Dólar renova máxima histórica e tensões políticas continuam

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:


Clique para ouvir

IBOVESPA -0,13% | 77.772 Pontos

CÂMBIO -0,01% | 5,89/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou praticamente estável ontem aos 77.772 pontos em meio a pressão das bolsas internacionais depois das falas de Jerome Powell, presidente do Federal Reserve e tensão política no Brasil. O câmbio foi o destaque da sessão renovando máxima ao atingir R$ 5,94. O Real já perde 32% de valor no ano, sendo a pior moeda entre todos os países emergentes.

O processo de desvalorização cambial que caracterizou os últimos meses de 2019 continua sendo uma das principais fontes de preocupação em 2020. Do lado positivo, as empresas exportadoras e que possuem receita dolarizada são impulsionadas quando a moeda norte-americana se valoriza e, de fato, foram os principais destaques do pregão ontem: BRF (BRFS3)JBS (JBSS3)Klabin (KLBN11)Suzano (SUZB3) e Vale (VALE3) ficaram entre as maiores altas do dia. A nossa carteira Top 10 Ações XP possui exposição ao dólar mais alto através de Vale (VALE3)Suzano (SUZB3)JBS (JBSS3) e Marfrig (MRFG3).

Nesta manhã, mercados internacionais aguardam dados de desemprego e continuam a interpretar o discurso negativo de Powell que enfatizou recuperação mais lenta nos EUA e que “ações adicionais” poderão ser implementadas tanto por parte do Fed quanto pelas autoridades fiscais do país. Futuros nos EUA estão de lado enquanto bolsas na Europa caem 2%, após fechamento igualmente negativo na Ásia.

A agenda de indicadores e eventos do dia traz como destaque a divulgação dos novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos e de indicadores de atividade econômica de abril (produção industrial e vendas no varejo) da China.

No Brasil, mais um dia em que a política está sob influência dos novos passos do inquérito que investiga possível tentativa de interferência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal. Ontem foram três novos depoimentos, dois de agentes da PF e um da deputada Carla Zambelli, e a primeira fase de oitivas da investigação vai chegando ao fim.

No Legislativo, a pauta do Senado de hoje inclui projetos relevantes: um deles suspende reajustes de preços de medicamentos e de planos de saúde por 120 dias; e o outro estabelece teto de juros de 20% ao ano em cartões de crédito e cheque especial para dívidas contraídas entre março de 2020 e julho de 2021.

O setor varejista brasileiro apresentou contração de 13,7% na comparação mensal de março e de 6,3% na comparação anual, registrando a pior queda histórica do indicador desde o início da série, em fevereiro de 2003. A queda no setor foi generalizada, e as únicas duas categorias que performaram bem e que impediram que o setor apresentasse queda ainda maior foram as vendas de supermercados e de artigos farmacêuticos.

Levando em consideração pela primeira vez os impactos do coronavírus sobre a economia brasileira, o governo federal revisou ontem sua estimativa de PIB para 2020 de 0,02% para -4,7%. A nova projeção considera um cenário em que o distanciamento social prosseguirá até 31 de maio, mas, de acordo com o subsecretário de Política Macroeconômica do ministério, Vladimir Kuhl Teles, a retração poderá ser superior a 6% se o isolamento social perdurar até o fim de junho.

Para tentar suprir a escassez de cédulas de dinheiro que tem travado o pagamento do auxílio emergencial e comprometido as operações do sistema bancário, o Banco Central do Brasil pediu que a Casa da Moeda antecipe a produção do correspondente a R$ 9 bilhões em cédulas e moedas até o fim de maio.

No corporativo, destaque para os resultados de: (i) Sulamérica (recomendação de compra), abaixo das expectativas; (ii) Grupo Pão de Açúcar (recomendação de compra), abaixo das nossas estimativas, com queda na rentabilidade; (iii) Locaweb (recomendação de compra), fortes resultados, em linha com as nossas estimativas e com o consenso de mercado; (iv) Ultrapar acima das expectativas, mas mantemos Neutro por termos dúvidas da sustentabilidade dos resultados no futuro e (v) Movida (recomendação de compra) com resultado ajustado em linha, mas com uma série de ajustes que visam refletir o cenário mais adverso.

Tópicos do dia

Coronavírus

Tempos de guerra – revisando o target da Bolsa
Medidas econômicas para combater o coronavirus no Brasil

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Agenda de resultados

Azul (AZUL4): antes da abertura
Sabesp (SBSP3): após o fechamento
Suzano (SUZB3): após o fechamento
Localiza (RENT3): após o fechamento
B3 (B3SA3): após o fechamento
JBS (JBSS3): após o fechamento
bR Malls (BRML3): após o fechamento
Taesa (TAEE11): após o fechamento
Vivara (VIVA3): após o fechamento
Copel (CPLE6): após o fechamento
Bradespar (BRAP4): após o fechamento
Cyrela (CYRE3): após o fechamento
EzTec (EZTC3): após o fechamento

Temporada de resultados 1° tri 2020: o que esperar?
Clique aqui para acessar nossa visão sobre a temporada de resultados
Clique aqui para acessar o calendário de resultados do 1T20

Brasil

  1. Senado aprova MP que extingue o Fundo de Reserva Monetária

Internacional

  1. Política internacional: Conflito entre China e EUA ganha novos traços
  2. Petróleo: Preços em alta com base em dados de estoques nos EUA

    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Ultrapar (UGPA3): Resultados do 1T20: Uma surpresa positiva, mas será que a tendência vai durar?
  2. Grupo Pão de Açúcar (PCAR3): Resultados fracos no 1T20; Maiores vendas não suportam a rentabilidade
  3. Locaweb (LWSA3): Crescimento sólido no 1T20, com forte aceleração em E-commerce; Compra
  4. Movida (MOVI3) 1T20: Lucro ajustado em linha; Mas impairments refletem o cenário adverso
  5. SulAmerica (SULA11): fraco | revisão do 1T20

Veja todos os detalhes

Brasil

Senado aprova MP que extingue o Fundo de Reserva Monetária

  • O Senado aprovou ontem, por unanimidade, a medida provisória que extingue o Fundo de Reserva Monetária atualmente administrado pelo Banco Central e autoriza a liberação dos recursos, que totalizam aproximadamente R$ 9 bilhões, para estados e municípios;
  • Originalmente, o montante que hoje está parado no Fundo seria utilizado para o pagamento de dívidas da União. Agora, os recursos poderão ser utilizados pelos governos estaduais e municipais na contratação e compra de materiais para ações de combate ao novo coronavírus, desde que os entes observem o protocolo de atendimento e demais regras estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde para o enfrentamento da pandemia;
  • Os recursos serão repartidos de forma igualitária (50% para os estados e 50% para os municípios) e o texto segue agora para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

Internacional

Política internacional: Conflito entre China e EUA ganha novos traços

  • Com a eleição americana se aproximando, o conflito entre China e EUA ganha novos traços. Nessa terça-feira (12) o presidente Donald Trump lançou novo ataque contra o país asiático em carta aberta ao principal fundo de pensão dos EUA, sob qual não tem controle, pedindo para que deixe de fazer investimentos na China. O governo chinês respondeu ontem por meio do porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, que alertou que o único prejudicado de tal medida seria o investidor americano. Com a eleição no horizonte, e Trump sob pressão pela crise provocada pelo Covid-19, se espera que o presidente continue com discurso hostil contra China nos próximos meses.

Petróleo: Preços em alta com base em dados de estoques nos EUA

  • Os preços de petróleo operam em forte alta nesta manhã, com o WTI subindo 5,26%, aos US$26,62/barril e o Brent em alta de 4,28%, aos US$30,44/barril. O movimento reflete o contínuo otimismo com um reequilíbrio do balanço de oferta e demanda global, com destaque para os dados de estoques de petróleo bruto dos EUA divulgados ontem pela Agência de Informação de Energia (EIA);
  • Os estoques de óleo cru americanos recuaram -0,745 milhões de barris, abaixo da projeção do mercado de aumento de 4,147 milhões e também inferior ao patamar de 4,590 milhões observados na semana anterior. Houve também queda nos estoques de gasolina de -3,5 milhões de barris, mantendo a tendência de queda observada na semana anterior (-3,2 milhões de barris). A produção de petróleo no país também desacelerou para 11,6 milhões de barris ao dia (mbpd), ante 11,9 mbpd na sema anterior e o patamar recorde de 13,1 mbpd observado em março;
  • Notícias de quedas nos estoques de petróleo e derivados devem continuar a gerar otimismo com respeito ao balanço de oferta e demanda global da commodity. Entretanto, uma recuperação mais consistente dependerá de uma maior clareza com respeito à manutenção das quarentenas para conter a pandemia da COVID-19, e notamos que ainda há discordância em diversos países sobre o momento para se começar uma flexibilização;
  • De todo modo, mantemos nossa visão de que os preços de petróleo globais deverão se recuperar no momento que o mundo puder retomar a maior parte de suas atividades, com apoio também de quedas de produção da commodity em diversos lugares do mundo, seja de forma controlada como no caso da OPEP+, seja de forma involuntária como no caso de diversas petroleiras independentes que se veem forçadas e fechar seus poços por não haver capacidade de armazenagem disponível.

Empresas

Ultrapar (UGPA3): Resultados do 1T20: Uma surpresa positiva, mas será que a tendência vai durar?

  • A Ultrapar divulgou os resultados do 1T20 em 13 de maio, após o fechamento do mercado. O Lucro Líquido de R$160,9 milhões veio acima da nossa estimativa de R$130,2 milhões (+ 24%), mas ligeiramente acima do consenso de mercado compilado pela Bloomberg de R$151,8 milhões (+ 6%);
  • Esperamos uma reação positiva do mercado aos resultados do 1T20 da Ultrapar, tendo em vista que o EBITDA Ajustado e Lucro Líquido registrados no período ficaram acima das nossas estimativas e do consenso de mercado;
  • Dito isso, acreditamos que seja muito cedo para ficar otimista com as ações, diante dos desafios impostos pela pandemia do COVID-19, especialmente para a distribuidora de combustíveis Ipiranga, a divisão mais importante do grupo. Mantemos nossa recomendação Neutra nas ações Ultrapar, com um preço alvo de R$15/ação. Confira no relatório completo a nossa opinião sobre o resultado e o desempenho operacional e financeiro de cada subsidiária.

Grupo Pão de Açúcar (PCAR3): Resultados fracos no 1T20; Maiores vendas não suportam a rentabilidade

  • O Grupo Pão de Açúcar (GPA) reportou resultados do primeiro trimestre de 2020 (1T20) abaixo das nossas estimativas. A receita bruta de R$19,7 bilhões no Brasil já havia sido divulgada em 22 de abril (para detalhes, acesse aqui). O EBITDA reportado pela empresa veio 30% abaixo da nossa estimativa, negativamente impactado por (i) maiores despesas relacionadas tanto à integração dos ativos na América Latina quanto aos gastos associados aos ajustes operacionais em meio à pandemia, e (ii) uma rentabilidade abaixo do esperado na operação internacional (Grupo Éxito);
  • Nossa visão: Esperamos uma reação negativa ao resultado. A surpresa negativa em relação à linha de “Outras despesas” e ao resultado da operação internacional serão temas importantes a serem discutidos com a administração durante a teleconferência de resultados. Por ora, acreditamos que o resultado reportado possa acarretar em revisões negativas de estimativas por parte do mercado;
  • Mantemos a nossa recomendação de Compra para as ações do GPA. Por ora, continuamos positivos em relação ao desempenho de vendas ainda positivo ao longo do 2T20 e à continuidade dos plano de expansão, otimização de portfólio de lojas e desalavancagem da companhia ao longo de 2020. Entretanto, no curto prazo esperamos volatilidade em função das preocupações em relação à evolução da rentabilidade da empresa. Clique no LINK para conferir o conteúdo completo.

Locaweb (LWSA3): Crescimento sólido no 1T20, com forte aceleração em E-commerce; Compra

  • A Locaweb reportou fortes resultados referentes ao primeiro trimestre de 2020 (1T20), em linha com as nossas estimativas e com o consenso de mercado. O destaque positivo foi a operação de Commerce (37% do EBITDA), que mostrou a maior expansão trimestral de novas lojas virtuais da história da companhia, com aceleração importante em abril (+252% vs. a média do 4T19). Por outro lado, a rentabilidade foi negativamente afetada por despesas pontuais;
  • A receita líquida de R$ 105 milhões apresentou um robusto crescimento de 24% na comparação anual. Destacamos a forte expansão do segmento de Commerce (+32% A/A), com as vendas online (GMV) dos clientes da companhia tendo crescido +45% A/A no 1T20 e +80% em abril;
  • O EBITDA ajustado atingiu R$ 25 milhões, levemente abaixo da nossa estimativa de R$ 27 milhões, e permaneceu relativamente estável em relação ao 1T19 (margem -4,8 p.p na comparação anual). O lucro líquido ajustado de R$ 4,4 milhões veio levemente acima da nossa expectativa de R$ 3,1 milhões, apresentando um crescimento de +30% na comparação anual;
  • Nossa visão: Esperamos uma reação positiva e mantemos nossa recomendação de Compra com preço-alvo de R$ 26,00 ao final de 2020. Apesar da pressão na rentabilidade, os números reportados vieram em linha com as nossas estimativas e com o consenso de mercado. Dessa forma, acreditamos que o foco dos investidores permanecerá na forte aceleração da operação de Commerce em abril, que existe espaço para potenciais revisões positivas de estimativas. Acesse o relatório completo no LINK.

Movida (MOVI3) 1T20: Lucro ajustado em linha; Mas impairments refletem o cenário adverso

  • A Movida reportou resultados ajustados em linha no 1T20, mas com uma série de ajustes que visam refletir o cenário adverso. O lucro líquido ajustado foi de R$ 55 mm, menos de 1% abaixo de nossas estimativas e ~6% acima do consenso, enquanto a receita líquida atingiu ~R$ 1 bi, em linha tanto com as nossas estimativas quanto com as do consenso. A empresa registrou os seguintes itens para refletir o potencial efeito negativo da crise da covid-19 nos negócios: (i) um impairment de ~R$ 193 milhões na frota, (iii) um impairment de R$ 50 milhões nas contas a receber e (iii) provisão de R$ 2 mm devido ao fechamento de lojas;
  • Em resumo, volumes e tarifas não foram materialmente diferentes das nossas estimativas. Não obstante, reconhecemos que os meses subsequentes ao 1T20 mudaram drasticamente com as políticas de distanciamento social, e o principal desafio daqui para frente será manter níveis saudáveis de liquidez. Mantemos nossa recomendação de Compra para as ações da Movida, com um preço-alvo de R$ 14,0/ação, mas reconhecemos que o curto-prazo deverá apresentar alta volatilidade.

SulAmerica (SULA11): fraco | revisão do 1T20

  • SulAmerica postou resultados fracos neste primeiro trimestre de 2020 (1T20), com o lucro 68% abaixo do consenso de R$ 80 milhões (vs. R$ 224 milhões no 1T19) e um retorno sob patrimônio líquido de 4,5% no trimestre (vs. 17,6% no 4T19);
  • O resultado negativo foi principalmente derivado de: i) menores receitas; ii) maior sinistralidade; e iii) menor resultado de investimento. O lucro antes do imposto foi ainda mais fraco, 77% abaixo do esperado em R$ 87 milhões, uma vez que a alíquota efetiva de imposto no trimestre foi inesperadamente baixa;
  • Não obstante, a seguradora decidiu iniciar um programa de recompra de ações que pode atingir 3,55% das ações da SulAmerica que circulavam no mercado no fim de abril. E embora o resultado tenha sido efetivamente negativo e esperamos reação negativa do mercado na próxima sessão, continuamos acreditando que os prospectos de longo prazo da seguradora sejam positivos. Sendo assim, reiteramos nossa recomendação de compra com preço-alvo de R$ 47,00.  Clique aqui para acessar nosso relatório completo.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM