XP Expert

Como declarar Tesouro Direto: guia completo 

Independente de qual é o título que você tenha na carteira, preencher corretamente a declaração do Imposto de Renda é essencial. No caso do Tesouro Direto, a tributação é cobrada de forma regressiva e a declaração dos ganhos pode ser feita diretamente no aplicativo da Receita Federal. Confira!

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Como declarar Tesouro Direto: guia completo 

Segundo dados do Tesouro Nacional, o número de investidores cresceu 23,1% em 2022. Se você é um dos 2,1 milhões de pessoas que ativamente aplicam nos títulos do governo, chegou a hora de declarar seus investimentos em Tesouro Direto no Imposto de Renda 2024.

Além disso, os títulos preferidos dos investidores em 2023 foram aqueles atrelados à taxa Selic, com um total de R$ 28 bilhões em junho do mesmo ano, fazendo com que o produto possua a maior participação já registrada no Tesouro Direto, respondendo a 32% de todas as alocações.  

Independente de qual é o título que você tenha na carteira, preencher corretamente a declaração do IR é essencial para manter as contas em dia com o Leão e evitar dor de cabeça. E com o crescimento do número de investidores ativos no Tesouro Direto (foram quase 440 mil novos CPFs), pode ser que agora você esteja nessa lista para saber como declarar Tesouro Direto.

A seguir, vamos explicar como funciona a tributação sobre o Tesouro Direto, como ela é cobrada de forma regressiva e por que você deve continuar investindo neste ativo.

Continue a leitura para saber mais sobre:

  • Como Funciona o Imposto de Renda no Tesouro Direto
  • Tabela de tributação do IR no Tesouro Direto
  • Preciso recolher o Imposto de Renda no Tesouro Direto?
  • Como declarar Tesouro Direto no Imposto de Renda
  • Quanto é o IOF do Tesouro Direto?
  • Bônus: conheça investimentos de renda fixa isentos de IR

Como funciona o Imposto de Renda no Tesouro Direto

O Imposto de Renda no Tesouro Direto é cobrado de forma regressiva. Por isso, quanto mais tempo o seu dinheiro ficar investido, menos terá de pagar de imposto. A alíquota mínima é de 15% e ela incide somente sobre o rendimento do período, por isso você precisa ficar atento aos valores e prazos de investimentos.

Quanto mais tempo você deixar o seu dinheiro aplicado no Tesouro Direto, menor será a alíquota de IR sobre os rendimentos. Isso significa que ficar com os títulos por mais tempo pode ser vantajoso, já que o rendimento líquido aumenta.

Se por acaso você fizer uma venda antecipada do título, o tributo será calculado de acordo com o tempo de aplicação (iniciado no momento da compra). Fique atento aos títulos com juros semestrais, já que o IR do Tesouro Direto é calculado sobre o rendimento dos cupons.

Por mais que seja um investimento que não é isento de Imposto de Renda, ainda assim o Tesouro Direto é mais rentável que a poupança.

Tabela de tributação do IR no Tesouro Direto

A cobrança do Imposto de Renda do Tesouro Direto segue uma tabela regressiva, que pode ser observada abaixo. Ele será descontado automaticamente no resgate ou no vencimento dos títulos, de acordo com o prazo da aplicação.

  • 22,5% sobre o lucro em aplicações de até 180 dias
  • 20% em 15 aplicações de 181 a 360 dias
  • 17,5% em aplicações de 361 a 720 dias
  • 15% em aplicações acima de 720 dias

Fonte: Receita Federal

Portanto, para preencher a declaração de Imposto de Renda, é preciso informar o saldo e os rendimentos de cada título do Tesouro Direto. Essas informações podem ser encontradas no Informe de Rendimentos enviado pelo banco ou corretora.

Tesouro Direto paga Imposto de Renda? 

Ao investir, você precisará pagar o Imposto de Renda, de acordo com o tempo de aplicação. Mas fique tranquilo que isso não exigirá nenhuma ação da sua parte. Isso porque o Imposto de Renda do Tesouro Direto é retido diretamente na fonte.  Mas o que isso quer dizer? Na prática,  você já receberá o seu rendimento descontado do Imposto de Renda e a única coisa que você precisará fazer é preencher corretamente a sua declaração anual do IRPF.

A cobrança, no entanto, é efetivada em alguns casos específicos:

  • Vencimento do título público
  • Recebimento de cupons semestrais
  • Venda antecipada do ativo

Como declarar Tesouro Direto no Imposto de Renda

A declaração dos ganhos com Tesouro Direto pode ser feita diretamente no aplicativo da Receita Federal, seja no smartphone ou no computador.  

Para preenchê-la, primeiro você precisará do Informe de Rendimentos correspondente ao ano de exercício. Veja o passo a passo completo sobre como declarar Tesouro Direto no IR a seguir. 

Como declarar rendimentos no Tesouro Direto

Tela inicial de preenchimento no aplicativo  para declarar rendimentos sujeitos à tributação exclusiva, como os ganhos no Tesouro Direto.
  • Ao entrar no aplicativo, vá até a opção “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”.
  • Em seguida, clique em “Rendimentos de Aplicações Financeiras”.
  • Em “Beneficiário”, você deverá informar se esses rendimentos foram auferidos pelo Titular ou por Dependente
  • Preencha o “CNPJ da Fonte Pagadora”, ou seja, a instituição que faz a custódia do seu título (e que te enviou o informe relativo a ele)
  • Informe, também, o rendimento pago ou creditado nesse mesmo período, conforme Informe de rendimentos que você recebeu da sua corretora
  • Especifique cada ativo, e lembre-se de reportá-los em separado, caso invista por diferentes corretoras.

Como declarar o saldo no Tesouro Direto

Para o Imposto de Renda, é preciso declarar, ainda, o valor de custo dos títulos do Tesouro Direto e o saldo total em Títulos que você possui no ano-calendário. Este é o caminho para preencher:

  • Acesse a aba “Bens e Direitos” no menu do programa da Receita Federal.
  • Clique em ‘Novo’ ou selecione o título caso tenha salvo do ano anterior.
  • Selecione Grupo: 04 – Aplicações e Investimentos.
  • Selecione Código: 02 – Títulos públicos e privados sujeitos à tributação (Tesouro Direto, CDB, RDB).

Quanto é o IOF do Tesouro Direto?

Além da cobrança de Imposto de Renda, os investimentos em Tesouro Direto também podem ter descontos de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Assim como no caso do IR, o IOF é calculado tendo como base os rendimentos do período. A principal diferença entre os dois tributos é que o IOF incide somente nos primeiros trinta dias da aplicação.

Como exemplo, se você aplicar R$ 1000 no Tesouro Prefixado e resolver resgatar sua aplicação no dia 20º, com um rendimento de R$ 20 a cobrança do IOF será de 33%, isto é, um valor de R$ 13,40 sobre seus rendimentos. 

Na tabela a seguir, a coluna % demonstra sobre que parte do seu investimento será calculado o IOF (por exemplo, no 9° dia após o investimento, o IOF incidirá sobre, no máximo, 70% dos rendimentos no período):

Tabela apresenta percentuais de IOF que são cobrados de acordo com o período de aplicação

Como você deve ter percebido, caso mantenha o investimento por mais de 30 dias, seus rendimentos não terão a incidência do IOF.

Evite dívidas com a Receita. Baixe agora o e-book Imposto de Renda 2024 e saiba como declarar!

Conclusão 

Já que o Imposto de Renda do Tesouro Direto é cobrado de forma regressiva, esse tipo de investimento costuma ser recomendado para investimentos de médio e longo prazo

Para quem não quer ter trabalho com o pagamento de impostos, a vantagem do IR nesse caso é o fato de que ele é retido na fonte. 

Sendo assim, resta ao investidor colocar as informações corretamente na declaração de Imposto de Renda no Tesouro Direto dentro do prazo para evitar problemas com a Receita Federal. 

Para  mais informações sobre como declarar outros ativos no Imposto de Renda, leia também: 

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

Você está na trilha:

Imposto de Renda: Como declarar seus investimentos

Total relatórios

Aprenda Investir - Leitura recomendada

19 relatórios

Duração total

Aprenda Investir - Duração total

127 minutos de leitura

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.