XP Expert

Morning Call XP (17.out): Possível acordo para o Brexit impulsiona mercados globais

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 0,9% | 105.423 Pontos

CÂMBIO -0,6% | 4,15/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa subiu pelo 6o dia consecutivo ontem, fechando em alta de 0,9% a 105.422 pontos. Nesta manhã, futuros de ações dos EUA e ações sobem seguindo notícias de que o Reino Unido e a União Europeia concordaram em um novo acordo para o Brexit.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse em suas redes sociais que finalmente chegou a um acordo com a União Europeia sobre o Brexit. Transferindo a responsabilidade agora para o Parlamento britânico, Johnson disse que os deputados precisam finalizar o acordo até o ‪próximo sábado, quando está marcada uma sessão extra para discutir o assunto. Por outro lado, o primeiro-ministro não conta mais com a maioria no Legislativo, o que deve tornar a apreciação no Parlamento um pouco complicada.

Sobre negociações comerciais, o Ministério de Comércio da China confirmou que o país irá ampliar as compras de produtos agrícolas dos Estados Unidos, num momento em que Pequim e Washington trabalham no texto de um acordo comercial preliminar. A expectativa é de que um acordo possa ser assinado durante a cúpula dos países Ásia-Pacífico, no Chile, nos dias 16 e 17 de novembro.

No Brasil, a crise envolvendo Jair Bolsonaro e o PSL se intensificou com gravação do presidente pedindo a parlamentares que derrubassem o atual líder do governo na Câmara, Delegado Waldir. Apesar do imbróglio, não vemos ameaça imediata à pauta econômica ou à pauta Moro, pelo viés liberal na economia da bancada e com o apelo popular da segurança pública. A cisão no PSL se dá de maneira mais evidente em pautas como regras partidárias, fundo eleitoral e algumas pautas setoriais de interesse pessoal dos deputados.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou ontem uma medida provisória para regulamentar a “transação tributária” e estimular soluções negociadas em dívidas junto à União. De acordo com o governo, o texto, que foi chamado de MP do Contribuinte Legal, é uma alternativa mais justa do que os parcelamentos especiais (Refis), que impactam a arrecadação ao conceder benefícios a contribuintes com alta capacidade contributiva.

De acordo com a MP, o benefício poderá ser concedido tanto em casos de dívida em disputa judicial quanto nos casos já inscritos na dívida ativa. A MP estabelece desconto inicial de 50% sobre o total da dívida, podendo chegar a 70% no caso de pessoas físicas e micro e pequenas empresas. O prazo de pagamento passará a ser de 84 a 100 meses.

Do lado das empresas, publicamos nossa visão sobre a temporada de resultados do 3º trimestre de 2019. No geral, vemos um trimestre relativamente fraco, reflexo do cenário ainda desafiador para a atividade econômica, que impacta as empresas domésticas. Para acessar o relatório completo, clique aqui.

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: A crise envolvendo Jair Bolsonaro e o PSL se intensificou
  2. Dirigentes das Câmaras de Comércio do Brasil, Uruguai, Argentina, Chile e Bolívia esperam ampliação das negociações comerciais

Empresas

  1. Saiba nossa visão sobre a temporada de resultados do 3º trimestre
  2. JBS (JBSS3): Plano de listagem nos EUA avança; Positivo
  3. Cemig (CMIG4) e Copasa (CSMG3):  Governador Romeu Zema projeta obter R$50 bilhões com privatizações
  4. Azul (AZUL4): E2 entra em operação; Companhia fala sobre pedido de jatos novos
  5. B3 (B3SA3): B3 vence ação de R$ 3,3 bilhões em que era acusada no CARF

Renda Fixa

  1. Renova confirma recuperação judicial
  2. Rating ‘brAAA’ atribuído à proposta da 4ª emissão da Raízen Energia S.A.


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: A crise envolvendo Jair Bolsonaro e o PSL se intensificou

  • A crise envolvendo Jair Bolsonaro e o PSL se intensificou. O presidente foi gravado pedindo a parlamentares que derrubassem o atual líder, Delegado Waldir. “Olha só, nós estamos com 26, falta uma assinatura para a gente tirar o líder e botar o outro. E a gente acerta que, entrando o outro agora, em dezembro tem eleições para o futuro líder a partir do ano que vem”, afirmou. A noite na Câmara foi de vai-e-vem: primeiro, bolsonaristas apresentaram lista para destituir Waldir. Depois, os aliados do líder mostraram outra lista revertendo a decisão e, mais uma vez, os mais próximos a Bolsonaro entregaram um novo conjunto de assinaturas para mudanças no comando da bancada. O dia começou calmo no confronto Bolsonaro vs. PSL. A escalada se deu quando vazaram áudios do presidente interferindo no comando da bancada da Câmara. Waldir o acusou de “romper a Constituição”;
  • O presidente da República assinou uma medida provisória ontem (16) para estimular a regularização de dívidas com a União por meio da negociação de débitos tributários. Esse benefício poderá ser concedido tanto em casos de dívida em disputa judicial quanto nos casos já inscritos na dívida ativa. A MP estabelece desconto inicial de 50% sobre o total da dívida, podendo chegar a 70% no caso de pessoas físicas e micro e pequenas empresas. O prazo de pagamento é de 84 a 100 meses.

Dirigentes das Câmaras de Comércio do Brasil, Uruguai, Argentina, Chile e Bolívia esperam ampliação das negociações comerciais

  • De acordo com o Globo, os dirigentes das Câmaras de Comércio do Brasil, Uruguai, Argentina, Chile e Bolívia concordam com a avaliação de que o acordo Mercosul-União Europeia é positivo para a economia dos seus países. No painel de encerramento da Conferência de Comércio Internacional e Serviços do Mercosul (CI19), todos reforçaram a necessidade de que as negociações comerciais empreendidas no âmbito do bloco econômico sejam ampliadas;
  • Para enfatizar a importância do avanço dos acordos comerciais, os presidentes que integram o Conselho de Câmaras de Comércio do Mercosul (CCCM) assinaram uma carta que será enviada ao ministro da Economia, Paulo Guedes, pedindo “que se mantenham os esforços na conclusão das negociações comerciais em curso, a fim de que se possa acelerar o processo de integração e internacionalização do bloco”;
  • Na Conferência, foi detalhado um estudo que prevê um impacto acumulado de aproximadamente US$ 79 bilhões na economia brasileira até 2035, em decorrência do acordo Mercosul-UE. Caso a redução de barreiras não tarifárias seja considerada, espera-se que esse valor possa chegar a US$ 112 bilhões.

Empresas

Saiba nossa visão sobre a temporada de resultados do 3º trimestre

  • A próxima quarta-feira (23 outubro) marca o início da divulgação dos resultados das empresas referente ao terceiro trimestre de 2019 (3T19). No geral, vemos uma temporada de resultados relativamente fraca, reflexo do cenário ainda desafiador para a atividade econômica, que impacta as empresas domésticas;
  • Do lado positivo, destacamos um trimestre forte para os frigoríficos, locadoras de veículos e empresas de comercio eletrônico. Por outro lado, esperamos um resultado fraco para as siderúrgicas, varejistas e elétricas;
  • Para acessar o relatório completo bem como nossas estimativas por empresa, basta clicar aqui.

JBS (JBSS3): Plano de listagem nos EUA avança; Positivo

  • De acordo com notícia do Valor Econômico, a JBS se prepara para apresentar ao mercado, no primeiro trimestre de 2020, uma nova proposta para reestruturação societária e listagem de ações na bolsa de Nova York (Nyse);
  • A ideia é que as operações internacionais da JBS (~75% do EBITDA) estejam reunidas abaixo da empresa a ser listada na bolsa de Nova York. Isso posto, não se trata de listar a JBS brasileira na Nyse, por meio de recibos brasileiros de ações (ADRs). No Brasil, a companhia deve permanecer no Novo Mercado da B3, mas com uma estrutura menor (somente a operação nacional). De acordo com fontes, a JBS já delineou o que pretende fazer, mas os caminhos jurídicos para esse objetivo ainda não foram escolhidos;
  • Ressaltamos que empresa já vinha sendo vocal em relação à listagem de suas ações nos EUA e, na nossa visão, vemos os avanços como positivos. A conclusão da listagem destrava valor para a empresa e, na nossa visão, impulsiona uma reclassificação de seus múltiplos. À título de referência, a Pilgrim’s Pride e a Tyson Foods negociam a 7,5x e 9x EV/EBITDA, respectivamente, contra 5,5x da JBS. Reiteramos recomendação de Compra.

Cemig (CMIG4) e Copasa (CSMG3):  Governador Romeu Zema projeta obter R$50 bilhões com privatizações

  • Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o Governador de Minas Gerais, Romeu Zema, afirmou que o seu estado pode levar até uma década para reequilibrar suas contas, e que a única saída é a adesão ao regime de recuperação fiscal, que permite que Estados em situações fiscais complexas deixem de pagar por 3 anos o serviço de dívida com a União;
  • A contrapartida para tal adesão é que o Estado reduza gastos e venda estatais. Nesse último ponto, o Governador Zema afirmou que espera arrecadar R$50 bilhões com a venda das estatais Cemig (energia elétrica), Copasa (saneamento), Gasmig (distribuição de gás natural) e Codemig (proprietária de uma mina de nióbio). Na semana passada, o governo enviou à Assembleia Legislativa projeto de privatização da última companhia mencionada;
  • Sobre as outras estatais, Zema afirmou que seria ideal que os projetos de privatizações de todas as estatais fossem aprovados até março de 2020. De forma mais realista, o governador mencionou que a aprovação no primeiro semestre ainda seria um bom cenário, e que se apenas ocorrer daqui a um ano apresentaria mais complexidades;
  • Continuamos a enxergar um cenário incerto para as privatizações de Cemig e Copasa em vista das dificuldades de articulação política do poder executivo de Minas Gerias. Por esta razão, mantemos recomendação Neutra nas duas ações, que não negociam inteiramente com base em fundamentos em vista das expectativas de serem vendidas. Finalmente, notamos que a tramitação do projeto da Codemig será o primeiro teste da viabilidade das propostas de privatizações em Minas Gerais na Assembleia Legislativa.

Azul (AZUL4): E2 entra em operação; Companhia fala sobre pedido de jatos novos

  • Em notícia do Valor de hoje, o CEO da Azul John Rodgerson comenta sobre a possibilidade da companhia aumentar as encomendas de jatos do modelo E2 (Embraer, nova geração) no futuro. De acordo com a notícia, esse aumento no número de pedidos poderia acontecer no início de 2020 e o pedido poderia ser elevado em 24 jatos, totalizando 75;
  • Embora ainda não haja um posicionamento oficial da companhia sobre o assunto, um número maior de jatos de nova geração poderia implicar em (i) aceleração do processo de renovação da frota, ou (ii) uma expansão maior na oferta de assentos, combinada ao ponto (i). Apesar de não termos um posicionamento sobre a efetivação do aumento no pedido firme, a aceleração da renovação da frota poderia ser positiva do ponto de vista de eficiência e diluição de custos.

B3 (B3SA3): B3 vence ação de R$ 3,3 bilhões em que era acusada no CARF

  • A B3 recebeu, em 2017, um auto de infração da Receita no valor de R$ 3 bilhões. O auto é relativo ao fato de a B3 ter usado o ágio da fusão da Bovespa com a BM&F para pagar menos impostos nos exercícios de 2012 e 2013;
  • O processo já teve decisões favoráveis para ambas as partes, sendo a penúltima em favor da Receita. Lembrando que esta não é uma decisão final e o processo ainda pode demorar anos, como em processos similares onde a B3 esteve envolvida;
  • O departamento jurídico da B3 estima que as chances de perda são mínimas, ao ponto de a empresa não ter feito provisão alguma relativa ao processo. Porém, em caso de perda, o valor da multa seria equivalente a aproximadamente 90% do nosso lucro ajustado projetado para 2020.

Renda Fixa

Rating ‘brAAA’ atribuído à proposta da 4ª emissão da Raízen Energia S.A.

  • A S&P Global Ratings atribuiu o rating ‘brAAA’ à proposta de 4ª emissão de debêntures de infraestrutura senior unsecured da Raízen Energia S.A;
  • Serão emitidos até R$900 milhões e o rating da emissão reflete aquele do emissor. As debêntures terão garantia incondicional da Raízen Combustíveis S.A;
  • Os recursos serão utilizados para financiamento da atividade de produção de etanol com investimentos em renovação de canaviais para cultivo de cana-de-açúcar com destino à produção de etanol;
  • As debêntures substituirão outras linhas de financiamento da empresa, como crédito rural e linhas de pré-pagamento de exportações. Sendo assim, não deve haver impacto relevante sobre métricas de alavancagem (dívida líquida / EBITDA de 1,9x no primeiro trimestre contábil da safra 2019/20).

Renova confirma recuperação judicial

  • De acordo com o Valor Econômico, a Renova confirmou seu pedido de recuperação judicial. A empresa possui R$3,1 bilhões em dívidas (leia mais aqui);
  • A empresa citou como saídas para a crise as participações em dois projetos, que pagam cerca de R$100 milhões por ano. Além disso, destaca capacidade futura de geração de resultado de cerca de R$200 milhões por ano de Alto Sertão III, usina eólica do grupo, quando entrar em operação. O grupo teria recebido propostas de compra do parque por até R$1,35 bilhão;
  • Um dia antes do pedido de recuperação, a Light vendeu a totalidade de sua participação na companhia para a CG I Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia, por R$1,00. Com isso, o bloco de controle da Renova passou a ser composto pelo fundo e pela Cemig, ambos com 36,23% de participação;
  • A matéria do Valor destaca que a transação da Light pode gerar questionamentos por parte da CVM, uma vez que se concretizou muito próximo ao pedido de recuperação da Renova, indicando que a antiga controladora poderia ter conhecimento prévio do pedido. Ainda não há queixa protocolada, porém vale acompanhar futuras movimentações nesse sentido.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.