XP Expert

XP Morning Call 04/12/2018: Mercados perdem força, incerteza ainda é grande

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1.  Política Brasil: Flávio Bolsonaro defende nova reforma da previdência e rejeita Renan e Maia
  2.  Fenabrave: Venda de veículos sobe 13% A/A em novembro
  3. Balança comercial brasileira tem superávit de US$ 4,062 bilhões em novembro

Internacional

  1. Brexit: Reino Unido tem todas as opções em aberto

Empresas

  1. Petrobras: Anuncia novo acordo de renegociação de dívidas com Eletrobras
  2. CTEEP: Anuncia dividendo de R$7,43/ação com yield de 9,5%
  3. Localiza: Procon de MG multa empresa em R$ 1,16 mi

COE News

  1.  Disney: Acionistas propõem novo plano de bonificação ao presidente
  2. Netflix: Renovação do contrato de exclusividade da série “Friends” até 2019

Resumo

Mercados perdem força, incerteza ainda é grande

Apesar da abertura mais positiva dos mercados ontem, ao longo do dia o movimento perdeu força. Parece faltar convicção do investidor estrangeiro, que ainda vê o cessar fogo nas tensões comerciais doa EUA e China como frágil, e após ano de bastante volatilidade, não parece ter pressa para aumentar posições de risco.

A indicação dos EUA de Lighthizer para comandar as negociações com a China, visto como linha dura, não ajudou. Ásia teve performance mista, mas em média fechou em queda de 1-2%, Europa segue o movimento, devolvendo parte dos ganhos de ontem. Petróleo sobe 2% na expectativa de reunião da OPEP, mas mineradoras devolvem parte do ganho de ontem.

Na Europa, o Brexit segue em destaque, com votação de acordo costurado pela Primeira Ministra marcada para 11 de dezembro, e muita polêmica ainda.  França enfrenta forte protesto contra impostos no preço da gasolina, e governo deve voltar atrás.

No Brasil, segunda Turma do STF julga hoje pedido da defesa do ex-presidente Lula para anular sua condenação, e a tendência é que seja negado. Flávio Bolsonaro defende nova proposta de reforma da previdência em 2019.

Fenabrave surpreende positivamente, com vendas de veículos subindo 13,1% A/A e acumulando alta de 15% em 2018. Sem grandes novidades do lado das empresas.

Mais detalhes em breve.


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Flávio Bolsonaro defende nova reforma da previdência e rejeita Renan e Maia

  • Flávio Bolsonaro, em entrevista à Globo News, defendeu aprovação da reforma da previdência em 2019, mas disse que não será o primeiro ato do governo e que algumas medidas podem ser tomadas antes para garantir a força do governo no momento inicial;
  • Haverá uma nova proposta com emenda à Constituição, mas também com projetos de lei. Defendeu ainda que haja regras diferenciadas para alguns segmentos. No campo da política, disse que Bolsonaro não inferirá na eleição das Casas, mas mostrou rejeição à eleição de Renan e Maia, um complicador para a articulação em momento que Onyx e Bolsonaro se encontram com bancadas e líderes partidários;
  • A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal julga hoje o pedido da defesa do ex-presidente Lula para anular a condenação no caso do tríplex do Guarujá. A tendência é que o ex-presidente seja mantido preso, mas o relator do caso, ministro Edson Fachin se prepara para eventuais manobras de colegas.
     

Fenabrave: Venda de veículos sobe 13% A/A em novembro

  • ​A venda de veículos novos em novembro alcançou crescimento de 13,1% A/A, num total de 230,9 mil unidades;
  • No acumulado do ano, 2,3 milhões veículos foram licenciados, um crescimento de 15,05%, e o volume já ultrapassa o total vendido durante todo o ano passado;
  • Há um mês, a Anfavea, que representa as montadoras, elevou a sua projeção para crescimento de 11,7% para 13,7% em 2018, mas dado o desempenho de novembro, o volume deve ficará ainda maior.

Balança comercial brasileira tem superávit de US$ 4,062 bilhões em novembro

  • Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), o país exportou US$ 4,062 bilhões a mais do que importou no mês de novembro, o que representa um aumento de 14,7% na comparação com o mesmo mês do ano passado;
  • No acumulado de janeiro a novembro, o superávit da balança comercial foi de US$ 51,698 bilhões, o que é um recuo de 16,6% na comparação com o mesmo período no ano passado.

Faturamento da indústria brasileira cai 2,2% em outubro

  • Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI) o faturamento da indústria brasileira caiu 2,2% em outubro ante setembro, na série com ajuste sazonal. Essa é a segunda queda consecutiva do indicador. Na comparação com o mesmo mês em 2017, o faturamento cresceu 2,4%;
  • ​A pesquisa mostra ainda que as horas trabalhadas na produção ficaram estáveis em outubro na comparação com setembro, mas cresceu 1,1% com relação a outubro do ano passado.

Internacional

Brexit: Reino Unido tem todas as opções em aberto

  • Enquanto o Parlamento britânico inicia cinco dias de debates sobre o acordo proposto para o Brexit, parecer do advogado geral do Tribunal de Justiça Européia disse que a Grã-Bretanha tem o direito de retirar unilateralmente seu pedido de saída da UE (Artigo 50);
  • A opinião de Manuel Campos Sanchez-Bordona foi uma resposta a um grupo de políticos escoceses sobre o assunto. Embora as opiniões do advogado-geral não sejam vinculativas, o tribunal tende a segui-las na maioria de suas decisões finais, de acordo com a Bloomberg;
  • ​Se a decisão da corte europeia seguir o mesmo racional, todas as opções permaneceriam na mesa. Desde uma retirada total do Brexit, a uma aprovação do acordo recentemente acordado pela Theresa May na próxima semana, a uma rejeição do mesmo e a necessidade de um novo acordo Brexit.

Empresas

Petrobras: Anuncia novo acordo de renegociação de dívidas com Eletrobras

  • A Petrobras anunciou um novo acordo de negociação de dívidas com a Eletrobras, a Amazonas Energia e a Amazonas Geração e Transmissão para recompor garantias de dívidas, além de aditivos nos contratos de fornecimento de gás;
  • Foi celebrado um aditivo à confissão de dívida de 2014 para recomposição de garantias da Eletrobras previstas em R$3,826 bilhões, além de aditivo ao Instrumento de Confissão de Dívida celebrado entre a AmE e a Petrobras no montante de R$571,8 milhões;
  • Finalmente, condicionado à venda da Amazonas Energia, o Acordo prevê a assunção pela Eletrobras de dívidas já confessadas por suas subsidiárias de R$3,069 bilhões.​

CTEEP: Anuncia dividendo de R$7,43/ação com yield de 9,5%

  • ​Em fato relevante ontem, a CTEEP anunciou a distribuição total de R$ 1.225 milhões em um mix de dividendos e juros sobre capital próprio relativos ao exercício de 2018;
  • Isso implica em uma distribuição total de R$ 7,43 / ação, ou um yield de 9.5% já líquido de impostos no JCP, que está acima da nossa estimativa de 8,7%;
  • As ações serão negociadas ex-dividendos e JCP a partir de 7 de dezembro de 2018.


Localiza: Procon de MG multa empresa em R$ 1,16 mi

  • O Procon de Minas Gerais multou a Localiza em R$ 1,161 milhão por incluir taxa de 12% sobre o valor de cada veículo, considerada abusiva pelo órgão;
  • Após ser notificada oficialmente, a Localiza terá dez dias para apresentar um recurso;
  • Não esperamos impactos materiais, visto que o valor da multa é pouco representativo em relação ao lucro esperado para o trimestre (menos de 1%).

Atual CEO da Fibria, Marcelo Castelli, vai assumir presidência da Votorantim Cimentos

  • O grupo Votorantim anunciou ontem a mudança no comando na sua principal empresa, a Votorantim Cimentos (VC). Após cinco anos como presidente global da cimenteira, Walter Dissinger vai deixar o cargo;
  • ​Para o lugar de Dissinger, a Votorantim escolheu Marcelo Castelli, que está à frente da Fibria desde 2011 e permanecerá na gestão até 14 de janeiro, data do fechamento da transação com a Suzano. Walter Schalka, presidente da Suzano, ficará no comando da companhia combinada;
  • ​Castelli, 54 anos, está no grupo Votorantim desde 1997, contratado para trabalhar na Votorantim Celulose e Papel (VCP), que, em 2009, tornou-se a Fibria, resultado da fusão com Aracruz. Castelli vai assumir a presidência da VC no início de fevereiro.

China pode retirar antidumping do frango do Brasil

  • Segundo Valor Econômico, os frigoríficos exportadores de carne de frango do Brasil e o Ministério do Comércio da China (Mofcom) estão próximos de um acordo para a retirada das tarifas antidumping aplicadas no ano passado contra o produto brasileiro, de acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA);
  • Segundo a notícia, o presidente da China, Xi Jinping, tratou do assunto com o presidente Michel Temer durante a cúpula do G-20, que ocorreu no último fim de semana em Buenos Aires. Para retirar a tarifa antidumping que foi aplicada em agosto do ano passado por Pequim, foi discutido um acordo de preço mínimo (“price undertaking”) para os produtos brasileiros;
  • Em nota, a ABPA informou que restam algumas pendências para o acordo com o Ministério do Comércio da China, com o objetivo de consolidar um entendimento equilibrado no menor prazo possível. Apesar do antidumping, a China é o segundo maior cliente dos frigoríficos brasileiros (11% das exportações do Brasil), por isso a importância do país para o Brasil.

Sabesp: Dória indica Benedito Braga para presidência

  • O Governador eleito de São Paulo João Dória indicou o engenheiro Benedito Braga para a presidência da Sabesp;
  • Braga é professor de Engenharia Civil e Ambiental da Escola Politécnica da USP e foi secretário de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo de 2015 até maio de 2018;
  • Além disso, o engenheiro foi presidente do conselho da Sabesp até abril de 2018, e é presidente do Conselho Mundial da Água.

Fleury compra laboratório Lafe, do Rio de Janeiro

  • Segundo Valor Econômico, o Fleury fechou, ontem, a aquisição da rede de laboratórios de análises clínicas Lafe, que possui 32 unidades no Rio de Janeiro, por R$ 170 milhões. Os recursos da aquisição virão do caixa do Fleury que, no terceiro trimestre de 2018, era de quase R$ 900 milhões;
  • Com a aquisição, o Fleury passa a ter 83 unidades no Rio, segunda praça mais importante para o grupo e as unidades da Lafe estão situadas em locais complementares aos da Fleury, segundo a empresa;
  • Ainda segundo a empresa, há boas expectativas de melhora de margem operacional na Lafe, pois a rede terceirizava o processamento de exames de análises clínicas e agora será realizado pelo próprio Fleury, acarretando em corte de custos.

Ambev anuncia distribuição de juros sobre capital

  • Ambev anuncia distribuição de juros sobre capital (“JCP”) próprio à razão de R$ 0,32 por ação, com base no balanço extraordinário de 30 de novembro de 2018, a serem deduzidos do resultado acumulado de 2018 da Companhia e imputados aos dividendos mínimos obrigatórios do mesmo exercício;
  • A distribuição de JCP será tributada na forma da legislação em vigor, o que resultará em uma distribuição líquida de R$ 0,272 por ação da Companhia, exceto para os acionistas pessoas jurídicas que sejam imunes ou isentos por força do artigo 5º da Lei nº 11.053/04, com as alterações introduzidas pela Lei nº11.196/05;
  • O pagamento será efetuado a partir de 28 de dezembro de 2018, com base na posição acionária de 18 de dezembro de 2018 (inclusive) no que se refere à B3 e 20 de dezembro de 2018 no que se refere à New York Stock Exchange, sem incidência de correção monetária. As ações e os ADRs passarão a ser negociados ex-JCP a partir de 19 de dezembro de 2018 (inclusive).

COE News

Disney: Acionistas propõem novo plano de bonificação ao presidente

  • Os acionistas da Disney reprovaram o plano de bonificação do atual CEO Robert Iger, além de elevar as metas à serem cumpridas;
  • Em 2017, Iger recebeu US$ 36mm no qual US$ 25mm foram em ações. Em março deste ano, os acionistas já haviam rejeitado um outro plano de aumento de bonificação do presidente, no qual foi proposto o pagamento de US$ 48mm anuais de 2018 a 2021;
  • Sob o novo plano de metas proposto pelo conselho dos acionistas, Iger apenas receberá US$ 100mm em participação no ano de 2021 caso o preço das ações aprecie mais do que 65% das empresas que compõem o S&P 500 neste mesmo período. Além disso, tal compensação proposta estaria atrelada à aquisição de US$ 71bi dos ativos da 21st Century Fox, que provavelmente será finalizada no início de 2019.

Netflix: Renovação do contrato de exclusividade da série “Friends” até 2019

  • Ao contrário das habituais negociações com a Netflix, a exclusividade do conteúdo da famosa série de comédia “Friends” será mantida apenas até o lançamento da plataforma streaming da AT&T, previsto até o final de 2019;
  • Por outro lado, a abordagem da AT&T parece ser mais flexível do que da Walt Disney, que também lançará sua plataforma proprietária de streaming em 2019. A Disney anunciou que irá deixar de firmar acordos com a Netflix, incluindo a renovação de dramas como “Grey’s Anatomy” e “Scandal”, adotando uma abordagem similar ao conteúdo veiculado em TV;
  • Em uma conferência recente na California, o diretor Ted Sarandos informou que boa parte dos acordos de exclusividade firmados com outras produtoras ainda permanecerá por alguns anos.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.