seguintes cidades e seus pesos:

São Paulo (32,3%)Belo Horizonte (9,7%)Goiânia (4,2%)
Rio de Janeiro (9,4%)Salvador (6,0%)Campo Grande (1,6%)
Belém (3,9%)Vitória (1,9%)Brasília (4,06%)
Fortaleza (3,2%)Curitiba (8,1%) 
Recife (3,9%)Porto Alegre (8,6%) 

Para realizar o cálculo do IPCA, são coletados os preços do primeiro ao último dia do mês em todos os estabelecimentos, prestações de serviços, serviços públicos (rede elétrica, água) e internet, assim como os segmentos mencionados acima.

Totalizando, segundo o IBGE, aproximadamente, 430 mil preços em 30 mil locais. Aqui você pode entender um pouco mais sobre a POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares) realizada pelo IBGE.

Obs: sempre que o POF é atualizado, seu cálculo também se altera, garantindo o cenário mais próximo da realidade da população. A última data de atualização do IOF foi em 2020.

Feito isso, os preços são comparados ao mês anterior, gerando um único valor que irá refletir na variação geral dos preços ao consumidor no determinado período. Nós conhecemos essa valor pelo nome inflação.

Uma curiosidade mostrada pelo IBGE:

● O IBGE produz e divulga o IPCA desde 1980. Entre 1980 e 1994, ano de implantação do Plano Real, o IPCA acumulado foi de 13.342.346.717.671,70%
● A maior variação mensal do IPCA foi em março de 1990 (82,39%), enquanto a menor variação, em agosto de 1998 (-0,51%).

Índice pessoal de inflação

É importante entender que quando a cesta de compras do consumidor regularmente for muito diferente da cesta média da população do país, a inflação pode ser maior ou menor que o IPCA definido.

Portanto, o cálculo será feito partindo do peso considerável da família nos produtos em que é utilizado em maior ou menor quantidade. Em localizações em que há mais rendimento, o IPCA pesa mais e vice-versa.

Como consultar o IPCA?

A variação e o histórico do IPCA podem ser consultados por meio do site do IBGE (www.ibge.gov.br).

Em sua atualização mais recente, o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, atualizou suas projeções para o indicador.

Tabela IPCA

MêsIPCA mensal (%) IPCA acumulado| mês (%)
Jan 0,25 0,25
Fev 0,86 1,11
Mar 0,93 2,05
Abr 0,31 2,37
Mai 0,83 3,22
Jun 0,53 3,77
Jul 0,96 4,76
Ago 0,87 5,67
Set 1,16 10,25
Out 1,25  8,24
Nov  
Dez  
Fonte: IBGE, em 11/11/2021

Portanto, se você se perguntar:

● Qual o IPCA hoje? 1,25%.
● Qual o IPCA de 2021 ou qual o IPCA dos últimos doze meses? Até setembro de 2021, o IPCA acumulado era de 10,25%.

IPCA acumulado

Agora, veja o IPCA acumulado, ou inflação acumulada 2020 / inflação acumulada 2021, nos últimos 5 anos:

IPCA AcumuladoTaxa
2021
20204,52
20194,31
20183,75
20172,95
Fonte: IBGE

Até o momento (setembro), o IPCA acumulado de 2021 é de 10,25%

IPCA e os investimentos

O IPCA fornece um panorama sobre como está o poder de compra da população e sua variação no país. E, a partir dos dados que compila, sua aplicação é ampla.  O ideal é que se adote estratégias para manter a inflação dentro da faixa fixada pelo CMN (Conselho Monetário Nacional).

Olhando para sua utilização nos investimentos, o IPCA é utilizado, por exemplo, como um índice de reajuste e rendimento em muitos contratos, como os títulos IPCA+ do Tesouro Direto. Da mesma forma, o IPCA pode ser usado como uma das taxas de referência para a remuneração de algumas modalidades de investimentos.

Ao mesmo tempo, o IPCA está atrelado a outras variáveis da economia, entre elas a taxa Selic, o que pode trazer reflexos diretos na remuneração de aplicações, principalmente de renda fixa.

Quando os preços sobem muito, a taxa de juros Selic acompanha esse crescimento, a fim de diminuir o consumo. Nesse momento, ativos de renda fixa podem se beneficiar. Por isso, o IPCA é muito importante para os investidores entenderem onde e quando investir.

O investidor deve analisar a rentabilidade real de um investimento e, para isso, estar a par da inflação, entendendo se ela trará ganhos ou prejuízo ao investimento.

Quais investimentos são atrelados ao índice?

Fotografia de uma folha com gráficos de linhas e blocos a respeito do IPCA, por exemplo. Há um homem indicando os blocos com uma caneta.
A inflação está diretamente ligada a alguns investimentos em renda fixa

Na hora de investir, é fundamental entender que todas as modalidades de aplicações são, direta ou indiretamente, impactadas pelo IPCA.

O índice é o balizador das políticas monetárias do governo e, por consequência, influencia decisivamente na variação da inflação. E, como regra básica, todo investidor deve acompanhar essas taxas.

Dentro desse contexto, há um verdadeiro pacote de investimentos cuja remuneração pode estar atrelada diretamente ao IPCA e que podem ser escolhas interessantes em períodos de expectativas de alta na inflação.

Nessas categorias, a rentabilidade será resultado da variação desse índice mais o retorno da taxa predefinida no momento da contratação do título.

Entre as opções diretamente atreladas ao IPCA à disposição do investidor estão, por exemplo, o Tesouro IPCA+ e o Tesouro IPCA com juros semestrais.

As alternativas incluem ainda modalidades como:

Letra de Crédito Imobiliário (LCI)
Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)
Fundos de investimento
Títulos públicos
Debêntures

Como proteger a carteira da inflação?

Se você acompanha nossos conteúdos, já percebeu que a diversificação da carteira de investimento é muito importante na tentativa de driblar algumas problemáticas do mercado financeiro.

Para proteger sua carteira de investimentos da inflação, opte por investimentos que são reajustados anualmente, como o mercado imobiliário. Desta forma, a variação de mercado, já contará com essas alterações.

No entanto, você não está livre de todos os riscos, em uma recessão econômica esse tipo de investimento pode ser prejudicial à carteira.

Outra opção para proteger sua carteira do IPCA alto é recorrer a investimento de renda fixa, que com o aumento da taxa de juros Selic possui algumas opções que se beneficiam.

Conte com uma ajuda para montar uma boa carteira de investimentos. Saiba mais!

O que é IPCA+?

Como é um índice que acompanha as variações de inflação, ele pode ser utilizado para ser atrelado à rentabilidade de investimento como renda fixa. A este índice pode ser adicionada uma taxa fixa anual.

Por exemplo: no caso do IPCA+ 3%, a taxa de rentabilidade prometida seria o índice IPCA do período mais a taxa fixa combinada de 3%.

Esse tipo de investimento garante uma rentabilidade acima da inflação. Com isso, protege o investidor de oscilações na economia no período em que o dinheiro está investido.

Conheça mais 3 índices de inflação

Além do IPCA, existem outros índices de inflação, são eles:

● INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor): muito similar com o IPCA, diferenciando-se no público analisado. Este apresenta a variação de famílias com renda mensal de 1 a 5 salários mínimos. Confira a tabela do INPC.

● IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado): calculado pela FGV, é usado para o cálculo do reajuste de contratos de aluguéis de imóveis, principalmente. Saiba mais sobre ele!

● IPC-Fipe (Índice de Preços ao Consumidor): estima a mudança do custo de vida das famílias que rendem de 1 a 10 salários mínimos nos municípios de SP.

Conclusão

Com o status de termômetro oficial da inflação, o IPCA é um dos indicadores macroeconômicos de peso para o país. E, sob esse cenário, é fundamental para qualquer investidor acompanhar e estar atento às variações desse índice.

De um lado, ele é a base para as políticas econômicas e monetárias instituídas pelo governo para controlar a inflação. Isso se reflete em questões como a redução ou elevação da taxa básica de juros da economia, a Selic.

Em outra frente, como a remuneração de títulos como Tesouro Direto IPCA+, LCI e LCA está atrelada ao IPCA, ela acaba sendo um ponto positivo por conta da sua rentabilidade mesmo em momentos com as oscilações na economia do país.

Quer entender ainda mais sobre economia? Conheça o curso “Cenários e investimentos: macroeconomia para investidores”.

Aprenda sobre os impactos das políticas econômicas do país na sua estratégia de investimentos e descubra como variáveis como inflação, taxa de juros e PIB podem impactar seus rendimentos.

Aproveite a oportunidade e cadastre-se com a XP. Aproveite a queda e a alta do IPCA para se beneficiar nos investimentos.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.


Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.