XP Expert

Decisões das taxas de juros direcionam mercados nesta “super quarta”

Decisões das taxas de juros nos Estados Unidos e Brasil são alguns dos temas de maior destaque nesta quarta-feira, 01/02/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +1,0% | 113.431 Pontos

CÂMBIO -0,8% | 5,07/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

O destaque do dia fica por conta das decisões de política monetária dos bancos centrais nos Estados Unidos e no Brasil nesta “super quarta”. No território americano, espera-se uma alta de 0,25 pp. na taxa básica de juros, tendo em vista as recentes quedas na inflação e o arrefecimento da atividade econômica no país. A expectativa ficará também por conta do discurso de Powell, presidente do Federal Reserve (Fed), após o anúncio da decisão. No Brasil, a expectativa é de manutenção da taxa de juros em 13,75%, e de uma Ata que indique preocupação crescente com a consolidação fiscal e seus efeitos sobre expectativas de inflação.

Brasil

O Ibovespa fechou em alta de 1,03% nesta terça-feira (31), aos 113.431 pontos, somando alta de 3,37% no mês de janeiro. Os destaques foram as ações exportadoras de commodities, no contexto da reabertura da China, além das varejistas, que absorveram a queda de Americanas.

Da mesma forma, o dólar encerrou o mês de janeiro com queda acumulada de 3,8%, sendo -0,75% na terça-feira, cotado a R$ 5,07. No geral, as moedas ganharam força frente ao dólar no último mês, com as expectativas de que os Estados Unidos passe a subir menos a sua taxa juros.

As taxas futuras de juros brasileiras fecharam próximas ao pregão anterior, com viés de queda. O movimento aconteceu diante de um ambiente global de pequeno recuo nos rendimentos (yield) dos títulos públicos e de comentários de membros do Ministério da Fazenda, que foram recebidos positivamente pelo mercado. DI jan/24 oscilou de 13,55% para 13,545%; DI jan/25 passou de 12,87% para 12,84%; DI jan/26 recuou de 12,795% para 12,78%; DI jan/27 cedeu de 12,85% para 12,83%. No entanto, na comparação mensal, as taxas futuras abriram cerca de 20 bps nos vértices mais longos, com os ruídos do caso Americanas e do noticiário político aumentando a aversão a risco localmente.

Mundo

Mercados globais amanhecem negativos (EUA -0,4% e Europa +0,2%) enquanto investidores aguardam a decisão de política monetária do Federal Reserve e novos resultados das companhias americanas. Na China, o índice de Hang Seng (+1,1%) encerra em leve alta, mesmo com sinais de que a reabertura econômica do país segue não sendo linear.

Estados Unidos

Nesta quarta-feira, o consenso dos analistas de mercado espera que o banco central americano (Fed) desacelere o ritmo de altas nas taxas de juros para 25 pontos-base, à medida que o pico da inflação deve ter ficado em 2022. Além disso, a temporada de resultados avançará com a publicação do balanço da Meta. Até o momento, as companhias seguem surpreendendo positivamente: das 165 empresas do S&P 500 que já reportaram seus balanços, 70% superaram as estimativas de lucro.

Zona do Euro

Na Europa, a prévia da inflação da Zona do Euro registrou uma variação anual de 8,5%, marcando o terceiro mês seguido de quedas no índice de preços ao passo que os preços de energia arrefecem.

Amanhã, o Banco Central Europeu e o Banco da Inglaterra também divulgarão seus últimos anúncios sobre taxas de juros. Para ambos os casos, a expectativa é de aumento das taxas em 0,50pp.

Investidores também estarão de olho na reunião de hoje da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (OPEP+), onde os produtores devem endossar suas atuais metas de produção acordadas em novembro.

Dados da China

Os dados do índice de gerentes de compras (PMI) de manufaturas da Caixin/S&P Global registraram 49,2 pontos, abaixo das estimativas do consenso de 49,8 pontos e ainda em campo contracionista. Apesar disso, houve uma melhora da indústria em janeiro ante o mês anterior.  O resultado indica que a China ainda sofre os efeitos da Covid, especialmente pela grande quantidade de infecções após o fim da política de restrições, o que lança dúvidas sobre o momento da recuperação chinesa.

Noticiário brasileiro

O Congresso eleito em outubro toma posse hoje, e também ocorre a eleição dos presidentes da Câmara e Senado em Brasília, com Arthur Lira (atual presidente da Câmara) e Rodrigo Pacheco (atual presidente do Senado) tentando a reeleição.

Ontem, a divulgação dos dados de emprego formal do Caged, mostrou a destruição líquida de 431 mil empregos formais em dezembro, bem abaixo das expectativas. Esses resultados refletem a forte desaceleração da atividade econômica ao longo do 2º semestre de 2022. Prevemos uma criação líquida total de aproximadamente 800 mil empregos formais em 2023, após um saldo significativo de 2,04 milhões de empregos em 2022.

Veja todos os detalhes

Economia

Decisão sobre juros nos EUA e no Brasil em destaque

  • A inflação na zona do euro desacelerou mais do que o esperado em janeiro, segundo dados preliminares do Eurostat. O índice de preços ao consumidor da zona do euro caiu 0,4% em termos mensais durante o período, igualando a queda observada em dezembro. Economistas previam queda de 0,3%. Em uma base anual, a taxa de inflação desacelerou para 8,5%, abaixo dos 9,2% no mês anterior e abaixo das previsões dos economistas de 9,0%. A leitura atingiu um pico de alta da era do euro de 10,6% em outubro. Mas a divulgação de janeiro não considera os números cruciais da inflação da Alemanha, baseando-se em estimativas, o que provavelmente frustrará os esforços do Banco Central Europeu para ver se a inflação na zona do euro pode ter atingido o pico antes de sua última decisão sobre a taxa de juros na quinta-feira. Os membros são amplamente aconselhados a aumentar os custos dos empréstimos em 50 pontos base;
  • A atividade manufatureira chinesa encolheu em janeiro, pintando um quadro menos otimista da economia do que os números oficiais divulgados no início desta semana, à medida que o país ressurge de três anos de bloqueios anti-COVID. O índice de gerentes de compras (PMI) da Caixin foi de 49,2 em janeiro, acima da leitura de dezembro de 49,0, mas ainda abaixo das estimativas de 49,5. Uma leitura abaixo de 50 indica contração. Ainda assim, a pesquisa da Caixin observou que a atividade manufatureira melhorou em relação ao mês anterior, após a flexibilização da maioria das medidas de contenção do COVID-19. Mas a produção ainda caiu quando a pandemia prejudicou a demanda dos clientes e resultou em mais ausências de funcionários. A China relaxou a maioria das medidas anti-COVID e reabriu suas fronteiras após três anos de bloqueios intermitentes paralisando a atividade econômica. Mas o país ainda enfrenta alguns ventos contrários no curto prazo, o que lança dúvidas sobre o momento da recuperação econômica;
  • No Brasil, o Relatório do CAGED registrou destruição líquida de 431 mil empregos formais em dezembro, bem abaixo das expectativas (XP: -320 mil; Consenso St.: -327,5 mil). De particular importância, o saldo de empregos com ajuste sazonal (método próprio) diminuiu para 28 mil em dezembro, de 57 mil em novembro e 118 mil em outubro. Vale lembrar a criação média mensal de cerca de 200 mil ocupações formais de janeiro a setembro de 2022. As contratações totais ficaram praticamente estáveis na comparação mensal (-0,1% MoM para 1,763 milhão de empregos, quarta leitura negativa consecutiva). O esfriamento nas contratações de empregos tem se espalhado por todos os setores. Enquanto isso, o total de demissões aumentou pelo segundo mês consecutivo (1,7% MoM para 1,735 milhão de empregos). Esses resultados refletem a forte desaceleração da atividade econômica ao longo do 2º semestre de 22. A tendência ascendente de desligamentos deve ser acompanhada de perto daqui para frente. Em poucas palavras, o emprego formal deve continuar em desaceleração. Prevemos uma criação líquida total de aproximadamente 800 mil empregos formais em 2023, após um saldo significativo de 2,04 milhões de empregos em 2022. De acordo com nosso cenário base, o PIB do Brasil crescerá 1% este ano, de 3% no ano passado;
  • Na agenda de hoje, os principais eventos estão relacionados à política monetária nos EUA e no Brasil. Nos EUA, o Fomc deve elevar os juros em 25 pontos-base após a queda da inflação e o arrefecimento da atividade econômica, embora o mercado de trabalho continue apertado. No Brasil, o Copom deve manter a taxa Selic estável, sinalizando em anúncio pós-reunião uma crescente preocupação com a consolidação fiscal e seus efeitos na ancoragem das expectativas de inflação. Por fim, os dados sobre a manufatura ISM nos EUA devem permanecer abaixo do limite de 50 pontos que separa contração e expansão.

Empresas

Telecom Brasil: Feedbacks da XP Telecom Week 2023

  • Neste relatório, trazemos os principais destaques da XP Telecom Week 2023 (23 a 27 de janeiro), durante a qual recebemos 12 empresas de telecomunicações (listadas e não listadas) e a Anatel com investidores institucionais locais;
  • Em meio a um cenário macro desafiador e juros altos, aproveitamos para discutir os fundamentos e revisitar as teses de investimento de nossa cobertura e principais temas do setor. Os principais pontos discutidos foram: (i) lançamento do 5G; (ii) planos de expansão de FTTH pós-pandemia (orgânico e inorgânico); (iii) aquisição da Oi móvel; (iv) Infraestrutura de rede neutra; e (v) iniciativas B2B no setor de Telecom;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Bens de Capital: Acompanhamento Mensal do Setor Automotivo | Vendas de Implementos Rodoviários e Caminhões Mostrando Melhora Sequencial em Dez’22

  • Em dezembro, destacamos:
    • (i) as vendas de veículos pesados mostram melhora sequencial nos EUA (+7% M/M em 44k unidades, embora ainda -5% vs Dez’19), uma indicação positiva para a recuperação dos volumes da Tupy, em nossa opinião;
    • (ii) as vendas de veículos leves nos EUA, Europa e Brasil melhorando sequencialmente, mas ainda abaixo dos níveis pré-pandemia (-17%, -13% e -20% vs Dez’19, respectivamente);
    • (iii) vendas de implementos rodoviários em 7,9 mil unidades vendidas (+21% M/M, mas -3% A/A, com atividade de vendas de caminhões aquecida em Dez’22 devido à transição Euro 6); e
    • (iv) a produção consolidada de ônibus da Marcopolo no Brasil apresentando sinais de melhora (+64% A/A e -7% vs 2019), com números consolidados de market share de 42% em 2022, excluindo Volare (-2p.p. A/A).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Vale (VALE3) | Produção e Vendas do 4T22: Produção ligeiramente abaixo do guidance, mas vendas e preços mais altos podem salvar o trimestre

  • A Vale divulgou seu relatório de produção e vendas do 4T22;
  • A produção de minério de ferro totalizou 80,9Mt no 4T22 (-10% T/T, -2% A/A), e a produção total do ano ficou ligeiramente abaixo do guidance já revisado (310mt), o mesmo para pelotas (32mt vs. 33mt);
  • A produção de níquel e cobre caiu no trimestre (-8% T/T e -11% T/T, respectivamente), principalmente devido a paradas para manutenção;
  • Vemos esses resultados como um pouco negativos, mas bons preços devem salvar o trimestre;
  • Ainda gostamos da história de longo prazo da Vale, mas o rali recente em minério de ferro nos deixa um pouco mais cautelosos no curto prazo;
  • Notamos que a posição técnica é leve (a Vale tem o mais alto “days to cover” dentre todas as ações de M&M;
  • no Brasil). No momento, mantemos nossa recomendação de compra;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Santos Brasil (STBP3) – Acompanhamento Mensal do Setor Portuário | Janeiro de 2023

  • Em nosso acompanhamento mensal dos Operadores Portuários de Jan’23, destacamos:
    • Volumes totais da Santos Brasil caíram 10% A/A em Jan’23, impulsionados principalmente pelo Tecon Santos (-9% A/A e +4% vs. Jan’20 ), que é um desempenho operacional abaixo do esperado devido à desaceleração da demanda
    • Terminal TEV reportou sólidos resultados operacionais, com ~17k veículos movimentados (+19% A/A) implicando 97% de utilização da capacidade LTM
    • Utilização da capacidade do Porto de Santos ainda elevada em dez/22 (80% LTM vs 81% em 2020 e 84% em 2021). 
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra para Santos Brasil.
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Shoppings e Propriedades Comerciais | Prévia de Resultados 4T22: Mantendo o crescimento no 4T22 apesar do cenário desafiador; Multiplan é a nossa preferência

  • Neste relatório, estamos publicando nossa prévia dos resultados do 4T22 para Shopping e Propriedades Comerciais;
    • A Multiplan pode ser destaque de desempenho com (I) recorde de vendas, ajudando na continuidade do repasse de aluguéis, auxiliando a receita de locação; e (II) ganhos de eficiência levando a um crescimento de margem EBITDA;
    • A Iguatemi também deve seguir a tendência positiva com uma inadimplência líquida ​​e custos de ocupação saudáveis ajudando o crescimento do aluguel mesmas lojas (SSR), sustentando um crescimento de 18% na receita líquida no 4T22;
    • As vendas da brMalls no 4T22 podem ser afetadas negativamente por um desempenho de vendas abaixo do esperado na Black Friday. Porém, esperamos um resultado sólido, com receita líquida chegando a R$ 488 milhões e melhora na margem EBITDA (+3,0 p.p. T/T);
    • A receita de locação da LOG CP pode ser afetada positivamente no 4T22 por (i) forte ritmo de entregas ao longo de 2022 (embora não esperemos entregas no 4T22); e (ii) sólida absorção bruta. Com isso, esperamos um crescimento de receita líquida (+63% A/A), e um FFO favorecido por uma dinâmica positiva de impostos diferidos (+31% T/T);
  • Assim, mantemos nossa preferência pela Multiplan (preço-alvo de R$ 33,00/ação), seguida pela Iguatemi (preço-alvo de R$ 28,00/unit);
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Desembolsos do BNDES podem voltar a 2% do PIB (Valor);
    • Esboço do ‘Desenrola’ prevê que risco ficará com Tesouro (Valor);
    • Aumento da inadimplência afeta bancos digitais focados na baixa renda (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Americanet cria operadora de rede neutra subterrânea, a siena brasil (Telesíntese);
    • Acionistas da Oi tentam renovar o conselho (Valor);
    • CEO da TIM, Alberto Griselli acumula interinamente diretorias financeira e de RI (Teletime);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Americanas avalia financiamento de R$ 1 bi; trio de sócios pode entrar com valor: (Valor);
    • Marcelo Claure investe US$ 100 mi na Shein e assume conselho na América Latina (Terra);
    • Natura &Co diz que ainda não há definição sobre possível venda de participação na Aesop (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Pólis questiona licenciamento ambiental da primeira usina de RSU contratada no A-5 (MegaWhat);
    • Copel vai contratar assessoria para ajudar nas concessões de usinas e em possível oferta pública de ações (Valor Econômico);
    • Petrobras recebe R$ 347 milhões da Shell em compensação ao bloco Atapu referente ao exercício de 2022 (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Raio-XP – O caminho a seguir: riscos políticos no Brasil e reabertura econômica na China

  • Janeiro foi marcado por uma alta forte nos mercados globais impulsionada principalmente pelas expectativas de que o Federal Reserve esteja desacelerando o ritmo de alta dos juros. Além disso, a economia global tem se mostrado mais resiliente, e a temporada de resultados do 4T22 para as empresas americanas está indo melhor do que o esperado. No Brasil, o mês também foi positivo, mas marcado por muita volatilidade. A Bolsa subiu 3,4% em reais, e ajudado por uma valorização do Real contra o dólar, 7,3% em dólares;
  • A política está sempre nas notícias no Brasil, mas ela realmente afeta os mercados? Desde os anos 2000, o país passou por alguns momentos marcantes na esfera política: 1) o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (iniciado em dezembro/2015 e encerrado em agosto/2016); 2) Joesley Day (quando o presidente Michel Temer teve áudios de suas conversas com o presidente da JBS (JBSS3) vazados); 3) a invasão do Congresso Nacional em 2013; e agora 4) a recente invasão dos Três Poderes em janeiro de 2023. Mas a pergunta é: esses momentos de instabilidade política afetam a Bolsa brasileira? Analisamos mais a fundo nesse Raio-XP;
  • No mundo, a reabertura da China tem sido um tema muito relevante. O fim da política de zero-COVID levou a um rali em commodities, por exemplo cobre e minério de ferro, e tem contribuído para alguns setores da bolsa brasileira. Uma lista de ações brasileiras com grande exposição à China subiu +36% desde outubro, contra apenas +4% do Ibovespa no período;
  • Nós continuamos enxergando a Bolsa brasileira como atrativa,  negociando em um P/L de 6,9x, mais de 40% de desconto em relação à média histórica. Porém, nós mantemos o valor justo do Ibovespa em 125 mil pontos ao final de 2023. As altas taxas de juros no Brasil atualmente (juros reais dos títulos NTN-B acima de 6,4%) acabam por limitar o potencial de valorização das ações brasileiras. Logo, para vermos uma alta mais forte da Bolsa, é necessário que vejamos uma queda nas taxas de juros ao longo do ano – principalmente as taxas de longo prazo, que variam mais com a política fiscal e expectativas. Por isso, a seleção de ações bem-feita deverá ser mais importante do que nunca;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Ações do Spotify sobem 13% com forte crescimento de usuários

  • Ações do Spotify sobem 13% com forte crescimento de usuários;
  • AMD supera estimativas, mas alerta para queda de 10% na receita no primeiro trimestre;
  • Exxon Mobil registra lucro recorde de US$ 56 bilhões em 2022;
  • PayPal demitirá 2 mil funcionários nas próximas semanas, cerca de 7% da força de trabalho;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Mercados
    • Economistas da Anbima vêem início da queda dos juros (Investidor Institucional). 
    • Juro real longo atinge maior nível desde 2016 (Valor Econômico). 
  • Noticiário Corporativo
    • Americanas avalia financiamento de R$ 1 bi; trio de sócios pode entrar com valor  (Valor Econômico).
    • Na Light, acendeu a luz vermelha (Brazil Journal). 
  • Rating
    • Fitch Afirma Ratings ‘BBB-‘/’AAA(bra)’ da Braskem (Fitch).
    • Fitch Afirma Ratings ‘BB-‘/’AA(bra)’ da Petrobras; Perspectiva Estável (Fitch). 
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • IFIX sobe 0,47% e VSLH11 desaba 12%; TRXF11 e KNSC11 anunciam dividendos (Suno);
    • Investe em FIIS? Entenda o impacto da recuperação judicial das Americanas (Investing);
    • Patrimônio líquido de Fiagros dispara quase 400% em um ano a R$ 7,8 bi, diz XP (MoneyTimes);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

VIVT3 e TIMS3: Feedback webinar ESG

  • Na última terça-feira, o time de Research da XP realizou um webinar ao vivo sobre iniciativas ESG no setor de telecomunicações, como parte do evento XP Telecom Week. Com a participação de Joanes Ferreira Ribas, Diretora de Sustentabilidade da Vivo, e Marcio Lino, Diretor de ESG da Tim, o webinar teve como objetivo apresentar os principais avanços e iniciativas na agenda ESG em Telecom, além de oferecer um panorama geral do mercado brasileiro;
  • Os principais destaques foram: (i) agenda ESG em alta no setor; (ii) regulamentação como crucial para a qualidade da divulgação ESG; (iii) papel-chave do Conselho e da alta liderança na promoção da agenda; (iv) preocupação com inclusão digital; e (v) emissão de títulos verdes como instrumento chave para fomentar compromissos ESG;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Arábia Saudita destina US$ 266 bilhões para investimentos em energia limpa até 2030 | Café com ESG, 01/02

  • O mercado encerrou o pregão de terça-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +1,0% e +1,5%, respectivamente;
  • No Brasil, o Ministro da Agricultura e Pecuária, Carols Fávaro, esteve na Febraban na última terça-feira (31/01) para participar da reunião do Conselho Consultivo da organização. Junto à sua equipe, informou que está definindo uma política pública que oferecerá condições mais favoráveis de financiamento para produtores comprometidos com uma atividade agropecuária sustentável, e que tem se reunido com empresários ligados ao carbono, agritechs, fintechs e bioinsumos para avançar a agenda;
  • No internacional, (i) pela primeira vez, as energias eólica e solar geraram mais eletricidade na União Europeia do que a proveniente do gás em 2022, segundo um relatório publicado pelo centro de análises da European Electricity Review (Ember) – quase um quarto (22%) de toda a eletricidade consumida na UE foi gerada por estas duas fontes de energia limpa; e (ii) a Arábia Saudita investirá mais de US$ 266 bilhões até 2030 para produzir eletricidade mais limpa e ampliar sua rede elétrica, anunciou o ministro de Energia do reino sunita;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.