XP Expert

Atenções voltadas para as discussões sobre a extensão do Auxílio Emergencial no Congresso nesta sexta-feira

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 0,50% | 118.401 Pontos

CÂMBIO -0,38% | 5,07/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em leve alta de 0,50% nesta quinta-feira aos 118.401 pontos. A alta foi puxada pelas siderúrgicas que acompanham o rali do minério de ferro na bolsa chinesa. O dólar comercial teve queda de 0,38% cotado agora ao R$/US$ 5,07. As taxas futuras de juros fecharam o dia de ontem praticamente estáveis, com viés de queda nos vencimentos longos. O dia foi marcado por noticiário local fraco, leilão de títulos prefixados com menor oferta do que na última semana, ajudando a retirar pressão das taxas. O Relatório Trimestral de Inflação (RTI) não teve força para alterar a trajetória da curva, uma vez que apenas ajudou a corroborar a ata do Copom. DI jan/22 fechou em 3,39%; DI jan/24 encerrou em 5,35%; DI jan/26 foi para 6,37%; e DI jan/28 fechou em 7,02%.

No cenário internacional, nos EUA, as negociações continuam entre democratas e republicanos por um novo pacote de estímulo à economia. Os principais pontos de divergência continuam sendo o auxílio para estados e municípios (defendido por democratas) e proteções legais para empresas (defendido por republicanos) A proposta em discussão é de cerca de USD 900 bilhões.

No lado das tensões globais, agência americana responsável pelo arsenal nuclear do país, 3 estados e a Microsoft estão entre as vítimas de ataques de hackers supostamente vinculados ao governo russo. O presidente Trump ainda não comentou o assunto publicamente. 

Por fim, as negociações pelo Brexit ainda enfrentam obstáculos relevantes apesar do prazo para um acordo estar acabando.

No Brasil, atenções voltadas para a sessão convocada pelo presidente da Câmara para esta sexta-feira, em que ele incluiu na pauta a MP 1.000, que foi responsável pela extensão do auxílio emergencial para os meses de outubro a dezembro, com redução no valor de R$ 600 para R$ 300. Há forte pressão dos deputados pela elevação do valor. O governo está trabalhando para que a medida não seja votada e, caso não tenha sucesso, espera que Davi Alcolumbre não convoque novas sessões do Senado, que também precisa aprovar o texto para que as alterações tenham validade. A decisão de Rodrigo Maia de pautar a matéria veio depois de uma live em que Jair Bolsonaro disse que o 13º salário do Bolsa Família não seria pago por culpa do deputado.

Ontem, a Câmara aprovou o texto-base do PLP 137/2020, que libera estoque de fundos públicos para gastos na pandemia, mas a votação só deve ser concluída hoje.

Na disputa pela presidência da Câmara, o grupo de Rodrigo Maia espera definir em breve o apoio dos partidos de esquerda ao seu candidato, que ainda não foi escolhido.

Em economia, na Alemanha, o índice de sentimento das empresas subiu para 92,1 em dezembro (acima das expectativas, de 90,5), enquanto as vendas no varejo do Reino Unido recuaram 3,8% em novembro ante outubro. O Banco Central do Japão (BoJ) decidiu deixar inalterados os juros do país, mas ampliou em seis meses o prazo de seu programa de empréstimos.

Já na economia brasileira, já são novamente mil mortes por dia provocadas pela covid-19, marca que não era atingida desde setembro. Embora ainda não haja uma data precisa para o início da campanha de vacinação no país, o governo estima conseguir imunizar o grupo prioritário até meados de 2021 e conclua a imunização em 2022.

Na agenda do dia, os destaques serão a divulgação da edição de novembro da nota de setor externo do Banco Central, a coletiva de balanço do ano do ministro Paulo Guedes, e os discursos do presidente da distrital de Chicago do Fed, Charles Evans, e da diretora do Fed Lael Brainard.

Pelo lado das empresas, publicamos ontem um relatório temático feito pela equipe ESG do Research e o time de Política da XP, buscando desenhar os principais eixos do marco regulatório de investimentos ESG do país e identificar lacunas que ainda precisam ser preenchidas. Na nossa visão, além da atual onda de mudança impulsionada pela sociedade civil e pelos investidores, também acreditamos que as mudanças impostas pela regulamentação estão e terão, cada vez mais, um papel importante em direcionar as empresas à caminho de melhores práticas ESG.

Tópicos do dia

Internacional

  1. Política internacional: negociações pelo Brexit na Europa e pacote de estímulo nos EUA continuam em destaque
    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Setor Elétrico: Resultados do leilão de transmissão 01/2020
  2. Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil
  3. Setor Elétrico: Câmara Aprova MP 998/2020 e texto segue ao Senado
  4. Usiminas (USIM5): Companhia entra em acordo para pagar R$118,6 mi ao Cade
  5. Cemig (CMIG4): Comentários a respeito de emenda da MP 998/2020 que supostamente beneficia a Cemig
  6. Usiminas (USIM5): Retomada do Alto-Forno #2 da Usina de Ipatinga
  7. Frigoríficos: pandemia pode estar começando a atingir os frigoríficos da América do Norte novamente, de acordo com a BBG


Veja todos os detalhes


Internacional

Política internacional: negociações pelo Brexit na Europa e pacote de estímulo nos EUA continuam em destaque

  • Nos EUA, as negociações continuam entre democratas e republicanos por um novo pacote de estímulo a economia. Os principais pontos de divergência continuam sendo o auxílio para estados e municípios (defendido por democratas) e proteções legais para empresas (defendido por republicanos) A proposta em discussão é de cerca de USD 900 bilhões;
  • Se as negociações não chegarem a uma resolução nesta sexta-feira (18), o governo entraria em shutdown no fim de semana. Portanto, parlamentares avaliam um novo projeto orçamentário temporário;
  • No lado das tensões globais, agência americana responsável pelo arsenal nuclear do país, 3 estados e a Microsoft estão entre as vítimas de ataques de hackers supostamente vinculados ao governo russo. O presidente Trump ainda não comentou o assunto publicamente;
  • E as negociações pelo Brexit ainda enfrentam obstáculos relevantes apesar do prazo para um acordo estar acabando.

Empresas

Setor Elétrico: Resultados do leilão de transmissão 01/2020

  • A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) realizou ontem (17/12) o leilão de transmissão 01/2020. Neste evento, 11 lotes de ativos foram ofertados, totalizando 1.959 km de linhas e subestações com capacidade de 6.420 mega-volt-amperes (MVA);
  • O leilão encerrou com um desconto médio sobre a receita anual permitida (RAP) de 55,24%, o que consideramos um nível de desconto bastante agressivo e que ilustra os níveis ainda elevados de competição nos leilões de transmissão. Na nossa visão, tais resultados são um reflexo tanto do atual ambiente de baixas taxas de juros (levando as empresas a aceitarem retornos menores nas linhas devido às melhores condições de financiamento) quanto da entrada de novos competidores no setor;
  • Dentro do nosso grupo de cobertura, a CTEEP venceu o Lote 7 do leilão, uma linha de transmissão de 63 km localizada no estado de São Paulo, com investimentos estimados em R$ 1.140,6 milhões. A CTEEP ofereceu uma RAP final de R$ 68,050 milhões, ou um desconto de 57,94% com relação a receita regulatória (RAP) inicial de R$ 161,778 milhões. Tendo em vista a escassez de oportunidades de retornos em leilões de transmissão e fusões e aquisições de linhas já operacionais, acreditamos que seria melhor do ponto de vista de alocação de capital que a CTEEP distribuísse mais dividendos a acionistas do que reinvestisse seus fluxos de caixa a baixas taxas de retorno. Mantemos nossa recomendação Neutra pra CTEEP, com um preço alvo de R$ 23,0/ação;
  • Em nosso relatório completo (link), apresentamos detalhadamente o resultado de todos os lotes leiloados. Além disso, estimamos a TIR alavancada real para cada lote em dois possíveis cenários: (i) assumindo as referências da ANEEL de investimentos e prazo e (ii) assumindo uma economia de 25% nos investimentos em relação às referências da ANEEL e a antecipação do início dos projetos em 1 ano.

Panorama do marco regulatório de investimentos ESG no Brasil

  • Na nossa visão ESG é um processo, não apenas uma questão binária. Acreditamos que a integração dos valores ESG à cultura corporativa e atividades econômicas não acontece de um dia para o outro mas, como todo processo, acontece de forma paulatina, podendo ser incentivada por fatores como iniciativas privadas ou aquelas impulsionadas por governos;
  • No Brasil, já foram tomadas medidas relevantes que impulsionaram o movimento, mas ainda estamos em estágios incipientes quando comparado ao cenário internacional. Para avaliarmos o cenário atual dos investimentos ESG no país e identificar áreas onde esforços precisam ser concentrados, é importante considerar que o desenvolvimento do processo depende uma série de vertentes. Uma das variáveis mais relevantes a ser estudada é o marco regulatório brasileiro, que tem papel de orientar, instruir, monitorar e fiscalizar o andamento do processo;
  • Nesse relatório temático, feito pela equipe ESG do Research e o time de Política da XP, buscamos desenhar os principais eixos do marco regulatório de investimentos ESG do país e identificar lacunas que ainda precisam ser preenchidas. Clique aqui para ler o conteúdo completo.

Setor Elétrico: Câmara Aprova MP 998/2020 e texto segue ao Senado

  • Ontem, a Câmara dos Deputados conclui a votação da Medida Provisória 998/2020, referente ao setor elétrico, e o texto segue agora para o Senado. Dentre os principais pontos todo texto, citamos dispositivos que reduzem o subsídio para fontes renováveis, trazem dispositivos para conter o aumento de tarifas de consumidores atendidos pelas distribuidoras da região Norte e facilitam a retomada das obras da usina nuclear de Angra 3;
  • Segundo o Boradcast, o líder do partido Podemos, Deputado Léo Moraes acatou parcial ou integralmente cinco emendas ao seu relatório da Medida Provisória. Além disso, foram aprovadas três alterações no texto base ao longo da votação no plenário: (i) uma emenda que garante compensação pelo risco hidrológico a usinas leiloadas entre 2015 e 2017 e que supostamente atende a um pleito da Cemig, (ii) a manutenção de 50% de desconto das tarifas de transmissão e distribuição para Pequenas Centrais Hidrelétricas e 25% nos 5 anos seguintes  e (iii) uma proposta que permite que distribuidoras privatizadas nos últimos anos possam ter sua base de ativos reavaliada, com efeitos entre o primeiro e o terceiro reajuste anual depois da solicitação pelas companhias;
  • Entretanto, notícias apontam que é improvável que a votação da MP 998/2020 seja concluída neste ano no Senado, tendo em vista a redução do ritmo de atividades no poder legislativo no fim de ano. A MP vence em 9 de fevereiro de 2021, mês em que se espera que se retomem às votações no Senado, mas que também coincide com as eleições presidenciais das casas legislativas.

Usiminas (USIM5): Companhia entra em acordo para pagar R$118,6 mi ao Cade

  • De acordo com Fato Relevante divulgado ontem (17), a Usiminas informou que firmou um Termo de Acordo Judicial com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), com o objetivo de dirimir todas as controvérsias relacionadas ao Processo Administrativo que inclui as demandas referentes à antiga Companhia Siderúrgica Paulista (COSIPA), incorporada à Usiminas em 2009;
  • Dessa forma, a Usiminas pagará ao CADE o valor de R$ 118,6 milhões. Os pagamentos serão feitos em parcelas com prazo máximo de três anos, com o pagamento da primeira parcela em até trinta dias após a celebração do contrato. Os valores também serão atualizados pela taxa SELIC;
  • Destacamos que o valor já foi provisionado. Portanto, não esperamos grandes impactos para as ações. Mantemos nossa recomendação Neutra para a Usiminas com preço-alvo de R$ 12 por ação.

Cemig (CMIG4): Comentários a respeito de emenda da MP 998/2020 que supostamente beneficia a Cemig

  • Durante a tramitação da MP 998/2020 sobre o setor elétrico, foi aprovada na Câmara uma emenda para garantir compensação pelo risco hidrológico (impacto da seca sobre a geração de energia) a usinas leiloadas entre 2015 e 2017. Lideranças políticas afirmaram que a proposta atende a uma reinvindicação da Cemig, que teve usinas hidrelétricas leiloadas neste período;
  • A esse respeito, atentamos para pontos tratados na Consulta Pública 056/2020 da ANEEL a respeito da regulamentação a respeito da regulamentação da Lei 14.052/2020, referente ao Risco Hidrológico. Segundo o Voto da Diretora Elisa Bastos, não há possibilidade de transferência das compensações (ou ressarcimentos) do risco hidrológico de uma usina para outra;
  • Também citamos o Artigo 2-D da Lei 13.203/2015 (alterada pela Lei 14.052), que aborda a questão de agentes que não são mais detentores de outorgas de empreendimentos que tiveram a geração hidrelétrica deslocada e que foram licitados em 2017 (situação que a Cemig se enquadra), a redação afirma que “os valores apurados serão ressarcidos mediante quitação de débitos do agente de geração em face de eventual pretensão de ressarcimento da União”;
  • Na nossa interpretação, acreditamos que a referida emenda mais diz respeito a uma compensação de um débito da Cemig com a União. Tal débito poderia estar relacionado ao período em que a Cemig operou, com liminares, as usinas hidrelétricas de Jaguara, São Simão e Miranda no Ambiente de Contratação Livre (ACL). Notícias (Valor Econômico, Canal Energia) apontam que a cobrança da União poderia alcançar valores da casa de bilhões de reais (potencialmente R$5 bilhões);
  • Como conclusão, como (i) segundo a ANEEL e a redação da Lei 14.052/2020, não é possível realizar a transferência da compensação do risco hidrológico entre diferentes usinas (portanto não permitindo que usinas atuais da Cemig tenham sua concessão estendida) e (ii) nunca assumimos que a Cemig pagaria os débitos anteriormente mencionados junto à União, não enxergamos nenhum impacto financeiro sobre nossas estimativas e preço-alvo de Cemig. Por esta razão, mantemos recomendação Neutra e preço-alvo de R$11/ação para CMIG4.

Usiminas (USIM5): Retomada do Alto-Forno #2 da Usina de Ipatinga

  • Segundo Fato Relevante publicado ontem (17), a Usiminas anunciou que o Conselho de Administração aprovou o retorno da operação do alto-forno nº 2 da Usina de Ipatinga. O alto-forno havia sido paralisado em abril devido ao impacto da pandemia na economia brasileira;
  • A retomada das atividades está prevista para começar em junho de 2021 e terá um investimento de R$ 67 milhões;
  • Vemos esta notícia como positiva para a companhia, uma vez que as siderúrgicas brasileiras estão enfrentando escassez de oferta, devido às diversas interrupções nas operações e ao forte aumento na demanda. Mantemos nossa recomendação Neutra para a Usiminas com preço-alvo de R$ 12 por ação.

Frigoríficos: pandemia pode estar começando a atingir os frigoríficos da América do Norte novamente, de acordo com a BBG

  • De acordo com a Bloomberg news, frigoríficos na América do Norte estariam se preparando para um aumento de casos da Covid19, procurando evitar o tipo de interrupção que fechou várias fábricas durante o segundo trimestre, restringindo o fornecimento de carne exatamente quando os consumidores estavam estocando suas geladeiras no ápice da pandemia. Para conferir todos os detalhes, acesse nosso relatório setorial, o Expresso Alimentos & Bebidas;
  • As preocupações com o aumento de casos trazem à memória o que aconteceu no 2T20, quando as indústrias pararam ou reduziram o abate de animais devido ao aumento de infecções de Covid19 entre seus funcionários. Consequentemente, houve acúmulo de bovinos e suínos no pasto, pressionando os preços para os criadores. Simultaneamente, houve redução da disponibilidade de carne nas prateleiras dos supermercados, empurrando os preços de varejo para altas recordes;
  • Depois de muitos investimentos em segurança dos funcionários e mesmo com indústrias operando em um ritmo mais lento (como a Cargill está fazendo) e enfrentando maior absenteísmo (como a Sanderson Farms), ainda não temos certeza dos impactos de um potencial aumento no número de casos. Muitas empresas enfrentaram reações adversas do governo e do público devido à forma como lidaram com a indenização do pagamento e o apoio às famílias, por exemplo;
  • Por outro lado, os executivos agora dizem que as empresas estão mais bem preparadas, tendo gasto milhões de dólares para reconfigurar fábricas, implementar medidas de distanciamento social e distribuir os equipamentos de proteção de que os trabalhadores precisam para se manter seguros enquanto mantêm a cadeia de abastecimento de alimentos funcionando. Qualquer notícia sobre vacinas nos próximos meses pode ser benéfica para o setor nesse sentido.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.