XP Expert

XP Morning Call 10/12/2018: A incerteza continua a dominar os mercados

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Diplomação de Bolsonaro e nomeação do Ministro do Meio Ambiente 
  2. IPCA tem deflação em novembro de 0,21%

Internacional

  1. China convoca embaixador dos EUA sobre prisão de CFO da Huawei 
  2. China: Crescimento do comércio decepciona
  3.  Brexit: May decide hoje se atrasará votação de amanhã

Empresas

  1. Eletrobras: TRF-1 derruba liminar e mantém leilão da Amazonas Energia hoje (10/12)
  2.  BRF deve anunciar venda de outros ativos em 2018
  3. China: Exportação e importações mais fracas para as commodities em novembro

COE News

  1. Facebook: Expande o programa de recompra de ações

Resumo

A incerteza continua a dominar os mercados

As tensões entre os EUA e a China seguem em foco. No final de semana a China convocou o embaixador Americano e exigiu a liberação da CFO da Huawei. O episódio não ajuda nada para o que devem ser 90 dias duros de negociações comerciais, as tensões seguem elevadas.

Asia fechou em queda de 1-1,5%, Europa segue o movimento. Na sexta, petróleo ganhou força seguindo acordo de corte de 1.2mi de barris em encontro da OPEP. O payroll, criação de emprego nos EUA, veio abaixo do esperado, mas ainda em nível saudável.

Na China, dados de importação e exportação desapontaram significativamente em Novembro, mostrando enfraquecimento da atividade doméstica, assim como da demanda externa. Contínuos sinais de crescimento global mais fraco adicionam incerteza.

Na Europa, foco na votação do Brexit, agendada para amanha, que deve ser levada adiante apesar de tentativa da Primeira Ministra de postergar a mesma par evitar uma derrota. O Reino Unido deixará a UE em 29/03, com ou sem acordo.

No Brasil, Bolsonaro anuncia Ricardo Salles para Ministério do meio ambiente. Na sexta, IPCA surpreendeu e caiu 0,21%, menor nível desde 1994, puxado por queda no combustível e energia elétrica. Tem reunião do Copom quarta, expectativa é manutenção em 6.5%.

Do lado das empresas, a BRF continuará a venda de ativos e a Gol irá acelerar seu plano de renovação da frota.


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Diplomação de Bolsonaro e nomeação do Ministro do Meio Ambiente 

  • Hoje acontecerá a diplomação de Jair Bolsonaro e seu vice General Mourão, ato solene pelo qual a Justiça Eleitoral atesta que o candidato foi eleito e está apto a tomar posse. Com o gabinete presidencial montado, Bolsonaro vai se dedicar a aparar arestas políticas, sendo cargos do segundo e terceiro escalões ferramentas para isso. O desafio é encontrar o equilíbrio entre o fim do “toma lá dá cá” e a composição vital de uma base de apoio no Congresso; 
  • No final de semana, o destaque foi movimentação atípica detectada pelo Coaf na conta do ex-assessor de Flávio Bolsonaro e o pagamento de R$ 24mil feito à mulher do presidente eleito, Michele. Bolsonaro explicou que se trata do pagamento de uma dívida. O que mais chama atenção foi a entrada deliberada do Senador Renan Calheiros nesse debate no fim de semana, comentário lido como ameaça; 
  • O novo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles é tido como como figura controversa e com diversas polêmicas. Último ministério a ter comandante escalado, poderia ser ponto constante de dificuldades no governo Bolsonaro;
  • Finalmente, o Ministro da Infraestrutura quer modernizar a Lei de Licitações, remover entraves burocráticos e reduzir exigências que inibam a participação do setor privado em novos empreendimentos.

IPCA tem deflação em novembro de 0,21% 

  • O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve deflação em novembro, registrando -0,21% no mês, abaixo da expectativa do mercado (-0,10%). Trata-se da menor taxa para novembro desde o Plano Real, em 1994; 
  • Cinco dos nove grupos de produtos e serviços apresentaram deflação de outubro para novembro, com destaque para Transportes (-0,74%), grupo responsável pelo maior impacto negativo no IPCA de novembro, com -0,14 ponto percentual (p.p.), e Habitação (-0,71% e -0,11 p.p.). No lado das altas, a maior contribuição (0,10 p.p.) ficou com o grupo Alimentação e bebidas, cuja variação foi de 0,39%;
  • No acumulado em 12 meses, o índice desacelerou para 4,05% e no acumulado no ano até novembro, o IPCA está em 3,59%.

Internacional

China convoca embaixador dos EUA sobre prisão de CFO da Huawei

  • A China convocou o embaixador dos EUA em Pequim para exigir o cancelamento da prisão de Meng Wanzhou, CFO da empresa chinesa de telecomunicações Huawei;
  • A China também ameaçou o Canadá com “sérias consequências”, destacando como o impasse está transbordando para as relações de outros países com a China;
  • A executiva foi presa por supostamente violar restrições impostas pelos EUA contra o Irã, e a prisão foi solicitada pelas autoridades dos EUA. O episódio ressaltou preocupações sobre a guerra comercial e a potencial deterioração do relacionamento entre os países.

 
China: Crescimento do comércio decepciona

  • O crescimento do comércio internacional em novembro decepcionou significativamente, com atividade doméstica e externa mais fracas;
  • As exportações caíram 5,4% no mês, abaixo do consenso de 9,7% e dos 15,5% em outubro, com uma desaceleração generalizada;
  • As importações desaceleraram 3%, abaixo do consenso em 13,9% e dos 20,8% em outubro, menor valor dos últimos dois anos;
  • O crescimento da China pode continuar enfraquecendo no 4T18 e no 1T19, mas deve estabilizar a partir do 1T-2T19, seguindo flexibilização das políticas.

Brexit: May decide hoje se atrasará votação de amanhã

  • A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, deve decidir hoje se adiará a votação do Brexit no Parlamento amanhã;
  • De acordo com a Bloomberg, se May adiar a votação, ela vai para uma cúpula da UE na quinta-feira na esperança de extrair concessões de líderes que já deixaram claro que não têm nada para oferecer a ela;
  • Se ela perder a votação, a Grã-Bretanha estará em curso para uma saída desordenada em março de 2019. Outros resultados são uma eleição geral ou até mesmo um segundo referendo.

 EUA: Payroll indica menor criação de empregos, mas reforça discurso moderado do Fed

  • Foram criados 155 mil postos de trabalho em novembro nos EUA. Ainda que o número tenha vindo abaixo da previsão (198 mil), tal ainda indica um bom desempenho econômico; 
  • O aumento dos salários abaixo do previsto (3,1% A/A) e desemprego (3,7%, nas mínimas históricas desde 1969) indicam que o mercado de trabalho permanece saudável; 
  • Os dados divulgados foram mal recebidos pelos mercados globais na última sexta-feira, uma vez que eles poderiam indicar uma desaceleração da economia norte americana. Por outro lado, os dados abrem espaço para o Fed seguir com um ritmo mais lento no aumento das taxas de juros.

OPEP + concorda em cortar produção em 1,2 milhões de barris/dia

  • A OPEP e seus aliados concordaram na sexta-feira em cortar a produção de petróleo em 1,2 milhões de barris/dia, divididos entre 800 mil barris para os membros da OPEP e 400 mil barris para os aliados, incluindo a Rússia;
  • Os cortes se referem dos níveis de outubro e durarão seis meses. Dadas as incertezas em torno da produção de países como o Irã e a Venezuela, alguns delegados argumentaram que os cortes de produção poderiam, em última instância, ser superiores ao determinado;
  • O foco agora é sobre qual será a reação do presidente Trump em relação à decisão do grupo, dado seu pedido para manter os preços do petróleo baixos de forma a gerar um “corte de impostos” para consumidores.

Empresas

Eletrobras: TRF-1 derruba liminar e mantém leilão da Amazonas Energia hoje (10/12)

  • O TRF-1 derrubou uma liminar que impedia a realização do leilão da Amazonas Energia hoje (10/12), às 17h, alegando que a privatização é de “essencial interesse público”;
  • A liminar que havia suspendido o certame havia sido concedida pela 3ª Vara Civil da Seção Judiciária do Amazonas, e impedia à desverticalização da companhia por questionar à transferência do contrato de compra de combustíveis da Amazonas D para a FT;
  • Segundo notícias, a Oliveira Energia, tradicional geradora de energia nos sistemas isolados e vencedora do leilão da distribuidora Boa Vista já haveria apresentado uma oferta.

 
BRF deve anunciar venda de outros ativos em 2018

  • Segundo Valor Econômico, após anunciar a venda da Quickfood na semana passada link para relatório, a BRF pretende anunciar a venda de outros ativos operacionais ainda em 2018, de acordo com o vice-presidente executivo da empresa, Lorival Luz, em teleconferência com jornalistas na última sexta-feira; 
  • Além da argentina Quickfood, vendida à Marfrig, a BRF colocou à venda outros ativos no país e também as operações que possui na Europa e na Tailândia. Ao todo a empresa pretende vender cerca de R$ 3 bilhões em ativos; 
  • Lembrando que o prazo para que os interessados façam ofertas pelos ativos é 15 de dezembro, no entanto, esse prazo poderá ser estendido por alguns dias se for necessário e os recursos dessas vendas devem entrar no caixa da BRF no primeiro trimestre de 2019.

 
China: Exportação e importações mais fracas para as commodities em novembro

  • As exportações de aço diminuíram e o consumo aparente permaneceu forte em 7% A/A. As importações subiram para o cobre, mas diminuíram para outras commodities. As importações de carvão caíram impulsionas pela restrição do governo. Principais destaques:  
  • As exportações de aço caíram -1% A/A e -4% M/M, para 5,3mi de toneladas, -9% no acumulado do ano. As importações de aço também diminuíram (-3% A/A e -7% M/M), para 1,1mi de toneladas. As exportações líquidas ficaram estáveis ​​em relação ao ano anterior (vs. + 8% A/A em outubro) e ligeiramente abaixo em uma base mensal (-3% M/M);  
  • As importações de minério de ferro caíram pelo 2º mês consecutivo em novembro (-2% M/M para 86mi; -9% A/A), impulsionadas principalmente pelo impacto do descarrilamento de trem da BHP e também pela queda no preço do vergalhão e margens de aço, gerando queda de US$11/t no preço do minério de ferro e a venda de estoques. As importações de minério de ferro ficaram em 978mi de toneladas de janeiro a novembro, -1% no acumulado do ano.

 
Conclusão da Investigação e reforço na estrutura de Governança

  • A CCR anunciou a conclusão da investigação interna iniciada em fevereiro desse ano, cuja conclusão foi apresentada ao conselho essa sexta;
  • Diante dos fatos apresentados, a companhia anunciou medidas que visam reforçar os mecanismos de fiscalização internos, como a criação da nova vice-presidência de Compliance e contratação de consultorias para revisar a estrutura de Governança;
  • Entre as medidas que serão tomadas imediatamente estão: o aprimoramento dos controles internos e da estrutura de governança da Companhia, criação de plano de trabalho para endereçar todas as recomendações apontadas pelo Comitê Independente, e monitoramento, em caráter permanente, do andamento de cada uma das medidas determinadas pelo Conselho.

Gol: Aceleração da renovação da frota; Sem mudança na estimativa de crescimento de capacidade

  • A Gol anunciou hoje a aceleração da renovação e modernização de frota e a realização de contrato de arrendamento operacional de 11 aeronaves Boeing 737 MAX 8 com a Avolon; 
  • A empresa reforça que vai manter sua disciplina de capacidade, e a aceleração não vai alterar a capacidade planejada da companhia, uma vez que será realizada simultaneamente com o retorno e/ou venda de 737 NGs sob arrendamento operacional e financeiro; 
  • O anúncio é positivo, dado que a aeronave é mais econômica e deve resultar em custo unitário menor em 2019 (estimamos economia de ~12% por ASK).  

COE News

Facebook: Expande o programa de recompra de ações

  • Após ter gastado mais de US$ 9bi na recompra de 54 milhões de ações ao longo dos últimos 9 meses, o Facebook seguirá com um expressivo aumento, podendo atingir até US$ 15bi no acumulado do ano; 
  • Em meio a preocupações dos usuários em relação a privacidade da plataforma de mídia, o preço das ações do Facebook acumula queda de 22% no acumulado do ano, o que pode ter sido uma motivação do programa de recompra.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.