Petrobras (PETR4): Afinal, quanto valem as refinarias da Petrobras?

Neste relatório, revisamos totalmente nossas estimativas de valores potenciais de venda das refinarias remanescentes no plano de venda de ativos da Petrobras. Saiba mais:


Compartilhar:


É preciso rediscutir quanto valem as refinarias da Petrobras

Na semana passada, a mídia local (O Estado de São Paulo) mencionou que o Tribunal de Contas da União (TCU) está analisando se vai suspender a venda da refinaria Landulpho Alves da Petrobras (RLAM, localizada no estado da Bahia) ao fundo de investimento Mubadala.

De acordo com a notícia, o Tribunal de Contas questiona o valor da transação de US$ 1,65 bilhão, que ficou abaixo das próprias estimativas internas da Petrobras de US$ 3,04 bilhões. A transação foi concluída em 8 de fevereiro e o Conselho da Petrobras aprovou a transação em 24 de março.

Com essas recentes discussões em torno do desinvestimento da RLAM, investigamos quais podem ter sido os fatores que acarretaram um valor de venda menor do que o esperado pelo ativo, e que também poderiam impactar o valor das demais refinarias à venda.

Além disso, com base nos fatores que investigamos, revisamos totalmente nossas estimativas de valores potenciais de venda das refinarias remanescentes no plano de venda de ativos da Petrobras.

Por outro lado, concluímos nesse relatório que é extremamente importante que a Petrobras consiga concluir o desinvestimento de parte do seu portfólio de refinarias, e que a venda da RLAM não seja suspensa. Em nossa visão, a venda de tais ativos é de extrema importância para viabilizar os investimentos que serão necessários para evitar uma situação de desabastecimento de derivados de petróleo no Brasil na próxima década.

Mantemos recomendação de Venda nas ações da Petrobras, com preços-alvo de R$24/ação para PETR4 e PETR3.

Quais são os fatores que podem ter impactado o preço da RLAM, e que poderiam afetar as outras refinarias da Petrobras à venda?

Como observamos em nosso relatório de 08 de fevereiro de 2021, o valor final da transação da RLAM de US$1,65 bilhão ficou abaixo de nossas expectativas. Em nossas estimativas à época, estimamos um múltiplo implícito de 3,1x EV / EBITDA para a venda do ativo, abaixo da média histórica de múltiplos que a Petrobras negocia de 5,5x (e 4,9x atualmente).

No entanto, ao reexaminarmos a transação com mais cautela, tanto do ponto de vista de contexto de mercado (global e local) como características da própria refinaria, acreditamos que o valor final de venda possa ter refletido os seguintes fatores:

  1. Múltiplos de refinarias globais. Apesar do valor estratégico de uma refinaria em um país como o Brasil, que tem capacidade limitada de produção de derivados de petróleo para atender sua própria demanda interna, normalmente é difícil que haja um descolamento dos múltiplos de transação em relação a referências globais de empresas comparáveis listadas em bolsa. Nesse sentido, quando olhamos para as maiores empresas de refino listadas nos EUA (Valero, Philips 66, HollyFrontier Corporation e Marathon Petroleum Corporation), notamos que as suas ações negociaram historicamente na faixa de múltiplos de 5,0x-7,0x EV / EBITDA nos últimos 5 anos;
  2. Múltiplos de ativos em mercados emergentes (EM) normalmente apresentam um desconto em relação a mercados desenvolvidos (DM). Dado o maior risco de se investir em ativos em Mercados Emergentes (EM, sigla em inglês para Emerging Markets) é comum que as transações e empresas listadas em tais mercados impliquem um desconto para os mercados dos países desenvolvidos (DM, sigla em inglês para Developed Markets), e esse seria o caso do Brasil. Notamos que não estamos ainda abordando questões específicas de um determinado país que possa causar impactos adicionais sobre a percepção de risco de investidores.
    • Em nossa opinião, uma forma de incorporar tal fator nas avaliações é ajustar os múltiplos de ativos de países desenvolvidos comparáveis (como os pares de refino mencionados acima) para o risco país (CDS) do mercado da transação (detalhado na equação abaixo). Ao ajustar o intervalo EV / EBITDA acima mencionado para o CDS médio de 5 anos do Brasil nos últimos 5 anos (210 pontos base), isso implicaria em um intervalo múltiplo EV / EBITDA “ajustado” entre 4,5x e 6,1x. Explicamos nossos cálculos nas figuras a seguir:
  1. Riscos específicos do mercado brasileiro. Acreditamos que investidores potencialmente interessados ​​nas refinarias da Petrobras podem atribuir um prêmio de risco mais alto (ou um desconto do valor total de aquisição) ao apresentarem suas propostas devido a riscos específicos do mercado brasileiro. A razão por trás dessa visão é que a manutenção de preços domésticos de combustíveis alinhados às mudanças nos preços do petróleo bruto e câmbio é um fenômeno muito recente no Brasil, tendo começado pela primeira vez durante a gestão do Sr. Pedro Parente como CEO da Petrobras em 2016. E nossos leitores certamente se recordarão que a prática de uma política de preços alinhada com referências internacionais de preços de petróleo e câmbio não ocorreu sem seus percalços, conforme observado tanto na Greve dos Caminhoneiros de maio de 2018, como nos eventos recentes de fevereiro de 2021 que culminaram na substituição do Sr. Roberto Castello Branco como CEO da Petrobras.
    • Dadas as incertezas associadas à operação de uma refinaria no mercado brasileiro, acreditamos que é justo assumir um desconto adicional para as refinarias da Petrobras, que assumimos em -10%. Se aplicarmos esse desconto aos Múltiplos já justados pelo risco-país mencionados anteriormente, isso implicaria em um intervalo EV / EBITDA entre 4,1x e 5,5x.
  1. A idade da refinaria importa. Acreditamos que o tempo de operação de uma refinaria da Petrobras pode afetar valores finais da venda do ativo, tendo em vista que ativos mais antigos podem demandar maiores investimentos para substituição de equipamentos e manutenção pelo novo operador.  Nesse sentido, cabe ressaltar que a RLAM é a refinaria mais antiga do Brasil, com sua data de inauguração (1950) sendo anterior até mesmo à fundação da própria Petrobras (1953).
  1. Qual é o status atual de operação das refinarias? Finalmente, acreditamos que os investidores potencialmente interessados em adquirir as refinarias da Petrobras deverão assumir as condições atuais de operação dos ativos, e não incorporar em suas premissas melhorias operacionais de modo a melhorar o seu risco-retorno em suas propostas. Em nossa modelagem anterior para o valor de venda potencial das refinarias da Petrobras, embutíamos premissas de melhoria das operações em nossas estimativas, como normalmente é o caso em operações de fusões e aquisições (M&A). Nesse sentido, citamos as seguintes variáveis que podem ter sido afetadas em relação a nossas expectativas anteriores:
    • Fatores de utilização de capacidade das refinarias;
    • Margens brutas de refino (receita menos custo variável de operação, principalmente aquisição de petróleo);
    • Premissas de custos de operação (pessoal e administrativo).

Nossas novas estimativas para as refinarias da Petrobras à venda

Após enumerarmos quais podem ter sido os fatores que implicaram um valor de venda menor do que o esperado para a refinaria RLAM, revisamos totalmente nossa modelagem para o valor potencial de venda desses ativos, incluindo a própria refinaria RLAM de modo a verificar o valor final de venda de US$1,65 bilhão:

Nossas novas premissas são:

  • Alteramos nossa metodologia de definição do valor final para as refinarias para uma abordagem por múltiplos (EV / EBITDA) no lugar de Fluxo de Caixa Descontado (DCF) anteriormente, de modo a permitir uma melhor comparação com pares globais do setor de refino como também refletir uma abordagem mais conservadora no que diz respeito às perspectivas de longo prazo;
  • Assumimos uma faixa de múltiplos EV / EBITDA entre 4,1x e 5,5x, refletindo os múltiplos de negociação de pares globais de refino e com ajustes relacionados tanto ao risco-país quanto a fatores específicos relacionados ao mercado brasileiro, conforme detalhado na seção anterior;
  • Assumimos taxas de utilização da capacidade das refinarias de 80%, em linha com os níveis atuais do parque de refino da Petrobras. Anteriormente assumíamos 90%;
  • Assumimos margens brutas de refino de US$ 8 / barril, abaixo do nível de US$ 9,5 / barril reportados pela Petrobras durante 2018-19, períodos em que a política doméstica de preços de combustíveis da empresa foi aplicada sem maiores complicações (expurgando, é claro, os efeitos da greve dos caminhoneiros de maio de 2018);
  • Níveis de custos de operação (pessoal e administrativo) de US$ 3,5 / barril, em linha com a média reportada pela Petrobras desde 2016. Anteriormente, assumíamos uma redução de -20% destes custos para o patamar de US$2,8/barril;

Ressaltamos que os valores finais para as refinarias da Petrobras à venda podem diferir de nossas expectativas devido a outros fatores, tais como:

  1. Necessidades de investimentos adicionais específicos que uma refinaria pode exigir devido à defasagem de tecnologia ou necessidades de manutenção (que acreditamos ser o caso de RLAM dado que a refinaria foi construída há 70 anos);
  2. O mix da produção de uma refinaria, o que pode implicar diferentes margens brutas em relação às nossas estimativas (tendo em vista que diferentes derivados de petróleo possuem diferentes margens em relação à commodity);
  3. Condições logísticas e de mercado específicas da região onde está localizada a refinaria, e;
  4. Disciplina de alocação de capital da empresa interessada em adquirir algum dos ativos.

Para fins ilustrativos, ao realizarmos um teste de nossa modelagem sob novas premissas para a refinaria RLAM, estimamos valores entre US$ 1,58 bilhão e US$ 2,13 bilhões para o ativo, que englobam o valor final de transação de US$1,65 bilhão apresentado pelo fundo Mubadala.

De acordo com nossas premissas revisadas, estimamos um valor total entre US$ 3,53 bilhões-US$ 4,77 bilhões para as refinarias da Petrobras à venda, implicando um valor por ação potencial entre R$0,98/ação e R$1,33/ação (4,1% a 5,5% do valor de mercado atual da companhia) uma redução da Dívida Líquida / EBITDA entre (0,08)x e (0,11)x ante o nível de 2,22x reportado pela empresa no 4T20.

Menores valores de venda para as refinarias da Petrobras quer dizer que elas não devam ser vendidas? Não!

Apesar da redução em nossas estimativas para os valores de venda das refinarias da Petrobras (estimávamos de US$ 7,9 bilhões a US$ 10,5 bilhões, já excluindo a RLAM), destacamos que a importância do processo de venda das refinarias da Petrobras vai muito além dos benefícios para a empresa e seus acionistas, como em termos de redução de endividamento e maior capacidade de distribuição de dividendos.

Em nossa opinião, a venda das refinarias da Petrobras e a consequente redução da capacidade da estatal de formação de preços em todo o território nacional tem um significado muito maior do ponto de vista de segurança energética do Brasil no futuro. A razão por trás dessa visão é que o Brasil exigirá maiores investimentos para aumentar a capacidade local de abastecimento de combustíveis e derivados de petróleo, a fim de se evitar uma situação de escassez local de tais produtos ao longo da próxima década.

Com base em nossas estimativas, o Brasil pode enfrentar escassez interna de 400 mil barris ao dia de produtos derivados de petróleo até o final da presente década de 2020-2030 (podendo ser mais cedo, a depender do crescimento da economia) devido à falta de capacidade de refino e de terminais portuários de importação de combustíveis.

Em nossa opinião, existem duas alternativas potenciais (não mutuamente excludentes) para se evitar este cenário: (1) US$ 8,0-US$ 9,0 bilhões em investimentos em capacidade adicional de refino ou (2) US$ 2,0-US$ 3,0 bilhões em investimentos em capacidade adicional de terminais de importação.

No entanto, é fundamental que as condições do mercado local se tornem mais previsíveis a fim de viabilizar tais investimentos pelo setor privado. E um dos principais fatores de previsibilidade é a dinâmica local de preços de combustíveis. Por isso, é fundamental que a Petrobras conclua o processo de desinvestimento de 50% de sua capacidade de refino, para que a empresa perca seus poderes de monopólio e determinação de preços de combustíveis em todo o território brasileiro.

Concluída essa etapa, a flutuação dos preços dos combustíveis de acordo com as variações dos preços do petróleo e do câmbio deixaria de ser uma escolha administrativa adotada pela Petrobras (por mais que seja protegida por seu Estatuto), mas sim uma característica estrutural do mercado brasileiro, reduzindo assim a percepção de risco dos investidores privados para a realização de futuros investimentos na cadeia de produção e logística de derivados de petróleo.

É também por isso que consideraríamos que é essencial que a venda da RLAM para o fundo de investimentos Mubadala seja aprovada apesar de qualquer eventual desapontamento em relação ao valor final da transação. Do contrário, será um grande revés não só para a Petrobras, mas também para a segurança energética do Brasil.

Mantemos recomendação de Venda nas ações da Petrobras, com preços-alvo de R$24/ação para PETR4 e PETR3.

Apêndice 1: Principais detalhes sobre as refinarias da Petrobras à venda

Apêndice 2: Evolução dos múltiplos históricos (EV / EBITDA) de empresas globais do segmento de refino

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.