XP Expert

XP Morning Call 30/01/2019: Vale continua em foco; Destaque para a reunião do Fed hoje

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Bolsonaro volta à presidência; Foco continua nas eleições do Congresso
  2. Governo quer arrecadar até US$ 30 bi com privatizações

Internacional

  1. EUA e China iniciam hoje o primeiro de dois dias de negociações comerciais
  2. Parlamento britânico autoriza Theresa May a renegociar o acordo do Brexit

Empresas

  1. Vale (VALE3): Plano de ação anunciado
  2. Santander (SANB11): Lucro em linha no 4T18. Serviços e alíquota compensam maiores provisões
  3. Petrobras (PETR4): Avançam negociações para venda da Braskem

COE News

  1. Apple: Resultados abaixo das expectativas de mercado no 4T18, mas melhor do que se temia

Resumo

Vale continua em foco; Destaque para a reunião do Fed hoje

Os mercados operam em leve alta nesta manhã, com Ásia fechando no zero a zero e Europa subindo 1%. Mineradoras sobem 1,5% após anúncio da Vale de que poderia remover até 40mt do mercado (detalhes abaixo), petróleo estável em US$ 61,5.
 
Destaque hoje para reunião do Banco Central Americano (Fed). A expectativa é que mantenha os juros estáveis e sinalize pausa no seu processo de alta das taxas de juros. A dúvida é se o Fed sinalizará uma interrupção do seu processo de redução de balanço, pelo menos em algum momento deste ano – processo de venda de títulos do governo que estão no seu ativo.
 
Os EUA e a China iniciarão hoje o primeiro de dois dias de conversas visando encontrar uma solução para a guerra comercial. O secretário do Tesouro Americano disse ontem que espera progressos significativos, porém fontes dizem que ambos lados permanecem distantes em questões-chave.
 
No Reino Unido, em uma série de votos na noite de terça-feira, o parlamento britânico deu mandato à primeira ministra Theresa May para renegociar o acordo do Brexit com a União Europeia, pedindo garantia de que não haja fronteira física entre a Irlanda e Irlanda do Norte.
 
As ações da Apple sobem 5% ao longo da noite, após resultados virem melhor do que se temia. Lembrando que na primeira semana de janeiro os dirigentes da companhia sinalizaram forte queda na receita, que levou a correção de 10% das ações naquele dia.
 
No Brasil, Rodrigo Maia se posiciona como claro favorito a eleição da Câmara, enquanto que Renan Calheiros ganha força para o Senado. MDB deve decidir até amanhã quem será o candidato à presidência do Senado (Calheiros ou Tebet).
 
Do lado das empresas, Vale anuncia plano de segurança de barragens em reação à tragédia de Brumadinho, conforme detalhamos ontem à noite. As ações subiram 5,5% no pós-market nos EUA, e esperamos reação positiva aqui hoje. Destaque para o minério, com o futuro acumulando alta de 10% ao longo dos últimos 2 dias.
 
O Santander reportou lucro líquido em linha com o esperado no 4Q18, fechando um grande 2018. Entretanto, a qualidade dos resultados apresentou leve deterioração. Por último, segundo o Valor Econômico, as negociações para a venda da Braskem à LyondellBasell avançaram nas últimas semanas. Se confirmado, veríamos a notícia como positiva para a Petrobras.


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Bolsonaro volta à presidência; Foco continua nas eleições do Congresso

  • O noticiário doméstico hoje segue sem grandes destaques, com o retorno de Bolsonaro ao mandato após cirurgia;
  • Além disso, a disputa no MDB do Senado causa adiamento da decisão da bancada, que agora vai decidir no dia 31 quem será o candidato pelo partido à presidência da casa.

Governo quer arrecadar até US$ 30 bi com privatizações

  • O secretário especial de privatizações e desinvestimento Salim Mattar, em evento realizado ontem, reforçou que o governo espera arrecadar entre US$ 25 bilhões e US$ 30 bilhões com privatizações de estatais até o final deste ano; 
  • De acordo com Mattar, a expectativa é que ao final do governo somente Petrobras, Caixa Econômica Federal (CEF) e Banco do Brasil continuem como estatais e, mesmo assim, mais enxutos; 
  • Além disso, reforçou que o braço de investimento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o BNDESpar, deverá ser extinto, e as ações em sua carteira vendidas.

Internacional

EUA e China iniciam hoje o primeiro de dois dias de negociações comerciais

  • De acordo com a Bloomberg, os EUA e a China iniciarão hoje (quarta-feira) o primeiro de dois dias de conversas visando encontrar uma solução para a guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo;
  • O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, que continua sendo o defensor mais proeminente de um acordo no governo Trump, disse na terça-feira à Fox Business Network que espera “progressos significativos” nas negociações desta semana. No entanto, funcionários do governo e outras pessoas familiarizadas com o assunto dizem que os dois lados permanecem distantes de questões-chave, com o lado americano ainda envolvido em um debate interno sobre como proceder e mal preparado para as reuniões desta semana. A revelação nesta semana de acusações criminais contra a gigante corporativa Huawei Technologies Co. não está ajudando o clima; 
  • Pessoas familiarizadas com as discussões internas dos EUA dizem que Trump parece querer fazer um acordo. As apostas continuam altas antes do prazo de 1 de março. Se as conversações falharem, os EUA podem elevar as tarifas de US$ 200 bilhões em importações da China para 25%, de 10%, um resultado que nenhuma das partes está disposta a ver acontecer.

Parlamento britânico autoriza Theresa May a renegociar o acordo do Brexit

  • No Reino Unido, em uma série de votos na noite de terça-feira, o parlamento britânico deu mandato à primeira ministra Theresa May para renegociar o acordo do Brexit com a União Europeia, com garantia de que não haja fronteira física entre a Irlanda e Irlanda do Norte;
  • A questão da fronteira com a Irlanda é o que está impedindo o avanço do acordo do Brexit e o parlamento exige que não exista fronteira física entre os dois países. Porém pelo lado positivo, a Theresa May prometeu que até 13 de fevereiro irá apresentar um acordo com mudanças relevantes em relação a esse entrave.

Empresa

Vale (VALE3): Plano de ação anunciado 

  • O CEO da Vale, Fabio Schvartsman, apresentou ontem à noite o plano de segurança de barragens em reação à tragédia de Brumadinho, com o anúncio do descomissionamento das 10 barragens de rejeitos a montante, mesmo método construtivo de Brumadinho e Mariana, que ainda permanecem em suas operações; 
  • O plano terá investimento de R$ 5 bilhões e levará a redução na produção anual da Vale de minério de ferro em 40mt e de pelotas em 11mt durante o período de descomissionamento (1-3 anos). Vale a pena ressaltar que essa redução na produção de minério pode ser compensada pelo aumento em outros sistemas produtivos da companhia. Por outro lado, a quantidade de pelota deve de fato ser perdida. Assim sendo, a Vale poderia manter a produção total de minério de ferro (finos + pelotas) estável em ~400mt, mas com um mix de produção um pouco pior sem poder processar essas 11mt de pelota, que tem margem maior;
  • O foco da Vale, assim como das autoridades, está em socorrer e assistir a todos os atingidos, sem medir recursos. Com esse anúncio, a empresa busca eliminar o risco de futuros eventos semelhantes aos de Brumadinho e Mariana. Nossas orações estão com as vítimas, suas famílias e a população de Minas Gerais;
  • Em nossa visão, a queda no preço das ações da Vale em ~24% nos últimos dois dias parece já refletir parte relevante dos riscos. Portanto, mantemos nossa recomendação inalterada em Compra, com preço alvo de R$ 66/ação. Em relatório publicado ontem, damos mais detalhes sobre o plano, além de quantificar qual o impacto financeiro advindo do mesmo. Clique aqui para acessar.

Santander (SANB11): Lucro em linha no 4T18. Serviços e alíquota compensam maiores provisões

  • O Santander acaba de divulgar os resultados do 4T18, com lucro líquido de R$ 3,4 bilhões levemente acima das estimativas da XP e consenso, crescendo 9,5% no tri e 24,6% no ano. As receitas de serviços foram o destaque positivo, enquanto as maiores despesas com provisões e administrativas se destacaram negativamente. A menor alíquota efetiva de IR no período, 22,7% contra 36,4% no 3T18, também contribuiu para o lucro líquido;
  • As receitas de serviços cresceram 14,3% em relação ao 3T18, principalmente devido à sazonalidade em adquirência e seguros e também uma atividade mais intensa em corretagem e mercado de capitais. As provisões aumentaram 14% em relação ao trimestre anterior, devido a um efeito de avaliação de ativos no período que deve ser esclarecido na conferência. Em relação às despesas gerais, a expansão de 9,3% foi influenciada por serviços de terceiros e esforços sazonais de marketing;
  • Outros destaques foram: (1) a margem financeira bruta cresceu 1,1% na comparação trimestral, com a parcela de crédito expandindo 1,9% e a parcela de tesouraria/captação crescendo 1,5%; (2) Os spreads de empréstimos foram mantidos constantes no tri em 9,7%; (3) A carteira de crédito cresceu 2,3%, impulsionada por pessoas físicas (+5,8%) e financiamento ao consumo (+5,9%) e (4) índice de inadimplência 0,2% maior, atingindo 3,1% e também influenciado por pessoas físicas;
  • O Santander apresentou excelentes resultados ao longo de 2018, com ROE atingindo 19,9% vs 16,9% em 2017 e melhorias em quase todos os aspectos financeiros. Em relação ao 4T18, observamos uma leve deterioração na qualidade e recorrência, uma vez que os fatores sazonais e a alíquota de imposto compensaram a expansão das provisões. Esperamos que o banco tenha um bom desempenho em 2019, mas a concorrência deve finalmente recuperar o atraso. Mantemos nossa Recomendação Neutra e Preço-Alvo de R$ 52,00.

Petrobras (PETR4): Avançam negociações para venda da Braskem

  • Segundo o Valor Econômico, as negociações para a venda da Braskem à LyondellBasell avançaram nas últimas semanas após maior clareza de que a Petrobras planeja vender sua participação;
  • De acordo com o jornal, a superação de entraves operacionais, como o equacionamento de um contrato de suprimento de nafta, e maior clareza da nova gestão da Petrobras teriam permitido a retomada de conversas entre a petroquímica holandesa e a Odebrecht;
  • Se confirmado, veríamos a notícia como positiva para a Petrobras, com a Braskem podendo representar 7,2% a 9,9% do programa de venda de ativos de US$ 26,9 bilhões.

Cresce preocupações sobre embaixada do Brasil em Israel

  • Segundo o Valor Econômico, cresce preocupações sobre as exportações do Brasil à Arabia Saudita com a eventual mudança da embaixada do Brasil de Tel-Aviv para Jerusalém; 
  • Khaled Hanafi, secretário-geral da União das Câmaras Árabes de Comércio, alerta que a mudança é uma ameaça concreta às exportações brasileiras e ao potencial de ampliação do comércio entre o Brasil e os países árabes; 
  • Hanafi estará em Brasília nesta semana onde se reunirá com a Ministra Tereza Cristina em busca de sensibilização sobre os riscos comerciais de uma eventual mudança, que poderia impactar as exportações dos frigoríficos brasileiros. Lembrando que o mercado Halal representa 24% da receita da BRF.

COE News

Apple: Resultados abaixo das expectativas de mercado no 4T18, mas melhor do que se temia

  • As ações da Apple sobem 5% ao longo da noite, após divulgação dos resultados do 4T18 abaixo das expectativas de mercado, mas melhor do que se temia. Lembrando que na primeira semana de janeiro os dirigentes da empresa sinalizaram forte queda nas receitas, que levou a correção de 10% no dia. No geral, as receitas com venda de iPhone caíram 15% no ano contra ano, atingindo US$ 84,3bi, enquanto outros produtos e serviços apresentaram crescimento de 19%. Já o lucro atingiu US$ 19,9bi, número ligeiramente abaixo no ano contra ano, com destaque para o impacto positivo do incentivo fiscal nos EUA assinado no final de 2017. Adicionalmente, os dirigentes revisaram negativamente as projeções de receitas para o 1T19, podendo atingir US$ 55bi, número 8% abaixo do consenso de mercado;
  • O atual momento representa uma mudança sem precedentes na era da gestão do presidente Tim Cook, que foi motivada por uma queda nas vendas de iPhones na China, 20% das receitas. Tal desaceleração pode ser atribuída ao (i) insucesso do aparelho mais econômico (XR), (ii) atingimento do pico de vendas de smartphones no mundo e (iii) preços elevados quando comparados aos concorrentes, como Huawei Technologies Co. e Xiaomi Corp, que oferecem aparelhos mais baratos e com relevante nível tecnológico;
  • Destaque para o desafio da empresa em conseguir acelerar a diversificação de receitas através da venda de outros aparelhos como o Apple Watch, e segmento de serviços como App Store e novos inscritos no Apple Music. O total de aparelhos ativos aumentou 8% em 2018, atingindo 1,4bi, número abaixo do crescimento apresentado nos últimos 3 anos. A grande aposta de Cook tem sido em torno do Apple Watch, ao dar um grande passo para transformar o aparelho em um dispositivo médico, adicionando novas aplicações de monitoramento cardíaco e detecção de quedas, alavancando as vendas do produto.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.