XP Morning Call 10/07: Votação da Reforma da Previdência se aproxima

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

access_time 10/07/2019 - 09:27
format_align_left 14 minutos e 35 segundos de leitura
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Primeiros placares da reforma da previdência
  2. IPCA deve apresentar leve deflação em junho

Internacional

  1. Dados de produção industrial na Europa vêm acima da expectativa em maio, mas relatório da comissão europeia renova ceticismo com crescimento em 2020
  2. Petróleo sobe no relatório da API sobre os levantamentos de ações
  3. Ministro da Fazenda do México renuncia em meio a diferenças com o presidente

Empresas

  1. Vale (VALE3): Condenação por colapso de barragem em Brumadinho pela justiça de MG; Manutenção dos R$11bi bloqueados 
  2. Vale (VALE3): Cade aprova compra da Ferrous Resources
  3. Companhias Aéreas: Leilão da Avianca acontece hoje, apesar de alguns slots já terem sido redistribuídos


IBOVESPA +0,42% | 100.202 Pontos

CÂMBIO -2% | 3,80/USD

Votação da Reforma da Previdência se aproxima

A Reforma da Previdência segue em destaque e avançando, com os primeiros placares na sessão da Câmara dos deputados ontem, o que mantém um ambiente positivo para bolsa e apetite a risco no curto prazo.
 
Com feriado apenas em São Paulo, os parlamentares rejeitaram requerimento da oposição por 331 a 117 no início da noite e já na madrugada aprovaram o encerramento da discussão por 353 a 118. São necessários 308 votos para aprovar a reforma da previdência.
 
Rodrigo Maia convocou sessão para hoje às 9h mas os procedimentos devem começar a avançar apenas por volta das 11h. Um líder com quem conversamos disse esperar que a votação do texto base da reforma possa ocorrer já a tarde. O calendário ainda prevê a apreciação dos destaques amanhã e uma votação na sexta-feira para permitir que a reforma seja votada em segundo turno na semana que vem, o que seria muito bem recebido pelo mercado.
 
Por fim, a Reforma Tributária começa também a avançar, apesar de se ser um assunto mais para agosto. O Senado decidiu abraçar a proposta do ex-deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) no mesmo dia em que a Câmara aprovou a criação da comissão especial para debater um outro projeto que tem como base a proposta de Bernard Appy.
 
No internacional, futuros nos EUA em queda nesta manhã de quarta-feira, enquanto o discurso do Presidente do Banco Central americano (Fed), Jerome Powell, é aguardado para mais tarde, juntamente com a ata da última reunião do FOMC (Comitê de Política Monetária).
 
Não se espera que Powell seja explicitamente contra as expectativas do mercado para um corte de 0,25% na taxa de juros, mas também é improvável que os comentários sugiram que o Fed iniciará um ciclo significativo de cortes. Lembrando que a divulgação de dados fortes de criação de novos postos de trabalho americano na última sexta-feira fez com que o mercado questionasse a necessidade/tamanho de cortes nas taxas de juros, apesar desse ainda ser o caso base.
 
Na Europa, apesar de bons resultados industriais divulgados nessa manhã, a Comissão Europeia revisou para baixo a sua expectativa para o PIB da Zona do Euro de 2020 de 1,5% para 1,4% em seu relatório trimestral de perspectivas para a economia.
 
De acordo com o relatório, as tensões comerciais podem adicionar mais incerteza e reduzir ainda mais a expectativa de crescimento. Nossa visão é que algumas tensões permanecerão no radar em 2020, mas não trarão maiores consequências para as principais economias do globo.
 
Por fim, os preços do petróleo subiram 2% após dados do American Petroleum Institute (API) terem mostrado que os estoques de petróleo dos EUA caíram 8,1 milhões de barris na semana de 5 de julho, superior a queda esperada pelo mercado de 3,1 milhões.


Brasil

Política Brasil: Primeiros placares da reforma da previdência
  • Surgiram os primeiros placares na sessão de ontem da Câmara dos deputados que discutia a Reforma da Previdência. Com feriado apenas em São Paulo, os parlamentares rejeitaram requerimento da oposição por 331 a 117 no início da noite e já na madrugada aprovaram o encerramento da discussão por 353 a 118. São necessários 308 votos para aprovar a reforma da previdência;
  • Rodrigo Maia convocou sessão para hoje 9h mas os procedimentos devem começar a avançar apenas por volta de 11h. Um líder com quem conversamos disse esperar que a votação do texto base da reforma possa ocorrer já a tarde. O calendário ainda prevê a apreciação dos destaques amanhã e uma votação na sexta feira para permitir que a reforma seja votada em segundo turno na semana que vem;
  • Reforma Tributária: Senado decidiu abraçar a proposta do ex-deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) no mesmo dia em que a Câmara aprovou a criação da comissão especial para debater o projeto que tem como base a proposta de Bernard Appy. É a disputa pelo protagonismo pós reforma da previdência.
     

IPCA deve apresentar leve deflação em junho

  • ​O IBGE divulgará as 9h o IPCA de junho. Segundo as expectativas do mercado, o IPCA deve ter caído 0,03% em junho após apresentar alta de 0,13% em maio;
  • O índice acumulado em 12 meses deve apresentar forte retração de 4,7% para 3,3%, pois a inflação registrada em maio do ano passado na época da greve dos caminhoneiros sairá desse cômputo;
  • De forma geral, tanto o IPCA quanto os seus diversos núcleos de inflação estão bem comportados, o que vem criando espaço para a redução dos juros no Brasil.

Internacional

Dados de produção industrial na Europa vêm acima da expectativa em maio, mas relatório da comissão europeia renova ceticismo com crescimento em 2020

  • A produção industrial da França e da Itália subiram 2,1% e 0,9% em maio, respectivamente. Os resultados ficaram bem acima da expectativa de mercado (+0,2% e +0,1%). No caso francês essa foi a maior alta mensal desde novembro de 2016. Já a produção industrial do Reino Unido subiu 1,4% em maio, ficando pouco acima da expectativa de mercado (1,2%);
  • Apesar dos bons resultados, o bom humor não durou muito, pois a Comissão Europeia revisou para baixo a sua expectativa para o PIB da Zona do Euro de 2020 de 1,5% para 1,4% em seu relatório trimestral de perspectivas para a economia. Revisões para baixo do PIB da Alemanha e da França (ambos de 1,5% para 1,4%) foram os destaques negativos. Para 2019, a comissão manteve inalterada a sua projeção de 1,2%;
  • De acordo com o relatório, as tensões comerciais podem adicionar mais incerteza e reduzir ainda mais a expectativa de crescimento. Nossa visão é que algumas tensões permanecerão no radar em 2020, mas não trarão maiores consequências para as principais economias do globo.

Petróleo sobe no relatório da API sobre os levantamentos de ações

  • Os preços do petróleo subiram 2% após dados do American Petroleum Institute (API) terem mostrado que os estoques de petróleo dos EUA caíram 8,1 milhões de barris na semana de 5 de julho, superior a queda esperada pelo mercado de 3,1 milhões;
  • Os números oficiais da EIA (Agência de Informação de Energia dos EUA) devem ser publicados hoje às 11h30 (horário de Brasília), com expectativas de mercado de uma queda de -3,08 milhões de barris;
  • Além disso, o mercado também está monitorando de perto possíveis interrupções da produção de petróleo no Golfo do México, em vista de uma tempestade tropical que deve chegar à área na quinta-feira.

​Ministro da Fazenda do México renuncia em meio a diferenças com o presidente

  • Carlos Urzúa, ministro da fazenda do México, escreveu na terça-feira ao Presidente Andrés Manuel López Obrador (AMLO) para anunciar sua renúncia ao cargo. Em sua carta publicada no Twitter, o ministro agradeceu ao presidente, mas afirmou que o governo tomou decisões de política pública com base em ideologia, e não em evidências;
  • O ministro era visto pelos mercados como um defensor de disciplina fiscal e sua saída acontece em meio à redução das perspectivas para a economia do México, com crescimento no país desacelerando e potencial rebaixamento das agências de ratings;
  • O presidente nomeou o vice Arturo Herrera para substituir Urzúa. Herrera é doutor em economia pela Universidade de Nova York e, antes de ir para o Ministério da Fazenda mexicano, trabalhou no Banco Mundial;
  • A renúncia é um revés na administração do presidente Lopez Obrador, que implementou uma agenda nacionalista e que assustou os mercados. No dia do anúncio, a bolsa mexicana caiu 1,5% assim como o peso mexicano que se desvalorizou 1,4%.

​China: CPI aumenta 2,7% e PPI fica estável em junho

  • O Índice de Preços ao Consumidor da China (CPI) subiu 2,7% em junho na comparação anual, permanecendo em linha com as expectativas de mercado e mantendo o ritmo verificado no mês anterior. Na base de comparação mensal, o CPI passou de 0,0% em abril para -0,1% em junho;
  • O grande destaque foram os preços dos alimentos, que aumentaram 8,3% em junho ante um ganho de 7,7% no mês anterior;
  • Já o Índice de Preços ao Produtor (PPI) permaneceu estável em junho na comparação anual, enquanto o mercado esperava alta de 0,2% no período. Na comparação mensal, o PPI recuou 0,3% em junho, após ter subido 0,2% no mês anterior. 

Empresas

Vale (VALE3): Condenação por colapso de barragem em Brumadinho pela justiça de MG; Manutenção dos R$11bi bloqueados

  • A Vale informou ontem que foi condenada pela Justiça do Estado de Minas Gerais a reparar todos os danos causados pelo rompimento da barragem de rejeitos da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho. A decisão não determina valor a ser pago pela mineradora, porque, segundo o juiz, as consequências da tragédia ainda não são passíveis de quantificação somente por critérios técnico-científicos; 
  • O bloqueio do valor de R$11bi foi mantido. Entretanto, a justiça autorizou a substituição do valor de R$5bi por outras garantias financeiras, como fiança bancária, seguro garantia e/ou investimentos à disposição do juízo, em adição aos R$500mi previamente aprovado. Ademais, foram indeferidos os pedidos de suspensão das atividades e intervenção judicial na Vale, visto que existem garantias suficientes para ressarcir os danos;
  • A decisão reconheceu a cooperação da Vale, inclusive financeira, com todas as ações requeridas em juízo durante audiências de conciliação realizadas com os órgãos do sistema de Justiça. Mantemos recomendação de Compra. Como temos mencionado, na nossa visão, potenciais riscos estão sendo cada vez mais mitigados, o que deve gradualmente permitir que as operações normalizem e as ações sejam negociadas de volta aos fundamentos. 

Vale (VALE3): Cade aprova compra da Ferrous Resources

  • O Cade aprovou ontem, sem restrição e por unanimidade, a compra da mineradora Ferrous Resources pela Vale. O negócio foi anunciado em dezembro, por US$550mi; 
  • A Superintendência-Geral do Cade havia se posicionado favorável ao negócio, mas concorrentes haviam se manifestado contrários. A Porto Sudeste, por exemplo, alegou que a aquisição geraria concentração ainda maior no mercado de minério de ferro e no setor de terminal de exportação da commodity, já liderado pela Vale; 
  • Ao anunciar a compra, a Vale informou que o novo ativo reúne minas de minério de ferro em atividade em MG, em áreas onde já atua – a região do Quadrilátero Ferrífero. A companhia espera incorporar a produção de 4mt/ano de “pellet feed”, matéria-prima usada para a produção de pelotas, mas vendida também separadamente no mercado como um produto de alta qualidade. Vemos o anúncio como positivo e mantemos recomendação com Compra, preço-alvo de R$68/ação (US$17/ADR). 

Companhias Aéreas: Leilão da Avianca acontece hoje, apesar de alguns slots já terem sido redistribuídos

  • Hoje está previsto para ocorrer o leilão das sete unidades produtivas isoladas (UPIs) da Avianca contendo slots dos aeroportos de Congonhas (CGH), Guarulhos (GRU) e Santos Dumont (SDU), apesar da Anac já ter realizado a distribuição em GRU e SDU de acordo com o Valor;
  • De acordo com o jornal, a empresa fará o leilão aguardando decisão judicial. Quanto ao aeroporto de Congonhas (CGH), a Anac ainda analisa as contribuições recebidas na consulta pública pelos interessados nos ativos da Avianca, por conta do alto nível de concentração no aeroporto.

Ambev (ABEV3): Decreto altera regras de produção de cerveja | Positivo

  • O presidente Jair Bolsonaro (PSL) publicou na edição de ontem do Diário Oficial da União o Decreto Nº 9.902, que traz regras de classificação, registro, inspeção, produção e fiscalização de bebidas;
  • Segundo o Valor Econômico, a mudança mais significativa, na avaliação de representantes da indústria cervejeira, foi a permissão do uso de ingredientes de origem animal na produção da bebida. Uma cerveja adoçada com mel ou com lactose, por exemplo, era vendida como bebida alcoólica mista;
  • Em nota, a Ambev afirmou que a legislação vai estimular mais “a criatividade cervejeira e a variedade de ingredientes e sabores, principalmente as microcervejarias, que são também uma das maiores provocadoras da inovação e da diversidade cervejeira”. A Ambev se beneficia com a mudança na legislação, considerando que ela controla cervejarias artesanais que testam esses tipos de ingredientes.

Aço: EUA lançam novas sobretaxas ao aço do México e da China

  • Os EUA anunciou na segunda-feira a imposição de novas sobretaxas temporárias ao aço e ao alumínio do México e da China. As tarifas variam de 13,6% a 74% para o México e, no caso da China, as tarifas preliminares foram fixadas entre 30% e 177%; 
  • Após o anúncio dos EUA na segunda-feira, o governo mexicano comunicou na terça-feira que apoiará os produtores nacionais do setor. Segundo o Departamento de Comércio americano, uma decisão final será tomada em novembro; 
  • O governo mexicano não fez comentários sobre as afirmações dos EUA de que os produtores de aço recebem algum tipo de subsídio governamental, mas destacou que as novas tarifas temporárias não têm ligação com as sobretaxas que os EUA impuseram no ano passado ao aço e ao alumínio do México e do Canadá e que foram retiradas diante do processo de ratificação do novo acordo de livre comércio da América do Norte (USMCA).
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.