XP Expert

Otimismo com pacote fiscal nos EUA é ofuscado por preocupações com nova versão de coronavírus no Reino Unido

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,30% | 118.024 Pontos

CÂMBIO 0,36% | 5,08/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em queda na última sexta-feira (18), mas não apagou a alta de 2,51% na semana, provocada pelo rali das ações de Vale (VALE3) e siderúrgicas em meio à disparada na cotação do minério de ferro, e também pelo início da vacinação nos Estados Unidos e expectativas de aprovação de um novo pacote fiscal no país.

Nessa segunda-feira, mercados globais amanhecem em território negativo, após diversos países na Europa (-2,4%) anunciarem suspensões para viajantes do Reino Unido (-1,9%), sob o temor de uma nova variante do coronavírus com potencial velocidade de transmissão 70% maior.

Por outro lado, nos EUA (-1,2%), o noticiário destaca o acordo entre democratas e republicanos para o tão esperado novo pacote de estímulos à economia americana para conter os impactos econômicos da pandemia. O projeto propõe um pacote de USD 900 bilhões, e deve ser votado nesta segunda-feira (21), ao lado de um projeto orçamentário de USD 1.4 trilhões que evita a paralisação do governo, e contempla um suplemento temporário de USD 300 por semana para a população desempregada.

Enquanto isso, a China apresentou um plano para vacinar 50 milhões de pessoas até o início de fevereiro.

No Brasil, o ano entra na reta final com sessões na Câmara dos Deputados, em que Rodrigo Maia estabeleceu ampla pauta de votações com projetos de lei e requerimentos de urgência. Há entre as votações possíveis as que tentam dar rapidez a um refinanciamento de dívidas e à terceira fase do programa de crédito subsidiado vigente esse ano, o Pronampe. Entre os projetos que podem ser votados estão um PL com medidas contra o superendividamento, que reduz o percentual permitido para comprometimento com crédito consignado, o projeto da lei cambial e uma proposta de emenda à Constituição que amplia transferências da União para os municípios. Ainda não há garantia de que todas as propostas sejam votadas.

Ainda na seara político-econômica, o jornal Estado de São Paulo de sábado traz matéria publicada no Broadcast no fim da tarde de sexta-feira sobre intenção do governo de editar uma Medida Provisória (MP) determinando adoção de critério mais rígido para concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC). A flexibilização do critério de renda tentada pelo Congresso em março, subindo a linha de corte de 1/4 de salário mínimo per capita para 1/2 s.m. teria impacto fiscal de R$ 20 bilhões. Se combinada com vulnerabilidades, o impacto seria menor, de R$ 5.8 bi. Ainda não há consenso dentro do governo, mas a MP precisa sair até o fim do ano para permitir pagamentos do programa em 2021.

Na agenda econômica da semana, destaque para a arrecadação federal referente a novembro divulgada hoje, para o IPCA-15 de dezembro na terça-feira (expectativa XP, +1,2%) e para a nota de crédito de novembro, divulgada pelo Banco Central na quarta-feira.

Finalmente, do lado das commodities, os preços de petróleo Brent operam em forte queda de -5,20% nesta manhã, aos US$49,54 barril. Tal movimento reflete preocupações em relação ao surgimento de nova mutação do Coronavírus no Reino Unido que é 70% mais transmissível que o vírus original. A subsequente imposição de restrições de viagens ao país por diversos países resultou em preocupações com relação à recuperação da demanda por combustíveis após um período de otimismo com o início de campanhas de vacinação contra a COVID-19.

Tópicos do dia

Brasil

  1. Boletim Focus: projeções de PIB são reduzidas para 2021

Internacional

  1. Política internacional: Congresso americano chega a acordo para pacote de estímulo de USD 900 bilhões
  2. Preços do petróleo caem com mutação do vírus da Covid-19 descoberta no Reino Unido, aumentando os riscos de lockdowns
    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Grupo Soma (SOMA3): Empresa nomeia Rachel Maia para o Conselho; Primeira mulher negra a ocupar esse cargo no Brasil
  2. AES Tietê (TIET11): Nova proposta de reorganização societária, com migração para o Novo Mercado
  3. Bancos: projeto de lei do superendividamento volta a ser discutido
  4. Ultrapar (UGPA3): Grupo estuda venda rede de farmácias Extrafarma
  5. Frigoríficos: Abiec divulga suas projeções para exportação de carne bovina em 2021


Veja todos os detalhes

Brasil

Boletim Focus: projeções de PIB são reduzidas para 2021

  • A projeção de IPCA para 2020 continuou em ritmo de expansão, passando de 3,35% na última semana para 4,39%. Para 2021, as projeções passaram de 3,34% para 3,37%;
  • A projeção de PIB passou de -4,41% para -4,40% para 2020 e de 3,50% para 3,46% para 2021;
  • A projeção da taxa de câmbio passou de 5,20 para 5,15 para 2020 e de 5,03 para 5,00 para 2021. E a projeção de Selic permaneceu em 3,00% ao final de 2021. Clique aqui para conferir mais detalhes.

Internacional

Política internacional: Congresso americano chega a acordo para pacote de estímulo de USD 900 bilhões

  • Após afirmar que a nova variante do vírus está “fora do controle”, o Reino Unido anunciou endurecimento do lockdown e países anunciaram suspenderam voos vindos do país. A China apresentou um plano para vacinar 50 milhões de pessoas até o início de fevereiro;
  • O noticiário internacional destaca acordo entre democratas e republicanos para um novo pacote de estímulo à economia americana de USD 900 bilhões para combater as ramificações econômicas da pandemia. O projeto deve ser votado nesta segunda-feira (21) ao lado de um projeto orçamentário de USD 1.4 trilhões que evita a paralisação do governo e contempla um suplemento temporário de USD 300 por semana para a população desempregada.

Preços do petróleo caem com mutação do vírus da Covid-19 descoberta no Reino Unido, aumentando os riscos de lockdowns

  • Os preços do petróleo tipo Brent operam em território negativo nesta segunda-feira (21), com queda de 5,57% a US$ 49,34/barril, devido a preocupações de que uma mutação do vírus da Covid-19 descoberta no Reino Unido poderia levar à reimposição de lockdowns e outras medidas de restrição ao fluxo de bens e pessoas. As autoridades dizem que a nova variedade do vírus é até 70% mais transmissível do que a original;
  • De acordo com a Bloomberg, os preços do petróleo estão refletindo temores de que a nova variedade do vírus prejudique a recuperação da demanda por combustíveis, após um mês de elevado otimismo com as perspectivas de retomada de atividades com o início de campanhas de vacinação. No mínimo, reafirmaria que o caminho para a normalização da demanda é mais difícil do que parece;
  • Atualmente, mais de 16 milhões de britânicos estão obrigados a ficar em casa depois que um lockdown total entrou em vigor em Londres e no sudeste da Inglaterra, com alguns países europeus limitando as viagens com o Reino Unido.

Empresas

Grupo Soma (SOMA3): Empresa nomeia Rachel Maia para o Conselho; Primeira mulher negra a ocupar esse cargo no Brasil

  • O Grupo de SOMA, via comunicado ao mercado, anunciou que, em substituição à Sra. Claudia Jatahy Gonçalves, membro do Conselho de Administração, foi nomeada a Sra. Rachel de Oliveira Maia para o cargo de Conselheira. Rachel Maia atua há mais de 28 anos no mercado de luxo, tendo sido CEO na Lacoste e na Tiffany, e será a primeira mulher negra a preencher uma vaga em Conselho de Administração no Brasil;
  • O Conselho do Grupo Soma é composto por 7 membros, dos quais duas são mulheres – Sra. Maria Laura Tarnow e, até a realização da próxima Assembleia Geral da companhia, a Sra. Rachel de Oliveira Maia. Além disso, com a recente nomeação, a empresa também avança em relação à independência de seu Conselho, indo de apenas 2 membros, para 3 (representando 42% do board), o que é bem recebido;
  • Vemos o anúncio como positivo e importante para o avanço tanto da pauta social, quanto da governança, dentro da companhia, e reconhecemos a importância da diversidade e da inclusão. Reiteramos nossa recomendação de Compra para o Grupo Soma, com preço-alvo de R$ 17,0/ação, sendo a empresa uma das nossas preferências no setor de vestuário, junto à C&A. Clique aqui para ler o conteúdo completo.

AES Tietê (TIET11): Nova proposta de reorganização societária, com migração para o Novo Mercado

  • Na última sexta-feira (18) a AES Tietê divulgou, via fato relevante, sua nova proposta de reorganização societária. A proposta prevê a criação de uma holding, AES Brasil Energia, que vai incorporar as ações da AES Tietê. Com isso, todos os atuais acionistas da AES Tietê passarão a ser acionistas da nova holding mantendo o percentual atual de participação na nova companhia;
  • A AES Brasil Energia, nova controladora, será listada no Novo Mercado segmento de governança mais elevado da B3. Como o Novo Mercado permite apenas empresas com ações ordinárias, foi proposta uma relação de troca de 5 ações ordinárias ou preferenciais da AES Tietê, para cada uma ação ordinária de emissão de AES Brasil Energia. Com isso, cada unit (4 PN + 1 ON) da AES Tietê poderá ser trocada por uma ação ordinária da AES Brasil Energia;
  • Segundo a companhia, tal reorganização permitirá uma maior alavancagem, uma vez que somente os ativos que estiverem abaixo da AES Tiete ficarão limitados ao atual teto de 3,85x Dívida Líquida/Ebitda. Além do atual limite de endividamento, os novos projetos poderão ser desenvolvidos em SPEs sob controle comum da atual AES Tietê, permitindo um endividamento de até 80% em tais sociedades. Por fim, a reorganização será submetida para aprovação da Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel e também dos acionistas.

Bancos: projeto de lei do superendividamento volta a ser discutido

  • Entre os projetos de lei que o deputado e presidente da câmara Rodrigo Maia abriu a possibilidade para serem votados está o 3.515/2015, que trata do superendividamento;
  • Se aprovado, o projeto poderia limitar a margem consignável a 30% (vs. provisório de 40% e oficial de 35%), o que diminuiria a originação de crédito na linha;
  • Em caso de aprovação, nossa visão é negativa para o setor bancário, uma vez que o crédito consignado: i) vai diminuir e possivelmente frear crescimento no longo prazo; ii) representa mais de 10% do crédito do sistema financeiro nacional; e iii) é especialmente bom em momentos de crise devido a sua natureza de baixa inadimplência. Por fim, lembramos que o crédito consignado é relevante para ambos bancos incumbentes e médios.

Ultrapar (UGPA3): Grupo estuda venda rede de farmácias Extrafarma

  • Segundo o Estadão, a Ultrapar pretende se desfazer da rede de farmácias Extrafarma, que hoje tem cerca de 400 lojas e fatura R$ 1,5 bilhão. Os potenciais desinvestimentos das subsidiárias Extrafarma e Oxiteno (confira mais detalhes no link) estariam em linha com a estratégia da companhia de focar no setor óleo e gás. Além disso, a matéria cita uma potencial avaliação da Oxiteno de US$1,5 bilhão;
  • A notícia aponta que o Grupo Ultra pretende seguir nos negócios onde encontra sinergia, relacionados a ao mercado de óleo e gás, incluindo nesse bloco os postos Ipiranga, a Ultragaz e a Ultracargo. Seu plano de investimento para o próximo ano ilustra essa estratégia, no qual a companhia aloca cerca de 80% dos seus investimentos previstos nos segmentos ligados ao segmento de óleo e gás;
  • Acreditamos que um eventual desinvestimento da Oxiteno e da Extrafarma pode ser uma forma da Ultrapar liberar espaço em seu balanço para uma eventual aquisição de refinarias da Petrobras. Segundo o Valor Econômico, o Grupo Ultra apresentou propostas para a aquisição das refinarias REPAR no Paraná e REFAP no Rio Grande do Sul – embora só possa ficar com um deles, segundo os termos do processo de desinvestimento da Petrobras.

Frigoríficos: Abiec divulga suas projeções para exportação de carne bovina em 2021

  • Segundo notícia do Valor Econômico, a Abiec divulgou suas projeções para 2020/21: “Para 2021, a entidade projetou o volume das exportações totais em 2,1 milhões de toneladas e a receita em US$ 8,8 bilhões. Se confirmados os avanços, será o quinto ano consecutivo de crescimento. (…) A grande âncora das exportações continua a ser a China. De janeiro a novembro deste ano, as vendas ao país asiático somaram 780 mil toneladas e renderam US$ 3,6 bilhões, com avanços de 88,3% e 65,8% ante igual intervalo de 2019.”;
  • Na nossa visão, concordamos com tal aumento nas exportações, uma vez que, além da demanda na Ásia seguir aquecida, ainda espera-se retomada nos mercados do Oriente Médio e da União Europeia. Vale destacar que as exportações aquecidas sustentaram o preço do boi gordo em alta em 2020, portanto isso passa a ser ainda mais relevante frente ao arrefecimento da economia com o término do auxílio emergencial;
  • Por outro lado, caso o movimento de valorização do real frente ao dólar se mantenha, a competitividade dos preços brasileiros de carne bovina em dólares seria menor, impactando negativamente as exportações – mas que ainda assim seguiriam em patamares bastante atrativos. Nesse sentido, empresas exportadoras como a Marfrig, dentre outras, deveriam continuar sendo beneficiadas pelas exportações de carne bovina brasileiras. Confira todos os detalhes no Expresso Alimentos & Bebidas desta semana.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.