Radar Energia XP | 20/10

Criamos este relatório com notícias do setor de energia que complementam nossos comentários publicados no Morning Call.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre os principais assuntos, tendências e companhias que formam o setor. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo que tem impactos diretos ou indiretos no setor; e (ii) Nossos últimos relatórios publicados.

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!

Elétricas e Saneamento

Eletrobras investirá R$ 6,7 bi na revitalização de bacias hidrográficas e navegabilidade
A Eletrobras investirá R$ 6,7 bilhões para a revitalização de bacias hidrográficas e navegabilidade, dentro do escopo do projeto de capitalização da companhia. Serão beneficiadas as bacias hidrográficas dos rios São Francisco, Madeira, Tocantins e Parnaíba, no reservatório de Furnas e na navegabilidade fluvial de Furnas. (Valor Econômico)

Investidor reage bem ao plano de reorganização da Cesp
O mercado recebeu bem o plano do grupo Votorantim e do CPP Investments, braço de investimentos do fundo de pensão canadense CPPIB, para a criação uma nova gigante elétrica, incorporando integralmente a Companhia Energética de São Paulo (Cesp). Papéis da geradora encerraram o pregão de ontem da B3 em alta de 1,36%, a R$ 24,63, num dia de queda de mais de 3% do Ibovespa. (Valor Econômico)

Cesp: Reorganização é oportunidade para diversificar fontes de energia, dizem bancos
Caso a proposta seja aprovada, a Cesp vai reduzir sua exposição à hidrologia, além de diminuir a sazonalidade na produção, uma vez que energia hídrica e eólica são fontes complementares. (Valor Econômico)

Eletrobras: modelagem aprovada prevê oferta primária de R$ 23,2 bi
O Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos aprovou em reunião extraordinária nesta terça-feira, 19 de novembro, resolução que trata da modelagem da privatização da Eletrobras. O processo envolve uma operação de aumento de capital, por meio de uma oferta primária de ações com valor de referência de R$ 23,2 bilhões, equivalentes à parcela da outorga que irá para o caixa do Tesouro. (Canal Energia)

Ministério de Minas e Energia trabalha “firmemente” para capitalização da Eletrobras no 1º tri de 2022, diz secretária-executiva
“Todas as etapas que havíamos planejado desde a promulgação da lei pelo presidente [Jair Bolsonaro] estão sendo cumpridas rigorosamente”, disse ela, durante entrevista coletiva sobre a aprovação da modelagem da capitalização da companhia. (Valor Econômico)

MME prevê venda da Eletrobras no início de 22
O governo considera que a capitalização da Eletrobras será realizada no primeiro trimestre de 2022. Foi o que afirmou ontem a secretária-executiva do Ministério de Minas e Energia (MME), Marisete Pereira. Governo trabalha com cenário de oferta primária de ações no valor de outorga de R$ 23,2 bilhões. (Valor Econômico)

Enel SP vai desenvolver piloto para ordenamento de cabos em postes
A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou em reunião realizada nesta terça-feira, 19 de outubro, o desenvolvimento de um projeto piloto proposto pela Enel São Paulo para estudar mecanismo de auxílio na regularização da desordem do atual cenário da ocupação dos postes, com a criação de uma rede neutra. (Canal Energia)

EDP Brasil vende três projetos de transmissão para Actis avaliados em R$ 1,3 bilhão
A EDP Brasil assinou com uma empresa detida pela Actis um contrato para venda de 100% do capital de três ativos de transmissão de energia. Segundo o comunicado divulgado pela elétrica, o valor (enterprise value) é de R$ 1,33 bilhões, referente à data-base de março de 2021. Ao todo, os empreendimentos somam 439 quilômetros de linhas e R$ 131 milhões de receita anual permitida (RAP). (Valor Econômico)

AES investe em projeções climáticas
A AES Brasil está investindo R$ 2,4 milhões em tecnologia para prever a influência do comportamento climático do país para a geração de energia eólica e solar, nos próximos 30 anos. Projeto desenvolvido com as empresas WayCarbon e Enacom. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$84,19/Barril -1,05%

CÂMBIO

R$5,59/USD +1,33%

Senado aprova projeto que cria vale-gás; texto vai para Câmara
O plenário do Senado aprovou hoje, por 76 votos a um, a criação do programa Gás dos Brasileiros, que visa instituir subsídio para famílias de baixa renda na compra do botijão de GLP, o gás de cozinha, por cinco anos. O projeto vai na contramão das negociações capitaneadas pela equipe econômica, que defende o incremento do programa Bolsa Família como forma de minimizar a escalada de preços do produto. Os cálculos apontam para um impacto de aproximadamente R$ 4 bilhões para os cofres da União. O texto segue agora para a Câmara dos Deputados, que dará a palavra final sobre o assunto. (Valor Econômico)

No fechamento do petróleo, WTI tem maior preço desde 2014 e Brent desde 2018
O preço do petróleo passou o dia oscilando entre altos e baixos, mas terminou a sessão desta terça-feira (19) com ganhos, em meio ao noticiário sobre a oferta de gás natural da Rússia para a Europa. O contrato WTI, a referência americana, voltou a atingir seu maior valor desde outubro de 2014, enquanto o Brent, a referência global, alcançou o maior preço desde outubro de 2018. Brent terminaram o dia em alta de 0,89%, a US$ 85,08 por barril, enquanto os preços dos contratos para novembro do WTI subiram 0,63%, a US$ 82,96 o barril. (Valor Econômico)

Instituto defende preços livres para os combustíveis no Brasil
Em meio à pressão de caminhoneiros que prometem greve contra a alta do diesel e após o presidente Jair Bolsonaro declarar que vai que atacar os reajustes do combustível, o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) defendeu ontem a liberdade de preços dos combustíveis no país. O argumento é que essa é a forma de promover competição, atração de investimentos e garantir o abastecimento nacional no curto e longo prazos. (Valor Econômico)

Indústria naval defende imposto de carbono para financiar novos combustíveis
Às vésperas da COP26, o setor marítimo internacional corre para criar seu próprio sistema para contabilizar emissões e custear despesas com a descarbonização. O transporte marítimo encara um dilema semelhante ao da aviação internacional: precisa de novos combustíveis para descarbonizar e não se enquadra nas estruturas nacionais de contabilização de emissões de gases de efeito estufa. (epbr)

Planos de produção de combustíveis ignoram Acordo de Paris
Os governos ainda planejam produzir em 2030 mais do dobro da quantidade de combustíveis fósseis do que seria consistente com a meta de limitar o aquecimento global a 1,5°C neste século. Esta é a principal mensagem do relatório Production Gap Report, estudo que foi feito pela primeira vez em 2019 pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e outras entidades como o Stockholm Environment Institute (SEI) e o think tank International Institute for Sustainable Development (IISD). (Valor Econômico)

Preços do gás na Europa aumentam com a Gazprom acertando esperanças de abastecimento
A Gazprom da Rússia diminuiu as esperanças de exportações adicionais de gás para a Europa no mês que vem, à medida que o continente enfrenta preços recordes, apesar das recentes sugestões do presidente Vladimir Putin de que mais poderia vir. Os contratos de novembro para entrega saltam 18% depois que o leilão de capacidade não mostrou aumento da Rússia. (Financial Times)

Petrobras não garante demanda atípica das distribuidoras para novembro
Em comunicado ao mercado, a Petrobras informou que está operando suas refinarias com um fator de utilização (FUT) de 90% no acumulado de outubro. A companhia ressaltou que o FUT de seu parque de refino no 1º semestre de 2021 foi de 79%, “em linha com a média de 2020 e superior ao registrado em 2019 (77%) e 2018 (76%)”. (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.