XP Expert

XP Morning Call 08/05/2019: Preocupação nos mercados internacionais

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Relatório de Alocação

  1. Relatório de Alocação para o mês de maio. Inclusão da classe de pré-fixados para o perfil agressivo

Brasil

  1. Política Brasil: Paulo Guedes e Rogério Marinho vão à Comissão Especial, recriação de Ministérios
  2. Governo lançará hoje pacote de concessões, com novas inclusões de trechos rodoviários

Internacional

  1. O superávit comercial na China abaixo das expectativas
  2. Comissão Europeia reduz projeções de crescimento para a zona do euro e

Empresas

  1. Principais destaques do XP Minas Gerais Day
  2. Minério de ferro: Suspensão de Brucutu impulsiona preços da commodity  
  3. Hapvida (HAPV3): Aquisição do Grupo São Francisco

COE News

  1. AB InBev: Sólidos resultados no 1T19, sustentados pela operação no Brasil

Resumo

Preocupação nos mercados internacionais

Os mercados internacionais estão em queda nesta manhã de quarta-feira, seguindo tensões comerciais e preocupações com a economia global.

O vice-premier chinês, Liu He, visitará os EUA nos dias 9 e 10 de maio para negociações comerciais, em uma última tentativa para evitar o aumento das tarifas sobre produtos chineses encomendado por Donald Trump.

Aumentando o nervosismo no mercado, dados da balança comercial chinesa mostraram importações sólidas, mas uma queda inesperada nas exportações de abril, que podem ter sido distorcidas por sazonalidade e mudanças tributarias implementadas em Abril.

Apesar da produção industrial da Alemanha ter sido acima do esperado em março, o ministério da economia alertou que as perspectivas continuam fracas. Os dados também seguem números fracos da atividade industrial na zona do euro e revisão do crescimento para baixo pela Comissão Europeia.

No Brasil, Paulo Guedes e Rogério Marinho vão hoje à comissão especial da reforma da previdência para defender o texto apresentado pelo governo. O PSL dessa vez promete blindar o ministro, que foi alvo de duras indagações pela oposição na CCJ.

Em entrevista, Jair Bolsonaro afirmou ontem que previdência já tem o apoio “mais de 300 parlamentares” e que está otimista. Os votos ainda não existem, mas o governo tem trabalhado na direção menos arriscada para consegui-los.

O presidente decidiu recriar os ministérios das Cidades e da Integração Nacional para entregar aos partidos de centro. Essa movimentação e a promessa de R$ 4 bilhões em recursos adicionais para os deputados até o final do ano devem ajudar a articulação política.

Jair Bolsonaro deve anunciar ainda hoje (quarta-feira) um pacote de concessões e privatizações em infraestrutura, que deve somar aporte de R$38 bilhões nos setores de rodovias, portos e aeroportos. A expectativa é de aprovação hoje pelo conselho de ministros do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) e de concentração dos leilões em 2020.

Publicamos ontem o nosso relatório de alocação para o mês de maio (link), com um resumo do que aconteceu nos mercados em abril, quais são as perspectivas para este mês e como isso se traduz nas nossas recomendações para alocação de ativos. Além disso, disponibilizamos também a série mensal sobre o tema no Spotify, chamado XP Investorcast, com o relatório em formato de bate-papo.

Por fim, ontem sediamos em Belo Horizonte o XP Minas Gerais Day, encontro promovido pela XP Investimentos entre os setores público e privado para discutir agendas para o Estado de Minas Gerais, com destaque para os seguintes temas: o futuro das empresas estatais, perspectivas do ponto de vista fiscal, perspectivas para o setor de Mineração e propostas para atração de investimentos no Estado de Minas Gerais.


Conteúdo na íntegra

Relatório de Alocação

Relatório de Alocação para o mês de maio. Inclusão da classe de pré-fixados para o perfil agressivo

  • Disponibilizamos o segundo episódio do Podcast da série mensal sobre alocação no Spotify , com o foco em trazer os principais conteúdos do Relatório de Alocação em formato de bate-papo (clique aqui para acessar). Bem como nosso relatório, ele será um resumo dos eventos que mais impactaram os mercados do último mês, as expectativas para o próximo e como isso se traduz nas nossas recomendações de ativos;
  • Para o mês de maio, no perfil agressivo, diminuímos 5% da alocação em ativos pôs fixados para inclusão da classe pré fixados. Dado nosso cenário de manutenção da taxa de juros por um período mais longo, vislumbramos oportunidades de bons retornos via ativos sem marcação a mercado, como os CDBs;
  • Os principal promotores foram novamente os ativos indexados à inflação, dada divulgação do IPCA-15 de abril de 0,72%, acima da expectativa para esse indicador. Os detratores, em geral, foram os fundos que estavam com mais posições ligadas à atividade doméstica e também com posições vendidas no mercado acionário internacional. Clique aqui para acessar o relatório completo

Brasil

Política Brasil: Paulo Guedes e Rogério Marinho vão à Comissão Especial, recriação de Ministérios

  • ​Paulo Guedes e Rogério Marinho vão hoje à comissão especial da reforma da previdência para defender o texto apresentado pelo governo. O PSL dessa vez promete blindar o ministro, que foi alvo de duras indagações pela oposição na CCJ;
  • Jair Bolsonaro faz o que há de mais tradicional na política ao decidir recriar os ministérios das Cidades e da Integração Nacional para entregar aos partidos de centro. O primeiro deve ir para o PP, com anuência de Rodrigo Maia. O segundo deve ter o ministro indicado pela cúpula do Senado. Essa movimentação e a promessa de R$ 4 bilhões em recursos adicionais para os deputados até o final do ano devem ajudar a articulação política;
  • O presidente afirmou ontem em entrevista que previdência já tem o apoio “mais de 300 parlamentares” e que está otimista. Os votos ainda não existem, mas o governo tem trabalhado na direção menos arriscada para consegui-los. 

Governo lançará hoje pacote de concessões, com novas inclusões de trechos rodoviários

  • O governo Jair Bolsonaro pretende anunciar hoje um “superpacote” de concessões e privatizações em infraestrutura, com o qual pretende levantar R$ 38 bilhões dos grupos vencedores somente nos ativos na área de transportes, e que deve ser aprovado hoje pelo conselho de ministros do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). De acordo com o Valor, a previsão é que quase todos os novos leilões ocorram em 2020;
  • Dois novos trechos rodoviários serão incorporados ao programa de concessões, a terem valor da outorga como critério: (1) A BR-381, em Minas Gerais, será repassada ao setor privado por 30 anos e deve receber investimentos de R$ 9,1 bilhões e (2) a BR-163, que está sendo duplicada como obra pública entre Sinop (MT) e Miritituba (PA), e vai ser concedida por um período de dez anos. A Presidente Dutra, hoje operada pela CCR, será relicitada junto com 233 quilômetros da Rio-Santos entre Ubatuba (SP) e Itaguaí (RJ);
  • O “superpacote” também formaliza a privatização de mais três blocos de aeroportos, que deverão receber R$ 5 bilhões em investimentos e ir a leilão em outubro de 2020. O valor de outorga sairá apenas com a conclusão dos estudos, em novembro, segundo o cronograma a ser apresentado hoje. Serão três lotes com 22 terminais ao todo: Central (tendo Goiânia como carro-chefe), Sul (liderado por Curitiba) e Norte (Manaus à frente);
  • Paralelamente, o governo dará sinal verde ao início de estudos para a concessão de mais 7.234 quilômetros de estradas. Para a busca de investidores estrangeiros, o governo definiu que fará “road shows” em Nova York na semana que vem, na Europa em junho e na Ásia em agosto.

Internacional

O superávit comercial na China abaixo das expectativas

  • A China registrou dados de balança comercial abaixo das expectativas em abril, com exportações inesperadamente caindo e as importações surpreendentemente subindo de acordo com a CNBC. Os dados alfandegários mostraram que o superávit comercial em abril foi de aproximadamente US$ 14 bi, abaixo dos US$ 35 bi previstos pelos economistas consultados pela Reuters, e abaixo dos ~US$ 33 bi registrados em março;
  • As exportações também vieram abaixo das expectativas em abril, caindo 2,7% em relação a um ano atrás de acordo com dados da Administração Geral das Alfândegas da China. Economistas consultados pela Reuters esperam um aumento de 2,3% em relação ao ano anterior;
  • ​Os dados foram divulgados em meio ao aumento das tensões entre a China e os EUA. Os últimos desenvolvimentos geraram pressão nos mercados globais, em meio a indícios anteriores de otimismo nas negociações.

Comissão Europeia reduz projeções de crescimento para a zona do euro

  • A Comissão Europeia reduziu suas perspectivas econômicas para a zona do euro na terça-feira. A Comissão anunciou que a área crescerá 1,2% em 2019, a taxa mais baixa desde a crise da zona do euro. No outono de 2018, a Comissão previa um crescimento de 1,9% este ano;
  • As previsões para a Alemanha e França, as duas maiores economias da zona do euro, estavam entre as revisões mais acentuadas. A previsão é de que a Alemanha cresça apenas 0,5% em 2019, em comparação com a projeção de crescimento de 1,1% em fevereiro. As previsões da França reduziram de 1,5% para 0,7%. Além disso, o déficit orçamentário da Itália aumentará para 3,6% do PIB em 2020 – quebrando o limite de 3% da União Europeia. Segundo a Comissão, este ano, a Itália deverá ser a pior economia europeia;
  • A comissão reconheceu que a economia da UE não estava apenas “particularmente fraca” em comparação com outros países desenvolvidos, mas também apresentava um mau desempenho em comparação com outras recuperações pós-crise.

Empresas

Principais destaques do XP Minas Gerais Day

  • Ontem, sediamos em Belo Horizonte o XP Minas Gerais Day, encontro promovido pela XP Investimentos entre os setores público e privado para discutir agendas para o Estado de Minas Gerais, destacando-se entre os principais temas: o futuro das empresas estatais, perspectivas do ponto de vista fiscal, perspectivas para o setor de Mineração e propostas para atração de investimentos no Estado de Minas Gerais;
  • Entre os participantes do evento, destacamos (1) o Governador Romeu Zema (NOVO), (2) o Secretário da Fazenda, Gustavo Barbosa, (3) o Secretário do Desenvolvimento Econômico, Vitor Mendonça, (4) o Secretário de Transportes e Obras Públicas, Marco Aurélio Silva, (5) o Diretor Financeiro da Cemig, Maurício Fernandes e (6) o Diretor de Gestão de Participações da Cemig, Daniel Faria Costa;
  • Com relação as estatais, a CEMIG tem papel de destaque entre as empresas a serem desinvestidas, embora o formato da privatização ainda esteja em debate. Em um primeiro passo, a Cemig deverá proceder com o desinvestimento de suas participações em ativos como Light e TAESA, transações que não necessitam de aprovação na Assembleia Legislativa. Já com relação a Copasa, o Governo acredita que uma eventual privatização seja mais complexa devido à necessidade de aprovação da Medida Provisória que estabelece o Marco Regulatório do Saneamento Básico (MP 868);
  • ​Por fim, sobre o setor de mineração, governo estadual ressaltou a importância do setor de mineração para Minas Gerais, e reforçaram a mensagem de que o setor não será demonizado após a tragédia de Brumadinho;
  • Link para acessar o relatório completo.

Minério de ferro: Suspensão de Brucutu impulsiona preços da commodity  

  • O anúncio de que as operações do complexo de Brutucu foram interrompidas mais uma vez levou o preço do minério de ferro para perto de seu nível mais alto em cinco anos;
  • Ontem o minério avançou 1,9% para US$96,15/t, acumulando valorização de +33% em 2019. Os futuros seguiram o movimento, com alta de 2,5%, para US$106,8/t; 
  • Brucutu representa 30mt de produção, levando para 93mt as operações suspensas (40mt voluntariamente, 53mt devido à decisão judicial). A Vale reafirmou sua estimativa de vendas de minério de ferro e pelotas de 307 – 332mt para 2019, o que já havia sido informado ao mercado, adicionando agora que a expectativa é que elas fiquem entre o mínimo e o centro da faixa, o que colocou ajudou a impulsionar os preços de minério ontem.
     

Hapvida (HAPV3): Aquisição do Grupo São Francisco

  • A Hapvida (não coberta) anunciou nesta terça-feira que adquiriu o Grupo São Francisco por R$5 bilhões. O valor é substancial, especialmente considerando o atual valor de mercado da compradora de R$21,8 bilhões. Os sócios da adquirida receberão parte do pagamento em ações da HAPV, além de R$4,75 bilhões em dinheiro, mas não terão direiro de governança sobre a companhia, segundo o Valor Econômico;
  • O Grupo São Francisco possui 1,8 milhão de usuários de planos saúde e dental e fechou o ano passado com receita de R$1,5 bilhão. O atual CEO continuará à frente da empresa após os orgãos reguladores aprovarem a transação;
  • A aquisição tornará a Hapvida líder nacional em número total de beneficiários no segmento e aumentará sua presença geográfica, passos importantes na estratégia de expansão que foi o grande atrativo no IPO feito em 2018. A Notre Dame e a Amil também tentaram comprar o grupo.

Arco Educação (ARCE): Fecha acordo para adquirir sistema Positivo

  • A Arco Educação (não coberta) assinou um contrato vinculante para adquirir 100% do Sistema Positivo de Ensino, uma empresa do estado do Paraná e com quarenta anos de operação. Se aprovado pelas autoridades, o acordo adicionará mais de 695 mil alunos à base da Arco, espalhados por 3,4 mil escolas particulares em todos os estados do Brasil. A nova empresa terá uma base de 1,2 milhão de alunos em aproximadamente 4,8 mil escolas brasileiras;
  • Ambas as partes concordaram com um valor de R$1,56 bilhão para o negócio, que inclui as marcas e soluções educacionais fornecidas às escolas privadas pelo sistema Positivo. Outros negócios como cursos preparatórios, serviços gráficos e universidades controladas pelo Positivo foram excluídas das negociações.

COE News

AB InBev: Sólidos resultados no 1T19, sustentados pela operação no Brasil

  • Os positivos resultados do 1T19, anunciados na madrugada de ontem, da Ambev no Brasil ajudaram a maior fabricante de bebidas do mundo, Anheuser-Busch InBev (AB InBev), a impulsionar seu lucro no trimestre;
  • Além do Brasil, resultados positivos na Nigéria, Europa, Peru e Colômbia ajudaram no aumento do volume de cerveja vendido, contrariado pelos resultados negativos na África do Sul e Argentina;
  • O grupo apresentou lucro de US$ 3,57bi e receitas de US$ 12,6bi, número acima do consenso, com destaque para o ligeiro crescimento do volume de cerveja vendido e sustentação das margens com o aumento de preços. O EBITDA (geração de caixa) aumentou 8,2% no ano contra ano;
  • Segundo os dirigentes da empresa, a integração da recém adquirida SABMiller já apresentou sinais de sinergia no trimestre, indicando que o processo de integração será encerrado até o final deste ano, conforme previsto. Além disso, eles também anunciaram a potencial venda (IPO) de parte da operação na Ásia, o que ajudaria na redução do endividamento da empresa. Considerando as instalações na China, Índia, Coreia do Sul e Austrália, os dirigentes do grupo estimam um Valuation de US$ 40 a 50bi, comparado ao valor total do grupo em US$ 130bi.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.