XP Expert

O que são Hedge Funds FIIs? Entenda e saiba como investir

Os Hedge Funds FIIs surgem como uma nova categoria de investimentos dentro dos Fundos Imobiliários, conheça e saiba como investir

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Você sabe o que são hedge funds? A analista de Fundos Imobiliários e Fundos Listados da XP, Maria Fernanda Violatti, convidou Alessandro Vedrossi, da Valora Investimentos, e Brunno Bagnariolli, da Mauá Capital, para explicar em detalhes esse tipo de investimento. Confira no vídeo abaixo:

O que são os Hedge Funds FIIs e como estão estruturados?

Os Hedge Funds FIIs surgem como uma nova categoria de investimentos dentro dos Fundos Imobiliários. Estes FIIs têm chamado a atenção de muitos investidores por suas características específicas e também por apresentarem rentabilidade robusta nos últimos meses. A estratégia de investimentos desse tipo de fundo se baseia em trazer maior flexibilidade na alocação de seu patrimônio líquido, buscando ativos com melhor posicionamento de acordo com o momento, ou seja, possibilitando ao gestor explorar melhor o ciclo de cada ativo.

O time de gestão possui grande relevância nesse tipo de fundo, já que é necessário bastante conhecimento para acompanhar as melhores oportunidades em cada um dos segmentos de suas alocações, como por exemplo em FII, ações, debentures, SPEs, FIDCs, entre outros. Além disso, um bom time de gestão busca retornos adicionais e boa rentabilidade (alfa) mesmo quando os mercados não estão em alta.

XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Assim como outros segmentos de Fundos Imobiliários, o objetivo é auferir rendimentos e/ou ganho de capital, bem como proporcionar aos cotistas a valorização de suas cotas. Cada fundo possui regulamento específico sobre sua política de investimentos. Os Hedge Funds FIIs são destinados ao público em geral, principalmente para investidores que buscam investir em operações relacionadas ao mercado imobiliário.

Por fim, entendemos que os Hedge Funds permitem a obtenção de capital mesmo em momentos menos oportunos, já que sua estratégia não é correlacionada ao IFIX. Ou seja, em momentos como o atual, onde as cotas dos FIIs seguem pressionadas no secundário e, por isso, podem ser boa estratégia para compor e diversificar uma carteira de investimentos.

Papo com Gestores: Hedge Funds FIIs

De acordo com Brunno Bagnariolli, o conceito de hedge funds é ter “um produto com um mandato um pouco mais amplo”. Para o gestor, trata-se de uma versão 3.0 da indústria de fundos, caracterizados por uma maior maturidade por parte dos investidores, da administração, gestão e outros componentes da indústria. Por isso, “na minha leitura, eles são uma evolução natural do mercado”, conta.

“Misturam diversos tipos de ativos, primordialmente financeiros”, explica o gestor da Mauá Capital, em busca de aproveitar oportunidades, com maior relevância para o trabalho de gestão. Para Alessandro Vedrossi, “houve uma preocupação enorme em entender quem é o público-alvo e quem é o investidor desse produto”.

O gestor da Valora Investimentos reforça que a busca dos hedge funds é atender o melhor dos dois mundos, tanto prover dividendos mês a mês quanto aproveitar ao máximo a capacidade de gestão em busca da melhor diversificação.

Na Valora Investimentos, segundo Vedrossi, há uma divisão entre a carteira que visa gerar o valor e o portfólio que busque bons dividendos, com foco na renda. Brunno acrescenta que, pelo maior protagonista do gestor, o racional será muito particular de cada casa, contudo, a essência dos hedge funds tende a ser a mesma.

Na Mauá, a lógica de divisão seria a mesma, com particularidades, em especial um controle maior dos riscos. “Em tese, estamos gerando uma carteira que pague bem, enquanto temos algumas frutas na cesta amadurecendo”, destaca Bagnariolli.

Diferenciais e regulação

Para o gestor da Mauá, um dos pontos positivos é poder oferecer para um público maior (o varejo) algumas operações imobiliárias que seriam mais restritas (por exemplo, para investidores institucionais).

“Do ponto de vista regulatório, é exatamente a mesma coisa”, diz Vedrossi. O gestor destaca que, em comparação de Hedge Funds FIIs com FOFs, uma das principais diferenças é a possibilidade de surfar em volatilidade e não ser diretamente impactado com uma possível queda do IFIX. Além disso, um hedge fund pode ser composto, em parte, por FOFs mas não necessariamente, uma vez que sua composição é de multiativos.

Para ele, a beleza do produto é justamente a diversificação maior, pela lógica de “cheque em branco para o gestor”, garantindo que possa ser composto por diversos ativos que se balanceiem. “Na minha opinião, a gente está criando uma outra classe”, garante Alessandro, reforçando a ideia de “indústria 3.0” trazida por Brunno.

Mais proteção

O ponto mais importante é o caráter acíclico ou descorrelacionado. Isso significa que, por existir diversas opções, é possível aproveitar diversos momentos de ciclos para investir mais, ou menos, em ativos que se beneficiem do cenário. Então, um cenário macro mais difícil (com alta inflação e juros elevados) que traria pouca atratividade para fundos de tijolos, por exemplo, seria mais indicado para ativos de renda fixa, como CRIs. Realizar essa seleção, realizar vendas e fazer liquidez para opções melhores estaria na mão do gestor, na hipótese dos hedge funds.

A flexibilidade torna, então os Hedge Funds adequados para momentos mais voláteis e mais tranquilos, de acordo com Alessandro. Ele reforça que não deve ser a única escolha para uma carteira, mas trata-se de uma classe interessante.

Vale a pena investir em Hedge Funds?

Os dois gestores entendem que sim. Um dos principais motivos seria pela importância de diversificar e optar por produtos descorrelacionados, que podem atuar de forma satisfatória em qualquer cenário que se apresenta. O gestor da Valora, ressalta a questão de riscos distintos assumidos dentro de um mesmo fundo seria outro ponto relevante, assim como a confiabilidade de ter uma ampla exposição ao mercado de fundos imobiliários mesmo por investidores que não tenham o conhecimento para tanto.

Entre as mensagens dos gestores para os investidores, Vedrossi é categórico: “informe-se e atente-se ao risco e a qualidade dos ativos”, seja em hedge funds ou qualquer outro tipo de fundos que seja opção do investidor. Maria Violatti destaca a importância de se ater ao seu perfil de investidor para escolha dos produtos adequados. Brunno reforçou o ponto da importância de buscar informação de qualidade: “deve-se entender em quem e no que você está investindo”.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este conteúdo tem propósito exclusivamente informativo e se baseia em dados estatísticos, metodologias probabilísticas, fatos concretos do mercado financeiro e em resultados financeiros apurados. Em nenhum momento, o conteúdo desta mensagem representa opiniões pessoais ou recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. Não se configuram, portanto, como ideias, opiniões, pensamentos ou qualquer forma de posicionamento por parte da XP Investimentos CCTVM S/A. É terminantemente proibida a utilização, acesso, cópia ou divulgação não autorizada das informações presentes neste conteúdo. O investimento em ações é um investimento de risco. Na realização de operações com derivativos existe a possibilidade de perdas superiores aos valores investidos, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Para avaliação da performance de um fundo de investimentos é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses. Leia o prospecto e o regulamento antes de investir. Todas as informações sobre os produtos, bem como o regulamento e o prospecto e regulamento aqui listados, podem ser obtidas com seu agente de investimentos, em nosso site na internet ou no site do referido gestor. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou fundo garantidor – FGC. A taxa de administração máxima compreende a taxa de administração mínima e o percentual máximo que a política do FUNDO admite despender em razão das taxas de administração dos fundos de investimento investidos. Os fundos de ações e multimercados com renda variável /sem renda variável podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. Os fundos de crédito privado estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Os fundos de cotas aplicam em fundos de investimento que utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. Os fundos de renda fixa estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Para informações e dúvidas, favor contatar seu agente de investimentos. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. As rentabilidades divulgadas não são líquidas de impostos e taxas de saída e performance. As informações publicadas não levam em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Caso os ativos, operações, fundos e/ou instrumentos financeiros sejam expressos em uma moeda que não a do investidor, qualquer alteração na taxa de câmbio pode impactar adversamente o preço, valor ou rentabilidade. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização dessa plataforma. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.