Economia em Destaque: tramitação da PEC dos Precatórios no Senado é fonte de incertezas no Brasil

Seu resumo semanal de economia no Brasil e no mundo


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Resumo

No cenário internacional, destaque para melhora no cenário de atividade econômica dos EUA, além de, na Europa, imposição de lockdown devido ao novo surto de Covid e inflação ao produtor mais acelerada.

No Brasil, contração na atividade econômica em setembro, piora nas projeções oficiais da Secretaria de Política Econômica para a economia brasileira e dificuldades na tramitação da PEC dos Precatórios no Senado.

Para semana que vem, destaque para o IPCA-15 de novembro, relatório mensal da dívida pública e Caged. No cenário internacional, as atenções estarão voltadas para a ata da última reunião do comitê de política monetária do Fed (FOMC) e para o deflator PCE nos Estados Unidos.

Atualizações Covid-19

No cenário internacional, o recrudescimento da pandemia em alguns países na Europa voltou a chamar atenção. Após maior surto de casos desde o início da pandemia, a Áustria impôs lockdown totale quer tornar a vacinação obrigatória. O país conta com 65% da população completamente imunizada, uma das menores taxas da Europa ocidental. Na mesma direção, a Alemanha estuda restrições, mas apenas aos cidadãos que não se vacinaram, além da ampliação de doses de reforço. Cabe ressaltar que em ambos os países, o avanço de novos óbitos não acompanha o número de novos casos na mesma proporção vista antes da vacinação.

Países com mais de 80% da população totalmente imunizada, como Portugal e Espanha, estão em situação epidemiológica confortável, embora também experimentem ligeiro avanço no número de casos.

No Brasil, a média móvel (7 dias) de novos diagnósticos apresentou queda em relação à semana anterior, enquanto a de óbitos apresentou alta. Ao todo, 74,4% da população brasileira já está vacinada com ao menos a primeira dose, enquanto 60,3% já tomou 2 doses ou dose única da vacina.

Clique aqui para receber por email os conteúdos de economia da XP

Cenário Internacional

Estados Unidos: recuperação da atividade econômica continua

Nos Estados Unidos, os dados divulgados ao longo da semana sinalizam que a recuperação da atividade econômica e do mercado de trabalho no país continua em andamento, mas que a escassez de matérias primas e mão de obra segue como principal desafio.

Na atividade econômica, as vendas no varejo registraram o maior avanço desde março (de 1,7% no mês), e encontram-se 21,4% acima do nível pré-pandêmico. A alta foi levada pelo aparente início precoce das compras de Natal, com americanos preocupados com a potencial falta de produtos que já ganha certa força.

Também em território positivo, a produção industrial se recuperou mais do que o esperado em outubro (subindo 1,2%), conforme a resistência do furacão Ida diminuiu e a produção de veículos motorizados aumentou. A manufatura, que responde por 12% da economia dos EUA, está sendo sustentada por empresas desesperadas para reconstruir estoques esgotados.

A melhora do tom econômico foi acompanhada por outros dados do Federal Reserve da Filadélfia, mostrando aceleração na atividade manufatureira neste mês. Produtores relataram-se otimistas com as condições de negócios nos próximos seis meses e anteciparam a manutenção de um forte ritmo de investimentos em 2022. Mas a escassez de mão de obra e matéria-prima persistiu, levando a um rápido acúmulo de trabalhos inacabados.

Enquanto isso, no mercado de trabalho, o número de americanos que entraram com novos pedidos de seguro-desemprego na semana passada caiu para perto dos níveis anteriores à pandemia, embora a escassez de trabalhadores continue a ser um obstáculo para um crescimento mais rápido do emprego.

Finalmente, no cenário político, a Câmara dos Representantes dos EUA aprovou do pacote de infraestrutura social de Biden de US$ 1,75 trilhões (Build Better Act), que agora vai para análise do Senado – onde deve enfrentar maiores resistências. Segundo análise dos técnicos do Congresso, o projeto não deve ser 100% custeado por medidas tributárias contempladas no texto e deve agregar US$ 367 bilhões ao déficit do país em 10 anos.

Europa: novos temores de fechamento pela volta do coronavírus, inflação ao produtor muito acima das expectativas

Na Europa, a imposição de medidas de restrição à mobilidade na Áustria levanta temores relativos ao fechamento em outros países da região, potencialmente prejudicando a atividade econômica.

Enquanto isso, seguem as preocupações com os preços em elevação, puxados por gargalos nas cadeias de suprimentos e fortes pressões nos custos de energia e insumos. Na Alemanha, o índice de preços ao produtor registrou a impressionante marca de 18,4% no acumulado em 12 meses até outubro, enquanto no Reino Unido, os preços ao consumidor atingiram a maior alta em 10 anos (de 4,2%). O Banco da Inglaterra deve se tornar o primeiro dos principais bancos centrais do mundo a aumentar as taxas desde o início da pandemia do coronavírus.

Em atividade econômica, a segunda leitura do PIB da Zona do Euro trouxe dados em linha com as expectativas do mercado, com crescimento de 2,2% no 3º trimestre em relação ao trimestre imediatamente anterior. Na comparação com o 3º trimestre de 2020, a economia da região apresentou expansão de 3,7%.

China: aceleração da atividade econômica

Na China, o destaque da semana ficou para dados de atividade econômica surpreendendo positivamente em outubro, afastando parcialmente temores de uma redução mais brusca no país.

A produção industrial apresentou crescimento interanual de 3,5% em outubro, enquanto as vendas no varejo tiveram expansão interanual de 4,9% no período, acelerando em relação ao ritmo de alta visto em setembro e acima do consenso de mercado.

Clique aqui para receber por email os conteúdos de economia da XP

Enquanto isso, no Brasil…

Piora nas projeções oficiais de inflação e crescimento

A Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia revisou para baixo suas projeções oficiais de inflação e crescimento do PIB em 2021 e 2022, embora elas tenham permanecido melhores do que as expectativas de mercado.

Agora, a SPE estima inflação (IPCA) de 9,7% este ano (antes: 7,9%) e 4,7% no ano que vem (antes: 3,75%). Por sua vez, a estimativa para o crescimento do PIB em 2021 declinou de 5,3% para 5,1%, enquanto a projeção para o PIB de 2022 recuou de 2,5% para 2,1%. Vale lembrar que a mediana das estimativas do mercado para o PIB do próximo ano situa-se ligeiramente abaixo de 1%, de acordo com o boletim Focus do Banco Central (a XP prevê alta de 0,8%).

Entre os fatores positivos que sustentam as perspectivas de crescimento econômico em 2022, membros do Ministério da Economia destacaram a recuperação sólida do mercado de trabalho.

Os novos parâmetros macroeconômicos serão utilizados na Lei Orçamentária Anual.

PEC dos Precatórios no Senado

Após aprovação da PEC dos Precatórios na Câmara dos Deputados, o projeto agora tramita no Senado. O governo tem enfrentado dificuldades para conseguir número mínimo de votos, gerando incertezas. Fernando Bezerra, líder do Planalto, reconhece a necessidade de alterações no texto para tentar votá-lo na Comissão de Constituição e Justiça na semana que vem e até o dia 30 de novembro em plenário.

Para conseguir cumprir com o prazo, há uma proposta para que alterações sugeridas pelos senadores tramitem como uma PEC paralela, permitindo a promulgação do texto nos moldes aprovados pela Câmara.

Atividade econômica: contração na atividade econômica de setembro

Nesta semana, foi divulgado o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) referente ao mês de setembro, que registrou recuo mensal de 0,27%, ligeiramente melhor que as expectativas. O índice reflete os resultados negativos das pesquisas de comércio, serviços e indústria divulgadas anteriormente. Em comparação a setembro de 2020, o IBC-Br que funciona como proxy mensal do PIB registrou crescimento de 1,52%.  

Com o resultado, esperamos que o PIB do 3º trimestre (a ser divulgado em 02/12) mostre estabilidade em relação ao trimestre imediatamente anterior. Vale notar, entretanto, que nossa projeção atual para o crescimento do PIB em 2021 (5,0%) tem ligeiro viés de baixa.

Para o PIB de 2022, por sua vez, projetamos crescimento de 0,8%. Para mais informações sobre nosso cenário de atividade econômica, veja abaixo parte do conteúdo publicadono relatórioNovo Cenário de Atividade Econômica no Brasil: do V ao Vermelho.

Clique aqui para receber por email os conteúdos de economia da XP

O que esperar para semana que vem?

No cenário internacional, os destaques serão a divulgação da ata da última reunião do FOMC (comitê de política monetária do Banco Central americano, o FED) e o deflator PCE referente a outubro – medida de inflação preferida pelo FED. Além disso, teremos divulgação do PIB dos EUA e da Alemanha, índices de gerentes de compras (PMIs) nos países desenvolvidos (importantes indicadores de atividade econômica) e decisão de juros na China.

Já no cenário doméstico, a prévia da inflação de novembro (IPCA-15) será o grande destaque após a aceleração de outubro. Do lado fiscal, teremos a publicação do Relatório Mensal da Dívida Pública referente a outubro e possivelmente dados da arrecadação federal. Além disso, será divulgado também o CAGED de outubro, com dados sobre a criação de empregos formais.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º na Resolução CVM 20/2021. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.