XP Expert

Morning Call XP (29.jul): Juros no Brasil e no mundo em foco

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,16% | 102.818 Pontos

CÂMBIO 0,0% | 3,78/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa inicia a semana em 102.818 pontos, após queda de -0,6% na última semana. Na agenda doméstica, destaque para reunião do COPOM (Comitê de Política Monetária) nesta quarta-feira, com expectativa de corte na taxa de juros entre 0,25-0,5% pelo mercado e 0,25% pela XP, o que daria sustentação à Bolsa.

Além disso, notícias apontam que o BNDES e sua empresa de participações BNDESPar devem vender, até o final do ano, R$35 bilhões em ações e participações em empresas estatais e privadas. A medida vai ao encontro à agenda do banco de reduzir sua presença no capital de diversas empresas que ajudou a desenvolver e de retornar recursos à União.

O processo começaria com a venda de ações mais líquidas, como Petrobras, Vale, JBS e Suzano, além de Cemig e Copel. Um calendário com as datas de venda seria apresentado de modo a aumentar a visibilidade do processo e evitar um impacto negativo sobre a performance das ações na bolsa.

Na política, o foco voltará à tramitação da reforma da previdência na Câmara e subsequente envio ao Senado, bem como outras pautas microeconômicas (como reforma tributária e agendas setoriais) com o final do recesso em 1º de agosto (quinta-feira).

Na agenda internacional, mercados asiáticos, europeus e futuros dos EUA estão em leve queda. Na última sexta-feira, o Departamento do Comércio dos EUA informou dados de crescimento do PIB no 2T19 de 2,1%, acima da expectativa de 1,8% do mercado, o que impulsionou os mercados do país, apesar de intensificar o questionamento sobre direção da taxa de juros.

De fato, nesta quarta-feira, o FED decidirá o novo patamar de juro e a expectativa do mercado se mantém em corte de 0,25%, seguindo o quadro de inflação moderada e de desaceleração de investimentos privados.

As tensões comerciais EUA-China seguem em foco, com representantes americanos indo à Xangai para retomar negociações. Entretanto, o assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, afirmou que não se esperam grandes avanços nesta semana devido a discordâncias em questões como proteção à propriedade intelectual e transferência de tecnologia. Representantes da China também deram declarações mencionando que não sucumbirão à pressão.

Do lado das empresas, segundo o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Marcos Montes, há grandes chances de que 30 unidades de proteínas (abatedouros de bovinos, suínos e aves) sejam habilitadas pela China dentro de dez dias, o que seria muito positivo para os frigoríficos. Mantemos preferência por JBS com recomendação de Compra, seguido de Marfrig (Compra) e BRF (Neutro).

Também destacamos que a brMalls (BRML3) confirmou que está em tratativas avançadas para a venda integral da sua participação em 7 shoppings. Embora ainda não haja informação relativa a preços ou todos os ativos envolvidos, a transação está alinhada com a estratégia de focar em ativos dominantes e de maior porte dentro do portfólio. Finalmente, durante a semana, os resultados do 2T19 a se monitorar são: Multiplan, Itaú, Lojas Renner, CTEEP, BR Distribuidora, CSN, Vale, Gol, IRB, Localiza, Petrobras e Porto Seguro.

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Sérgio Moro edita portaria que permite deportação sumária de estrangeiros
  2. BNDES e BNDESPar devem vender R$ 35 bilhões em ativos até o final do ano

Empresas

  1. Frigoríficos: Habilitação de mais plantas pela China pode acontecer em breve
  2. brMalls (BRML3): Tratativas avançadas para venda de sete ativos
  3. EDP Energias do Brasil (ENBR3): CEO da EDP portuguesa vê opções abertas para subsidiária brasileira
  4. Vale (VALE3): Obras em barragem de mina em Itabira são paralisadas
  5. Varejo: Governo discute nova data promocional


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Sérgio Moro edita portaria que permite deportação sumária de estrangeiros

  • Os últimos dias foram envoltos em polêmicas sobre a divulgação de conversas ilegalmente obtidas por hackers. Sergio Moro editou a portaria que permite deportação sumária de estrangeiros em certas situações e Bolsonaro falou que Glenn Greenwald, jornalista americano do Intercept, “talvez pegue uma cana”. A ação e a fala foram contestadas. O Congresso se prepara para agilizar no retorno do recesso a CPMI das Fake News, que passaria a abranger também o caso das mensagens hackeadas;
  • Nessa semana, governo, caminheiros e empresas retomam negociações sobre a tabela do frete. Na cidade de São Paulo, o sindicato de motorista de ônibus decidirá se haverá greve nesta quarta-feira (31).

BNDES e BNDESPar devem vender R$ 35 bilhões em ativos até o final do ano

  • De acordo com o jornal Valor Econômico, o BNDES e o BNDESPar (empresa de participações) devem vender R$ 35 bilhões em ações e participações em empresas estatais e privadas até o final desse ano;
  • Diversas instituições do setor financeiro teriam mostrado interesse especial nas ações da Petrobras e JBS, mas também teriam mostrado algum interesse em outras empresas, tais como Copel e Cemig;
  • As ações de Petrobras detidas pelo BNDES e BNDESPar somam aproximadamente R$ 50 bilhões e por isso devem ser vendidas em parcelas ao longo de dois anos. Já as ações de JBS somam aproximadamente R$ 14 bilhões. O desinvestimento faz parte da nova diretriz do novo governo de reduzir sua presença no capital de empresas e de acordo com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, a intenção inicial é de se desfazer de até R$100 bilhões em participações entre 2019 e 2020.

Empresas

Frigoríficos: Habilitação de mais plantas pela China pode acontecer em breve

  • Segundo o Valor Econômico, depois da abertura chinesa aos lácteos do Brasil, anunciada na semana passada, Pequim deu sinais de que a habilitação de frigoríficos brasileiros podem ser concedidas dentro de dez dias;
  • Em entrevista concedida ao jornal, o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Marcos Montes, avaliou que há grandes chances de que 30 unidades (abatedouros de bovinos, suínos e aves) sejam habilitadas;
  • Nas últimas semanas, técnicos do Ministério da Agricultura estão testando o modelo novo de auditoria de frigoríficos por videoconferência, a pedido de Pequim, o que tende a agilizar as decisões porque evita a necessidade de uma inspeção sanitária in loco dos técnicos sanitários chineses. Até o momento, tais auditorias estão sendo muito bem-sucedidas;
  • Vemos a notícia como positiva. Novas habilitações permitem que os frigoríficos aumentem suas exportações à China, atendendo a demanda devido à peste suína africana. Mantemos preferência por JBS com recomendação de Compra, seguido de Marfrig (Compra) e BRF (Neutro).

brMalls (BRML3): Tratativas avançadas para venda de sete ativos

  • A brMalls confirmou que está em tratativas avançadas com um fundo imobiliário administrado pelo BTG Pactual para a venda integral da sua participação em 7 shoppings, entre eles os Shoppings Ilha Plaza e Osasco Plaza Shopping;
  • Não há até o momento documentos vinculantes. Embora ainda não haja informação relativa a preços ou outros ativos envolvidos, a transação está alinhada com a estratégia de focar em ativos dominantes e de maior porte dentro do portfólio, e deverá ser bem recebida pelo mercado.

EDP Energias do Brasil (ENBR3): CEO da EDP portuguesa vê opções abertas para subsidiária brasileira

  • Segundo a Reuters, a elétrica portuguesa EDP (controladora da ENBR3) ainda vê todas as opções na mesa para sua subsidiária no Brasil, segundo afirmações do presidente-executivo da empresa, Antonio Mexia. A notícia dá continuidade ao processo de possível reestruturação corporativa do grupo EDP após rejeição de uma proposta de aquisição pela chinesa CTG;
  • Fontes afirmam que a EDP poderia propor uma joint venture com a CTG no Brasil, permitindo que a empresa chinesa expandisse sua presença no país. A EDP Portugal teria uma participação de 23% na nova empresa. O Sr. Mexia afirmou que qualquer decisão observaria os interesses dos acionistas da holding portuguesa e da subsidiária brasileira, de modo a gerar valor;
  • Conforme escrevemos no passado, acreditamos que discussões sobre uma eventual reestruturação organizacional da EDP Energias do Brasil apenas contribuem para a nossa visão positiva sobre as ações do ponto de vista dos fundamentos. Quando analisando o valor potencial de cada um dos diferentes negócios da ENBR (geração, transmissão e distribuição) em um cenário de venda com base em transações passadas, estimamos valores entre R$21,3 e R$34,0 para as ações. Reiteramos compra nas ações, com preço-alvo de R$27/ação.

Vale (VALE3): Obras em barragem de mina em Itabira são paralisadas

  • A Vale paralisou no sábado à tarde as obras de alteamento da barragem Itabiruçu, em Itabira (MG), após a detecção de alterações na estrutura. Em nota, a Vale informou que a medida de segurança preventiva foi tomada por recomendação do projetista do empreendimento, embora não haja risco de rompimento;
  • De acordo com a Vale, foram identificadas alterações decorrentes de “assentamentos diferenciais no terreno”, o que pode ocorrer durante esse tipo de obra. Estudos mais aprofundados já estão sendo conduzidos e, em caso de necessidade, medidas corretivas serão tomadas;
  • A Vale destacou ainda que não há mudança nos índices de segurança e estabilidade da barragem Itabiruçu, construído pelo método a jusante – diferente de Brumadinho e Mariana e considerado o método mais seguro. A Vale realiza o monitoramento integral da estrutura, que teve sua Declaração de Condição de Estabilidade (DCE) renovada em 30 de março deste ano.

Varejo: Governo discute nova data promocional

  • Segundo o Valor Econômico, as varejistas e o governo estão estudando a criação de uma nova data promocional entre 6 e 15 de setembro, chamada de “Semana do Brasil”. O evento seria uma espécie de nova “Black Friday” com intenção de contribuir para as vendas no mês de setembro, que historicamente apresenta o menor crescimento do segundo semestre;
  • Está em discussão a redução do IPI e do ICMS para eletrônicos e eletrodomésticos, que deve ser repassado ao consumidor através de preços menores. Além disso, o governo estuda estender o evento ao setor de turismo, concessionárias, fabricantes de automóveis, bancos e shoppings;
  • Os detalhes ainda estão sendo discutidos e o principal desafio é com relação ao cronograma, uma vez que as varejistas (e outros setores potencialmente envolvidos) terão apenas 40 dias para organizar o evento e programar as compras com os fornecedores. Apesar da Black Friday e do Natal continuarem a ser as principais datas comemorativas do ano, as varejistas se mostraram otimistas com a proposta tendo em vista o ritmo de retomada da economia ainda lento e a liberação do FGTS no segundo semestre.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.