Super quinta para inflação no Brasil

Três importantes publicações sobre a inflação no Brasil vieram ao conhecimento do público nesta quinta-feira: relatório Trimestral de Inflação (Banco Central), IPCA-15 de junho (IBGE) e Meta de Inflação para 2023 (CMN); confira nossas análises


Compartilhar:


Nesta quinta-feira, dia 25 de junho, três importantes publicações sobre a inflação no Brasil vieram ao conhecimento do público:

  1. Relatório Trimestral de Inflação – Banco Central
  2. IPCA-15 de junho – IBGE
  3. Meta de Inflação para 2023 – CMN

RTI 2º trimestre de 2020

O Banco Central divulgou na manhã de hoje, o RTI (Relatório Trimestral de Inflação) que contém as principais projeções de inflação no modelo da autoridade monetária e que ajudam a balizar a tomada de decisão do COPOM bem como o do próprio mercado. O documento não trouxe elementos que alterasse a expectativa sobre a trajetória da SELIC para os próximos trimestres e, portanto, o impacto deste foi neutro na leitura de mercado. Com um grau de incerteza ainda elevado e com os canais de transmissão da política monetária ainda bastante obstruídos (crédito bancário e confiança entre eles), a XP Inc. mantém o entendimento de que a SELIC sofrerá mais um corte de 0,25% na reunião de agosto, alcançando o patamar de 2,00% a.a. e permanecendo neste nível até o segundo semestre de 2021, quando deverá ocorrer a normalização do ciclo de juros. Esperamos a taxa SELIC se eleve para 3,00% a.a. ao final de 2021.

O BC apresentou quatro cenários de perspectiva de inflação que foram consideradas na última reunião do COPOM, se utilizando de dados com corte até o dia 12 de junho. Estes cenários de inflação são condicionados para hipóteses de trajetórias do câmbio e da SELIC (constantes ou projeção FOCUS) até o final de 2022.

Fonte: RTI/BCB

Em todos os quatro cenários, o modelo estrutural do BC aponta para um IPCA abaixo do piso da meta de 2020 e abaixo do centro da meta de 2021, horizonte de tempo que hoje é considerado relevante para a política monetária.

A pandemia do novo coronavírus impôs no curto prazo características desinflacionarias sobre a economia e isso ficou refletido nas surpresas do IPCA dos últimos três meses.

Fonte: RTI/BCB

Para os próximos três meses, o BC tem expectativa de uma inflação acumulada de 0,87% enquanto a projeção da XP Inc. é de 0,55% neste ínterim. A nossa expectativa para o IPCA permanece em 0,8% em 2020 e 3,2% em 2021.

Fonte: RTI/BCB

O relatório trouxe boxes detalhando alguns aspectos de inflação. O BC apresentou em um destes boxes um novo conjunto de núcleos de inflação, excluindo o EX-1e o EX-2 e incluindo uma nova medida de núcleo; o P55 (percentil, 55) que apresenta uma volatilidade e dependência da variação de subitens menores. Este novo conjunto de médias de inflação procura aprimorar aspectos quantitativos e qualitativos (ilustração) para compreensão da inflação e assim embasar a tomada de decisão do COPOM.

Fonte: RTI/BCB

Outro boxe infere sobre os riscos associados a projeção de inflação, principalmente no segundo semestre, do ponto de vista de um choque de oferta e outro de demanda.

O primeiro exercício se vale do indicador de incerteza (IIE-BR/FGV) projetar os efeitos da demanda agregada na curva IS, ou seja, quanto maior a incerteza na economia, maior a retenção de empresas a investirem/empregarem ou das famílias consumirem bens e serviços. O nível de incerteza em patamar elevado por um tempo mais prolongado pode afetar a ociosidade da economia e consequentemente trazer a inflação esperada para baixo.

O segundo exercício pressupõe um choque de oferta dos preços do petróleo Brent. Com uma demanda global por petróleo reprimida, os preços estão em patamares historicamente baixos e o cenário base do BC aponta a manutenção deste até o final de 2022. Entretanto a hipótese alternativa projeta um US$/barril voltando aos preços do final de 2019 no final de 2021. Essa possível elevação dos preços internacionais impactaria os preços dos combustíveis no Brasil e transmitiria via inercia no IPCA total com maior peso ao final de 2021.

Fonte: RTI/BCB

O RTI do segundo trimestre apresentou também suas revisões de PIB. O BC projeta uma queda de -6,4% em 2020 ante 0,0% no relatório de março. Destaque para os setores que mais sofreram os impactos impostos pelo distanciamento social tais como: serviços de transportes, comércio e indústria de transformação.

Fonte: RTI/BCB

Outra novidade trazida no relatório sob forma de boxe foi o de acompanhamento durante a pandemia de indicadores de alta frequência. Por conta do elevado grau de incerteza que predomina nas principais variáveis macroeconômicas, o RTI apresentou informações semanais de atividade econômica como o consumo de energia elétrica da CCEE e de vendas no varejo da CIELO.

Fonte: RTI/BCB

A XP Inc. já monitora estes indicadores em conjunto com dados prévios de confiança e permanece com a projeção de PIB de -6,0% em 2020 e de +2,5% em 2021.

IPCA-15 de junho

O IBGE divulgou às 9:00 da manhã de hoje o IPCA-15 de junho. O resultado de +0,02% foi acima das expectativas da XP Inc. (-0,12%) e do mercado (-0,06%).

O destaque na diferença entre as projeções ficou para a gasolina que teve variação de -0,17% ante -1,80% projetado seguido por bens industriais que repassando em grande medida a depreciação do câmbio observado desde o início da pandemia. Alimentação no domicílio também surpreendeu principalmente nos preços das carnes e do leite.

No geral, o resultado da primeira quinzena de junho mostra os principais preços ainda bem-comportados e isso é refletido na média dos núcleos. Com um nível de ociosidade da economia bastante elevado, consideramos compatível que a inflação permaneça em patamar baixo até o final de 2021. A projeção de IPCA da XP Inc. para o mês de junho é de 0,22%. Para o ano permanecemos em 0,8% em 2020 e 3,2% em 2021.

Fonte: RTI/BCB

Meta de inflação de 2023

No início dessa noite, o Conselho Monetário Nacional (CMN) definiu a meta de inflação para 2023 em 3,25%, com tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. O anúncio foi feito agora pouco pelo Ministério da Economia.

O sistema de metas de inflação no Brasil foi criado em 1999 e com a decisão de hoje o CMN emplaca o quinto ano consecutivo de reduções.

Havia certa incerteza sobre esta decisão para o ano de 2023 dado a deterioração fiscal que o país passa por conta do combate aos efeitos da pandemia sobre a economia. Mas a se julgar pelas reformas estruturais que foram implementadas nos últimos anos como a TLP, teto dos gastos, e a reforma da previdência uma manutenção da taxa em 3,50% da meta de 2022 poderia gerar um ruído contraproducente sobre a eficácia do Banco Central perseguir a meta de inflação no horizonte relevante.

A comunicação da autoridade monetária que consistentemente alerta sobre “perseverar no processo de reformas e ajustes necessários na economia brasileira é essencial para permitir a recuperação sustentável da economia” é condizente com a trajetória de uma inflação estruturalmente mais baixa e sustentável no longo prazo.

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º da Instrução CVM nº 598/2018. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM