XP Expert

PEC paralela da Previdência e balanços globais em destaque

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 0,2% | 107.544 Pontos

CÂMBIO -1,2% | 4,04/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Após iniciar o dia em queda, o Ibovespa fechou ontem em leve alta de 0,15%. O índice atingiu assim mais uma alta histórica, de 107.544 pontos, após a aprovação da Reforma da Previdência com economia esperada em R$800 bilhões.

No Brasil, o Senado finalizou a votação do 2º turno da reforma da Previdência e a PEC será promulgada em novembro. Governo e oposição chegaram a um acordo na manhã de ontem sobre a aposentadoria de trabalhadores em situação de periculosidade (como vigilantes e eletricistas) e encaminharam o fim da votação sem grandes problemas. Um destaque do PT foi aprovado (portanto, retirado do texto), mas esse ponto será regulamentado por um projeto de lei complementar que o governo deve apresentar na próxima semana.

A partir de agora, a PEC paralela da Previdência ganha mais espaço. O texto, cujo principal objetivo é aplicar a estados e municípios a reforma da Previdência imposta ao governo federal, inclui um dispositivo que permite a prefeitos e governadores revogarem essas mesmas regras. Tasso também suavizou as regras de transição para mulheres. O senador disse que está sob pressão para modificar seu relatório.

O foco agora passa para a agenda pós-previdência. Na lista de prioridades do governo está um programa de emprego, que terá como foco jovens e deve ser divulgado na primeira semana de novembro. Segundo Rogério Marinho, secretário especial de Previdência e Trabalho, serão 14 medidas relacionadas ao tema, dentre elas microcrédito, reabilitação profissional, estímulo ao primeiro emprego e liberação de garantias judiciais  (de empregadores).

No campo internacional, os mercados operam em alta generalizada, sustentados principalmente pela divulgação de resultados saudáveis e em meio a poucas novidades na esfera da disputa comercial entre EUA e China. Bolsas asiáticas fecharam em alta, e tanto as bolsas europeias como os futuros de NY operam no azul.

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou sua decisão sobre a política monetária na região. A conduta foi mantida, uma vez que uma séria de medidas de estímulo, como corte de juros e retomada de compras mensais de ativos, foram anunciadas no mês passado.

Do lado negativo, o PMI composto da Zona do Euro subiu menos do que o esperado em outubro, a 50,2, permanecendo próximo da marca de 50 que indica estagnação da atividade econômica. Na Alemanha, o PMI composto subiu marginalmente em outubro, de 48,5 para 48,6, mas a leitura abaixo de 50 continuou mostrando contração da atividade do país.

Na parte corporativa, destacamos a divulgação de resultados da CSN, Localiza e EDP, que no geral vieram abaixo das expectativas. A CSN (CSNA3) reportou um terceiro trimestre mais fraco do que o esperado, com o resultado do segmento de aço sendo o principal detrator. Os resultados da Localiza (RENT3) também ficaram levemente abaixo, impactados principalmente por margens mais fracas na operação de aluguel e custos com depreciação mais pressionados. Por fim, no caso de EDP (ENBR3), a diferença para nossas expectativas vem de menores resultados de geração e comercialização de energia no 3T19.

Por fim, ontem o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) reverteu sua liminar que barrava parte do aumento tarifário de 12,13% autorizado pela agência reguladora Agepar em abril deste ano. A decisão foi muito positiva para a Sanepar, com isso, incorporamos os efeitos da decisão em nossas estimativas, e elevamos nosso preço-alvo das units SAPR11 para R$107/unit, contra R$104/unit anteriormente.

Tópicos do dia

Agenda de resultados hoje

Lojas Renner (LREN3): Após o fechamento
Petrobras (PETR4): Após o fechamento
Vale (VALE3): Após o fechamento
Clique aqui para acessar o calendário completo
Clique aqui para acessar nossa visão sobre a temporada de resultados

Brasil

  1. Política Brasil: O Senado finalizou a votação do 2º turno da reforma da Previdência
  2. O Ministério da Economia priorizará agora a “agenda de transformação do Estado”
  3. O Ministério da Economia estuda a possibilidade de eliminar o piso para saúde e educação em estados e municípios

Internacional

  1. Dados de PMI fracos reforçam a mensagem de que o cenário internacional permanece desafiador

Empresas

  1. Localiza (RENT3): 3T19 Volumes fortes compensados por depreciação mais alta; Mantemos Compra
  2. EdP Energias do Brasil (ENBR3): Análise dos resultados do 3T19
  3. CSN (CSNA3): Resultados mais fracos do que o esperado no 3T19; Segmento de aço foi o principal detrator
  4. Sanepar (SAPR11): TCE reverte decisão sobre reajuste tarifário de 2019: Positivo para a Sanepar, Reiteramos COMPRA
  5. Banrisul (BRSR6): Governador do RS declara que Banrisul não será incluído nas negociações com o governo federal

Renda Fixa

  1. Ratings da São Martinho elevados para ‘BBB-’
  2. Caixa deve oferecer crédito imobiliário prefixado


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: O Senado finalizou a votação do 2º turno da reforma da Previdência

  • O Senado finalizou a votação do 2º turno da reforma da Previdência e a PEC será promulgada em novembro. Governo e oposição chegaram a um acordo na manhã de ontem sobre a aposentadoria de trabalhadores em situação de periculosidade (como vigilantes e eletricistas) e encaminharam o fim da votação sem grandes problemas. Um destaque do PT nesse sentido foi aprovado (portanto, retirado do texto), mas esse ponto será regulamentado por um projeto de lei complementar que o governo vai apresentar na próxima semana;
  • Agora, a PEC paralela da Previdência ganha mais espaço. Ontem, o relator, Tasso Jereissati, leu seu parecer na CCJ do Senado. O texto, cujo principal objetivo é aplicar a estados e municípios a reforma da Previdência imposta ao governo federal, inclui um dispositivo que permite a prefeitos e governadores revogarem essas mesmas regras. Tasso também suavizou as regras de transição para mulheres. O senador disse que está sob pressão para modificar seu relatório;
  • No fim da noite de ontem, a Lava Jato pediu a anulação da condenação de Lula no caso do sítio de Atibaia. A força-tarefa argumenta que os recentes julgamentos do Supremo anulando casos da Lava Jato são precedentes que devem ser aplicados ao processo de Lula, fazendo com que a ação retorne à fase das alegações finais, ainda na 1ª instância.

O Ministério da Economia priorizará agora a “agenda de transformação do Estado”

  • Passada a reforma da Previdência, o ministro da Economia, Paulo Guedes, prepara agora os detalhes finais dos próximos passos de sua agenda, que passou a ser conhecida como “agenda de transformação do Estado”;
  • As principais prioridades do governo agora serão quatro Propostas de Emenda à Constituição, sendo uma delas a reforma administrativa e as demais três ligadas a regras fiscais e orçamentárias. As expectativas continuam sendo de que a reforma tributária ficará apenas para o próximo ano;
  • A PEC da reforma administrativa deve conter uma ampla mudança na jornada do servidor, enxugamento de carreiras no Executivo de 117 para no máximo 30 e o redesenho das tabelas salariais. A proposta também deve tornar mais rígida a avaliação de desempenho e criar um novo regime de vínculo entre servidor e Estado. O texto está em fase final de discussão e o ministério trabalha para divulgá-lo até a próxima terça-feira.

O Ministério da Economia estuda a possibilidade de eliminar o piso para saúde e educação em estados e municípios

  • De acordo com a Folha de São Paulo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, estuda a eliminação dos patamares mínimos que estados e municípios devem aplicar em saúde e educação;
  • Hoje, a Constituição determina que estados devem destinar 12% da receita à saúde e 25% à educação. Municípios devem alocar 15% e 25%, respectivamente;
  • Com a entrada em vigor do teto de gastos em 2016, o mínimo a ser aplicado nas áreas hoje pela União é o montante do ano anterior mais a inflação. Além de eliminar o piso para ambas as áreas em estados e municípios, a ideia em estudo pelo Ministro da Economia é de ao menos tirar essa correção, o que eliminaria a elevação anual. O formato final do texto a ser enviado ao Congresso ainda está em discussão e, por isso, pode sofrer alterações.


Internacional

Dados de PMI fracos reforçam a mensagem de que o cenário internacional permanece desafiador

  • No campo internacional, o PMI composto da Zona do Euro, que engloba os setores industrial e de serviços, surpreendeu negativamente as expectativas de mercado ao subir marginalmente de setembro para outubro, de 50,1 a 50,2. Apesar da leve alta, o índice permaneceu próximo à marca de 50 que indica estagnação da atividade econômica;
  • Na Alemanha, as leituras também não foram positivas. Na passagem de setembro para outubro, o PMI composto do país subiu de 48,5 para apenas 48,6. A leitura abaixo de 50 continuou mostrando que a atividade da maior economia europeia permanece em contração;
  • Os dados corroboraram mais uma vez a interpretação de que o cenário internacional permanece desafiador.

Empresas

Localiza (RENT3): 3T19 Volumes fortes compensados por depreciação mais alta; Mantemos Compra

  • Os resultados da Localiza vieram levemente abaixo das expectativas no 3T19, impactados principalmente por margens levemente mais fracas na operação de aluguel e custos com depreciação mais pressionados;
  • Ainda assim, a empresa conseguiu manter um spread estável entre seu retorno sobre o capital investido (ROIC) e o custo de capital, permitindo assim geração de valor para o acionista. Mantemos nossa visão positiva e recomendação de Compra para as ações, com preço-alvo de R$49,5/ação. No entanto, esperamos uma reação negativa no pregão de hoje. Para acessar nosso comentário completo sobre o resultado, clique aqui.

EdP Energias do Brasil (ENBR3): Análise dos resultados do 3T19

  • Em 23 de outubro, após o mercado, a EdP Energias do Brasil divulgou os resultados do terceiro trimestre de 2019 (3T19);
  • O EBITDA ajustado de R$ 530,4 milhões veio abaixo da nossa expectativa de R$ 569,0 milhões e consenso de R$ 579,0 ​​milhões. O motivo dos resultados terem vindo abaixo do esperado foi que o 3T19 refletiu uma combinação adversa de baixa incidência de chuvas e preços mais baixos de energia no mercado de curto prazo em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. Isso afetou negativamente os resultados dos segmentos de geração hidrelétrica e comercialização de energia.
  • Temos uma avaliação negativa dos resultados da EDP no 3T19, uma vez que os resultados da companhia vieram abaixo das nossas expectativas e do consenso. No entanto, notamos que a estratégia de comercialização da empresa é a correta na maioria dos casos e adotada pela maioria das geradoras hidrelétricas, que deverão sofrer impactos similares.
  • No campo positivo, destacamos (i) as menores perdas não-técnicas das distribuidoras EdP São Paulo e EdP Espírito Santo e (ii) a redução de custos gerenciáveis da EdP de -4,4% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.
  • Mantemos a recomendação de Compra nas ações, com preço-alvo de R$26/ação. Clique aqui para acessar o relatário completo.

CSN (CSNA3): Resultados mais fracos do que o esperado no 3T19; Segmento de aço foi o principal detrator

  • A CSN reportou um terceiro trimestre mais fraco do que o esperado, com EBITDA consolidado em R$ 1.567 milhões, 8% abaixo do nosso (-34% vs. 2T e -4% no comparativo anual). Os principais fatores que motivaram a perda foram os volumes mais fracos de aço tanto no mercado doméstico quanto no internacional, enquanto os resultados da mineração vieram em linha com as nossas estimativas;
  • O fluxo de caixa livre de +R$ 389 milhões foi garantido por uma redução de capital de giro de R$ 1,2 bilhão, uma vez que a CSN consumiu as placas adquiridas anteriormente para compensar a interrupção do alto-forno nº 3. A alavancagem da CSN (dívida líquida/EBITDA) aumentou em 0,16x para 3,81x, afetada sobretudo pela depreciação do real frente ao dólar e pela distribuição de R$ 670 milhões em dividendos. Por fim, a CSN revisou suas estimativas para o EBITDA de 2019, de R$ 8,5 bilhões para R$ 7,5 bilhões, em linha com nossa projeção;
  • Esperamos reação negativa das ações da CSN por conta dos resultados do terceiro trimestre. Olhando para frente, ainda vemos uma demanda doméstica de aço fraca e a normalização da oferta de minério de ferro deve pressionar os preços da commodity, que vinha impulsionando os resultados da empresa. Vemos as ações da CSN negociando a 6x EV/EBITDA 2020, patamar justo em nossa visão. Mantemos recomendação neutra. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Sanepar (SAPR11): TCE reverte decisão sobre reajuste tarifário de 2019: Positivo para a Sanepar, Reiteramos COMPRA

  • Em 23 de outubro, o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) realizou sessão referente ao processo do reajuste tarifário de 2019 da Sanepar. Nesta sessão, o tribunal reverteu sua liminar que barrava parte do aumento tarifário de 12,13% autorizado pela agência reguladora Agepar em abril deste ano;
  • Lembramos que, em maio deste ano, o TCE barrou parte do aumento de tarifas da companhia (permitindo apenas 8,37%) por discordar de um ponto da metodologia de cálculo da agência reguladora. No entanto, tal decisão foi revogada na última sessão do tribunal, liberando a Sanepar para implementar um aumento adicional de 3,76% nas contas de água e esgoto;
  • A decisão foi muito positiva para a empresa, e levou a uma alta de 3,0% das ações no mesmo dia. Incorporamos os efeitos da decisão em nossas estimativas, e elevamos nosso preço-alvo das units de Sanepar (SAPR11) para R$107/unit, contra R$104/unit anteriormente. Reiteramos a recomendação de COMPRA na Sanepar. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Banrisul (BRSR6): Governador do RS declara que Banrisul não será incluído nas negociações com o governo federal

  • O governador do Estado do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, disse que a privatização do Banrisul estaria fora das negociações para adesão do estado ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF).
  • A declaração aconteceu ontem após o governador se encontrar com o ministro da economia, Paulo Guedes. Porém, o plano ainda está sob análise da secretaria do Tesouro Nacional e uma dispensa da privatização do banco ainda não foi dada.
  • A declaração ocorre após uma tentativa fracassada por parte do estado de fazer uma oferta secundária das ações que excediam o controle do banco, o que deixou de gerar R$ 2,3 bilhões aos cofres do estado.
  • O estado é hoje o controlador do banco, com 98,1% das ações ordinárias e 49,4% das ações do banco. Considerando o preço de fechamento de ontem, a participação do estado valeria R$ 4,5 bilhões, mas é importante considerar que este valor poderia ser consideravelmente maior em caso de venda total da participação do estado.

Renda Fixa

Ratings da São Martinho elevados para ‘BBB-’

  • A S&P Global Ratings elevou ontem os ratings da São Martinho para ‘BBB-’ em escala global (antes ‘BB+’). A agência de classificação de risco comenta em seu relatório que a ação se deve à sólida eficiência operacional que a companhia vem mantendo e pela consistente geração de fluxo de caixa livre ao longo dos ciclos da indústria;
  • A perspectiva dos ratings é estável, indicando que não esperam realizar novas ações sobre os ratings da São Martinho nos próximos 12 a 24 meses, refletindo expectativa de manutenção de dívida / EBITDA abaixo de 2,0x, geração interna de caixa sobre dívida (FFO / Dívida) acima de 45% e fluxo de caixa operacional livre em torno de 10% a 15%;
  • A decisão é positiva, demonstrando melhora na qualidade de crédito da usina e boas perspectivas para o curto a médio prazo.

Caixa deve oferecer crédito imobiliário prefixado

  • Segundo o Valor Econômico, a Caixa Econômica Federal deverá oferecer crédito imobiliário prefixado (ou seja, sem indexador) até o fim do primeiro semestre de 2020. Segundo o presidente do banco, Pedro Guimarães, essa é a modalidade mais comum no mundo e é mais fácil para securitizar. Com a iniciativa da Caixa, se espera que outros bancos acompanhem;
  • O banco já vinha discutindo o lançamento do crédito imobiliário atrelado ao IPCA (índice de preços) e acredita que, ao conseguir vender esse crédito de maneira rápida, conseguirá lançar o crédito imobiliário sem correção. A expectativa inicial do crédito indexado ao IPCA era de atingir uma carteira de R$10 bilhões em um ano, mas conseguiu a marca em 45 dias;
  • Novas possibilidades de financiamento imobiliário devem impulsionar a atividade do setor, sendo positiva para o impulsionamento de novos lançamentos, vendas e, consequentemente, geração de caixa.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.